História One and Only - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun
Tags Amor, Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Colegial, Hunhan, Jongin, Kai, Kaisoo, Kyungsoo, Luhan, Sehun
Visualizações 544
Palavras 3.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, galerinha ♡
Tudo bom com vocês? Esse capítulo não foi em nada como o planejado (nem o anterior também lol) mas ele é bonitinho e importante, mesmo não estando completamente na linha do tempo original de oao lol
Espero que vocês gostem e dêem amor ♡

Capítulo 8 - The eve


Fanfic / Fanfiction One and Only - Capítulo 8 - The eve

LuHan tinha um sorriso nos lábios quando se viu rumo ao colégio dividindo carro com Oh SeHun. No dia anterior, o coreano havia o levado para almoçar como prometido e dividiram um pacote de pipocas pela tarde enquanto assistiam filmes em seu apartamento vazio. SeHun perdeu o horário e esqueceu do compromisso com os amigos, mas pareceu não se importar vendo o garoto de cabelos rosas deitado em seu colo com os olhos grudados na televisão. Aproveitou que os pais estavam viajando para resolver assuntos de outra filial do hotel, e convidou que LuHan dormisse com ele. Foi na cama do quarto de SeHun que os dois reviveram ainda mais as lembranças do verão, e LuHan deixou-se encantar mais uma vez pelas palavras de amor sussurradas no pé do ouvido enquanto eram um só.

 

SeHun tinha a cabeça apoiada na janela e pediu ao motorista que parasse algumas quadras antes do destino, e saiu do carro, seguido pelo chinês que bufou com a cena. 

 — Qual a necessidade disso? - LuHan endireitou a mochila nas costas

— Se chegarmos no mesmo carro soa suspeito, LuHan – sussurrou o coreano

— Você está mesmo com vergonha de mim? - murmurou

SeHun parou de andar, apertou as alças da mochila na mão até os nós de seus dedos ficarem brancos e deu a LuHan um olhar de soslaio. O chinês entretanto, não havia feito a pergunta por birra, como pensou SeHun. LuHan só queria o verão de volta. Mesmo no resort da família em Jeju, cheio de funcionários o observando, LuHan sentia que SeHun estava mais próximo de si ali, não se beijavam em lugares movimentados e tampouco andavam de mãos dadas pelo saguão, mas também não parecia ser algo escondido como estava sendo em Seoul. 

 — Eu só não quero que as coisas fiquem complicadas, Lu 

 — Pra mim ou pra você?

— Para nós dois – concluiu o coreano, voltando a andar sendo acompanhado por LuHan 

 — Hunnie, - LuHan segurou o braço do mais novo, fazendo-o parar – eu deixo bem claro pra qualquer pessoa que eu conheça que sou gay. Eu entendo você não querer assumir uma bissexualidade, homossexualidade, o que seja. Eu juro que entendo, mas eu também não quero viver me escondendo, então pensa bem, tá bem?

SeHun assentiu sem nem ter certeza se havia entendido o recado, recebeu um sorriso murcho do chinês e o viu seguir em frente, sem olhar pra trás nem uma única vez.

••☽•☾••

As palavras de LuHan entretanto, não tiveram nenhum efeito, pois todos os dias seguintes o casal encontrava-se no banheiro do último andar e trocavam beijos e carícias. Situação que não se repetiu com KyungSoo e JongIn.

A semana de provas teve início no mesmo período que as aulas de dança de JongIn começaram, o moreno mesmo sem tempo, esforçava-se para provocar KyungSoo de todas as formas que podia, porém se KyungSoo já ficava insuportável na semana de provas normalmente, a situação piorou quando no final de uma das primeiras provas, JongIn pediu para o garoto pegar em sua mochila o boné que ChanYeol havia deixado em sua mão e KyungSoo, além de encontrar o acessório, acabou por achar também um tubo de plástico curioso, que ao ler do que se tratava, arregalou os olhos e gritou no meio do pátio quase vazio.

— Que porra é essa? - jogou o tubo de lubrificante para JongIn, que deixou de amarrar os sapatos para conseguir pegar a embalagem no ar 

 O moreno sorriu sacana pondo-se de pé.

— O que?- aproximou-se do baixinho indo guardar o produto de volta na mochila - Não vai querer usar?

KyungSoo arregalou os olhos ainda mais e JongIn o viu perder a cor diante de suas palavras. O baixinho, sem saber o que fazer, continuou parado, olhando incrédulo para um JongIn sorridente. Do quis esconder o rosto, sem acreditar no que ouviu. A vergonha que corria em suas veias – tanto por lembrar de JongIn fazendo o que fez na casa de ChanYeol, tanto pela pergunta que ouviu do amigo – deu espaço entretanto para o medo seguido de raiva. Ambos os sentimentos estavam ligados ao que JongIn planejava. Medo pois era completamente novo para si tal tipo de interação, e não sabia se estava realmente pronto – por mais que tivesse a total certeza de que queria muito – para aquilo e raiva por saber que se JongIn havia comprado aquilo, estava mesmo planejando algo, o problema estava aí: JongIn nunca chegou a perguntar se o garoto queria.

Todavia, para JongIn a resposta era óbvia só de olhar como o mais velho ficava a cada toque. KyungSoo tomado pelos sentimentos de raiva e vergonha, empurrou o ombro de JongIn deixando-o sozinho no colégio.

O moreno buscou KyungSoo nos outros dias, mas tudo que ganhava era um "saí daqui, JongIn" seguido de um "Sério, semana de provas, eu tenho que estudar" quando não recebia só um olhar revolto. Não se deu por vencido, tentava mesmo que inutilmente fazer o garoto rir e ceder alguns beijos no subsolo do colégio, mas KyungSoo realmente parecia inabalável, mesmo que no fundo, não fosse.

Ao término de uma semana cansativa, ChanYeol parou na porta impedindo a saída de KyungSoo, LuHan e MinSeok.

— Vocês não estão cansados?

— ChanYeol, eu quero ir pra casa, sai - KyungSoo disse, ganhando um olhar de pena do grandão, deixando claro que não o deixaria sair 

 — Um pouco, por quê? - LuHan perguntou curioso

— Vamos sair pra comer

— Não - KyungSoo interrompeu

— Pra descontrair essa semana de estudos!

— Eu quero ir! - LuHan empolgou-se, desde que havia chegado em Seoul havia saído apenas com a host family, com JunMyeon e SeHun, mesmo chamando sempre MinSeok pra sair com ele

— Ah, eu não sei se posso – MinSeok coçou a nuca, mas logo LuHan o abraçou por trás dando beijos em suas bochechas pedindo vários "por favorzinho" - Tá, tá - deu-se por vencido, meio tímido - pra onde vamos?

— Qualquer lugar aqui perto – O ruivo sorriu para os colegas de classe antes de virar-se para KyungSoo – vamos, Soo?

— Não, estou cansado

— O Baek vai também - KyungSoo riu vendo o argumento que ChanYeol usava para o convencer – por favor, vamos

— ChanYeol, eu realmente... - suspirou antes de tentar concluir sua fala, pois logo seus olhos encontraram os de JongIn

— Está tentando evitar o melhor amigo – concluiu o moreno, empurrando ChanYeol um pouco para o lado e encaixando-se o portal da porta

O baixinho entreabriu a boca para protestar, incrédulo com a falta de vergonha da cara de JongIn.

— Não estou tentando te evitar

— Por que você tá evitando o Kai? - ChanYeol coçou a nuca sem entender

— É, Soo, por que não diz a todo mundo o motivo de me evitar? - o sorriso nos lábios de Kai era sugestivo o suficiente para LuHan rir baixo pensando nas possibilidades

— Eu não estou te evitando, JongIn – cerrou o punho querendo socar o rostinho bonito que o amigo tinha – pra onde vamos, ChanYeol?

— Achei que você não...

— Pra onde vamos, ChanYeol? - repetiu a pergunta mais alto, com os olhos acompanhando o riso nos lábios grossos de Kai, dessa vez dividido entre o beijar ou quebrar sua cara 

 ChanYeol respondeu rápido que iriam em uma hamburgueria, um tanto assustado com o timbre que KyungSoo havia usado. LuHan e MinSeok riram baixinho e logo deixaram o prédio do colégio indo para o pátio.

[PCY às 16:34] Baek, eu tô indo com o pessoal te buscar no colégio

[PCY às 16:35] Desculpa demorar, acabei a prova só agora

[PCY às 16:35] Mas eu juro que chego aí rapidinho

[Baekie às 16:36] Não precisa XD Eu acabei a prova cedo, fui comprar uns mangás e já tô indo pra lá, vou guardar a mesa de sempre e pedir pra colocarem mais cadeiras

[PCY às 16:36] NÃAAAAO

[PCY às 16:36] A gente senta em outra mesa, deixa aquela sendo a nossa

[Baekie às 16:40] Então tá e.e

LuHan tinha os braços envolvendo o corpo de MinSeok enquanto andava até o pátio vendo JongIn puxar KyungSoo para si e o baixinho revirar os olhos descrente, quando encontrou quase que inesperadamente outro alguém. LuHan achava que muitas coisas só aconteciam em filmes, mas desde que conheceu Oh SeHun, viu que a vida poderia muito bem ter um toque hollywoodiano na presença do coreano. SeHun estava apoiado num carro na entrada do colégio, os braços um tanto definidos cruzados na altura do peito. Para o chinês, a cena ficou em slow motion e o fez respirar fundo. 

 — O que foi? - MinSeok perguntou baixinho

— Nada não, Seok – riu baixo aproximando-se do carro junto com os outros garotos 

 Era uma das primeiras vezes que SeHun dizia a ChanYeol para chamar algumas pessoas para sair com eles, e lembrava-se de ter sido bem especifico quando falou: "Chama o chinês da sua sala, ele ainda não se adaptou com o país direito", mesmo sendo mentira. E isso não tinha nada a ver com chamar outro cara do terceiro ano, muito menos um que LuHan andasse abraçado por aí. Revirou os olhos com a cena, mantendo os braços cruzados.

— Todos aqui, vamos? - ChanYeol como sempre parecia estupidamente empolgado 

 — Você também vai, MinSeok? - SeHun apontou com a cabeça para o garoto, que assentiu meio sem jeito

Descruzou os braços bufando e dando as costas para entrar no carro, porém logo foi parado por ChanYeol que avisou que como a hamburgueria que iriam era perto poderiam muito bem ir andando. Os garotos seguiram caminho até o lugar, SeHun hora ou outra olhando de soslaio para LuHan e MinSeok que conversavam animados logo ao lado, e LuHan, ao ver a expressão emburrada do garoto sorria e passava o braço ao redor de MinSeok, ainda sorrindo completamente meigo para SeHun. Completamente passivo agressivo.

BaekHyun havia acabado de guardar o último volume lançado do seu mangá favorito quando avistou o grupo de estudantes adentrando a hamburgueria.

— Eu já comi um hambúrguer, vocês demoram – levantou-se abraçando JongIn – mas eu como mais outro, só pra não fazer desfeita

— Como foi a aula? - ChanYeol perguntou abraçando o amigo também

— Não assisti nenhuma aula hoje – disse indo abraçar SeHun – fiquei conversando do lado de fora, não estou em semana de prova como vocês, lindinhos – piscou – Ah! Quem são vocês? Eu já te vi em algum lugar – apontou para MinSeok

— Eu vou às vezes com o ChanYeol no seu colégio, mas acho que nunca fomos apresentados – MinSeok tinha as bochechas um tanto rosadas – Sou MinSeok

— MinSeok do JongDae?! - BaekHyun gritou fazendo os outros clientes olharem e MinSeok passar de rosa para vermelho, e por isso, não precisar responder o garoto – Eu adoro o JongDae, sério! Ele nem vai acreditar quando eu falar que já te conheço! E você?! Você parece uma boneca!

SeHun riu baixinho, coisa que passou despercebido aos demais.

— Sou LuHan, prazer em conhecê-lo!

— Eu acho que estou apaixonado – BaekHyun brincou colocando a mão no peito, mas logo riu alto da própria piada – Eu sou Baek! - sorriu aconchegante – Kyung! - gritou ao perceber o baixinho já sentado na mesa e olhando o cardápio 

 — Se você continuar gritando eu juro que te faço parar

— Me faz parar como? - BaekHyun riu maldoso, fazendo LuHan, MinSeok e SeHun rirem baixinho, mas apenas ganhou olhares de reprovação dos demais

— Garanto que não vai gostar do jeito – KyungSoo olhou para o garoto e logo apontou para ChanYeol com o olhar, indicando que poderia muito bem falar para ChanYeol tudo que o espalhafatoso BaekHyun havia dito para si

— Yah – riu – estou brincando

Sentaram-se a mesa, KyungSoo estava apoiado na parede, dividindo banco com JongIn e SeHun, no outro lado da mesa, MinSeok, LuHan e ChanYeol, enquanto BaekHyun havia puxado uma cadeira e sentado na cabeceira da mesa. Do foi o primeiro a fazer o pedido, seguido de SeHun e os demais demoraram mais. Pediram algumas poções de batata frita para comer enquanto esperavam os hambúrgueres, BaekHyun já estava completamente enturmado com os garotos novos falando sobre o amigo chinês que tem em seu colégio e sobre JongDae, um dos primeiros amigos que havia feito em Seoul. KyungSoo entretanto estava perdido em pensamentos. Seus olhos observavam JongIn conversando com os amigos animado e perguntou-se como as coisas mudaram tanto entre eles que não conseguia sentar-se ao lado dele sem pensar em tudo que já havia acontecido.

Alguns meses atrás, JongIn o arrastaria para casa de ChanYeol ou SeHun depois das aulas ou num final de semana qualquer, o levaria para comer com os amigos e no começo, reclamaria de ter que ir para tudo, mas aproveitaria silenciosamente a companhia do amigo, sem nunca deixá-lo perceber que talvez ele não odiasse por completo os garotos mais altos, sem o deixar perceber que talvez aquelas brincadeiras de ChanYeol e SeHun tivessem certo fundamentos. E hoje estava ali, sentindo-se parte de um grupo divertido, chamando Park ChanYeol de amigo em pensamento, aproveitando a companhia de Oh SeHun, se divertindo com Byun BaekHyun e seus gritos, e até mesmo LuHan, que conheceu tão pouco, mas que havia se aproximado na semana de provas pois o chinês havia pedido sua ajuda em algumas matérias, já sentia-se próximo, e MinSeok, que apesar de conhecer há alguns bons anos, nunca havia trocado mais do que curtas frases, aproveitava a companhia naquela tarde.

Mas a mais evidente mudança entretanto, era sobre JongIn.

Saiu dos seus pensamentos, e quando percebeu, a batata frita estava na mesa aparentemente há muito tempo, e JongIn estava virado para si com a boca aberta.

— O que? - perguntou sem entender muito bem

— Batata frita, Soo – pediu o moreno, usando uma voz meiga

BaekHyun até parou de falar por um segundo para observar a cena, e KyungSoo vendo os olhos do garoto em si, bufou. Não iria fazer algo para dar mais motivos para Byun achar coisas da sua relação com JongIn. 

 — Você tem mão, pegue – revirou os olhos

— Achei que você gostava de colocar coisas na minha boca

KyungSoo tossiu, vendo LuHan arregalar os olhos, MinSeok rir baixo e ouvindo os escândalos das risadas dos demais. JongIn entretanto, continuou com a boca aberta esperando que o baixinho o alimentasse.

— Kai – SeHun foi o primeiro a se recompor, mas podia-se sentir a graça em sua voz – eu sei que estava falando dos amendoins, - referiu-se ao lanche que sempre via KyungSoo jogar para o moreno – mas isso ficou tão maldoso

— Eu não vou nem falar de que amendoim ele tá falando – BaekHyun disse baixinho, alto o suficiente para ChanYeol gargalhar ainda mais alto

O baixinho, que tentava controlar o fluxo de sangue em suas bochechas, encheu as mãos de batatas fritas e enfiou brutalmente na boca de JongIn, que riu pegando as que tinham caído para fora. JongIn o cutucou com o ombro, e sorriu sem mostrar os dentes, achando graça de toda aquela situação, mas Do apenas revirou os olhos, mesmo que no fundo – bem no fundo mesmo - também queria rir um pouco.

Os hambúrgueres não demoraram muito de chegar, e BaekHyun foi o primeiro a atacar seu prato, enquanto os outros ainda admiravam o tamanho da comida.

— Você já comeu mesmo outro desses? - LuHan perguntou

— Já, - tinha a boca cheia enquanto falava – normalmente eu como dois, três porções de batata, as vezes tomo milk shake também, mas fico mais na zona do refrigerante

— Meu Deus – LuHan e MinSeok falaram em uníssono, ganhando um longo revirar de olhos de SeHun, que já havia começado a se cansar dessa proximidade de seu LuHan com o outro rosado – Agora por que dão garfo e faca para comer um hambúrguer?

— Porque é muito grande, então algumas pessoas preferem comer de garfo e faca, Hannie – MinSeok disse, pegando os talhares para comer o seu

SeHun entreabriu a boca, incrédulo que o garoto achava mesmo que tinha essa intimidade com LuHan a ponto de poder chamá-lo por um apelido. - LuHan deu de ombros, pegou a faca e girou na ponta dos dedos, ia começar a falar sobre não achar aquilo realmente necessário quando deixou que a serra da faca escorregasse cortando seu polegar. A faca caiu na mesa e ele soltou um muxoxo de dor, ganhando a atenção dos outros.

Inesperadamente, SeHun levantou inclinando-se para o outro lado da mesa e puxando a mão de LuHan para si. 

 — Você está bem?!

LuHan ficou sem fala, sem entender muito bem. Era só um cortezinho de nada, apenas um filete de sangue manchava seu dedo, nada demais, os outros também notaram isso. Mas SeHun continuava ali, olhando-o verdadeiramente preocupado.

— Eu... - era realmente difícil deixar o chinês sem palavras, mas ali estava ele

— Você tem que tomar mais cuidado – SeHun observou o pequeno corte – Vamos lavar isso 

 — Não precisa...

LuHan puxou a mão de volta, sem graça e deixando o coreano ainda inclinado na mesa. Este por sua vez, levou alguns segundos até sentar. Logo os garotos voltaram a conversar, esquecendo-se do episódio nada convencional que haviam presenciado, mas aquilo não havia passado despercebido para uma única pessoa. ChanYeol tinha o canudo do refrigerante na boca, os olhos grandes dividiam a atenção entre SeHun e LuHan. Conhecia o amigo há muito tempo, SeHun não era assim. Observou LuHan, o chinês de alguma forma, tinha algo de familiar. Não era os olhos e tampouco o cabelo. Talvez o perfil... - Cerrou os olhos tentando lembrar onde havia visto LuHan antes de o conhecer, e quando seus olhos desceram pelo perfil do garoto e encontraram a boca, arregalou os olhos notando que a semelhança de LuHan era nada mais nada menos que a da foto que havia encontrado no celular de SeHun e usado para conseguir a festa.

Tossiu, olhando para SeHun e se questionando se aquilo era mesmo possível. SeHun era o cara que ficava com mais garotas que ele conhecia, eram todas do tipo modelo, ele nunca estava sozinho. Seria possível que a pessoa da foto fosse LuHan? Balançou a cabeça, negando a pergunta que havia feito a si mesmo, lembrando-se que LuHan era chinês e não estava na Coréia até pouco tempo.

Demoraram até acabar de comer, pois BaekHyun e ChanYeol sempre acabam contando alguma coisa engraçada e atrapalhando, quando deixaram a hamburgueria já era tarde, KyungSoo ajeitou a mochila nas costas vendo os garotos fazerem o mesmo.

— Eu amo vocês, mas eu preciso humilhar o Chan no videogame essa madrugada – disse pouco antes de receber um fraco chute do grandão - Não sintam muito minha falta, eu sei que é impossível, mas eu garanto que vocês superam

— Claro – KyungSoo permitiu-se rir um pouco, o que fez BaekHyun feliz

— Vamos, Baek - ChanYeol puxou o amigo pela mochila o colocando do seu lado

— Você ainda mora no mesmo lugar? - MinSeok perguntou, e vendo ChanYeol assentir, pediu para ir com eles para casa

Os quatro garotos que sobraram, viram os três indo embora e a sombra engraçada que era ChanYeol no meio dos dois mais baixos que ele. SeHun tossiu chamando atenção dos garotos.

— Você mora onde, LuHan? - perguntou como se não soubesse, LuHan riu de lado respondendo – Se quiser pode ir comigo, meu motorista já está fazendo a curva para me buscar

— Pode ser

— Então eu também estou indo – KyungSoo suspirou, mas JongIn o abraçou por trás chamando sua atenção

— Me leva pra casa, hyung – pediu manhoso 

 — Você pode ir sozinho...

— Por favor, hyung, não quero ir sozinho

KyungSoo sabia que a fofura empregada na voz de JongIn não condizia em nada com o que passava na cabeça do moreno. Mas de algum modo, ele apenas não ligou.

— Tudo bem, Nini.

Do de alguma forma, - não sabia porquê - sentia que aquela era a calmaria antes da tempestade. O frio na sua barriga quando JongIn sorriu o puxando pela rua no caminho para sua casa indicava que era só a véspera de algo muito maior.


Notas Finais


Sabem Game of Thrones? No episódio 9 sempre tem o clímax da série.
Um beijão
(Gente eu escrevi esse capítulo no laboratório da faculdade, onde qualquer pessoa pode chegar do vidro e ler, eu devo amar muito oao)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...