História One Change - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Aborto Espontâneo, Bts, J-hope Hétero, Jimin, Jin, Mpreg, Namjin, Rap Monster, Suga, Taehyung, Vkook, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok Bromance
Visualizações 1.434
Palavras 4.679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quem é vivo sempre aparece.

OI MEUS AMORES, COMO VOCÊS ESTÃO?

Pô, acho que vocês querem me matar por ficar sete meses sem atualizar e não informar vocês o motivo, certo? Me perdoem! Minha vida ficou uma loucura, fiquei com um péssimo bloqueio criativo e sem contar a escola esse ano está três vezes pior do que imaginei. É cursinho, provas toda semana, trabalhos intermináveis, enfim está uma loucura! Mas eu não queria encher vocês com isso, só dei esse pequeno "resumo" para vocês entenderem o motivo de falta de atualização. Agora, de verdade, as atualizações vão voltar frequentemente então semana que vem tem att. Como vocês sabem as atts vão ser no sábado ou domingo. É isso, vejo vocês lá em baixo e boa leitura.

Capítulo 26 - I need you.


Fanfic / Fanfiction One Change - Capítulo 26 - I need you.

Min Hi Na. — Yoongi murmurou se corrigindo e se xingando mentalmente por ter chamado aquela mulher de mãe.

Pelo amor, essa mulher não deve ser chamada de mãe, até porque ela não cumpriu o papel de uma quando Yoongi precisou dela em um dos momentos mais difíceis de sua vida. A aceitação. Ela não hesitou em expulsá-lo de casa quando Yoongi revelou seu verdadeiro eu. Uma mãe de verdade não faria isso. Não mesmo. Uma mãe de verdade apenas iria o abraçar e aceitá-lo.

E Min Hi Na não fez tal coisa.

Ela nem ao menos tentou entender o lado de Yoongi antes de jogar pedras e recriminá-lo por algo que é normal para muitas famílias. Yoongi tentava, ele tentava de verdade, acreditar que a mãe apenas fez aquilo por conta da criação que teve quando mais nova. Mas… É difícil aceitar isso quando está com raiva e… Magoado.

— Yoongi… — Ela murmurou olhando atentamente para o rapaz como se ele fosse uma obra de arte raríssima.

E não podemos negar que ele, realmente, é.

Os olhos da mais velha analisavam todos os míseros detalhes. Sem deixar passar nada despercebido. Ela estava tão focada em Yoongi que nem ao menos notou o garoto de cabelos vermelhos que segurava a cintura do filho firmemente. Mas isso não era o mais importante agora. Min Hi Na nem ao menos notou como alguns pares de olhos de alguns curiosos já eram lançados a eles de uma forma nada discreta.

Yoongi não estava diferente. Ele olhava para a mais velha espantado pela forma que ela mudou nesses últimos anos. A última lembrança que tinha de sua mãe, ela estava com os cabelos pretos e era um pouquinho gordinha. Mas agora, seus cabelos antes pretos, estão em um tom avermelhado e seu rosto está bem mais fino. E, se Yoongi analisar bem o rosto da primogênita, arriscaria a dizer que ela fez alguma cirurgia na face.

— Yoongi… — Ela murmurou novamente, mas dessa vez olhava espantada para barriga volumosa do garoto.

O loiro mordeu o lábio inferior ao perceber que sua mãe havia notado que ele está grávido. E, protetoramente, levou a mão até a barriga volumosa e apertou levemente a mão de Jimin. Ele precisava saber o que o ruivo estaria ali com ele e para ele.

— Querida, quem é? — Yoongi olhou para dentro da casa ao ouvir a voz do homem que por tanto tempo odiou.

Jimin sentiu seu — futuro — namorado dar dois passos para trás ao ouvir passos pesados aproximado da porta. O ruivo fitou atentamente o homem que apareceu atrás da mãe de Yoongi e se espantou ao ver como ele é parecido com o garoto ao seu lado.

Min soltou um suspiro já sentindo seus olhos lacrimejarem ao ver Choi MinSoo, seu pai, parado atrás de Min Hi Na. São muitas emoções para uma pessoa que não devia estar passando por tanto stress. Yoongi sentia seu coração descompensado, sua respiração ficando pesada e suas vistas já embaralhavam levemente.

Porra, seus pais estão bem em sua frente. Sei que já deve ser bastante claro que Yoongi nunca imaginou que iria reencontrá-los novamente, mas não tem como explicar os sentimentos que dominavam o coração do gestante. Como explicar que vendo seus pais diante de si, uma dor, até então desconhecida de si, invadiu seu peito? Algo como saudades misturada com rancor.

— Yoongi, nós achamos que você iria vir amanhã. — Foi a primeira coisa que MinSoo disse.

Yoongi levantou os olhos e fitou o pai que parecia… abalado com sua presença. Diferente de Min Hi Na, ele não o olhou de cima a baixo. Apenas fitou seu rosto como se ele estivesse no deserto e Yoongi fosse uma miragem que estava prestes a desaparecer.

— Eu também, mas preferi vir antes para resolvermos as coisas o mais rápido possível. Não quero que fique um clima tenso no casamento do filho mais velho de vocês. — As palavras de Yoongi saíram amarguradas. E doeu para si não se incluir naquela família.

— Oh, tudo bem… Filho. — Jimin olhou para Yoongi no mesmo instante em que aquela última palavra saiu dos lábios de seu pai. E, por mais que ele não deixasse transparecer, o ruivo notou como o mesmo ficou mal com isso.

Daí em diante as coisas ficaram ainda mais estranhas, após e entrarem na casa, um silêncio desconfortável recaiu entre os quatro. Eles estavam na sala apenas se olhando, a essa altura os pais de Yoongi já haviam notado que ele está grávido e que Jimin, provavelmente, é o pai da criança. Porém eles não tiveram coragem de perguntar e, consequentemente, iniciar uma conversa.

— Eu vou preparar um café. — Min Hi Na disse já se levantando e chamando atenção de todos presentes na sala para ela.

— Não precisa de preocupar com isso. — Jimin, pela primeira vez desde que chegou, se pronunciou sorrindo para a mais velha.

— Eu insisto. A conversa vai ser longa. — Ela deu um sorriso triste e sumiu pelo corredor que Yoongi lembrava muito bem dar acesso a cozinha.

— Eu vou ao banheiro. — MinSoo se pronunciou também se levantando. Era mais que óbvio que ele não queria ficar sozinho ali.

Ambos os jovens assentiram e o homem subiu as escadas indo para o segundo andar. Yoongi suspirou e olhou toda a pequena sala. Estava igual desde sua última lembrança, até mesmo os enfeites eram os mesmos. Um sorriso triste cresceu no canto da boca de Yoongi e ele se obrigou a parar de olhar e casa e fitou Jimin que sorria tranquilizador.

— Está tudo bem? — Perguntou acariciando a mão do gestante.

— Isso está tudo estranho, não é? Será que eu deveria ter deixado isso quieto e continuar em Seul? — O arrependimento já começava a agarrar Yoongi.

— Não, Yoon. Vocês tem quem resolver isso agora, quanto mais adiarem, pior será para vocês. — Aconselhou e Yoongi suspirou abaixando a cabeça. — Vai ficar tudo bem, okay?! — Colocou a mão sobre a barriga volumosa de Yoongi e deixou um pequeno selar em seus lábios.

Yoongi sorriu para o mais novo e chegou mais perto de si esperando seus pais, que não demoraram tanto. Logo Min Hi Na apareceu na sala com um bule de café acompanhado de quatro xícaras sobre uma bandeja. Sorriu para os garotos colocando a bandeja sobre uma pequena mesa no meio da sala e, segundos depois, Choi apareceu passando a mão por seus fios grisalhos.

A primogênita, educadamente, ofereceu café para os jovens e o marido que aceitaram de bom grado. Yoongi olhou para o líquido escuro dentro da xícara branca lembrando de como amava o café de sua mãe… Deus, eles precisam se acertarem logo!

— Então, Yoongi, você está de quantos meses? — Min Hi Na perguntou tentando quebrar aquela tensão no cômodo.

— Ah… Vou completar cinco meses em breve. — Sorriu de lado e moveu sua mão acariciado a barriga.

— Ela está grande. — A mulher disse novamente admirando carinhosamente o filho.

— São gêmeos. — Declarou.

Yoongi pôde jurar que viu os olhos de sua mãe lacrimejarem com essa notícia. Olhou para seu pai por poucos segundos e ele também estava admirado com sua barriga.

– Ele é o pai da criança? – Choi perguntou apontando para Jimin.

Yoongi engoliu em seco enquanto analisava as expressões do pai. Ele procurou traços de sarcasmos, porém não encontrou. Choi apenas parecia genuinamente interessado em saber sobre sua vida.

– Sim, me chamo Park Jimin. É um prazer conhecê-los. – Jimin pronunciou chamando atenção dos pais de Yoongi.

– O prazer é nosso. – O homem sorriu para Park, imitando o ato de sua esposa.

– Acho que nós já deveríamos ir direto ao ponto… – Yoongi murmurou nervosamente mordendo seu lábio inferior.

Min Hi Na suspirou e abaixou os olhos, provavelmente tentando encontrar alguma explicação convincente por ter feito aquilo com o filho há anos. Choi também olhava para a parede com um semblante abatido sentindo o olhar pesado de Yoongi sobre si.

– Yoongi, sei que o que fizemos não tem explicação. – Choi pronunciou entrelaçando seus dedos com os de sua esposa. – Naquela época nós achávamos que, tudo aquilo que não estava dentro da Bíblia, era errado. Por isso nós raramente íamos a festas culturais da cidade ou em algum tipo de bar. Antes mesmo de você se assumir, nós já estávamos desconfiados. Somos seus pais, desde pequeno você nunca se interessou verdadeiramente por garotas, preferia ser amigos delas a ter "namorinhos" de criança. Nós tentamos ignorar isso… – Choi fechou os olhos como se fosse doloroso ter tais lembranças, e Yoongi apenas o ouvia em silêncio e tentava não chorar. – Mas quando você começou sua amizade com Heechul, nós começamos a ter certeza de que você era gay, apenas não tivemos coragem de perguntar. Eu e Min Hi Na começamos a conversar na época sobre mandar você para um internato de Padres.

– Vocês queriam me colocar em um colégio para Padres? Sério isso? – Yoongi perguntou desacreditando no que o pai acabara de falar. – Isso tudo para se livrar de um filho gay?

– Yoongi, escute seu pai primeiro… – A mulher pediu ao perceber o tom acusador na voz do filho.

Yoongi olhou para a mãe por alguns segundos e assentiu abaixando a cabeça quando sentiu uma lágrima escapulir de um de seus olhos. Mais que depressa a limpou e levantou seu rosto novamente fitando seu pai para que ele continuasse a falar.

– Após você se revelar gay, eu me vi perdido. Eu estava em uma confusão se aceitava de fato meu filho ou seguia o que a igreja mandava. Você pode pensar que eu posso estar fazendo drama… Mas foi difícil lutar contra tudo aquilo que aprendi ser errado durante anos e que começou a acontecer bem debaixo do meu nariz. — Choi de um longo suspiro e impediu de algumas lágrimas descerem. Pai e filho não gostam de mostrarem o lado fraco. — E tudo só piorou quando você começou a agir de forma rebelde… Nós literalmente não sabíamos o que iríamos fazer. Mas quando sua mãe se deparou com aquela cena pela manhã… — Yoongi segurou o braço de Jimin para evitar chorar com as nocentes lembranças que invadiram sua mente. — Eu agi por impulso... Não pensei no quão prejudicado você poderia sair com isso. Simplesmente achei que um castigo físico iria mudar algo.

— Você não pensou no fato que seu filho tinha quinze anos quando vocês, simplesmente, o mandaram para fora de casa? Eu não tinha nada naquela época, não tinha terminado o ensino médio… Como vocês foram tão inconsequentes? Eu poderia ter morrido! — Yoongi se exaltou com sua respiração ficando irregular. Ele nem estava com raiva por seu pai ter lhe aplicado um castigo físico, mas sim com o fato de ter o expulsado de casa sem pensar em nada.

— Yoongi, nós não pensamos nas consequências. Apenas achamos que aquilo iria mudar nossa realidade, mas eu vi que isso não mudou exatamente nada! — Choi passou a mão por seus fios grisalhos e fitou a parede. — Eu me arrependo muito por ter feito aquilo, filho…

Arrependimento não vai mudar o passado, pai. Não vai mudar o fato que eu tive que fazer muita merda na minha adolescência para estar onde estou hoje. Não muda o fato que minha vida poderia ter sido bem diferente se vocês tivessem me aceitado!

— Nós sabemos que não, Yoongi. Eu tenho a consciência que você deve nos odiar, mas estou assumindo meu erro. — Choi disse fragilizado.

— Vocês nem ao menos tentaram me procurar…? — Yoongi murmurou baixinho olhando para mãe.

— Quando tentamos já era tarde demais. Você não estava mais em Daegu e não fazíamos idéia para onde você tinha ido. Pensamos que você poderia ter ido para Seul, mas não mudaria nada se nós fôssemos para a cidade grande sem ter nenhuma referência de sua moradia. — Min Hi Na disse e Yoongi não pode deixar de sorrir irônico com isso.

Ele não tinha moradia alguma quando chegou em Seul.

— E como vocês me encontraram agora? — A voz de Yoongi saiu rouca e um tanto sarcástica.

— Nós estávamos procurando uma boa agência para tirar fotos do casamento do seu irmão e acabamos encontrando o seu local de trabalho. — Min Hi Na disse suspirando baixinho. — E como no site tem as informações de todos os fotógrafos caso quiséssemos fazer uma sessão individual, lemos o seu perfil. Quando tentamos ligar para o seu número pessoal, seu amigo NamJoon atendeu. — Yoongi sorriu de lado lembrando que, quando estavam pegando os dados pessoais de cada fotógrafo, ele deu o número do NamJoon sem querer. Ele se surpreendeu por ninguém ter trocado aquele pequeno erro. — Nós explicamos toda a situação para seu amigo, ele não pareceu feliz, mas respeitou o nosso pedido de informar a você que queríamos nos reconciliar. E, bem, aqui estamos. — Min Hi Na deu um sorriso fraco após explicar tudo.

Yoongi olhou para seus pais, que o fitavam apreensivos, e suspirou baixinho tentando controlar o mar de emoção que dominavam seu peito. Ele não sabia o que pensar de seus pais, eles explicaram o motivo por terem feito aquilo, mas não concertou o erro do passado.

Ele sentia como se estivessem apertando seu coração, as emoções estavam o sufocando. Ele queria ter um pensamento racional e se colocar no lugar deles, mas ele não conseguia. Será que seus pais conseguiam se colocar no lugar dele e imaginar como Yoongi sofreu com tudo isso? Ele queria falar para seus pais tudo que sofreu após ser obrigado a sair de casa, mas isso não iria mudar nada. Seus sentimentos continuariam confusos e a frustração apenas aumentaria.

— O que fez vocês pensarem diferente…? — Yoongi perguntou em um fio de voz com os olhos já vermelhos.

— Alguns meses depois que você foi embora, as coisas ficaram estranhas. A todo momento eu me culpava por sua partida e, por mais que seu pai se fizesse de forte, eu vi como ele também se arrependeu pelas coisas que fizemos. — Min Hi Na respondeu olhando diretamente para Yoongi. — E também teve seu irmão. Todo dia ele perguntava se tínhamos notícias de seu paradeiro e, muitas vezes, quis ir à Seul para te procurar sozinho. Jun começou a se fechar com o tempo e nos perguntamos que poderia estar acontecendo, mas um dia ele chegou em nós e disse que estava gostando de um menino transgênero. Ele disse que, se fosse de nossa vontade, ele poderia ir embora de casa que conseguiria se virar sozinho. Ele estava com medo de acontecer o mesmo que te aconteceu, e foi aí que percebemos como fomos verdadeiros monstros com você e o péssimo exemplo que estávamos dando. — A mulher suspirou fundo e limpou algumas lágrimas que escorriam por suas bochechas. — Na época seu irmão estava uma verdadeira confusão, mas nós tentamos o ajudar com tudo. O levamos ao psicólogo e sempre, no final de dia, tínhamos uma conversa.

Essa revelação de Min Hi Na deixou Yoongi mais que surpreso. Seus pais fizeram com seu irmão aquilo que, nem ao menos, pensaram em fazer consigo. Mas ele não vai julgar as atitudes dos pais, até porque ele não está ali para isso. E é reconfortante ver que seus pais não cometeram com seu irmão o mesmo erro que cometeram consigo, isso é sinal que eles realmente entenderam que ter uma opção sexual diferente "daquilo que a sociedade impõe ser certo", não a nada de errado.

— Nós não desistimos que de te encontrar durante esses anos. Nós queríamos nos redimir com você e… — Agora Choi falava, porém sua voz parecia exitante. —… gostaríamos de retomar aquele tempo perdido. Queremos fazer as coisas certas dessa vez. Eu sei que não vai ser fácil nos perdoar, mas você pode pensar com carinho? — O pedido do homem mais velho foi verdadeiro e Yoongi percebeu.

Ele fitou os olhos do gestante que teve uma grande vontade de levantar, abraçar os pais e dizer que os perdoava por tudo. Mas as coisas não são tão fáceis assim...

— Eu… Eu v-vou pensar… — Yoongi gaguejou por conta do nervosismo. — Obrigado por esclarecerem as coisas.

— Nós que agradecemos por você ter nos escutado, querido. — Min Hi Na respondeu sorrindo.

Yoongi assentiu e olhou para Jimin dando um meio sorriso, e aquilo foi o suficiente para o ruivo perceber que o gestante queria ir embora. Jimin acenou e levantou puxando Yoongi consigo.

— A-acho que devemos ir embora. — Yoongi esclareceu ao notar os olhos alarmados de seus pais por eles terem se levantando de repente.

— Mas você não quer esperar seu irmão? — Min Hi Na perguntou levantando do sofá e sgurando o braço do marido que está de pé ao seu lado. — Ele foi buscar a noiva*, mas ele não irá demorar. Tenho certeza que ele vai adorar rever você.

— Amanhã eu venho aqui pela manhã, ok?! Eu… eu realmente preciso pensar um pouco. — Yoongi forçou um sorriso e seus pais entenderem de imediato.

— Tudo bem… Obrigada por ter vindo, filho. — A mulher sorriu e se segurou para não ir abraçar Yoongi. Mas ela sabia que esse seria um passo muito grande.

— Tchau, Yoongi. Obrigado por ter vindo aqui e nos tentar nos entender. — Choi sorriu para o filho. — Foi uma prazer conhecê-lo, Park Jimin. — O homem sorriu para o ruivo que retribuiu rapidamente.

Eles ficaram se olhando por alguns segundos, mas Min Hi Na pigarreou e murmurou que iria os levar até a porta.

— Até amanhã. — Foi a única coisa que Yoongi disse para depois correr o mais rápido possível para longe daquela casa.

[…]

A viagem de volta para o apartamento em que estavam hospedados, foi repleta por um silêncio incômodo. Yoongi tinha o olhar desfocado, ele repassava toda a conversa que teve com seus pais mentalmente. É difícil para si tomar uma decisão, até porque ambas as partes estão erradas. Pensando um pouco melhor, Yoongi reconhece que suas atitudes não foram uma das mais corretas na época. E, por mais que seus pais tenham uma parcela maior de culpa em toda essa história, ele não pode deixar de lado o fato que eles são seres humanos e também erram.

Afinal, todos merecem uma segunda chance.

Eles chegaram no quarto e Yoongi murmurou que iria tomar um banho. Jimin apenas concordou e o gestante se trancou no banheiro. Park suspirou baixinho e tirou fora a camisa que cobria seu tronco, ele percebeu como a conversa na casa dos pais de Yoongi foi tensa. Foi algo totalmente delicado e Yoongi ficou abalado com tudo isso. E, o pior, é que ele não tem noção de como o animar.

Começou a arrumar a cama de uma forma confortável para que Yoongi pudesse deitar, ligou a televisão e pediu serviço de quarto e em poucos minutos uma bandeja recheada de frutas estava sobre a cômoda a espera de Yoongi.

Quanto o gestante saiu do banheiro enrolado epenas em uma toalha, Jimin estava sentando sobre a cama vestindo apenas uma bermuda e assistia televisão. Sorriu para Yoongi, que retribuiu o gesto, e voltou seu olhar para a tv deixando que o mais velho vestisse a roupa em paz. Segundos depois, Yoongi já estava deitado sobre o peitoral de Jimin que acariciava seus fios claros para tentar passar um pouco de conforto a ele.

— Como você está com tudo isso? — Jimin sussurrou cauteloso.

— Não sei… talvez um pouco confuso. É difícil perdoar tudo o que meus pais fizeram… Eu só… Só preciso de um tempo. — Yoongi murmurou e o ruivo assentiu mordendo o lábio inferior.

— Tudo bem… Você quer dormir agora? Ou quer comer alguma coisa? Eu pedi para que trouxessem frutas para você. — Yoongi levantou seu tronco e fitou Jimin por longos minutos. — O que foi? — perguntou sorrindo.

— Eu quero outra coisa no momento. — Sussurrou, se aproximando de Jimin, e em segundos seus lábios já estavam colados.

O ruivo ficou surpreso por um momento, mas não demorou muito para retribuir o beijo de Yoongi levando sua mão até a lateral do corpo do gestante. As línguas se encontravam com calma, mas com os minutos passando, o beijo ficou mais intenso e Yoongi se encontrava rebolando sobre o colo de Jimin.

O quadril de Yoongi havia encontrado uma sincronia sobre o colo de Jimin e esse fato deixou o ruivo louco. Já tem um bom tempo que eles não se beijam com segundas intenções e Jimin assume que a culpa é totalmente sua. O medo de acabar prejudicando a gravidez de Yoongi o assombra desde a última experiência que tiveram. Claro que ele tem saudade de manter um contato mais íntimo com Yoongi, mas ele pode esperar.

Porém Yoongi não parecia pensar nisso quando suas duas mãos desceram arranhando as costas do ruivo fazendo com que ele arqueasse o corpo. O gestante sorriu com a reação de Jimin, é bom saber que, mesmo estando grávido, o ruivo ainda o deseja e ele pode afirmar isso por sentir algo formando abaixo de sua bunda.

— Yoongi! — Jimin o repreendeu por sentir Min rebolar com mais força sobre seu colo.

— Ah, Jimin, pare de fazer isso comigo. — A voz do mais velho saiu em súplica. — Faz semanas que eu não tenho um contato mais íntimo com você.

— Mas você sabe o porquê, Yoon. — Jimin murmurou segurando a mão atrevida do mais velho. — Eu não quero que você pare no hospital novamente por minha culpa.

— Eu já estou completando quase cinco meses, Jimin. SeokJin afirmou que se tivermos cuidado, não teremos problemas. — Yoongi afirmou enquanto deixava pequenos beijos no pescoço do mais novo que mantinha os olhos fechados aproveitando o momento. — Eu preciso disso, Jimin. Eu quero que você faça amor comigo agora, me faça esquecer dos meus problemas. Me faça seu. — Jimin olhou para Yoongi e se surpreendeu ao notar a intensidade no olhar do loiro.

O gestante não precisou pedir novamente, Jimin já tinha seus lábios colados com os seus enquanto o beijava com toda intensidade. Ele quer provar para Yoongi que sempre estará ali por ele e para ele.

Com cuidado, Jimin se ajeitou sobre a cama e o mais velho continuou sobre seu colo enquanto movimentava seu quadril deixando o ruivo ainda mais excitado e envolvido com toda a emoção do momento.

Em um piscar, Yoongi já estava totalmente nu e o único pano que cobria Jimin era a cueca boxer escura. Os lábios do ruivo desceram pelo corpo do mais velho e ele passou tempo demais beijando a enaltecendo a barriga de Yoongi, mas quem liga?

— Oh… Deus! — Yoongi gemeu enquanto jogava a cabeça para trás e sentia Jimin acariciar seu pênis inchado com sua boca. — Caralho, Jimin! — Segurou os fios do ruivo entre os dedos e movimentou seu quadril contra os lábios carnudos do mesmo.

Jimin não conseguia explicar em palavras a visão que era ter Yoongi com a cabeça jogada para trás, com o rosto coberto por uma expressão prazerosa enquanto gemia seu nome de uma forma totalmente pornográfica. Se pudesse, Jimin não pensaria duas vezes antes de tirar uma foto do garoto e a colocar em um quadro na sua sala de estar.

Os gemidos de Yoongi ficaram mais altos e Jimin soube que era hora de descer sua boca para outro lugar. E, claro, Yoongi gemeu ainda mais alto ao sentir a língua quente o molhada do mais novo tocar sua entrada e, merda, acontecia uma explosão de sensações no corpo de Yoongi.

Um, dois, três dedos já estavam trabalhando na entrada do loiro. Por não ter trazido lubrificante consigo — até porque a última coisa que Jimin pensou nessa viagem foi em sexo —, ele fez questão de preparar bem Yoongi e o lubrificar bastante com sua saliva.

— Jimin, vamos com isso, eu preciso de você, por favor. — Yoongi suplicou mordendo o lábio inferior que já estava em um vermelho escuro.

— Ok… — Jimin assentiu freneticamente e tirou os dedos do interior do mais velho. Até porque ele mesmo precisa se aliviar.

Yoongi olhou, novamente, com intensidade para Jimin enquanto o ruivo pegava o próprio pênis e começava a masturbá-lo espalhando o pré gozo que já saía por sua uretra. O gestante perguntou mentalmente se os Deuses o amavam para mandar um homem tão maravilhoso. Por que, porra, como explicar a beleza sobrenatural de Jimin?

— Está pronto? — Jimin sussurrou enquanto aproximava seu pênis da entrada do menor.

— Sempre estarei pronto para você. — E a partir dessa frase foi o momento em que tudo ficou diferente para os dois jovens.

Estar dentro de Yoongi é como estar no céu, e dessa vez não foi diferente. O corpo de Jimin se movimentava lentamente contra o corpo do gestante, as estocadas eram, de certa forma, lentas e certeiras. O corpo de Yoongi reagiu a cada estocada e beijo de Jimin. Com seus gemidos sincronizados, eles estavam perdidos no prazer.

Yoongi chegou ao clímax em um grito mudo e, poucos minutos depois, Jimin despejou seu líquido branco dentro do mesmo. Agora ambos estavam deitados sobre a confortável cama do hotel e sorriam um para o outro trocando curtos selares.

— Isso foi tudo o que eu precisava, obrigado. — Yoongi murmurou se aproximando mais de Jimin e beijando seu peitoral.

— Não precisa agradecer. — Jimin sorriu totalmente apaixonado. — Está tudo bem?

— Estou melhor agora. — Yoongi disse sincero e isso deixou Jimin com um sorriso satisfeito nos lábios. — Eu estou relaxado, era disso que eu precisava desde o início.

— Seu safado! — Jimin acusou rindo. — Obrigado por ter me chamado para passar esse problema ao seu lado, Yoongi. — A voz de Jimin mudou para um tom mais sério e o loiro o olhou. — Significa muito para mim você me querer ao seu lado nesse momento tão delicado.

— Para ser sincero, você é a minha melhor opção. — Yoongi sorriu e se aproximou do mais novo deixando o beijo em seus lábios, porém ele se afastou formando uma careta no rosto.

— Está tudo bem, Yoongi? — Jimin já perguntou alarmado, porém o loiro não o respondeu. Apenas levou a mão até a barriga e deixou a boca em formato oval. — O que está acontecendo, Yoongi?

— Nossos filhos mexeram… — Sussurrou com os olhos arregalados enquanto fitava Jimin. — Eles… eles… eles acabaram de mexer!

— Deus! — Jimin colocou a mão na barriga de Yoongi e sorriu esperando sentir a mesma sensação que o mais velho teve. — Vocês acabaram de chutar o papai, amores? Vocês também estão animadinhos, uh?! Chutem novamente… — Jimin pediu puxando Yoongi para seu colo.

O loiro soltou uma risada gostosa e colocou a mão sobre a barriga enquanto acariciava de maneira lenta e harmoniosa. A sensação de seus filhos chutando foi, com toda certeza, única e nada nunca vai substituir esse momento. É bom saber que eles estão bem.

— Acho que você não vai sentir… O chute foi bem fraquinho. — Yoongi murmurou após alguns minutos em silêncio esperando que os bebês chutassem novamente.

— Meus amores... — Jimin sussurrou baixinho deixando um beijo sobre o ombro do gestante.

— Sim, seus amores. — Yoongi afirmou com seus olhos brilhando enquanto fitava o mais novo.

— Eu já disse que sou apaixonado por você? — Jimin perguntou beijando as costas de Yoongi que estava colocado em seu peito.

O loiro sorriu e suspirou baixinho se perguntado como Jimin tinha uma facilidade tão grande em dizer essas palavrinhas. Mas, Deus, ele não se importa do mesmo sempre o falar isso.

—​ Já sim. — Yoongi sorriu com os olhos brilhando. — Esse sentimento é mútuo.


Notas Finais


*Noiva: Pra quem não entendeu muito bem a noiva do irmão do Yoongi é uma transexual. Ela nasceu homem, mas se enxerga no corpo de uma mulher.

Esse capítulo foi grande pra recompensar o tempo sem att. E o que vocês acharam? Aconteceram muitas coisas em um único capítulo; Yoongi conversando com os pais, um lemon bem intenso, bebês se mexendo e declaração no finalzinho. Vocês já podem voltar a me amar, certo?

Bom gente, muitas coisas acontecem nesse tempinho que sumi KKKKK É show do BTS no Brasil, meus bebês ganhando a Billboard (sem contar as interações com os famosos), é eles dando tiros com essas músicas de comemoração aos 4 anos... Esses viados não cansam de me arrasar! E sem contar nos viado dá 1D, um lançando álbum e vindo pro Brasil ano que vem, os outros lançando musiquinhas... Tá difícil ser fã! KKKKKK

Outra coisinha, eu queria agradecer a todos vocês pelos +1000 favoritos. Meu Deus, vocês não tem noção de como eu gritei. Obrigado de verdade! E obrigada a todos os comentários do capítulo passado, vocês são uns amores! ❤

Outro avisinho, eu tô sem PC desde o início do ano gente :') Então eu fiz esse capítulo no celular e, caso tenha algum erro ou uma palavra que que devia estar ali, não liguem. Eu comecei a corrigir os capítulos de One Change, então fiquem de boa.

Última coisinha KKKKKK leiam essa história, a @only_army escreveu para mim de presente de aniversário (meu niver foi em janeiro, galera KKKKK) ➡ https://spiritfanfics.com/historia/debuts-and-photography--one-shot-yoonkook-7905210

Até a próxima, babys ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...