História One change - Capítulo 28


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Aborto Espontâneo, Bts, J-hope Hétero, Jimin, Jin, Mpreg, Namjin, Rap Monster, Suga, Taehyung, Vkook, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok Bromance
Exibições 662
Palavras 2.204
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hiya Loves!

Eu demorei muito para atualizar né? Me perdoem! Como eu falei em muitos comentários, final de ano minha vida fica uma loucura. Teve muitos feriados esse ano e o quarto bimestre na minha escola estava bem apertado, foi tudo muito corrido. Então me perdoem e fiquem tranquilas, eu vou voltar com as atts frequentes, ok?! Essa foi a última semana de prova, e depois do dia 04/12 eu vou está mesmo livre -pois vou ter minha apresentação de teatro e não vou me preocupar em estudar texto. Enfim, me perdoem novamente e muito obrigada a todos os favs e todos os coment, sério! Muito obrigada, amo muito vocês!!

Boa leitura^^

Capítulo 28 - It's part of my past.


Fanfic / Fanfiction One change - Capítulo 28 - It's part of my past.

Quando perguntavam a Yoongi se, em alguma data especial, ele visitaria seus familiares em Daegu, negaria sem pensar duas vezes. Para ele, depois daquele triste incidente que ocorreu com sua família no passado que mudou totalmente sua vida, não havia motivos para voltar ao local e reviver tristes memórias que estavam enterradas no passado.

Mas ali estava ele, deitado com a cabeça no ombro de Jimin enquanto observava a paisagem sem tanta nitidez. Nessa semana que passou Yoongi não conseguia pensar nada a não ser nessa viagem. Vai ser um acontecimento que vai marcar sua vida, ele não tem contato com seus pais desde o dia em que chegou a Seul sem ao menos saber como se sustentar na cidade grande.

Yoongi suspirou fundo e enfiou seu rosto entre o vão do pescoço de Jimin que mantinha o braço envolvido por sua cintura o mantendo perto. O mais velho nunca vai conseguir agradecer o quão bom Jimin está sendo consigo nessa semana que passou, sempre que ele tinha alguma crise de choro por achar que sua família não iria o aceitar, o ruivo o acalmava de uma forma tão boa.

Quem não gosta de receber beijos de Park Jimin para se acalmar? Yoongi, certamente, não tinha nada para reclamar.

-Está tudo bem? –Jimin chamou atenção do mais velho que o olhou e sorriu selando seus lábios rapidamente.

-Sim –concordou –, só estou um pouco nervoso. –admitiu fechando os olhos e cheirando o perfume do ruivo. –Você sabe, amanhã é o casamento do meu irmão e vou encontrar meus pais ainda hoje. –levou a mão até a barriga deixando ali.

-Está tudo bem, eu vou estar lá com você. Se eu perceber que a vibe não está boa, nós voltamos. –garantiu e deixou um selar nos fios loiros. –Meus filhos não querem que você fique nervoso. –disse carinhoso colocando sua mão por cima da do mais velho. –Eu não vejo a hora deles começarem a chutar... –assumiu tentando desviar o tema do assunto.

-Eu também não –sorriu e passou a acariciar a barriga. –SeokJin disse que eles vão começar a mexer depois dos cinco meses, quando as perninhas deles já estiverem formadas.

-Você sabe que eu vou passar o dia acariciando sua barriga depois que eles começarem a chutar, né?! –Jimin perguntou retoricamente arrancando risadas de ambos os rapazes. –Nós temos que começar a comprar as roupinhas para eles. Acho que já passou da hora de pensarmos nisso.

-Quando voltarmos nós pensamos com mais calma, sim?! Temos que pesquisar antes de comprar as coisas. Ver as lojas que estão mais em conta. –murmurou lembrando que crianças gastam muito. Além das roupinhas, tem que comprar móveis, objetos que serão indispensáveis na sobrevivência de um bebê, leite, vitaminas, fraldas... Meu Deus, tudo isso em dobro! –Vamos gastar bastante nisso tudo.

-É para isso que existem os padrinhos! –Jimin disse arrancando risadas de Yoongi.

-Você já pensou em algum padrinho para nossos filhos? –o ruivo franziu o cenho com tal pergunta. Ele ainda não tinha pensado nisso.

-Eu não sei... Eu queria colocar meu irmão mais novo, mas sei lá, ele já vai ser tio deles. –deu de ombros.

-Por que eu nunca presenciei você conversando com seus parentes? –Yoongi perguntou de repente e levantou a cabeça olhando o mais novo. –Digo, eu nunca vi você conversando com sua mãe, com seu pai ou com seu irmão por celular.

-Na verdade, eu converso com eles sim, só que por mensagens. –Jimin respondeu dando um sorriso de lado. –Meus pais trabalham muito e meu irmão é muito ocupado com a faculdade. As poucas vezes que nos falamos é por mensagem.

 -E eles já sabem de toda essa mudança na sua vida? –o ruivo mordeu os lábios e Yoongi já sabia a resposta antes mesmo dele responder algo. –Quando você pretende contar?

-Eu acho que essa novidade é séria demais para falar por ligação. Meus pais vêm me visitar a cada cinco meses, então.. Hm.. Não sei, talvez seja melhor falar isso pessoalmente. –disse se enrolando nas palavras em um sinal visível de desconforto.

-Ok, eu não vou pressionar você. Não precisa ficar todo nervoso, eu só estava curioso nessa questão. –Yoongi garantiu acalmando o ruivo que assentiu e se desculpou. –Por que você não foi até eles para dar a notícia?

-Meus pais são muito ocupados com trabalho. Eles mal param em casa, sempre estão viajando. –deu de ombros. –Eles são assim desde que me entendo por gente, mesmo minha infância ter sido ótima, ainda senti falta dos meus pais por boa parte dela. Mas não me importo muito, eu os entendo perfeitamente. –sorriu sem mostrar os dentes.

-Sinto muito por isso, entendo como é sentir a ausência dos pais. –Yoongi disse solidário. –Então você vai contar quando eles vierem te ver? –deduziu e Jimin assentiu. –E quando vai ser?

-Para falar a verdade, eu não sei. Era para eles terem vindo há dois meses. –deu de ombros. –Minha mãe me mandou uma mensagem semana passada e falou que estava com saudades e em breve veria me ver.

-E por que você não me falou isso? Eles podem chegar lá no nosso apartamento a qualquer momento! –disse apavorado e nem ao menos percebeu que referiu ao apartamento de Jimin como seu também.

-Fica tranquilo –respondeu soltando uma risada. –eles avisam com antecedência. –garantiu.

-E seu irmão?

-Por que não falamos disso depois, sim?! Dorme um pouco, eu percebi que você não pregou os olhos a noite. –disse e Yoongi concordou não puxando mais o assunto, ele iria respeitar o tempo de Jimin.

Mas a verdade era que Jimin pretendia contar isso ao seu irmão de uma forma mais especial. Ele sempre deu muita atenção a seu irmão devido à ausência dos pais, e acha que ele merecesse ficar sabendo da noticia de uma forma agradável. A verdadeira intenção de Jimin era contar no natal, quando seu irmão vinha para a festa de família na casa dos pais, e apresentar Yoongi como seu namorado –ou até mesmo noivo. Ele sabe que ai já é sonhar demais, mas ninguém sabe do amanhã.

Até dezembro seus bebês já vão ter nascido e, provavelmente, seu irmão irá mata-lo por esconder que era tio por nove meses. Mas ele acha que esse é um ótimo presente natal, como também para o resto da família.

Jimin saiu de seus devaneios quando sentiu os braços de Yoongi caindo em seu colo e olhou para o loiro constatando que ele havia dormido mesmo.

[...]

Os dois rapazes saíram da estação de trem olhando para todos os lados, Yoongi não imaginava que sentiria essa nostalgia apenas por olhar o lugar que ele não via há anos. Pelo amor, em seus pensamentos, ele não veria nem uma árvore de Daegu pelo resto de sua vida. Jimin entrelaçou seus dedos com os de Yoongi e o guiou até um táxi vago.

Deu o endereço do hotel em que iriam hospedar para o motorista e seguiram a viagem em silêncio. Yoongi ainda estava um pouco sonolento, mas não deixava nada escapar de sua visão. Seus lábios se curvaram em um lindo sorriso quando viu sua antiga escola que ficava no centro da cidade.

Ele não imaginava que estava com tanta saudade assim da sua cidade natal, ele passou anos tentando convencer a si mesmo de que estava muito bem em Seul com seus amigos sempre o apoiando. Mas talvez ele estivesse enganando a si mesmo...

Foi impactante para si quando seus pais, as pessoas que deveriam mover mares e montanhas para protegê-lo, o humilharam de uma maneira tão grotesca que Yoongi sentia nojo da família na qual pertencia. E a partir daquele momento, ele passou a convencer a si mesmo que poderia viver bem sem o apoio familiar.

Doce ilusão.                                                                                                                      

Quantas coisas ele poderia ter feito se tivesse o apoio de seus pais? Yoongi já dispensou trabalhos importantes por um simples motivo; insegurança. Ele achava que se nem seus pais confiavam nele para algo, imagina se seria capaz de fazer algo descente para alguém?

NamJoon e Hoseok até tentavam o convencer do contrário, eles sabiam do grande potencial que o amigo tinha. O lugar de Yoongi é em uma grande agencia fotográfica, até mesmo a srt. Flaker o indicou para outro estúdio –que era um dos mais badalados de Seul –mas Yoongi não enxergava o seu potencial. Modéstia parte, Yoongi era bom. Muito bom mesmo. Seus dedos eram ágeis e ele era esperto para tirar foto do melhor ângulo e que mais favorecia a imagem... Mas ele não acreditava em si próprio pelo simples fato de se sentir desamparado por não ter a família ao seu lado.

Das diversas vezes em que mentiu afirmando que não sentia falta do carinho da mãe, que estava bem sem ter o pai ao seu lado ou que não sentia falta do seu hyung, era apenas um truque para convencer a si mesmo que estava tudo bem. Quando na verdade, um pedacinho do seu coração era arrancado a cada momento que lembrava o motivo de estar em Seul.

-Yoongi, amor, chegamos. –Jimin anunciou tirando o loiro de seus devaneios. Sorriu de lado e saíram do carro após pagarem o motorista. O prédio em que iriam ficar era bem simples, não compensava pagar nada muito luxuoso para uma hospedagem de apenas dois dias. Eles já haviam decido que iriam embora na segunda de manhã.

Enquanto Jimin resolvia as coisas com a recepcionista, Yoongi estava perto do bebedouro com o copo d’água na mão em uma tentativa inútil de se acalmar. Ele pensou que até poderia ficar na casa dos pais, pois –pelo o que ele se lembrava –a casa era enorme e continha vários quartos de hospedes. E sem contar em seu antigo quarto  poderia dormir nele, caso não tenha virado um deposito de lixo, mas ele preferia ficar hospedado em outro local.

Mesmo tendo algumas certezas de que a conversa com seus pais iria acabar de uma boa maneira, ele não queria arriscar. E, também, ele não teria coragem de dormir naquela casa numa boa sem nenhuma memória o perturbando.

Alguns minutos depois, os dois rapazes já estavam dentro do elevador. Seus dedos estavam entrelaçados e Jimin fazia um carinho gostoso na mão do loiro que soltou um suspiro abraçando o ruivo de lado. Ele estava sim mais manhoso, mas pelos céus, não o culpem! Não está sendo fácil lidar com tudo isso, e a única coisa que ele queria, era um porto seguro e aconchego.

E Jimin da isso tudo a ele e um pouco mais...

Eles andaram pelo corredor e logo entraram no quarto –que era bem simples. As paredes eram pintadas de um rosa pastel, havia uma cama de casal no meio do quarto e uma televisão que estava grudado na parede. Também havia uma porta branca fechada e os rapazes julgaram ser o banheiro.

Yoongi suspirou e se jogou na cama fechando os olhos e Jimin deixou a mochila –onde estavam suas coisas e do loiro – e a mala –que estavam guardados seus ternos –sobre o pequeno sofá que continha no canto do quarto. Logo após isso, se juntou a Yoongi colocando sua mão sobre a barriga volumosa.

-Você quer ir ver seus pais amanhã ou prefere ir agora? –Jimin perguntou cauteloso. Yoongi abriu os olhos e fitou a cabeleira ruiva do rapaz, quanto antes esclarece as coisas, melhor seria. Ele já estava em Daegu, não tem motivos algum para fugir agora.

-Vamos agora, podemos pegar um ônibus, eu ainda sei onde fica minha antiga casa.

[...]

Jimin e Yoongi andavam pela calçada, e óbvio, com seus dedos entrelaçados. Yoongi mordia os lábios sempre que olhava algo em seu antigo bairro e uma memória vinha a sua mente. Aquela coragem toda que estava no quarto do hotel, sumiu no mesmo instante em que chegou à rua de sua antiga casa.

Pelo amor de Deus! Ele iria reencontrar sua família! Alguém joga um balde de água na cabeça de Yoongi para ele se acalmar?

Apertou os dedos de Jimin assim que avistou sua casa, céus! Nada tinha mudado. A pintura continuava a mesma, o jardim ainda estava impecável e aquela árvore que ficava de frente ao seu quarto continuava intacta. Jimin seguiu o olhar de Yoongi e soltou um suspiro o abraçando e mostrando que estava com ele.

-Acho que eu não vou conseguir... –Yoongi disse em um fio de voz enquanto suas pernas pareciam terem colado no asfalto.

-Não vamos desistir agora, eu vou estar ao seu lado, não precisa sentir medo. –Jimin garantiu e deixou um beijo nos fios de Yoongi.

Ele suspirou fundo e seguiu o conselho do ruivo, andaram –em passos de tartarugas –até chegar a sua antiga casa. Com os dedos trêmulos, tocou a campainha e seu coração parou ao ouvir uma movimentação do lado de dentro da casa.

Pareceu que o mundo começou a passar em câmera lenta a partir do momento em que a porta foi aberta e revelou uma mulher, não tão jovem, e com um sorriso nos lábios que foi se desmanchando aos poucos. Ele estava bem vestida e parecia que estava se arrumando para sair, Yoongi nem percebeu quando prendeu a respiração ao ver aquela mulher que jurou nunca mais procura-la.

-Mãe?


Notas Finais


Gostaram? Eu não revisei e estou caindo de sono, me perdoem se tive algum erro :)
Deixem as opiniões de vocês aí em baixo <3 E para quem não viu, eu postei uma fic nova (na verdade eu estou repostando), é Jikook e tem Mpreg e Cross-dresser. Caso vocês queiram ler >> https://spiritfanfics.com/historia/a-different-prince-7042983

Ps; Eu queria parabenizar a @lakook, foi o niver dela ontem, meus parabéns!! <3

Ps: Quero desabafar, Kpop tá foda!! É disband do 2ne1, é o segundo bias mozão saindo do winner, é eu entrando em mais um fandom... Tô aguentando mais não!! :')

chu~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...