História One life - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Jogos Vorazes (The Hunger Games)
Personagens Annie Cresta, Effie Trinket, Finnick Odair, Gale Hawthorne, Haymitch Abernathy, Katniss Everdeen, Peeta Mellark, Personagens Originais, Primrose Everdeen
Visualizações 57
Palavras 1.236
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 39 - Retorn


{6 anos depois... }

Pov Kat

Finalmente terminamos a Universidade. Nosso último dia lá foi só ansiedade. O clima até deu uma pesada. Mas nada demais. Esses 6 anos foram ótimos. Eu e Peeta estamos namorando até hoje. Tivemos várias crises no decorrer do relacionamento. Pra variar né. Mas... depois tudo dava certo.

Peeta conseguiu entrar para um time de futebol daqui de Boston. É um time muito bom. E agora que meu amor entrou ficou melhor ainda. Sem querer me gabar né. Eu acabei saindo do ballet novamente por que estava ficando difícil conciliar as aulas do curso com as aulas do ballet. Então fui trabalhar de recepcionista onde minha mãe trabalha. É até legal. Eu pego o turno da tarde, não me mato, dá pra estudar, e ainda ganho um bom salário kkkk. Enfim. Peeta é que ficou puto porque ele foi me visitar lá e disse que tinham vários homens que ficavam me olhando. Ciúmes né.

A festa de formatura foi semana passada e foi uma festa super top. O pessoal não poupa. Foi um festão mesmo. Eu e Peeta tivemos nossa festinha particular depois, apesar de não estarmos completamente sóbrios né. Só que. Agora eu lhes digo. Sempre tem algo pra acabar com a nossa felicidade. Bem, eu deveria estar feliz né, mas não estou tanto. Dois dias depois da nossa formatura, ainda naquela alegria, meus pais chegaram pra mim e disseram que eu iria para New York. Eu não acreditei. Perguntei o porquê e eles disseram que minha tia que mora lá me ajudaria a ser delegada. Eu fiquei sem saber o que fazer. Na hora eu só consegui sair correndo pro meu quarto. Eu chorei tanto. Tanto. Quando Peeta chegou lá em casa mais tarde, eu tinha acabado adormecendo. No outro dia ele estava tão feliz que não consegui contar a ele. Eu comecei a adiar isso, e pensar no quanto seria legal ir para. Eu sempre quis ir pra New York. Mas teria que deixar tudo e todos aqui. Recomeçar do zero lá. Ia ser muito difícil. Muito mesmo. Mas o que está partindo meu coração e me mantendo aqui é Peeta. Temos 7 anos de namoro. Muito tempo hem. Devíamos estar começando a construir nossa vida juntos. Mas Peeta está no time de futebol daqui de Boston, está começando a carreira também. Oh meu deus.

Bem. Eu não vou mais adiar isso. Irei contar a ele hoje. Eu marquei de conversarmos na minha casa. Meus pais não vão estar, então podemos ficar sossegados.

Eu tinha saído pra comprar um bolo que minha mãe pediu. Deixei o carro do lado de fora mesmo. Entrei em casa e me joguei no sofá. Liguei a Tv e botei em um canal qualquer. Pouco tempo depois a campainha tocou. Deve ser Peeta. Levantei do sofá em um pulo e fui atender a porta. Era ele. Estava com uma cara de quem estava dormindo.

- Oi amor -ele disse entrando. Me deu um abraço e me beijou. Eu fechei a porta. Eles segurou minha mão e andamos até a sala. Nos sentamos no sofá e ai que começou. Ppr um tempo ficamos em silêncio. E aquilo foi constrangedor. Até que ele resolveu perguntar.

- Então, o que você queria falar comigo? -ele disse calmo

Eu respirei fundo. Tentei achar a coragem dentro de mim. Olhei bem fundo em seus magníficos olhos azuis. Foi lá que eu achei a coragem. Mas eu tinha um medo na minha consciência. Medo de perdê-lo. Eu molhei meus lábios. Respirei fundo mais uma vez. Abri a boca uma vez, mas não saiu nada. Até que eu tomei fôlego e falei.

- Meus pais querem que eu vá para Nwe York -na hora que eu falei isso pareceu que eu tinha levado um soco no estômago. Cara. Eu senti meus olhos se encherem de lágrimas. Peeta me encarava sem dizer nada. Sua expressão era indecifrável. E isso me deixou mais nervosa ainda. Deu vontade de falar "fala alguma coisa desgraça". Mas eu não fiz isso, apenas me controlei para não chorar.

- E você vai? -ele disse um tempo depois em voz baixa. Ai que merda. Essa é a questão difícil.

- Eu não sei. Meu sonho sempre foi morar em NY. Só que, eu teria que deixa tudo e todos aqui para começar lá. O que está me prendendo aqui é você.

- Meu bem, essa é uma ótima chance para você. Sei que é difícil fazer uma escolha, mas é seu futuro, não quero ser uma corrente te prendendo em algum lugar -ele falou 

Isso de certa forma doeu meu coração. E não foi pouco.

- Você quer que eu vá?! -eu disse com a voz fraca e prendendo o choro.

- Você sabe que eu sempre quis o seu melhor. Pode ser difícil manter um relacionamento à distância, mas podemos tentar. Eu posso tentar ir para lá também, não sei se para morar, mas vou tentar e te visitar sempre.

- Você não sabe o quanto me acalma ouvir você dizer isso, mas meu coração ainda está apertado. Não quero deixar meus amigos aqui.

- Mas você não pode levá-los Kat. Às vezes temos que fazer escolhar difíceis. Você sabe que eu sempre estarei do seu lado, sendo como amigo ou namorado. Não deixe de pensar no seu futuro. Se eu estiver nele eu acho ótimo, mas e se não estiver?

- Você vai jogar 7 anos de namoro no lixo?? É isso mesmo?? -eu disse angustiada

- Eu não disse isso Katniss -ele se exaltou também

Eu não sabia o que falar. Minha garganta havia se fechado. Estava difícil reagir. Foi então que as lágrimas começaram a rolar ferozmente. Peeta não hesitou antes de me abraçar. Era ali que eu queria estar para sempre. Nos braços dele. Era ali que eu sentia um conforto sem igual. Não era na minha cama, e sim nos braços dele. Mas juntar ele e minha cama era ótimo. Eu me sentia nas nuvens.

Ele ficou um bom tempo sem falar nada, apenas tentando me acalmar. Quando eu já tinha parado de chorar, ele me afastou com cuidado. Passou a mão por meus cabelos e foi até meu rosto. Fez um carinho em minhas bochechas. Aquilo me deixava tão tranquila.

- Você quer mesmo ir? - ele perguntou com calma e cautela

Eu hesitei um pouco antes de falar. Mas respondi.

- Sim... -disse e abaixei a cabeça.

- Então nós vamos dar um jeito. Eu não vou te abandonar. Eu vou te visitar todo mês. Vou ficar lá com você, e volto.

- E até quando você vai fazer isso? -eu perguntei com a voz baixa e ainda um pouco chorosa

- Até quando você disser "Olha aqui Peeta, cansei de você, vá embora agora" -ele disse. Ele ainda tentou imitar minha voz. Eu acabei soltando um risada fraca.

- Eu nunca vou me cansar de você meu amor. -eu disse brincando com o anel de namoro que ele me deu a anos atrás. Eu não o tirava do dedo.

- Eu também não vou cansar de você... 

Depois disso ficamos sentados juntos. Colados para ser mais exata. Em silêncio, curtindo nosso momento. Mais tarde meus pais chegaram e eles chamaram Peeta e os pais dele, e Dave, para jantarem lá em casa. Quando o jantar terminou, ele foi pra casa com os pais e voltou para dormir comigo.


Notas Finais


Gente por favor não me matem. O capítulo pode n ter ficado bom, foi difícil escrever.
Bem, o próximo capítulo terá uma quebra no tempo de alguns anos também. Então né...
Beijocas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...