História One Love - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nina, Rey, Sharon, Simón, Tamara
Tags Âmbar, Gastina, Gaston, Luna, Lutteo, Matteo, Nina, Simbar, Simon
Exibições 65
Palavras 2.176
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Musical (Songfic), Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Vai ter capa do capítulo de Gastina? VAI.
Vai ter hot de Gastina? VAI TAMBÉM
E quem reclamar eu rodo a bahiana ksksk
Não reparem no hot, primeira vez que faço um, então me dêem um desconto.
Então amores, depois de um tempinho tá aí o capítulo espero que gostem.
Boa leitura. 💕

Capítulo 8 - Eu sou o rei.


Fanfic / Fanfiction One Love - Capítulo 8 - Eu sou o rei.

 "Eu daria tudo o que tenho, tudo de mim só para ter você."

Nina Simonetti

Dei apenas um selinho em Gastón e adentrei o local. Escutei a porta de se fechando atrás de mim e logo senti uma mão circulando minha cintura.

- Venha amor. - Gastón guiou a namorada até outra porta que dava ao jardim da mansão.

Depois que passamos pela porta avistei o pergolado de vidro iluminado por várias velas e vários cobertores e almofadas de cores e tamanhos diferenciados espalhadas pelo chão. Me aproximando mais vi uma barca de sushi. Ah, Gastón sabe mesmo como me agradar.

- Que lindo amor! - a garota disse já sentada em uma das almofadas retirando o seu casaco branco e deixando uma bolsa com algumas de suas roupas no canto.

- Fiz isso tudo para você. - o loiro disse dando um selinho curto na amada. - Vamos comer? - a morena assentiu.

Logo nós dois estávamos com os hashi em mãos comendo igual dois descontrolados e fazendo piadas aleatórias, rindo de nossas próprias bobeiras.

Depois de termos comido todas as peças afastamos a barca e seus acompanhantes e deitamos em meio aos cobertores. Virei meu corpo para encontrar os meus olhos com o de Gastón. Quem diria, eu, Nina Simonetti junto à Gastón Perida?

Levantei um pouco minha cabeça e fiz meus lábios encostarem nos dele calmamente, mas logo aquele beijo se tornou algo urgente. Nossos corpos se colaram, deixei minha boca ser tomada pela sua língua. Começamos a travar uma guerra interna, nossas línguas batalhavam intensamente com um único objetivo, possuir ainda mais o corpo da outra pessoa.

Em um movimento rápido Gastón ficou por cima de mim, e quando o ar se fez necessário partiu o ato. Ele começou a distribuir beijos pelo meu pescoço, e a cada segundo eu me arrepiava mais, soltei um gemido baixo e senti um sorriso, de Gastón, se formar em meu pescoço.

Ele olhou para mim com uma expressão perguntando se era aquilo que eu queria. Apenas assenti com a cabeça e puxei ele para outro beijo. Senti suas mãos descerem pelo meu corpo até chegar na barra do meu vestido. Gastón partiu o beijo e puxou para cima o vestido, me deixando semi-nua. Ele começou a encarar meu corpo e senti meu rosto queimar de vergonha. Incrivelmente eu não sentia nem um pouco de frio, o calor predominava ali.

- Não meu amor, não fique assim, você é maravilhosa. - disse o garoto percebendo a timidez da namorada.

Soltei um suspiro acompanhado de um pequeno sorriso, eu sempre vou me surpreender com Gastón. O mesmo voltou a me beijar, e não sei o que deu em mim, mas apenas me virei e fiquei em cima dele, surpreendendo ele e a mim mesma.

Pude sentir um grande volume entre as pernas dele. Minha vergonha e medo de decepciona-lo já tinha sumido nesse momento. Peguei a blusa dele e puxei para cima, interrompendo nosso beijo.

Desci minha mão pelo peitoral dele. Nossa, ele é muito gostoso. E fui até o cós de sua calça, aonde abri o botão e o zíper. Abaixei a mesma até o meio de sua coxa. Sem vergonha alguma fitei seu membro que estava sendo ressaltado pela cueca boxer branca e mordi meu lábio.

Quando ele percebeu o meu ato nos virou novamente, ficando por cima. Ele terminou de se livrar da calça.

Ele veio até meus lábios onde deixou um beijo quente e mordeu o lóbulo de minha orelha, me fazendo arfar. Voltou ao meu pescoço e deixou alguns beijos e chupões ali, que com toda certeza, iam deixar marcas. Gastón continuou o ato descendo até meus seios.

Ele passou as mãos em minhas costas à procura do fecho do sutiã. Quando ele achou retirou o mesmo e jogou em algum lugar. Olhou para mim e deu um pequeno sorriso, e quando eu retribui, ele já estava dando um chupão em cada seio, me fazendo arquear completamente as costas.

Gastón começou a fazer uma trilha de beijos até minha calcinha, onde deixou um outro beijo. Logo ele retirou a peça expondo minha intimidade que ficava cada vez mais molhada, se é que isso é possível.

     - Pronta para mim. - disse o garoto com uma voz totalmente sexy.

     Ele não me esperou dizer nada, apenas aproximou sua cabeça de meus lábios genitais e começou a chupar os mesmo. Com sua língua brincava com meu clitóris, fazendo-me arquear completamente as costas e soltar vários. Com uma mão ele massageava meu seio esquerdo.

Sem perceber coloquei minhas mãos em sua cabeça e puxei a mesma para mais perto. Ele deu uma leve chapada em meu clitóris fazendo meu corpo explodir em um prazer sem fim. Senti Gastón sugar todo o líquido que saiu de mim.

- Você é tão saborosa. - disse Gastón subindo até o rosto da namorado e logo a beijando fazendo-a sentir seu próprio mel.

- Gastón... Eu preciso de você, preciso de você dentro de mim. - disse a garota ofegante após o beijo.

Ele assim que escutou o que eu disse colocou a cabeça de seu membro já ereto roçando em minha intimidade.

- Se eu te machucar me fala. - ele disse com receio de causar dores na amada.

Ele pegou um pacote de camisinha que estava do seu lado e se levantou um pouco, encaixando a mesma no membro. Logo começou a introduzir sua glande na minha intimidade lentamente, senti algo se rompendo dentro de mim e uma corrente fraca de dor percorreu o meu corpo, mas eu não iria desistir agora. Mordi meu lábio para tentar amenizar um pouco a dor.

Gastón percebendo meu ato parou para me acostumar, seu membro era realmente grande o que ajudou a intensificação da dor. O mesmo me deu um beijo apaixonantemente delicado.

- Gas...Gastón, vai mais rápido. - a garota disse saindo do beijo querendo tudo que seu namorado pode lhe oferecer nesse momento.

Ele não falou nada, apenas começou um movimento de vai-e-vem que foi se intensificando e acelerando.

Éramos só nós dois ali, sob as luzes das estrelas, ao som de nossa respiração ofegante, do atrito de nossas peles e nossos gemidos que eram abafados por vários beijos.

Uma fina camada de suor sob nossos corpos se fazia presente. Senti uma onde de prazer percorrer meu corpo e o mesmo amolecer, chegando ao meu ápice. Logo após algumas investidas Gastón chegou igualmente ao seu ápice e me deu um beijo apaixonado, calmo. Nossas línguas dançavam cúmplices em uma só melodia.

- Eu te amo. - o jovem sussurrou no ouvido da companheira, e saiu de dentro da mesma. Retirou o preservativo e deu um nó no mesmo, colocando-o dentro do pacote que viera.

Gastón se ajeitou do meu lado e me puxou para seu peito. Rapidamente pegou um cobertor e estendeu sobre nossos corpos, começou a fazer um cafuné em meus cabelos.

- Eu também te amo, muito mesmo. - a feira recentemente mulher falou suavemente e pegou no sono.

. .. . ... . .. .

Simón Álvarez

Eu vou conseguir separar Luna de Matteo, eu sei que vou. Apesar de ser amigo dela eu não vou deixar ela ser, supostamente, feliz. Não com Matteo, se eu não posso ter ela, ele também não vai ter. Ela pode escolher qualquer outro garoto, menos ele, ele não é bom o bastante para Luna, ele é apenas mais um mimado que não liga para os outros. E eu vou fazer de tudo para impedi-los.

Cheguei até a cogitar de pedir ajuda a Âmbar, já que ela é ex daquele desprezível, mas ela não gosta da Luna, e não iria suportar vendo a loira fazendo mal para minha amiga. Mas não custa tentar, certo?

. .. . ... . .. .

Matteo Balsano

A claridade iluminava meu quarto e automaticamente me cegava, o que me acordou antes mesmo do despertador. Senti um peso sobre meu peito e levei meus olhos até aquela região.

Lá estava ela, com suas madeixas num tom castanho avelã que refletiam a luz do sol e seus cachos únicos totalmente bagunçados ironicamente em harmonia. Sua perna me envolvia me trazendo para mais perto da mesma. Ela sorria levemente enquanto dormia. Merda, Luna é perfeita até dormindo.

Comecei a fazer um cafuné em seus cabelos e sussurrar um "princesa, acorda" para ela.

     - Ai mauricinho... me deixa dormir mais um pouco. - a jovem disse se apertando um pouco mais ao peito de Matteo.

      - Claro, se você quiser se atrasar para o coleg... - ele não conseguiu nem completar a frase e Luna já se levantando um único pulo.

- Matteo. Eu não voltei pra casa! Meus pais vão me matar. - a jovem agora falava desesperada enquanto andava em círculos pelo quarto.

- Relaxa Luna, ainda falta uma hora para a aula. Eu vou me arrumar, ai você toma banho aqui e te levo em casa, e coloca seu uniforme e pega suas coisas, enquanto isso te espero para irmos pro Blake juntos. Seus pais nem irão perceber que você não voltou ontem. - ele fala indo até a jovem tentando acalma-lá.

- Ok. - Luna se senta na cama do amigo. - Então anda rápido, vai tomar seu banho.

Apenas olhei para Luna e deu um breve sorriso. Me direcionei até o banheiro e comecei a fazer minhas higienes.

. .. . ... . .. .

Luna Valente

Não pude deixar de reparar na bunda de Matteo enquanto ele se encaminhava a ir até o banheiro.

Me levantei da cama dele e fui até o seu closet. Fitei uma blusa social vermelha e logo me lembrei da primeira vez que nos vimos, bom, nos esbarramos. Apalpei a mesma e não pude deixar de leva-la até meu nariz e sentir a fragrância que ali predominava.

Coloquei a camisa de volta ao lugar e rodei meus olhos por toda extensão do quarto. Prendi minha vista em uma estante que estava ali. Caminhei até ela é comecei a olhar tudo o que havia nela.

Tinha um monte de livros por ali, não sabia que o mauricinho obtinha interesse pelos mesmos. Alguns títulos eram conhecidos por mim, e tenho que admitir, eram ótimos livros. Esquivei um pouco meu olhar para o lado, havia um porta-retrato com uma foto de uma criança.

Tirei a conclusão que aquele ali deveria ser Matteo com cinco anos. Seu charme era evidente, lindo desde pequeno. O mesmo sorriso convencido estava presente na foto. Ele não mudara nem um pouco. Escutei alguém coçando a garganta atrás de mim, tentando chamar minha atenção.

- Eu era fofo não é? - uma voz máscula falou próximo ao ouvido de Luna.

Me virei lentamente, e dei de cara com Matteo, semi nu, com apenas uma toalha amarrada à cintura. Rolei meus olhos pelo corpo dele e instantaneamente mordi meu lábio inferior.

- S-si-sim-m. - a morena falou desconcertada e o italiano soltou um riso ao perceber o efeito que causava na mesma.

- Deixei uma toalha para você no banheiro. - ele falou e abriu espaço para a morena passar.

Não consegui falar nada, absolutamente nada, apenas me encaminhei até o banheiro e comecei a fazer minhas higienes tentando tirar meu foco da minha recente visão, o que foi totalmente em vão. Ele consegue me desconcentrar de tudo o que está acontecendo no mundo.

Terminei meu banho e vesti a mesma roupa que estava usando mais cedo. Saí do banheiro e vi que nem Matteo nem sua mochila estavam ali. Fui até a escada e desci até a base da casa.

Encontrei Matteo sentado na mesa com um copo com um líquido laranja em sua mão e na outra seu celular. O sorriso maravilhoso em seu rosto era evidente.

- O que foi que te deixou tão feliz assim? - a jovem falou pegando uma maçã que estava sobre a mesma.

- Meus pais, - o italiano olhou para a menina que agora mordia a fruta vermelha. - eles vão chegar de viajem amanhã.

- Que maravilhoso. - Luna deu um sorriso de felicidade pelo amigo e o mesmo bebeu o restante do suco.

- Sim! Mas, agora vamos, temos que passar em sua casa ainda. - o moreno se levantou e puxou a garota gentilmente pelos braços que foi de boa vontade.

. .. . ... . .. .

     Já haviamos passado na mansão, e milagrosamente ninguém havia sentido minha falta. Assim que chegamos no Blake, Matteo desceu do carro colocando seu óculos escuros na face. Ele abriu a porta para mim e estendeu sua mão para me ajudar a descer. Aceitei a mesma de bom grado e peguei minha mochila.


     Senti a porta se fechando atrás de mim e Matteo colocando seu braço sobre meus ombros. Começamos à andar até a entrada e senti vários olhares caindo sobre nós, abaixei minha cabeça totalmente corada e pude ouvir um riso vindo de Matteo.

Ele pousou sua mão em meu queixo e levantou minha cabeça olhando em meus olhos.

- Não fique tímida Luh. - ele falou. - Eu sou o rei.


Notas Finais


Bom gente, gostaram?
Deixem suas opiniões ai e até o próximo capítulo. 🌸💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...