História One More Chance - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Balloon Boy, Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Mangle, Marionette, Personagens Originais, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Fonnie
Exibições 40
Palavras 1.130
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Sobre o capítulo anterior: EU NAO SABIA Q ERA TAO BOA COM EASTER EGGS
Sobre esse capítulo... As coisas estão esquentando.. huehuehue
Te loves todos, vcs são muito especiais pra mim :3
Bjs
^3^

Capítulo 10 - Ten


Fanfic / Fanfiction One More Chance - Capítulo 10 - Ten


[Bonnie]



A semana havia passado rápido, como sempre. Eu percebia o esforço de Foxy em manter a tal promessa, e admito que nem mesmo eu sabia que ele se esforçaria tanto para isso. Pensei que fosse quebrada no exato momento, mas ele realmente quer que eu me sinta a vontade para ter… relações sexuais com ele. Pelo menos isso me deixa seguro de que realmente se preocupa comigo.


Mas é uma pena que eu não possa, realmente fiquei traumatizado depois dessa última vez. Não quero que aconteça de novo. Mas ao mesmo tempo, eu quero.


Os outros, estão normais. Bonbon, como sempre confuso em relação as "paixonites". Primeiro, gostava de Toddy desde criança, mas o mesmo nunca notara tal paixão por parte do azulado. Ele manteve o sentimento em segredo, e agora, Freddy gosta de Bonbon, já o mesmo não sabe se gosta do urso. Isso é confuso até mesmo pra mim!


Eu também suspeito de uma queda da Mangle, por Chica, mas a albina tem vergonha de revelar o que sente, e por ironia, me apóia no meu relacionamento, talvez ela seja homofóbica consigo mesmo, mas com os outros é diferente. Já Chica, faz um tempo que não falo com ela, e confesso que sinto até saudades de desabafar com a mesma, fazer pizza de diversos sabores... Acho que sinto falta da pizzaria... Bom, talvez possa reviver esses momentos quando visitá-lo no clube de culinária.


Já o resto, continua do mesmo jeito. Fuddy, é um grande amigo meu – me trata como se eu fosse um jóia rara – ele me apresentou Funxy, e Puppet Bonnie, dois namorados – que não sabem esconder seus atos de carinho. Toy Chica, continua com suas cantadas idiotas para Foxy. E claro, o raposo não podia parar de fazer piadas de meu ciúme extremo. Um idiota...


Esse final de semana, teria mais um dia de trabalho. Eu sinceramente, penso em uma possível demissão, já que eu e Foxy não conseguimos fazer as devidas entregas. Mas não posso fazer nada, estamos economizando para comprar um apartamento, e finalmente não depender desse internato para tudo.


Sinto alguém me abraçar por traz, e logo revirei os olhos pensando na possibilidade de ser o ruivo.


- O que você quer de mim Foxy? – bufei.


- Sua virgindade, você vai adorar perder ela. – ele responde lambendo calmamente minha orelha.


- Foxy! Estamos em um lugar público! – exclamei empurrando-o e voltando a me concentrar no livro em cima da mesa.


- Não tem ninguém nessa biblioteca, e você, só 'tá fingindo estudar. – ele diz, e começo a perder a paciência encarando-o. – Eu te conheço, Bonnie.


- Idiota... – bufei.


- Seu idiota. – retrucou se sentando ao meu lado. – Fala sério, matemática? Você nem gosta disso.


- Eu não 'tô lendo por que gosto, e sim por que preciso muito não repetir de ano. – tento explicar impaciente. – Devia fazer o mesmo.


- Eu? Não, prefiro a famosa técnica do "foda-se". – diz puxando alguns livros para si. – Devia fazer o mesmo.


- Ah! Quer saber? Eu vou dormir! Pelo menos assim acordo cedo 'pro trabalho. – exaltei-me pegando os livros e indo em direção às estantes.


- Hum... Apenas uma desculpa 'pra não estudar. – ele implica, me seguindo.


- Cala a boca. – ordeno, guardando os livros, e saindo da biblioteca.


- Vem calar. – retruca, e eu coro, pois sabia exatamente como ele queria que eu o calasse.


- Não! – digo. – Vamos mudar de assunto! Você cansa minha beleza. – completei convencido.


- Certo então, desculpe cansar sua beleza. – riu. – Me recomendaria algum lugar que gostaria de ter um encontro? – perguntou calmo.


- A minha cama. – bocejo.


- Então resolveu ceder sua virgindade, não é?


- Você na perde uma… – coro revirando os olhos.


- Então amanhã nós vamos à um lugar muito divertido. – ele diz malicioso.


- Não 'tô afim de ir pra um motel com você. – eu digo.


- É uma boa sugestão, mas é um outro lugar que você vai gostar muito. – Foxy fala, enquanto entravamos no quarto.


Bocejei jogando meu material na cômoda, e deitando na cama. Logo, sinto um certo pirata deitar-se comigo, e me abraçar.


- Por que não dorme na sua cama? – pergunto, mas não obtenho resposta.


Foxy dormia serenamente ao meu lado, me abraçando com força. Beijo sua bochecha sorrindo, e volto a me acolher em seus braços.


- Você é fofo quando quer. – sussurro.



[…]



- Uau, eu... E-eu não venho aqui desde... desde antes da minha morte... – digo surpreso.


- Hum... Então vamos aproveitar, coelho. – Foxy diz, animado, me puxando para alguns enormes brinquedos.


- E-ei Foxy, e-eu não gosto desses brinquedos altos. – suspiro nervoso, tentando para-lo.


- Não precisa, eu 'tô aqui. – ele tenta me acalmar beijando minha testa.


- Eu já disse que você não devia fazer isso em público… – empurrei-o corado. – Acho que anda assistindo muitos filmes românticos.


Ele ri, me abraçando com força, e logo começamos a esperar na fila para alguns brinquedos.


A tarde foi incrível, nunca me diverti tanto. E que eu me lembre, os únicos momentos felizes antes daquela tragédia, eram os que Foxy estava presente. Desde pequeno, era um bobo apaixonado, só demorou um pouco para que eu percebesse.


Nos sentamos em um banco, rindo, enquanto comíamos sorvete. Observávamos as poucas pessoas que ali passavam. A maioria, casais que nos olhavam estranho – mas eu não ligava. Sento em seu colo, abraçando-o, e mordendo a casquinha crocante.


- Você está perto de um lugar… proibido. – ele diz, e eu me levanto depressa. – Não era 'pra sair.


- Mas eu não quero te ver numa tentativa de estupro. – reclamo, e ele logo me puxa de volta. – Argh! Me larga!


- Não. – negou lambendo o resto de sorvete em meu queixo.


- Eca! – resmunguei.


Ele logo me beija, e claro, tento resistir, mas acabo cedendo, puxando sua cabeça enquanto ele segurava minhas costas.


- Vamos… 'pra casa… – peço ofegante.



[...]



Sorrio cansado, sentando ofegante em minha cama. Fecho os olhos, me livrando de todos os meus problemas, mas acabo por arregalar os os olhos ao me lembrar de um detalhe.


- Foxy! – chamei-o me levantando depressa. – E o trabalho? Merda, seremos demitidos! – reclamo batendo em minha própria testa.


- Ei, relaxa. – tentou me acalmar, se sentando ao meu lado. – Eu pedi umas férias 'pra nós.


- Ufa… – suspiro aliviado. – E… como vai aquele apê que você me falou há alguns dias?


- Eu conversei com o Freddy, e ele me disse que havia um aqui perto por um bom preço. – Foxy respondeu. – Poderíamos tentar, afinal, temos uma quantia boa.


- Certo então. – encosto minha cabeça em seu ombro, sorrindo malicioso. – Foxy?


- Sim, coelhinho?


Eu ignoro sua pergunta, beijando-o com vontade. Fecho os olhos, enquanto abria a boca vagarosamente, cedendo-o passagem. Ele segura minha cintura, puxando-me para a cama, e logo eu me separo ofegante, colando minha testa na sua.


- Eu quero que você me coma até que eu não consiga mais andar. – peço corado, e então sinto seu sorriso malicioso.


- Como você quiser, coelhinho. – ele diz. – Agora não tem como voltar atrás.



Continua...


Notas Finais


Sobre o pox capítulo, vcs já devem imaginar, Hehe...

Bjs, até... quando eu terminar de escrever o capítulo ^•^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...