História One More Chance - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Five Nights at Freddy's
Personagens Balloon Boy, Bonnie the Bunny, Chica the Chicken, Foxy the Pirate, Freddy Fazbear, Golden Freddy, Mangle, Marionette, Personagens Originais, Springtrap, Toy Bonnie, Toy Chica, Toy Freddy
Tags Fonnie
Exibições 111
Palavras 1.245
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Povimmmmm!!!
Mais um capítulo pa ocês!!!!
Espero que gostem do nosso primeiro lemon com o casal Golden Trap *aquela carinha*
HUASHAHUASHA
Espero que gostem ^^

Capítulo 5 - Five


Fanfic / Fanfiction One More Chance - Capítulo 5 - Five

 [Bonnie]





Sou mesmo um idiota. Apaixonado pelo meu melhor amigo, a quem não deveria ser nada mais que isso. Para piorar, ele nem mesmo contribui. Por que logo ele? Sou um covarde!


Mas eu ainda tenho dúvidas sobre isso, como quando ele me abraça na cama, ou alguns beijos e ele pensa que eu não percebo as indiretas dele, apenas finjo não notar pela vergonha.


Mas, o que eu estou pensando? É claro que esses fatos não afirmam nada, é apenas meu inconsciente tentando mentir pra mim mesmo! Ele nunca retribuiria o que sinto por ele, isso é óbvio. E o óbvio me machuca, mas o jeito é aceitar a realidade.


Levanto-me, e sigo ao banheiro. Nada melhor que um banho quente para espantar esses pensamentos que me tanto atormentam. Assim que termino, saio ainda com toalha enrolada no quadril. Foxy ainda dorme, é tão lindo, pena que não posso chama-la de meu.


Me visto em sua frente, já que estava dormindo não poderia ver coisas proibidas. Olho-o sorrindo com ternura, e me aproximo, o suficiente para sentir sua respiração calma balançar de leve meus fios arroxeados. Seguro sua nuca, afagando carinhosamente seus cabelos, e ele sorri, o que me faz sorrir ainda mais. Beijo sua testa quente, e saio do quarto.


Sigo para a aula de matemática – o que é ruim, já que eu não sou muito bom, assim como vários outros alunos – só de pensar nela, instintivamente reviro os olhos.


Como da última aula, sento no fundo ao lado de Chris. Acho-o fofo, cabelos azuis chamativos, olhos verdes, e pele clara marcada pelo vermelho de suas bochechas. Eu acabei de conhecê-lo, mas sinto que posso ficar a vontade para me abrir com ele, por isso contei o que sinto por Foxy. Ele até me deu algumas dicas, e disse que também estava na mesma situação – porém não deu muitos detalhes.


- E aí? Vocês já se pegaram? – perguntou, enquanto observava eu colocar os livros na mesa.


- É claro que não! Já disse que ele não retribuiria. – o azulado bateu a mão na testa, enquanto balançava a cabeça negativamente. – Coloque na sua cabeça que isso nunca vai dar certo.


Ao decorrer da aula, senti a ausência de alguem, logo percebi que era Golden e Spring. Eles devem estar passando mal, ou coisa do tipo, mas não é da minha conta.


Agora é só esperar a aula acabar, para assim ver o meu ruivo. 




[Golden Freddy] 





Já faz um tempo, que confessei meus sentimentos por Spring – ou Stefan. Agora eu sei a sensação de amar alguém, e esse amor ser retribuído de uma forma calorosa. Era uma ótima sensação.


Há um tempo, o achei jogado naquela sala. Estava todo sujo, empoeirado e quebrado. Soluçava algumas  palavras, enquanto chorava, e quando me viu, ficou com medo. Tive pena. Ele disse que alguém o matou, de uma forma brutal. Constatei que fosse Vicent. Disse também que uma marionete o colocou dentro daquele corpo de coelho, falando que estava apenas tentando ajudar.


Desde então, escondi-o de todos – exceto Puppet, claro – mas é óbvio, que eles descobriram, e eu revelei meus sentimentos.


Agora, aqui estou eu, de conchinha, apenas acariciando seus fios loiros, sentindo seu cheiro bem de pertinho em um clima confortável.


Me levanto, e tranco a porta sorrindo maliciosamente. Existem coisas melhores que assistir aulas.


- Spring, acorda! Seu preguiçoso! – exclamei, empurrando seu ombro.


Ele gemeu manhoso.


- Cala a boca, não quero ir. – reclamou se virando para o outro lado, cobrindo seu rosto com o pano fino.


- Tome ao menos um banho!


- Ok. Seu chato! – falou, sentando-se na cama, e coçando os olhos enquanto bocejava.


Eu me segurei para não apertar suas bochechas.


Ele caminhou preguiçosamente em direção ao banheiro, e antes que fechasse a porta, eu entrei.


- E-ei! Sai daqui agora! Seu pervertido! – gritou, tentando me empurrar com as bochechas infladas de raiva.


- Não achou que fosse apenas um banho, não é? – sorri malicioso, somente pensando no que poderia acontecer.


Beijei-o antes que abrisse a boca – provavelmente para revidar alguma besteira. Um ritmo lento, porém gostoso, que foi ficando cada vez mais rápido e violento. Passei minha mão por debaixo de sua blusa, pegando em todo seu peitoral, e ele pegou em minha cintura, colando nossos corpos.


Nos separamos, e eu tirei sua blusa, dando leves chupões em seu pescoço. Ele gemeu de leves. Beijei seu queixo, e segui aos mamilos, lambendo-os com movimentos circulares, e depois os mordi. Fiz uma trilha de beijos do seu peitoral, ao umbigo, beijando sua barriga, e deixando um pouco de saliva no local.


Tirei minha blusa e impressei-o na parede, beijando-o mais uma vez enquanto  passava as mãos em todo seu corpo, chegando até um seu membro, apertando-o com força. Peguei as dobras de seu joelhos, e fiz com que ele entrelaçasse as pernas na minha cintura. Spring rebolou-se, fazendo-me sentir o nivelado de sua calça.


Nos separamos para somente tirar o resto de roupa que sobrara. Me abaixei, tendo uma ótima visão de seu membro ereto, lambendo-o de leve, deixando saliva no mesmo. Abocanhei-o, enquanto Spring aumentava a velocidade segurando em minha cabeça, e gemia baixo, me inspirando a continuar. Spring gozou, e eu engoli tudinho, saboreando cada resto em minha boca.


- V-vai logo! – ofegou, fechando fortemente os olhos.


- Com o que? – perguntei, lambendo o líquido esbranquiçado em meus dedos com um grande sorriso.


- Me fode logo! – gritou.


- Já que você insiste... – completo rindo de seu desespero.


Prendi-o na parede novamente, e levantei sua perna introduzindo um dedo em sua entrada, arrancando alguns gemidos. Coloquei mais um, começando a fazer o movimento da tesoura. Tirei meus dedos, e passei minhas mãos de sua bunda, até as coxas, sentindo um arrepio percorrer por seu corpo.


Me posicionei, penetrando-o com força, fazendo-o dar um grito de dor. Eu poderia até ter pena ao vê-lo chorar, mas estava bom demais pra parar.


Aumentei a velocidade das estocadas, sem ligar para quem nos escutasse – mesmo que isso pudesse dar problemas – seus gemidos de dor viraram prazer, tudo que eu queria, era que aquele momento durasse para sempre. Pena que não durou.


Tempo depois, gozamos juntos, me retirei de dentro dele, ambos com a respiração pesada. Podia ver que suas pernas estavam bambas, prestes a fraquejarem.


- Eu vou te bater! Seu idiota! – Spring disse, se apoiando em mim.


- Por que? – falei beijando sua testa.


- P-por que agora eu não vou mais conseguir andar... – gemeu dolorosamente.


- Não vai me dizer que não gostou, né?


- Vamos tomar banho? – ela muda de assunto.


Depois da breve – e dificultosa – ducha, carreguei Spring até a cama, ouvindo seus gemidos – e reclamações – da dor que sentia. Revirei os olhos, e o joguei na cama, me deitando ao seu lado. 





[Bonnie] 





Ficar o tempo todo ouvindo explicações sem sentido foi a pior coisa, tirando o fato que todo mundo ficou conversando – inclusive eu. Todos os professores aqui são do tipo “Foda-se os alunos, eu só faço o meu trabalho”. Não sei se isso é bom ou ruim, mas levando pelo lado bom, podemos conversar a vontade – porém sem passar dos limites.


Encosto a cabeça na carteira, cobrindo meu rosto com os braços. Apenas permaneci em silêncio, escutando conversas alheias – mesmo não sendo intrometido, é bom ficar por dentro das novidades – até que o sinal toca, e todos saem desesperados, como se seus ídolos esperassem na porta da sala.

Civilizadamente, guardo meu material, e me despeço de Chris. Abro a porta de meu armário, para pegar os livros da aula de química, mas sinto uma respiração quente balançar de leve, os meus cabelos.


- Oi Foxy.. – cumprimento fechando o meu armário, enquanto ele me abraçava pela cintura.





                                                  Continua...



Notas Finais


Gente, sério, que vergonha #Vergoinha
Até quando eu vou revisar, eu sinto vergonha, apesar de sair arco iris da minha boca
Espero que tenho gostado, por favor, comentem pra eu saber se devo fazer mais lemon como esse, só que ainda maior, e melhor, e mais quente... *Um bocado de aquela carinha*
Bjs *3*
( É sério, comentem que eu gosto de responder seus comentários )
Fuuuuuiiiiii


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...