História One more chance? - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katy Perry, Rihanna
Personagens Katy Perry
Tags Katy Perry, Katyanna, Rihanna, Rihkaty
Exibições 77
Palavras 1.085
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E, finalmente, Rihanna!

Capítulo 4 - Again


Do outro lado da cidade, uma mulher olhava a cidade, a testa encostada no vidro frio da janela. Rihanna não costumava ter dificuldades para dormir antes de grandes apresentações, mas aquela noite era diferente. Tinha desligado o telefone há mais de três horas, mas continuava repassando a conversa com Katy em sua cabeça.

- Katheryn Hudson!

- Oi, Rihanna. Como é que você está?

- Eu estou ótima! Você sabe... Shows, fãs, música na rádio, programas de TV. O de sempre.

- Engraçadinha. Continua a mesma irritante de sempre!

- Só com um pouco menos de tempo e um pouco mais cansada. Mas, diga, o que a traz de volta do mundo dos mortos e enterrados?

- Deu vontade de falar com você. É proibido?

- Proibido não é, mas é bem estranho. Você não dá sinal de vida há mais de cinco anos e de repente resolve ligar para saber como anda a vida? Não... tem alguma coisa a mais nessa história.

- Não se esqueça de que você também não dá sinal de vida pelo mesmo tempo, hein, mocinha? Mas, ok, tem, mas eu não quero falar sobre isso por telefone. Podemos nos encontrar amanhã para um café?

- Isso é algum tipo de truque, Katy?

- Truque nenhum, Rih. Só preciso te pedir uma coisa e queria aproveitar para encontrar com você. Colocar a conversa em dia. Sei que você chegou a São Francisco hoje e resolvi ligar.

- Você sempre consegue me convencer a fazer o que você quer, né? Tudo bem, a gente pode tomar um café amanhã. Deixa eu checar a minha agenda e te mando uma mensagem com o local e horário.

- Feito, Gatinha!

Por que ela sempre precisava estar na defensiva? E se Katy tivesse apenas ligado para conversar. Era tão ruim assim? Antes de encerrar a noite, deu uma olhada na agenda e mandou uma mensagem para Katy. “Amanhã, 9h, no café de sempre. Ainda se lembra dele?”

***

O primeiro copo de café da manhã já estava no fim e ainda nem sinal de Rihanna. Katy tinha o hábito de chegar 20 minutos antes dos encontros com seus entrevistados, dava a ela a chance de escolher o melhor lugar, se preparar, observar o entrevistado enquanto ele entrava no local. Faltando cerca de 10 minutos para a hora marcada, ligou para a redação e deixou um recado para a chefe. Conseguir uma conversa com Rihanna era o mesmo que marcar um ponto, não importa como ela tivesse conseguido.

Alguns minutos depois da hora marcada, Katy começava a pensar que talvez a cantora não viesse. Isso seria bem característico dela. Mas no instante em que esses pensamentos cruzaram a sua mente, vislumbrou a morena entrando pela porta do café. Usava uns óculos que cobria metade do seu rosto, um chapéu enterrado na cabeça e a gola do casaco levantada. Parecia não querer ser reconhecida, mas Katy reconheceria aqueles lábios em qualquer situação.

Sorriu para a recém-chegada e aguardou que ela se acomodasse. Quando a garçonete apareceu fez o pedido para as duas e olhou de esguelha para Rihanna.

- Desculpa por fazer o seu pedido sem perguntar nada, mas é que eu ainda me lembro do que você costuma beber.

- Não tem problema. Quanto menos eu falar com outras pessoas, melhor. Não quero causar uma grande comoção por aqui, sendo reconhecida e tal.

- Sobre isso, qual é a dessa roupa? Fugindo de alguém? – perguntou Katy escondendo uma risada.

- Mais ou menos por aí. De vez em quando é bom poder tomar um café sem ter o seu rosto estampado em todas as revistas.

As bebidas chegaram e as duas beberam em silêncio por algum tempo, estudando a pessoa que se encontrava do outro lado da mesa. Não eram mais as mesmas meninas de dez anos atrás, quando se conheceram, e não tinham certeza se podiam confiar nessas novas pessoas que haviam se tornado. Rihanna foi a primeira a quebrar o silêncio.

- Olha, Katy, foi você que quis me encontrar e eu não tenho muito tempo, então, dá para dizer logo o que é que você quer?

- Sutileza nunca foi o seu forte, né?

Como a única resposta que teve foi uma careta contrariada, Katy resolveu ir direto ao ponto. Era melhor mesmo terminar logo com aquela tortura.

- O negócio é o seguinte, Rih, eu estou trabalhando como repórter da revista Variety e nós gostaríamos de fazer uma entrevista com você para a capa da nossa próxima edição. Seria mais um perfil, na verdade, algo para mostrar aos leitores um pouco mais sobre a mulher por trás da voz.

- E eu aqui achando que você estava com saudades...

- Estou, mas a minha ligação foi mais profissional do que pessoal.

- Bom, se esse é o caso, você tem que ligar para a minha assessora de imprensa. Ela é quem toma as decisões sobre as minhas entrevistas.

- Certamente os detalhes podem ser discutidos com ela, mas levando em consideração o nosso passado, achei que poderíamos acertar as coisas primeiro.

- Eu tenho uma apresentação fechada hoje, nove da noite. Aparece nesse endereço que a gente conversa com a minha assessora.

Enquanto falava, anotou alguma coisa num guardanapo, estendeu para Katy, terminou o café e foi embora. A jornalista nem teve tempo de responder. Não que pretendesse dar outra resposta que não fosse um sim, mas teria sido bom bancar a difícil um pouquinho.

***

Dois bilhetes estavam grudados no computador de Katy quando ela chegou à redação. Um era de Johnny e o outro de Dianna. Pensou que a curiosidade do amigo não era tão importante quanto atualizar a editora sobre o andamento da próxima capa. Deixou suas coisas em cima da cadeira e se dirigiu para a sala que a chefe ocupava.

A porta estava aberta e Dianna fez sinal para que ela entrasse.

- Então, como foi com a Rihanna? Ela concordou com a entrevista.

- Eu ainda não sei. Expliquei para ela qual a nossa intenção, que tipo de matéria queremos fazer com ela e ela falou para eu aparecer numa apresentação que ela vai fazer hoje para conversarmos com a assessora dela. Só aí teremos a nossa resposta.

- E como você conseguiu marcar esse café com ela sem passar pela equipe?

- Nós nos conhecemos há algum tempo atrás. Nada demais.

- Hum... sei. E eu posso ficar tranquila que esse nada demais não vai atrapalhar a matéria, certo?

- Claro! Tudo sob controle!

 


Notas Finais


Tudo sob controle mesmo???


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...