História One More in L.A - Zayn Malik - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zayn Malik
Personagens Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Malik, Romance, Sexo, Terror, Violencia, Zayn, Zaynmalik
Exibições 52
Palavras 939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Novo lar


 

Flashback on
 

Uma semana antes

— Filha, acho que deveríamos nos mudar — Minha mãe dizia enquanto tirava a mesa, estávamos eu ela e meu pai — Você iria conosco, não iria?

— Mas mãe, e a escola? Eu gosto dos meus amigos, gosto daqui. 

— Esta perigoso viver aqui, Ellen. Já recebi diversos e-mails anônimos no meu pessoal e na empresa também, nós vemos os noticiários todos os dias e eu não me perdoaria se algo de ruim acontecesse com vocês... — Meu pai se pronunciou pela primeira vez e soltou um suspiro cansado, levantando e nos chamando para um abraço coletivo — Vocês são tudo para mim. 

Flashback of

Sou Ellen Loren Miller, tenho 17 anos e perdi tudo o que tinha, literalmente. Família, casa, bens... Tudo!  Me sinto exausta, as vezes acho que estou sonhando... Mas não estou. Adoraria que isso tudo fosse um pesadelo. Minha casa foi invadida por um bando de marginais, provavelmente são a gangue que todos estão falando por aí... Eles invadem residencias, furtam, matam, queimam, estupram, não poupam nada e nem ninguém. Meu pai era um político bastante conhecido, milionário, invejado... Bingo! A vitima perfeita! Essa gangue não tira dos pobres, estão acabando com a alta sociedade a troco de que? Poder. Mantenho os olhos fechados perdida em pensamentos, sinto as lagrimas escorrerem tímidas pelo meu rosto. Não tenho forças. Sinto praticamente meu corpo todo latejar, principalmente minha perna esque... Puta que pariu! Sim, eu tomei um tiro, o quão dolorido isso é? Eu não sei explicar, mesmo. O mais intrigante foi ter sido salva por um homem que nunca vi em toda minha vida. 

Solto um suspiro e abro os olhos com lentidão, despertando totalmente do meu quase sono. Observo ao redor e me deparo com paredes brancas, ouço vozes vindo talvez do corredor ao lado e pela primeira vez identifico um som de uma TV no quarto onde me encontro:

 

"Tudo indica que essa ação criminosa é mais uma dos Mafiha's. Os tiros foram ouvidos por volta das 4 a.m na residencia dos Miller. Claire e John Miller foram assassinados brutalmente por disparos de arma de fogo e carbonizados logo em seguida. A herdeira Ellen Miller continua desaparecida e os integrantes da quadrilha ainda foragidos. Esse é o quinto ataque da gangue nos últimos três meses. Sou Jessica Carter, voltamos em bre.."

— Sinto muito por isso. 

Enquanto limpo as lagrimas que teimam em cair de forma incansável reparo a mulher que está em pé ao lado da cama.

— T-tudo bem... Você é..?

— Kendall, me chame de Kenny. Sou uma das mulheres do Zayn.— Me sento meio desajeitada na cama e a observo enquanto fala, é muito bonita.

— Prazer Kenny, sou a...

— Ellen. Eu sei — Se apressou em falar e sorriu tímida — Quer dizer, você é famosa e tudo mais... Eu já te vi na TV com o Sr Jonh...—Ela gesticulava bastante enquanto falava, soltei um riso anasalado seguido de uma careta, será possível que tudo dói?

— Ah, claro... Me fala quanto tempo eu dormi? Não faço a mínima ideia.

— Uns dois dias. Você passou por uma cirurgia para retirada da bala e dormiu bastante com o efeito da anestesia. Você vai ficar bem.

— Obrigada... Ah, Kenny... Desculpa, mas quem é Zayn? — Ela sorriu e deu de ombros:

— Você será uma das mulheres dele também, Zayn não te traria para a casa dele só para te ajudar. A primeira impressão é ótima, mas ele não é o que parece ser... Seu negocio é fazer dinheiro. Mas, confia em mim... Você vai ficar bem. Eu fiquei bem, graças a ele.

Engoli em seco ao ouvir as palavras dela, reprimi os lábios, pensativa. O que esse homem quer de mim?

x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

Estou à três dias nessa mansão, sim, mansão. É uma mansão gigantesca com incontáveis quartos e sem vizinhança. Quase o paraíso! Estou aqui e não pretendo sair, para onde eu iria? 

Vejo mulheres de todos os estilos entrando e saindo da casa, muitas mulheres! Vez e outra dou uma volta pelo jardim e pela piscina, vai que eu esbarro com o bonitão que me salvou? Não, eu ainda não o conheci. Kenny me alertou que seria difícil encontrar ele aqui, o mesmo reside em Nova York a "negócios". 

Me encontro espojada numa espreguiçadeira com um vestido soltinho que faz parte do meu mais novo closet, são 4 p.m e estou entediada observando o pôr do sol. Tomo um susto ao sentir uma mão em meu ombro:

— AI CARAMBA!! — Trago a mão no peito e encaro o ser com os olhos arregalados, solto uma risada fraca e nervosa — Quase morro de susto!

— Desculpa, filha! Eu só vim me certificar se você está precisando de algo... Está tudo bem? Quer um suco? 

— Não senhora Lourdes, esta tudo ótimo! Obrigada. Não entendo porque tanta preocupação e cuidado!

— O senhor Zayn me pediu para não deixar faltar nada para a senhora, só estou fazendo meu trabalho filha... Você ainda está se recuperando. Me chame caso precise...— Dito isso me beijou o topo de cabeça e saiu.

Sorri ao me sentir bem pela primeira vez. De forma alguma a cena daquela noite saía de minha cabeça, mas a senhora Lourdes estava sendo como uma verdadeira mãe para mim. A Kenny, uma irmã que eu nunca tive. Querendo ou não, estou me sentindo em casa. Eu tenho que me sentir em casa!

O céu já estava escuro e eu não me importaria em ficar mais um tempo ali, sem nada para fazer. Estava deitada com o antebraço sob a testa quando senti uma aproximação. 

— Olá Ellen. 

Eu não preciso certificar quem me cumprimenta nesse momento. De longe eu reconheceria essa voz... É ele. 


Notas Finais


Meus amores! *-*
Obrigada de verdade por cada comentário, por acompanharem!!!
Perdão se o capitulo não ficou tão grande assim... Em compensação vou tentar postar com frequência, não me abandonem ahuehsh Espero que gostem!

E me digam, em quem vocês pensam para a personagem Ellen?

xoxo s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...