História One More in L.A - Zayn Malik - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Zayn Malik
Personagens Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Malik, Romance, Sexo, Terror, Violencia, Zayn, Zaynmalik
Exibições 39
Palavras 1.323
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Confissões


 

— Malik... — Falei me sentando enquanto o encarava pela primeira vez.

— Zayn, por favor. Moças como você não se referem a mim pelo sobrenome, pode acreditar. — Falou firme, sua voz é rouca e sedutora. Zayn me estendeu a mão e eu a segurei, levantei e pude fita-lo mais próximo de mim — Como se sente, senhorita?

— E-eu estou bem, estou bem. Olha obrigada, e-eu.. eu não sei como te agradecer pelo que você fez e... —Fui interrompida por sua risada anasalada.

— Não, garota. Não precisa me encher de palavras agradecendo. Eu sei como você vai me agradecer pelo resto dos seus dias... — Pude perceber a seriedade em seu olhar, arfei e senti minhas pernas fraquejarem. — Está na hora de você conhecer sua nova identidade.

Dito isso segurou em meu braço, assenti com a cabeça e me deixei levar jardim a fora por esse 
homem tão... misterioso.

Zayn me guiou até a garagem onde tinha diversos carros, pude identificar o modelo do seu carro, um Audi A8. Ele abriu a porta para mim e eu obedeci quieta. Estava receosa, trêmula demais. Zayn me salvou, sim, mas ele me dá medo. E eu acho que 
ele sabe disso...

— Está com medo, Ellen? — Bingo!

—Ahn... NÃO! Não... Tudo bem, tudo bem Zayn. — Ele sorriu divertido e deu partida com o carro.

Me encolhi na cadeira e me concentrei em observar as luzes noturnas de Los Angeles pela janela. Eu sempre amei tanto este lugar...Sempre vivi aqui. Por que Zayn não me levou para outra cidade? NY seria uma boa... Sua casa, quem sabe. Los Angeles só me trás lembranças da minha infância, de toda a minha vida. Fechei os olhos perdida nesses pensamentos e chorei contra vontade, suspirando e tentando disfarçar as lágrimas.

— Ér.. Então, para onde estamos indo? — Zayn me olhou rapidamente e tornou a olhar para a estrada.

— Vou te apresentar aos meus irmãos.

— Hum, moram com você?

— Você pergunta demais.

— Você é grosso demais. 

A partir daí o silêncio reinou. Estava agora inquieta, cruzava as pernas e as mexia com impaciência vez e 
outra.

— Não posso te chamar de Malik?

— Não.

— Por que?

— Quer calar a porra da boca, senhorita Miller? 

Reprimi os lábios ao ouvir meu sobrenome e assenti, virando o rosto para a janela novamente. Pude observar uma mansão com alguns seguranças na entrada. Zayn passou pelo portão e finalmente estacionou o carro.

— Meus irmãos não moram comigo. E só os inimigos me chamam pelo sobrenome. Agora será que da pra ser menos curiosa? Acho que estou trocando mais palavras do que deveria com uma prostituta. 

— Prostituta? O que? Eu não sou uma prostituta! Cretino! Me leva embora desse lugar, me deixa na rua, me leva daqui!

— Não não não... Shhh. Quieta. Desce do carro.— Zayn levantou a camiseta deixando a mostra sua pistola dourada em sua cintura — Agora. 

Fechei os olhos e neguei com a cabeça, incrédula. Filho da puta. Eu não deveria ter duvidado da Kenny, não mesmo. Achei que ela poderia estar exagerando, mas esse cara não vale nada. Desci do carro com urgência e bati a porta com certa força, observei ele fazer o mesmo e andar com a mão sob a pistola na cintura. Revirei os olhos e o segui em direção a entrada da mansão. Assim que entrei pude perceber uns quatro homens espojados por toda parte. Uns bebiam e fumavam, outros jogavam videogame.

— Será que a minha casa virou uma zona total?

— Fala chefe! Achamos que não se incomodaria se pegássemos umas cervejas. — Um loiro se pronunciou e me olhou.— Mais uma puta? 

— Olha aqui eu não sou put...

— Niall, essa é a Ellen. Eu a salvei do Mark, lembra? Ellen, esses são Niall e Liam, meus funcionários. — Os dois me cumprimentaram, permaneci séria. — Aqueles lá são Louis e Harry, meus irmãos... E funcionários também.

— Caralho, pra ter custado a vida do Mark ela deve valer ouro, ein? Chefe, você está sendo caçado por aqueles caras e isso nunca vai parar. Não poderíamos dar um fim no Mark agora, porra! — Liam cuspiu as palavras me olhando de cima a baixo — Não da pra se arriscar só por uma vadiazinha. 

— Cala a boca! Eu sei o que eu faço, ou você quer me dar as ordens agora? Ele estava quase a estuprando e isso é sujo demais. Ellen agora vai trabalhar para mim. 

— Ah claro, que ótimo! Ser estuprada é sujo e me obrigar a ser uma prostituta é o que, Malik? — Pude sentir o olhar de Zayn queimando sobre mim, revirei os olhos. — Vai se danar.

— Você só segue as regras, ta ok? Espero que você tenha entendido e que eu não precise te marcar na outra perna para você entender que não se brinca com um filho da puta como eu. — Dito isso Zayn deixou a sala sem olhar para trás, suspirei fundo e me joguei em um sofá qualquer, sentindo quatro pares de olhos em mim.

— O que eu não entendo é porque ele quis me apresentar a vocês, inclusive me deixou sozinha aqui. Que tosco. — Louis veio até mim e sentou ao meu lado, sorriu de lado e segurou minha mão:— Ele faz isso porque o dever de explicar as regras para as meninas, é nosso. — Louis beijou minha mão e suspirou. — Prazer em conhece-la, e sinto muito pelo meu irmão... Ele é sempre assim. Ninguém tira nenhum sentimento bom dele desde que nossos pais se foram. Zayn é sombrio, complicado e bipolar, acredite. — Sorri pela primeira vez para Louis, ele não é como esses outros babacas que estão aqui presentes. — Então, Ellen... Se meu irmão te salvou, ele viu a esperança em fazer mais dinheiro para nós. Mark era o chefe dos Mafiha's, maior inimigo de Zayn e ele o eliminou... Estamos lidando com seu irmão Maicon agora, que também não é flor que se cheire e...

Louis me explicou tudo, o quanto os Mafiha's faziam dinheiro de forma suja, invadindo residencias, tirando vidas... Agora eu fazia parte da gangue Bloods, eles usam mulheres como prostitutas e todas elas vivem na mansão em L.A, praticam tráfico de  substancias ilícitas e só matam quem estiver no caminho para atrapalhar os negócios. A pergunta é: Por que Zayn matou Mark? Liam estava certo, não fazia sentido ele matar seu maior inimigo e se arriscar por uma desconhecida. Mas, talvez seja só uma exceção ... Acho que ele fez isso só pelo fato de não valer nada, quero dizer, ainda menos que os outros.

Louis disse também que todas as meninas são órfãs ou foram pegas na rua, e que a maioria não sabiam nem de onde vinham. Porém, Zayn não me deu direito de escolher. Eu poderia tentar seguir minha vida sozinha, sem os meus pais... Mas eu não tenho escolha e agora sabendo de tudo... Eu queria muito ter poder de escolha. 

Me encontro no quarto de hóspedes da mansão, os meninos ainda estão lá em baixo e Zayn em seu quarto. Ele disse que dormiríamos aqui hoje... Preciso falar com ele. Eu tenho um problema e dos grandes e não sei como isso vai terminar...

Levanto da cama e vou até o quarto de Zayn, giro a maçaneta lentamente e empurro a porta com cuidado... Graças a Deus está aberta. Entro na ponta dos pés e me deparo com Zayn saindo só de toalha do banheiro, sacudindo os cabelos molhados com uma mão. Observei seu abdome definido e os detalhes de tantas tatuagens espalhadas pelo seu corpo, Zayn me olhava com total naturalidade.

— Não sabe bater na porta senhorita Miller? O que você quer? — Despertei dos pensamentos e ainda não consigo tirar os olhos desse corpo. P-u-t-a m-e-r-d-a. 

— Han.. Ér... Eu preciso falar com você.

— E precisava ser agora?

— Sim, Malik,

— Fala garota. — Zayn sentou sob sua cama e permaneceu me olhando, curioso.

— Então... Eu não posso fazer o que você quer... Digo, ser uma prostituta... Eu.. Eu não sei como fazer 
isso e...

— Calma, Ellen. Todas disseram isso. Você vai aprender com as outras, elas vão te dar algumas dicas. Relaxa. — Ele parecia exausto e tombou para trás, ficando deitado e deixando visível um volume por baixo da toalha, arregalei os olhos e logo desviei o olhar.

— Não, Malik... Você não ta entendendo...

— Para de me chamar de Malik, garotinha... Me diz, o que eu não to entendendo? 

— É que... Eu sou virgem. 


Notas Finais


Obrigada pelos comentários! *-*

xoxo s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...