História One more night - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jin, Lisa, Personagens Originais
Tags Bangtan Boys, Blackpink, Bts, Câncer, Jim, Lisa, Onde More Night
Visualizações 55
Palavras 2.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu já postei esse capítulo ontem, eu estava revisando e apaguei ele sem querer e a burra entrou em pânico e salvou a edição!
Então, só repostando, não é capítulo novo.

Capítulo 2 - Enchendo a cara


―Não vou mentir... — Senti que ela se esforçou pra me dar tal noticia — Você descobriu tarde... Mas hoje em dia existem tratamentos eficientes, que poderão prolongar sua...

―Eu tenho câncer! — Murmurei perplexo...

Por um momento esqueci da dor, a dor que eu sentia por dentro era maior, muito maior. A doutora Helena me dizia algo, mas eu não escutava, todos os sons a minha volta ecoavam na minha cabeça “câncer”, minha mente só conseguia focar nessa palavra. Me levantei da cadeira, e fui em direção a porta, mesmo sem enxergá-la direito.

Não sei como consegui, mas saí daquele hospital.

Eu andava em baixo de chuva, sem rumo algum.

Algumas pessoas pensam em tudo, eu sempre pensei em tudo, sempre me preparei pra tudo. Mas tudo é uma palavra que não deveria existir, nada é “totalmente”, nada é perfeito, e uma hora você descobre que não está preparado pra tudo.

Como reagir diante da noticia que uma passagem de ida pra morte estava reservada no seu nome? Diante da noticia de que nada que planejou pro futuro vai acontecer... Você não tem mais futuro, está fadado ao fim, ao fracasso consigo mesmo em não ter tempo o suficiente pra realizar as próprias metas. De repente elas já não faziam mais sentido...

E eu me perguntava “por que eu?”... “E por que não você?” eu mesmo me respondia, naquele momento minhas teorias de que só bastava esforço, foram em vão, por que eu estudei tanto? O fato era que, eu pensei tanto no amanhã que esqueci do hoje, “não deixe pra depois o que pode fazer agora...” era uma frase tão irônica... Algumas coisas não são pra agora, como pensar no que você vai comer amanhã, ou no casamento de 12 anos a frente.

O dia em que eu descobriria que meu tempo era precioso chegou mais cedo do que eu imaginava. Eu deixaria tudo a minha volta, como todos viveriam? Por que todos viveriam e eu não? O que eu fiz de errado afinal?

Eu estava completamente encharcado quando cheguei em casa, fiquei encarando a porta, totalmente inativo. Como eu vou contar pra minha mãe que tenho câncer? Que eu vou morrer antes dela...

Eu não vou contar, não agora, só preciso... Não sei, eu não sei o que eu quero, o que faz sentido agora?

Apenas abri a porta vagarosamente rezando pra não esbarrar com a minha mãe, um desejo frustrado, ela lia uma revista sentada no sofá. Não tinha me percebido. Bati a porta, então ela me encarou assustada. 

―Jin? Ta encharcado! Cadê o carro? Cadê suas coisas? Não tinha prova ho... Filho... — Se levantou — Ta chorando? — Passei por ela sem dizer uma palavra em direção ao meu quarto — Jin, conversa comigo! — Ela me encarou desesperada então sorri.

―Eu te amo... — Foi tudo o que pude dizer. Vai que morro amanhã... Infelizmente só me restava esperar pela morte.

Me tranquei no quarto e me apoiei na porta de cabeça baixa, minha vida era melhor quando eu não sabia, era melhor quando eu tomava meus remédios pra dor ou pra dormir. Me joguei na cama e... Chorei. Espanquei o travesseiro, puxei meu próprio cabelo, surtei o máximo que pude como se fosse melhorar algo...

Fiquei por um bom tempo chorando, minha mãe não me interrompeu, me conhecia o suficiente pra saber quando precisava de espaço.

Algumas horas se passaram, minhas lágrimas começaram a dar uma trégua. A essa hora minha prova que antes parecia importante, me pareceu tão inútil. Todos deveriam estar saindo da faculdade agora...

―Isso é um pesadelo... — Sussurrei. Lisa já tinha me ligado 4 vezes... Talvez ela fizesse eu me esquecer um pouco. A chamei no Skype, Lisa atendeu na hora, estava toda arrumada, como se fosse sair, provavelmente iria... — Oi. — Falei baixo. Eu não sabia bem se era a hora de contar, de qualquer maneira, eu não teria coragem.

―Oi? Você não me responde e rejeita minhas ligações e me diz oi? Espero que tenha tido um bom motivo, tipo, estar pegando alguma vadia! — Consegui rir pela primeira vez no dia. Não foi tão espontâneo, mas já valeu.

―Desculpa... Eu estava ocupado... — Dei de ombros.

―Estudando? — Franziu a testa.

―É... — Menti.

―Seus olhos estão vermelhos e inchados... — Ela ficou séria — Tava chorando?

―Não, eu só não dormi... — Menti novamente.

―Tem certeza? Aconteceu alguma coisa Chatinho? Fala pra mim... — Sorri.

―Tenho Lisa. — Eu deveria contar, mas não queria preocupá-la, não queria a pena de ninguém. — Vai sair? — Tentei mudar de assunto.

―Ia, você não falava comigo! — Me olhou brava.

―Vai se divertir... A vida é uma só ,depois a gente se fala...

―Não, falar com você é mais interessante...

―Tudo bem maluca, vai. — Sorri, mas não era um sorriso como todos, era triste... — Você está linda.

―Eu sou linda! — Rimos — Se insiste eu vou, mas tô no celular, quando quiser conversar já sabe... — Assenti.

―Te amo... — Ela arqueou a sobrancelha.

―Também te amo. — Sorriu. — Tchau...

―Tchau... — Desliguei a WebCam.

As vezes você perde, as vezes ganha, essa é a lei da vida. Eu ganhei uma amiga maravilhosa, mas perdi minha vida... O que faz tudo isso ser precioso demais. A única coisa que tenho certeza no momento, é de que preciso abraçá-la.

Esse desejo era um pouco difícil já que moro em Sokcho e ela em Busan.

[...]

Já passava da meia-noite, como sempre eu não conseguia dormir, estava mais calmo, a dor tinha dado uma trégua e me peguei pensando: Minha vida ainda não acabou.

Talvez eu pudesse ter mais algum tempo, pra fazer coisas que nunca fiz, sentir coisas que nunca senti, era como se de repente a notícia de que eu iria morrer me dissesse, “viva”...

Por que eu tenho que ficar me lamentando? Todo mundo vai morrer, seja de causa natural, doença ou sei lá. Não é legal receber esse tipo de noticia, mas eu simplesmente não posso gastar o resto de tempo que tenho chorando.

Me levantei tomei um banho, e me arrumei... Chega de ir pra cama as 10, acordar as 6, estudar pra prova, jantar, almoçar, tomar banho na hora certa, é hora de fazer o que Lisa sempre me aconselhou a fazer. Viver.

Abri a porta do quarto vagarosamente pra não acordar a minha mãe, mas a encontrei na cozinha...

―Ainda acordado? — Ela deu uma golada num como d’água, estava de camisola, provavelmente se levantou pra tomar água. — Ta todo arrumado...

―Eu... Vou dar uma volta... — Dei de ombros.

―A essa hora? — Assenti.

―Por que não a essa hora? Os... Adolescentes... Fazem isso! — Sorri forçado.

―O que ta acontecendo Jin? — Meu coração disparou, só menti pra minha mãe uma vez quando tinha 7 anos e cortei o vestido dela pra fazer uma capa de super-herói!

―Nada. Por que estaria acontecendo algo comigo? Não ta acontecendo absolutamente nada, e com você? — Franzi a testa. E com você?!

―Porque você chegou chorando. Tive que ir buscar o carro na frente do hospital hoje... — Bufou — O que houve naquele hospital?

―Não foi exatamente no hospital — menti — Eu... — Fiquei um tempo pensando — Vi a garota que eu gosto com outro cara... Só isso. Aí eu fiquei revoltado e... Disse que te amava, porque você é a única mulher que não me decepciona nunca... — Respirei aliviado. Acho que foi convincente o suficiente.

―Nunca me disse que gostava de uma garota.

―Por que? Eu aparento gostar de garotos? — Ri, minha mãe me olhou com um olhar de “ Seja irônico comigo de novo e vou dar uma chinelada na sua cara” — Desculpa. — Fiquei sério.

―Porque sempre me conta tudo.

―Eu to contando agora... Mas já passou mãe...

―Essas coisas não passam assim. Noticias ruins são difíceis... Eu vejo nos seus olhos que está tentando ser forte, está tentando aceitar. Mas é só uma fase, vai passar, pode demorar , mas tudo passa... — Desviei o olhar pro chão. Aquelas palavras me definiram. A única coisa errada era que... O meu problema não iria passar.

―Será? — Murmurei. — Eu só preciso esfriar a cabeça. Vou dar uma volta rápida.

―Tudo bem, poucos tem a maturidade que tem. Eu confio inteiramente em você — Sorriu — Se quiser conversar, sabe que sua mãe está sempre aqui não é? — Assenti.

―Sei sim mãe... Obrigada. — Dei um beijo na testa dela. — Te amo.

―Também te amo meu anjo...

[...]

Eu estava dando uma volta nos arredores da minha rua. Será que eu ligo pra Lisa? Não, se ela saiu só voltaria umas 4 da manhã no mínimo. Melhor não acordá-la.

Abri o bloco de notas do meu celular.

“Coisas que quero fazer antes de morrer” — Escrevi. Por um momento eu ri disso, mas logo reli, “antes de morrer” e fiquei sério outra vez. Eu não fazia a menor ideia do que digitar. O que eu quero afinal? Tudo bem, eu vou por etapas.

“1° - Encher a cara” Sempre fui responsável demais, hora de ser adolescente. Foda-se se isso faz mal, eu vou morrer mesmo.

―Atende... — Resmunguei enquanto ligava pro Jungkook, meu melhor amigo da faculdade.

―Kim Seokjin acordado a 1 da manhã? — Ele gritou, eu ouvia um som de música alta. 

―Onde você ta?

―SENTAR? — Revirei os olhos.

―AONDE VOCÊ TA? — Gritei.

―NUMA BOATE, POR QUE?

―QUE BOATE?

―POR QUE QUER SABER?

―PORQUE EU VOU PRAÍ! — Ele ficou em silêncio.

―O QUE?

―EU VOU PRAÍ! — Repeti.

―VAI FAZER O QUE AQUI?

―ME... DIVERTIR? — Isso soava tão estranho comigo falando.

―PUTA QUE PARIU! — Ele gritou mais alto — GENTE O JIN VAI VIR PRA CÁ! — Ele gritava feito um retardado. Eu numa boate era tão estranho assim?

Era.

[...]

O táxi estacionou, pelo menos eu não perdia tempo procurando vagas. Aquela boate me parecia assustadora, eu escurava a gritaria de longe. Mostrei minha identidade pro segurança e entrei. De longe vi o Jungkook com o Jimim e o Taehyung sentados no bar com algumas garotas. Fui em direção a eles, eu esbarrava em gente dançando por todo lado. Dei um pulo e olhei pra trás... ALGUÉM APERTOU A MINHA BUNDA! Dei de ombros e continuei, depois de todo sacrifício finalmente cheguei a eles.

―Sério mesmo? — Taehyung me olhou perplexo.

―Eu não pensei que viria! — Jungkook Bufou.

―UUHL! Vai ter que pagar uma rodada de bebida pra gente Jungkook!

―Que? — Arqueei a sobrancelha. — Apostou que eu não viria Jungkook?

―Eu achei que Jin seria Jin! Você não frequenta esse tipo de lugar. Frequenta a biblioteca publica! — Franziu a testa. — Você bateu a cabeça?

―Não. Eu só... Preciso relaxar.

―Relaxar é com a gente mesmo! — Jimim levantou um copo de bebida; como se eu já não soubesse disso! — Traz mais uma rodada! — Gritou pro barman

Me deram uma bebida colorida, nunca tinha bebido isso... Nunca tinha bebido...

Virei de uma vez e fiquei meio muito tonto!

―Vai com calma princesa! — Jungkook ironizou

[...]

―1, 2, 3... VIRAAA! — Taehyung gritou então tomamos a bebida toda de uma vez. Eu estava tonto, não enxergava nada direito e ria de tudo. De repente as coisa ficaram engraçadas...

―Eu vou... lá... — Me levantei.

―Lá? — Disse Jungkook — Lá aonde?

―Fazer xixi. — Fui em direção ao banheiro. [...] Depois de encarar uma fila finalmente saí de lá.

Esbarrei com duas garotas, eu mal via o rosto delas, mas eram bem gostosas.

―Eai! — Sorri de lado.

―Oiii... — Disseram juntas.

[...]

Conversamos sobre coisas idiotas, uma era Taeyeon e a outra Soyoung, quem era quem? Sei lá. não sei como, mas quando dei por mim estava me esfregando com duas garotas num corredor. Que aliás tinha quartos... Aquilo era um puteiro? Isso explica as garotas no pole dance nuas!

Entramos os 3 num quarto. Eu beijava a uma e a outra beijava meu pescoço por traz...

Elas me jogaram na cama, e de repente bateu um desespero.

―ESPERA! Eu vou no... Banheiro, já volto... — Sai correndo em direção ao banheiro da suíte.

―Volta logo! — Disse uma delas.

Tranquei a porta e me sentei no chão, então liguei pra Lisa.

―Lisa — falei baixo — Me ajuda.

―O que foi cara?

―Eu to num bordel com duas garotas gostosas e meio bêbado! Eu bebi um pouquinho... Dai eu fui fazer xixi, por que a bebida shhh! Foi direto pra bexiga, dai eu fiz xixi... — Comecei a rir. — Nossa... Lisa... Eu to num bordel, eu já falei que eu to num bordel?

―Meio bêbado? — Riu

―Quem ta bêbado? Você bebeu?

―Meu deus, alguém abduziu meu melhor amigo.

―Eu quero sair daqui, por que eu to num...

―Num bordel, já intendi.

―O que eu faço? Eu não quero transar, eu não to pronto...

―Oi?

―Eu sou virgem e tem duas garotas aqui... Elas querem me ver nu Lisa, isso é... Inapropriado!

―CARALHO! TU É VIRGEM?

―Como você sabe?

―Jin, diz que não quer ficar com elas e pronto. Ta bêbado, não faz nada do que se arrependa no dia seguinte. Kim Seokjin, vai pra casa ok?

―Ai Jin, vive a vida! Sai por aí, pega uma vadia! Você sempre me diz isso. Eu vou ficar também.

―Mas... Você disse que.

―Eu vou... Embora. Tchau. — Desliguei. Saí do banheiro, as duas estavam se pegando... Totalmente nuas.

―Até que enfim tava fazendo o que? — disse a ruiva. Acho que era a Taeyeon

―Ai meu deus! Vocês estão peladas! — elas começaram a rir.

―Normalmente as pessoas transam assim! — Soyoung ironizou.

Olhei pra elas e pra porta sucessivamente então saí correndo...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...