História One more taste - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saga Crepúsculo
Personagens Bella Swan, Jasper Hale
Tags Saga Crepúsculo
Exibições 45
Palavras 1.499
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oi

Capítulo 19 - Mudança chegando


Capítulo 19 - Mudança Chegando

Vi Bella acordar. Ela rolou para o lado, me alcançando, um pequeno sorriso em seu rosto. Bocejou, e então abriu os olhos.

"Bom dia, luz do sol." Disse para ela, passando os dedos por sua bochecha. Vi o familiar corar encher suas bochechas enquanto ela sorria novamente. "Dormiu bem?"

Ela concordou. "Oh, sim. Na verdade, acho que não dormi assim nunca. Com certeza posso me acostumar com isso." Ela se sentou, passando os dedos pelos cabelos e se espreguiçando. "E você?" Brincou.

"Nem pisquei. Tenho medo de ter insônia eterna." Ela se virou na cama e cruzou as pernas para me olhar.

"Qual é o programa para hoje? Aparentemente, serei obrigada a brincar de esconde-esconde com Emmett, mas, além disso, estou livre." Girou os olhos para meu irmão imaturo. Eu iria fazer a pergunta para ela hoje, Emmett que esperasse.

"Eu estava pensando... talvez pudéssemos apenas ficar aqui por um tempo? Poderia trazer seu café. Acho que Esme fez panquecas, abençoada seja. E podemos... conversar." Suave, Jasper, bem suave. Ela me olhou questionadora, e então deu de ombros.

"Tudo bem por mim. Quanto mais tempo que eu ficar com meu pijama, melhor! Traga as panquecas, e diga a Esme que a amo. Sabe, gostaria de passar um tempo com eles hoje também."

"Absolutamente. Talvez possamos nos reunir e assistir um filme a tarde, e você pode pedir uma pizza. Sabe que é nosso passatempo favorito, e acho que eles também gostam. E lembre da regra de filmes do Emmett: nada de romance açucarado e nada com o Mel Gibson. Ele acho que ele é um lunático."

"Fechado. Eu estava pensando em algo como Entrevista Com O Vampiro de qualquer maneira. Ironia é sempre bom, certo?" Dei risada de sua frase, andando para fora do quarto, descendo as escadas para pegar o café da manhã dela. Ela realmente era única. Enquanto ela dormia ontem à noite, pensei na nossa primeira vez. Primeiro: não conseguia acreditar no controle que tive. Era como se eu não fosse a mesma pessoa. Eu estava completamente focado nela que nada mais passava em minha mente – nem mesmo o sangue dela. E isso dizia algo, considerando que ela perdeu um pouco ontem a noite. Era só que... não me importava mais. Eu afastei qualquer coisa que poderia vir a machucá-la. Ela é apenas Bella pra mim, não Bella a Humana De Cheiro Delicioso. Uau, eu realmente estava começando a me parecer com ela. Esme estava na cozinha, terminando as panquecas. Sorriu pra mim quando entrei pela porta.

"Bella dormiu bem? Espero que ela goste do que fiz pra ela… já faz tanto tempo que cozinhei para ela!" Esme estava mesmo na personagem, exatamente como a mãe dentro dela. Tudo que pude fazer foi sorrir. Ela notou. "Acho que nunca te vi sorrir tanto, Jasper." Disse e sorriu.
"Sim... ela me faz ficar assim. E respondendo a sua pergunta, ela dormiu muito bem." Não consegui não ficar um pouco convencido. Uma parte de mim – uma parte bem, bem pequena – queria que Alice tivesse visto essa felicidade e contasse para Edward. Eu ainda sou um homem, apesar de tudo. "Ela ficou excitada com as panquecas. Acredito que as palavras dela foram: 'traga as panquecas, e diga que a amo'." Esme gostou disso, entregando o prato pra mim e se virando para limpar a cozinha.

"Estou feliz. Eu a amo também, Jasper. Diga isso a ela." Consenti enquanto me afastava.

"Comida!" Gritei enquanto entrava no quarto. Ela não se moveu do lugar em que estava quando a deixei. "Esme disse que te ama também." Entreguei o prato para ela e me sentei no canto da cama enquanto ela comia. Iria esperar até ela terminar. Não tenho certeza porquê estou tão nervoso com isso – é isso o que ela sempre quis, não? O que ela sempre quis com o Edward, meu cérebro disse. Ela poderia querer isso comigo também? Não percebi que ela tinha terminado e estava me fitando.

"O que está pensando?" Perguntou, empurrando o prato para fora do caminho e rastejando até mim. Lá vai…

"Bella, quero falar com você sobre algo. Sobre… se tornar uma de nós. Eu sei que você queria isso com Edward, e quero saber se você ainda quer." Olhei para outro lado. Eu não queria levantar o fato de que tinha escutado enquanto ela conversara com Edward aquele dia. Ela me olhou curiosa, traçando uma das cicatrizes do meu braço com os dedos.

"Jasper, você me ama?" Perguntou, continuando a tocar minhas cicatrizes.

"Claro que te amo. Mais do que tudo." Eu estava certo disso todo dia. Ela sabia disso – aonde ela iria com isso? Não senti nada a não ser calma vindo dela.

"E sabe que te amo. Não quero envelhecer, enquanto você continua jovem. Não parece certo. E eu não quero morrer – digo, eu sei que é o que acontece com humanos, mas não quero isso. Não quando estou com você. Não suporto pensar estar sem você, mesmo que esse não seja o pensamento mais certo. Nada me apetece mais do que passar o resto da eternidade com você. E se isso significa que preciso passar um pouco de dor, que seja." Ela parece ter passado um pouco de tempo pensando nisso.

"Um pouco de dor? Preciso que entenda que é muito pior que isso. É muita dor, na verdade. Pode lidar com isso? É a pior coisa que você sentirá." Ela ainda estava me olhando, sentindo-se calma.

"Significa estar para sempre com você? Eu queimaria cem dias se significasse que ficaria com você pela eternidade." Conseguia sentir seu amor – ela estava tentando se fazer de calma, mas consegui sentir a intensidade.

"Bem, não vai queimar por cem dias, será uns três, mas é terrível. Nós faremos o que for para te ajudar a passar isso, claro, mas..." Ela levantou a mão e me calou.

"Nós? O que quer dizer?" Ela não poderia pensar que eu faria isso sozinho...

"Digo eu e minha família. Se estiver tudo bem, claro. Pensei... que seria melhor se Carlisle estivesse aqui para me ajudar. E sei que o resto da família vai querer estar aqui quando você acordar." Levantei minhas sobrancelhas para ela questionador.

"Certo, então. Gosto disso. Quanto mais, melhor!" Ela riu, gostando da situação. Suas emoções ficaram um pouco nervosa. "Quando?" Perguntou, baixo.

"Isso depende de você. Quando estiver pronta, só vamos nos acertar e começar a arrumar as coisas. Basta apenas dizer quando."

"Acertar as coisas?" Ela perguntou. Esqueci que ela não sabia dos detalhes.

"Bem, nós temos que... forjar a sua morte, para ser abrupta. Você não pode simplesmente desaparecer, porque daí as pessoas vão te procurar. Mas se formos capazes de fazer como se você tivesse morrido, então... isso não seria um problema. E sua família teria paz também." Ela assentiu devagar, começando a chorar.

"Odeio isso. Vou sentir tanta falta deles... mas é o que quero. Quando formos para casa, vou fazer os ajustes. Sutilmente, eu prometo... quero dar a Charlie algo para se lembrar de mim – e para Renée também. E então podermos fazer. Vamos embora amanhã, certo?" Olhei-a enquanto as lágrimas desciam por sua face – alcancei para limpá-las.

"Sim, vamos para casa amanhã. Pode ter a noite de amanhã com Charlie se quiser, e fazer o que precisa fazer. Quando sair na manhã seguinte nós podemos... cuidar das coisas." Ela franziu a testa com a escolha de palavras.

"Como? O que vai fazer?"

"Um acidente de carro me parece melhor. Um incêndio destruiria qualquer chance de recuperar o corpo. É simples. Nem precisará de investigação." Ela assentiu, e se moveu para mais perto de mim. Enrolei meus braços a sua volta, puxando-a bem apertado. "Tem certeza que é isso que você quer? Pode dizer adeus a eles para sempre?"

Ela fungou. "Sim, posso vê-los a distância, certo? Apenas às vezes quando eu não for uma... recém-nascida?"

"Possivelmente. Você tem que ter cuidado para não chegar muito perto – ninguém pode vê-la depois da transformação." Ela congelou, mas assentiu novamente. "Então está marcado? Próxima semana?"

"Acho que sim. Não quero demorar mais do que tenho, apenas ficará mais difícil. Semana que vem." Beijei o topo da cabeça dela. Minha garota corajosa, andando na linha de fogo por mim.

"Vamos contar aos outros, sim? Tenho certeza que Esme não gastou sua cota de abraços essa manhã, e Emmett está se acabando para brincar de esconde-esconde. Vamos usar o resto do dia apenas para ficar com o resto da família, ok? Sem mais pensamentos tristes." Ela sorriu enquanto se inclinava para me beijar.

"Concordo." Respondeu, suspirando. "Emmett sempre me vence; não sei por que ele se importa. Pensei que ele queria um desafio ou algo assim. Ao invés disso ele se diverte me vendo perder."

"Esse é o Emmett com você. Mas não seja dura com ele – você é apenas a irmã mais nova. Todos são mais velhos que ele, então ele está ansioso por isso." Ela riu, pulando da cama e indo para a porta.

Notas Finais


Bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...