História One More Time - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 165
Palavras 2.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Hentai, Lemon, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meu povo lindo e maravilhoso, tudo bem com vocês? Eu espero que sim, porque eu tô com sono.

MAS, com eu sou uma pessoa muito amável, eu resolvi sacrificar um pouquinho do meu sono pra finalizar o segundo capítulo de OMT.

Eu espero que vocês gostem, na sequência segue um fator bem importante para o defeixo da história então...

Boa leitura 💞🌸

Capítulo 2 - Second.


Fanfic / Fanfiction One More Time - Capítulo 2 - Second.

5 anos antes


[...]


Yoongi acordou cedo naquele dia, curioso pelo barulho diferente que se ouvia levemente ao fundo, era um fato extremamente comum que seu horário de despertar fosse cedo, já que seu pai sempre o criou de forma rígida e correta, por mais que ele não fosse tão correto assim. Quando abriu os olhos e vislumbrou rapidamente o quarto com alguns bichinhos de pelúcia, deixou-se sorrir, fechando os mesmos logo depois, em um ato extremamente rápido. O Min sorria abertamente, mostrando seus dentes alinhados e branquinhos enquanto expirava o cheiro cítrico de morango que preenchia maravilhosamente o ambiente.

Na noite anterior, Yoongi havia convidado Hoseok para sair, comer alguma coisa diferente e o intimou para que depois dormissem juntos, agarradinhos naquele inverno gelado demais, esquentando um ao outro embaixo das cobertas da forma mais pura possível. Hoseok prontamente aceitou, adorava a companhia levemente retraída e resguardada porém não menos carinhosa de seu namorado, arrumou-se lindamente, ambos trajados com roupas quentinhas em lavagem preta, como gostavam. Rumaram no carro do mais velho até um restaurante chinês, o favorito. Hoseok e Yoongi combinavam em várias coisas e comida chinesa era, sem dúvidas, uma das coisas que mais se orgulhavam em preferir juntos, mas também combinavam em outras coisas, como por exemplo, Yoongi adorava basquete, já Hoseok adorava ficar na torcida, gritando e incentivando o namorado, Hoseok era um garoto de apenas uma personalidade e essa era extrovertida e completamente apaixonada por Min Yoongi. Hoseok também adorava carinho, ser tratado de forma levemente infantil, adorava mais ainda ser paparicado com presentes, beijinhos, cheirinhos e se Hoseok gostava, quem era Min Yoongi para não acatar todos os desejos e todas as manhas infantis do seu amado namorado?

O barulho característico da chuva se fez presente com mais afinco no ambiente assim que Yoongi focou sua audição em um barulho que não fosse Hoseok suspirando fundo e lento entre seus braços e muito menos o ar-condicionado ligado no em uma temperatura agradável, nada muito gelado e nada muito quente, uma temperatura suficiente para manter-lhes bem e sem a possibilidade de uma sufocação, já que Hoseok possuía claustrofobia. O Min resmungou baixinho, movendo-se com cautela, afundando seu rosto nos cabelos cheirosos e de maciez extrema que seu namorado possuía, sorrindo de leve, de forma boba ao sentir o fraco cheirinho de chocolate, devido ao conjunto de cremes, que emanava dos fios louro escuro. Um trovão rasgou a plenitude do barulho uniforme da chuva, fazendo Hoseok mover-se entre os braços calorosos do Min, desesperado pelo susto recente. Yoongi sentiu as unhas curtas do Jung rasparem em seu peito, trazendo um arrepio gelado em sua espinha.

— Y-Yoonnie… — choramingou inconscientemente, procurando cegamente uma forma de aninhar-se mais ainda ao lado e a frente do namorado quentinho.

— Hoseokie? — chamou de forma rouca e baixa, recebendo um resmungo em resposta. Não moveram-se mas sentiam-se desesperados por mais contato, mais aconchego no corpo alheio e sendo assim, Yoongi abriu seus olhos devagar novamente, piscando e sentindo os olhos lacrimejarem como sempre acontecia pelas manhãs, quando se tinha os primeiros contatos com a luz do dia. Respirou fundo, juntando e pegando para si uma boa parte do cheiro viciante do Jung, enchendo seus pulmões com sua fragrância favorita. Enquanto espreguiçava-se, Yoongi apertou Hoseok entre seus braços, abraçando-o com força enquanto o garoto resmungava pelo aperto excessivo, gemendo em protesto.

— Aí, Yoon.

— Desculpe. — riram, Yoongi possuía aquela pequena mania de espreguiçar-se e apertar entre os braços o que quer que visse pela sua frente, seja o travesseiro ou seja Hoseok. O loiro infiltrou seus dedos longos no cabelo escuro do namorado, afastando os fios sedosos dos olhos ainda fechados do mesmo, se permitindo sorrir ao apreciar a beleza simétrica que possuía o rosto de Seok. Os cílios longos e delicados davam um ar ainda mais infantil ao rostinho do Jung, assim como o formato curioso e não menos belo de seus lábios, que o deixavam ainda mais atrativo. O nariz arrebitado que Yoongi adorava dar beijinhos e as bochechas altas, que brigavam por espaço com os olhos castanhos, toda vez que Hoseok sorria. — Bom dia Hobie. — disse baixinho, deslizando a pontinha do dedo sobre a ponte e a ponta do nariz bonito, arrancando um risinho fofo do garoto. — Acorde, seu dorminhoco.

Seok abriu os olhos, a claridade ardeu-lhe as vistas, obrigando-o a fechá-los novamente e grudar seu rosto no peito quente do loiro, deslizando fielmente o nariz no vale do peito alheio, entre as míseras elevações do peito pálido demais.

— Você é tão cheiroso, amor. — sussurrou baixinho, não sabia ao certo se Yoongi lhe escutaria, mas confiou no tom baixo de sua voz e obteve uma resposta positiva quando sentiu os dedos da canhota de Yoongi enlaçar-se com os seus dedos destros, juntando as mãos em um aperto fofo. — Bom dia, Yoonginie.

— Você quer café na cama, nenê? — Yoongi ousou perguntar, sabia que Hoseok amava demais a ideia de receber comidinhas gostosas preparadas pelas mãos do Min, e sabia que ele amava mais ainda se fosse lhe ofertado o maravilhoso café na cama.

— Como nos filmes? — Hoseok abriu os olhos, erguendo o olhar até onde fosse suficiente para encontrá-lo com o olhar doce que Yoongi direcionava a si.

— Como nos filmes, amor. — o loiro beijou levemente os lábios cheinhos, sorrindo para o outro. — Como você adora.

— Eu quero. — o mais velho riu nasalado do sorriso infantil que Hoseok deu, sentindo os braços magros e de pele macia envolveram seu pescoço, em um abraço desajeitado pela posição. — Que horas são?

Até aquele momento, Yoongi não havia se dado ao trabalho de olhar o relógio digital de coloração verde que Hoseok tinha disposto em cima do criado mudo, relógio esse que fazia companhia a um abajur branco e um porta retrato com uma foto de ambos. O Min encarou o criado mudo, prendendo seu olhar, primeiramente, na foto que estava ali. Não era permitido vê-la de forma clara, devido ao escuro extremo do quarto por conta das cortinas blackout do Jung, mas mesmo assim Yoongi sentiu seu peito acelerar, lembrava-se perfeitamente daquela foto, daquele momento feliz e dos olhinhos brilhantes do mais novo ao ouvir a pronúncia baixa e bem íntima de um “Você quer namorar comigo, Hoseokie?”

— Quase 07 horas. — respondeu.

— Seu coração acelerou de repente, o que foi? — Hoseok perguntou, na posição em que estavam, que se dava por os braços do mais novo enrolados no pescoço do Min e a cabeça loira escura deitada sobre o peito alheio, favorecia perfeitamente para Hoseok, dando liberdade a este para ouvir e presenciar com mais nitidez cada reação do namorado. — Não é um ataque cardíaco, né?

O loiro claro — o descolorido nato — permitiu-se gargalhar um pouquinho mais alto, mas logo cessou sua sessão de risos quando Hoseok apertou-lhe um dos mamilos, girando-o entre os dedos.

— Ai Hoseok! — Yoongi passou a mão onde o apertão fôra desferido, sentindo a pele dali com uma quentura forte que logo ia passando aos poucos. Hoseok riu, pediu desculpas e por fim deixou um beijinho sobre o mamilo avermelhado do Min, que sentiu todo seu corpo falecer ao que teve os lábios quentes e molhados do namorado ali, beijando-o em um local sensível como aquele. — Não é um ataque cardíaco. — disse por fim. — Vou preparar o nosso café da manhã, quer o quê amor?

— Faz omelete, Yoon? Daquele jeitinho que só você sabe fazer.

— Faço sim, se prepare aqui que eu vou usar o banheiro lá embaixo, OK?

Concordaram, Hoseok levantou rapidamente, se encaminhando ao banheiro de forma afoita e bonitinha aos olhos do Min. Já Yoongi rumou para o piso principal da casa, descendo as escadas e entrando no banheiro. Quando Hoseok e Yoongi se conheceram, ainda na época do colegial, Hoseok morava com sua avó, já que seu pai havia abandonado sua mãe quando soube que essa estava grávida e sua mãe, decorrente da pouca condição de vida, largou a criança para a avó criá-la. Depois de alguns meses de amizade, Hoseok contou a Yoongi que sua avó, apesar de não aparentar ser debilitada, lutava constantemente contra um câncer que crescia em seu pulmão, alastrando-se aos poucos, tirando-lhe a vida aos poucos. De primeira atitude, o Min quis ajudar, naquela época já nutria sentimentos pelo garoto e não queria, em hipótese alguma, vê-lo triste e por isso ofereceu-se para ajudar da forma como podia, seja apoio moral, seja pagando alguém, com a mesada enorme que recebia dos seus pais, para cuidar da avó do seu amigo. Mas Hoseok negou, a avó do garoto tinha condições de pagar ser tratamento e Hoseok faria o possível e o impossível para ajudá-la, porque havia chegado a hora de retribuir todo o esforço que ela havia feito para mantê-lo vivo e bem.

Alguns poucos meses depois que o loiro encorajou-se e pediu o mais novo em namoro, é que veio a notícia. Recentemente a senhora Jung havia sido notificada que teria a necessidade de fazer outro tratamento, mais intenso e eficaz. Hoseok a obrigou a fazer e ela se propôs a fazê-lo apenas para o garoto calar a boca, já que ela sempre dizia que Hoseok tinha uma boca gigante e adorava incomodar. Mas infelizmente, para a tristeza de Hoseok e o desconforto triste de Yoongi, ela acabou não resistindo ao tratamento excessivo demais, além da fraqueza que se apossou do seu corpo. Desde então, Yoongi empenha-se cada vez mais, dando atenção e carinho redobrado ao namorado, que por conhecê-lo bem, sabia que ainda chorava baixinho em noites que estava sozinho, de saudades e culpando-se por ter insistido tanto para que ela fosse. Se talvez ele não tivesse o feito, ela ainda estaria viva? Yoongi não saberia dizer, mas procurava deixar Hoseok sempre ocupando a mente com coisas produtivas.

Quando o Min saiu do banheiro, estava de banho tomado e dentes escovados, portando seu cheiro natural, do jeito que Hoseok gostava. Tratou logo de dirigir-se para a cozinha pequena e simples, porém extremamente limpa e arrumada, da casa do Jung. Primeiramente separou todos os ingredientes necessário para fazer o omelete solicitado, e também, aproveitando para preparar duas torradas simples, dispostas em uma bandeja acompanhada do café preto e do omelete do jeito que o mais novo gostava. Yoongi subiu as escadas calmamente, cuidando para que seu esforço no preparo do café simples, porém feito com amor, não fosse por água abaixo com um deslize de atenção. Empurrou a porta entreaberta, encontrando Hoseok sentado na cama com as pernas cruzadas, enquanto fazia caretas fofas e tirava fotos do celular do loiro.

— Ei, esse celular é meu, mocinho. — Yoongi fingiu irritação, colocando a bandeja sobre a cama muito bem arrumada, em frente a Hoseok.

— Não seja egoísta, Min Yoongi. Você sabe que eu amo tirar fotos.

— Eu sei amor, e você pode tirar quantas quiser, eu gosto de ver fotos suas quando estou longe, sabendo que você as tirou especificamente para mim. — o polegar da destra do loiro deslizou pela pele sensível da bochecha alta do amorenado, deixado um rubor fofo ali. — Vamos comer?

Normalmente, Yoongi não era um homem que costumava reparar demais naquilo que Hoseok vestia, mas também, nunca deixou de admirar as belas curvas que o namorado tinha, todas decorrentes das aulas de dança que o mesmo fazia, mas naquela manhã Yoongi reparou. Ah, como reparou. As coxas não tão grossas, porém roliças e sem marca alguma chamavam a atenção do loiro, e Hoseok parecia ter escolhido aquele short pequeno e preto para lhe provocar, mesmo que soubesse que dificilmente fosse aquilo que lhe aparentava, assim como a camiseta grande demais para seu corpo deixava os ossos dos ombros a mostra, atormentando o psicológico de tesão acumulado do Min.

— O que foi, Yoonnie? — Hoseok indagou, tirando a bandeja do espaço entre eles, colocando-a em cima do criado mudo. Yoongi olhava para si de uma forma semelhante a uma hipnose e estava preocupando-lhe aos poucos. — Por que me olha assim, amor?

— Você é tão lindo, nenê. — Yoongi ditou baixinho, de uma forma sussurrada que mais aparentava ser direcionada para si mesmos do que para o outro, mesmo não sendo assim. Quebrou o espaço entre eles, dissolvendo aquele olhar com um selar gentil de seus lábios finos sobre os lábios desenhados do namorado, tomando-os para si como sempre gostou, apreciando o sabor excêntrica que Hoseok tinha ali. Moveu-os sobre os do outro, abrindo levemente a boca para que sua língua trafegasse sem empecilhos até enlaçar-se com a de Hoseok, suspirando ao que sentiu a língua banhada em saliva quente tocar a sua, deslizando uma na outra enquanto Hoseok levava suas mãos para os cabelos da nuca do Min. Quando desgrudaram-se, Yoongi observou atentamente os olhos escuros abrirem e um sorrisinho brotar nos lábios avermelhados do outro. — Eu sou o homem mais sortudo desse mundo, por ter você, Hoseokie.

Hoseok sorriu grande, expondo todos os dentes alinhados, juntando seus lábios sorridentes aos do namorado, iniciando outro ósculo. O mais novo ergueu o tronco, tendo a sua cintura envolvida pelas mãos possessivas do loiro, este último citado que aproximou-se ainda mais do garoto, dispondo-se abaixo dele, enquanto o mesmo sentava em seu colo. As roupas foram sendo tiradas aos poucos, peça por peça, as peles quentes foram se descobrindo lentamente enquanto fios grossos de saliva eram pintados na derme fogosa de ambos. Tomaram-se nos lábios, acolhendo as intimidades ferventes entre os lábios banhados em saliva, deliciando-se com os saboreando desconhecidos de lugares ainda não vistos e nem provados um pelo outro. Quando, por fim, vieram entre os lábios e a língua do companheiro, sorriram um para o outro, unindo os lábios novamente enquanto o espaço limitado entre as coxas deliciosas do mais novo era ocupado com o corpo do Min, este que aos poucos enterrava-se no canal estreito, gemendo de forma rouca e deleitando-se com as lamúrias desferidas pelo garoto. Hoseok gemia constantemente o nome do seu namorado, enfiando na pele branquinha e suada as unhas não tão curtas, sentindo que assim, Yoongi estimulava-se a ir mais rápido, gemendo assim o nome de Hoseok de forma baixa.

O amorenado veio ao encontro do ápice segundos antes do Min, contraindo-se e apertando o outro dentro de si de uma forma deliciosa, sentindo seu interior ser preenchida pelo prazer alheio. Naquele momento, Hoseok permitiu-se sorrir tão abertamente quanto fizera antes de sua primeira relação sexual se consagrar, soube que amava Yoongi de uma forma que chegava a ser doentia, o coração acelerado, acalmando-se aos poucos enquanto Yoongi desferiu beijinhos por todo o seu rosto, seguido de um “eu te amo” a cada selinho.

E por fim, selaram os lábios, sorrindo em meio ao ósculo simples. Eram complementares demais, felicidade não era uma palavra que os definia e talvez, não houvesse nenhuma que o fizesse.


Notas Finais


Eu não corrigi o capítulo, então já deixo as minhas sinceras desculpas caso algum erro tenha feito o olho de vocês sangrar, não era a minha intenção.

Segue aqui o link de uma fanfic criada em conjunto com uma amiga minha de couple JiKook/KookMin para quem é amante daquele Jeongguk uke nosso de cada dia, assim como eu sou: https://spiritfanfics.com/historia/asas-para-jeongguk-9955999

Antes de eu partir para a minha cama gostosa, eu quero agradecer por todos os +40 favoritos com apenas um capítulo bem pequeno, obrigada mesmo, vocês enchem o meu coração de orgulho.

Eu queria dizer também que eu e uma amiga lindona estamos planejando uma shortfic YoonSeok regada a muito fluffy, então, quero que nos acompanhem lá também, assim que eu postar, será notificado aqui para vocês.

Por hoje é só, espero que tenham gostado do meu lemon encubado, já que eu estou experimentando essa nova formatação de fodinhas kakdjak.

Dêem muito amor a OMT! 💖

Mas enfim, não deixem de favoritar, comentar ou me mandar qualquer mensagem que seja, pode ser até um sinal de fumaça, eu prometo irei lê-lo.

Obrigada 💐


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...