História One Of These Nights - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Cosmic Girls, Got7, Red Velvet
Personagens Bona, Irene, JB, V
Tags Bona, Bts, Cosmic Girls, Dinastia Joseon, Got7, Histórico, Irene, Red Velvet, Taehyung, Wjsn
Visualizações 27
Palavras 1.412
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Essa é a minha primeira fanfic, então me deem muito amor <3

Essa estória se passa na Dinastia Joseon, a antiga Coreia.

Dicionário no final do capítulo!

Espero mesmo que gostem!

Capítulo 1 - Sunset


Fanfic / Fanfiction One Of These Nights - Capítulo 1 - Sunset

 

      Capítulo I - Sunset

Dinastia Joseon, ano de 1480

      Estava perto do pôr do sol. Em um canto do humilde vilarejo, em que não havia nenhum comerciante ou pessoas apenas passeando por lá, o rapaz estava no meio de uma luta, com vários gritos de espectadores ao redor, torcendo por ele ou não. Seu oponente estava desorientado, e o garoto já tinha certeza da sua vitória.  Tão distraídos com o que acontecia, nem perceberam a chegada de um homem nada animado com o que acontecia na sua frente.

 —Taehyung? — Disse o senhor idoso, aproximando-se do centro, sem se importar com a multidão.

      Surpresos, todos os presentes olharam imediatamente para ele. Taehyung nem tanto, pois já tinha o visto várias vezes. Mais do que queria.

 — Sim, Ajushi? — Respondeu-o já se perguntando o que tinha feito de errado recentemente.

 — Venha comigo. Agora. — Ordenou. O garoto hesitou, mas o seguiu, deixando uma multidão confusa (e seu orgulho) para trás.

 — Ajushi! Eu não fiz nada de errado dessa vez! Prometo!- Argumentava enquanto balançava seus braços em sinal de desespero. Mas foi interrompido por uma tapa na sua cabeça dado pelo mais velho.

—Eu não disse que tinha. Mas vou ser direto. Sua irmã está em estado de saúde grave. — O garoto murmurava reclamações, mas parou imediatamente ao ouvir as palavras da pessoa ao seu lado.

—O-o que disse? — Gaguejou. Mas nem deu tempo para o homem responde-lo. Correu o mais rápido possível para a casa de seu senhor, e mesmo esbarrando nas várias pessoas andando pelo caminho, não parou em nenhum momento.

~*~

      Chegando ao seu destino se encontrou com um dos funcionários da casa, que já sabendo da situação, levou Taehyung para a parte de trás da construção, e que o garoto sabia muito bem o que acontecia lá. Era onde puniam os servos desobedientes.

      Seu coração se partiu quando viu de longe sua querida irmã caída ao chão, sem ao menos conseguir se mexer. Rapidamente correu até ela, sentou-se ao seu lado enquanto lágrimas desciam pelo seu rosto.

Noona!  O que te fizeram?- Perguntou enquanto soluçava, mas era óbvio que não era isso que ele queria saber no momento.

—Taehyung...  Me desculpe...  Me desculpe... —Dizia com dificuldade pela intensa dor causada por seus machucados.

—D-desculpar por quê? — Respondeu baixinho olhando a face da moça e segurando seus braços.

—Desculpe a noona por te deixar sozinho...  Eu sabia muito... Eu não deveria saber... —Continuou a mulher.

—Por favor... Não se sinta mal por nada, noona! —Chorava. 

      Após poucos segundos, a jovem que estava deitada no chão coberto por terra começou a fechar seus olhos, sua respiração se estabilizou...  E foi diminuindo cada vez mais, até parar totalmente.

      Há alguns metros dali, uma garota observava o acontecido com tristeza e olhos marejados. Ela entrou na casa e caminhou rapidamente em direção a um dos quartos.

Orabeoni?  —Cantarolou perto da porta, alto o suficiente para que quem estivesse do lado de dentro escutasse.

—Entre, Jiyeon-ah.

—Estou entrando. — Avisou a garota, abriu a porta e entrou no quarto, logo reverenciando seu irmão mais velho e sentou-se no chão em frente a ele.

      O quarto do seu irmão é bem decorado. As paredes são de cor bege, o piso de madeira, com duas janelas, um biombo branco decorado com flores perto da parede e uma pequena e baixa mesa marrom está posicionada entre nós dois.

—O que lhe traz aqui, Jiyeon-ah?— Perguntou ele com uma voz doce.

Orabeoni, Por que Joohyun está morta? — Questionou-o calmamente, mas por dentro estava com o coração doendo, afinal tinha muita afinidade com Joohyun, e eram quase como irmãs.

—Por que se importa tanto? Era apenas uma escrava. Não tinha tanta importância, de qualquer modo. —Respondeu friamente olhando para o lado, com um sorriso de canto quase imperceptível. Tinha certeza que arregalara os olhos com sua resposta, e lágrimas já ameaçavam cair, porém, não deixou sua postura de lado e continuou a perguntar.

—Ela era importante pra mim. — Falou ainda calmamente, olhando para baixo. Mas por dentro estava quase explodindo.

      Quando estava quase se descontrolando e pronta para gritar e criar um escândalo, eis que ouviram gritos apavorados do lado de fora, e a porta fora aberta violentamente, revelando o mesmo jovem-adulto que viu há alguns minutos atrás, mas ele não estava mais com o mesmo olhar de dor como antes. Seus olhos esbanjavam fúria e poderiam facilmente amedrontar qualquer um que ousasse encará-los.

—Ela nunca te fez nada! Kim Jaebum, você é um doente! —Gritava sem desviar o olhar do homem em frente à Jiyeon.

      Com a gritaria, algumas empregadas e guardas que estavam próximos se aproximaram e ficaram em frente à porta-que se mantinha aberta— porém ninguém ousou falar nada. O cômodo estava em total silêncio, podendo se ouvir apenas a respiração pesada de Taehyung.       

 

      O espanto deu-se, pois, Jaebum era alguém muito temido, principalmente por ser o herdeiro de toda a fortuna da família e ser filho de alguém que tinha um cargo alto no governo, como seu pai. E nenhuma alma em perfeita consciência tinha coragem de enfrentá-lo. Exceto sua mãe, irmã, e recentemente, Taehyung.

      Mas apesar disso, Jaebum não pareceu surpreso, e apenas deu um sorriso de canto e arqueou as sobrancelhas, em um ato de deboche. Enquanto isso, Jiyeon alternava o olhar entre os dois, já raciocinando do que estariam falando.

—Você é um bastardo!— Riu com escárnio— Não diferente de ti, sua irmã era uma vagabunda!  Não sabia?— Provocou o mais novo.

     Taehyung, que já com os punhos fechados e tremendo de raiva, rendeu-se às provocações do mais velho, e agindo pelo calor do momento, correu até o centro da sala e deu um soco no mesmo, que caiu para o lado.

      As outras pessoas presentes arregalaram os olhos e ficaram de queixo caído, espantados com o ato, e imaginando que após isso, o garoto teria o mesmo destino que sua irmã.

      Jaebum voltou a se sentar, revelando sua boca que estava sangrando. E foi uma questão de tempo até as empregadas entrarem no quarto para tratarem do mesmo, e os guardas retirarem —forçadamente— Taehyung de lá.

      Apesar de querer seguir os guardas, Jiyeon sentou-se ao lado de seu irmão e pegou um dos lenços bordados que estavam sobre a mesinha, e entregou para o mais velho, que limpou o sangue que escorria de seus lábios.

— Está tudo bem, Orabeoni? — Perguntou com o cenho franzido, vendo-o assentir dobrando calmamente o lenço, entregando para a mais nova. — Eu deveria limpá-lo? — Perguntou a si mesma referindo-se ao tecido em suas mãos.

      A garota correu até o quintal da casa, e não havia ninguém lá - nem mesmo o corpo de Joohyun— e deu um suspiro de alívio, e logo depois continuou a correr, mas dessa vez em direção à entrada da residência.

      Passando através do enorme portão de madeira, procurou Taehyung com os olhos, e vendo-o caminhando a vários metros de distância, segurou a longa saia do hanbok que vestia em suas mãos e começou a correr novamente.

— Ei! Você! — Gritou, cansada, quando viu o moreno entrar em um beco entre duas casas, mas o mesmo não parecia ter ouvido.

      Quando iria entrar no beco, sentiu seus braços serem presos, e seu coração quase parar. Ao levantar seu olhar, viu dois homens com aparência ruim — que não pareciam ter tomado banho há muito tempo, devido à sujeira em suas roupas e face— segurando-a de cada lado.

— Veja o que temos aqui! —O da esquerda começou. — Uma jovem nobre. Será que está perdida? — Completou rindo sarcasticamente.

— Eu exijo que me soltem! — Gritou desesperada e ainda ofegando da corrida. O homem que estava à sua direita riu soprado.

— A senhorita não deveria andar por esses cantos. Além de que não tem autoridade nenhuma aqui. — Ele continuou.

      A expressão de Jiyeon mostrava o quanto estava apavorada. Ela tinha vivido toda a sua vida com ajuda de funcionários da sua casa. Nem mesmo sabia como lidar com essa situação sozinha.

      Foi quando os três escutaram um assobio, e desviaram o olhar para o jovem em sua frente.

— Soltem a menina. Eu a conheço. — Disse ele com a voz grossa.

      Os homens rapidamente a soltaram, e Jiyeon suspirou aliviada em ver Taehyung. Mas o medo voltou novamente ao perceber que ele estava com a mesma expressão que quando encontrou seu irmão, enquanto se dirigia a ela.


Notas Finais


Obrigada por ler até aqui! Espero que tenha gostado! <3
Dicionário:
Ajushi = Senhor de idade.
Noona = Irmã mais velha, falado por homens.
Orabeoni = Irmão mais velho, falado por mulheres.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...