História One-Shot : My Sexy Little Sister - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Fionna, Marceline, Personagens Originais, Princesa Jujuba, Rainha Gelada
Tags Bubbline, Hot, Little Sister, Sex
Exibições 171
Palavras 3.860
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee , ignorem os erros , okay ?

P.s : Perdão pela demora para postar essa one-shot , última semana de aulas coisa e tal...

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction One-Shot : My Sexy Little Sister - Capítulo 1 - Capítulo Único

~■POV'S BONNIBEL ON■~

Cheguei em casa completamente exausta depois de uma viagem de um mês e meio e ao estacionar meu carro na garagem de casa , fico um tempo ali apenas pensando em um modo de não ficar de pau duro e ter que me aliviar no chuveiro batendo uma pra minha irmãzinha.

Marceline Bubblegum Abadeer . 18 anos , cabelos negros na altura de sua cintura , pele extremamente pálida, olhos verdes provocantes, boca vermelha sem precisar de batom , e um corpo de dar água na boca. Barriga chapada, braços e pernas bem trabalhados , cintura fina , uma bunda e um par de seios de tirar o ar de meus pulmões...Argh ! Ela seria perfeita se não fosse minha irmã...

Você deve estar se perguntando quem diabos sou eu , certo ? Pois bem , irei me apresentar. Me chamo Bonnibel Bubblegum Abadeer , tenho 21 anos e carrego no meio das pernas aquilo que provavelmente não está imaginando . Sim ! eu tenho um pênis! No começo eu odiava isso mas conforme fui crescendo passei a amar esse fato pois graças a isso eu tenho todas as mulheres que eu quiser em minha cama num piscar de olhos . Bem...Quase todas... Minha irmãzinha eu não tenho.

Começa a cair algumas finas gotas de chuva e eu resolvo que é melhor sair de meu carro e entrar em casa pois essa chuva pode piorar e eu fico presa aqui.

Pego meu casaco , minha mala e meu celular . Abro a porta do carro e saio do mesmo, batendo a porta e saindo correndo na direção da entrada principal de casa.

Empurro a porta de madeira e quando a mesma se abre dou de cara com mamãe falando com tia Betty no sofá.

-Filhota ! Você voltou mais cedo ! - Exclamou mamãe com um lindo sorriso estampado em seu rosto.

-É...Não tinha muita para se resolver em New York City . - Dei um sorriso torto - Onde está a Marcynha ?

-Ela deve estar na academia de casa .

-Provavelmente Lady Íris também esteja com ela no terceiro andar. -Se pronunciou tia Betty e eu apenas assenti enquanto caminhava até a escada .

Outro problema é que além de gostosa minha irmãzinha não sai dessa caralha de academia e eu tenho a infeliz mania de ficar observando ela levantar pesos ou coisas do tipo . Quando ela me pede "ajuda" então...Jesus...

Sinto um corpo se chocar contra o meu e ao olhar para a frente vejo Lady Íris, minha prima .

- Oi , Bonnie . -Cumprimentou e eu acenei com a mão e murmurei um "oi" simpático para a mesma antes de entrar em meu quarto .

Jogo minha jaqueta de couro em um canto qualquer , largo minha mala ao lado da porta e logo em seguida pulei em minha cama , gemendo em satisfação ao sentir minhas costas se chocarem contra a espuma das almofadas. Já tem umas duas semanas que não deito em uma cama tão confortável assim.

Alguns minutos se passam apenas comigo encarando o teto até que a porta é aberta por minha mãe que caminha até mim e se senta ao meu lado.

-Como foi a viagem ? - Perguntou afagando meu cabelos.

-Sei lá...Eu diria que foi uma merda. - Resmunguei em resposta e ela riu.

-Não encontrou nenhuma mulher que seja do seu tipo ?

Sim , claro que sim...Eu super que encontrei uma mulher mais gostosa que aquela pálida gostosa que eu infelizmente chamo de irmã , mãe. Pensei.

- Bonnibel? - Chamou estalando os dedos na frente de meus olhos.

-Oi?Ah é , não mãe. Não encontrei nenhuma mulher que seja do meu tipo.

-Por que você não fica com a Frosty ?

-A filha do Simon ?! - Indaguei encarando minha mãe com a maior cara de "sério?"

-É ué . A Frosty é uma garota linda e eu vejo nos seus olhos que gosta dela. - Comentou e eu arregalei meu olhos.

Mãe...Você quer um óculos? Frosty Petrikov mais gata que a minha irmãzinha ? Nem nessa e nem em outra vida ! . Pensei em falar porém descartei essa idéia.

-Não mãe , ela até que é bonitinha mas não faz meu tipo.

-Quem raios faz o seu tipo , Bonnibel?

-Pálidas dos olhos verdes e cabelos negros. - Respondi mas dei um tapa em minha própria boca ao me tocar do que falei.

-Garotas com o estilo da sua irmã fazem o seu tipo ? - Assenti e ela riu - Falando nela , porque você não vai dar um oi pra Marcy ? Ela deve estar morrendo de saudades. - Sugeriu deixando um beijo em minha testa.

-Okay , eu vou lá.

Dito aquilo me levantei junto de minha mãe e sai do quarto .

-Ah ! Esqueci de avisar uma coisa . Eu irei passar a noite fora então se vocês duas quiserem podem pedir uma pizza ou coisa do tipo vocês podem - Avisou enquanto descia as escadas e eu apenas ignorei,  indo até o terceiro andar , local esse que era a academia de casa.

Eu sentia meu coração acelerar a cada passo que eu dava e a cada degrau que eu subia. Ficar um mês e meio longe da garota que é o motivo das minhas punhetas que por acaso também é minha irmã não é fácil.

Cheguei no terceiro andar e parei ao lado da porta de vidro. Marceline estava fazendo abdominais de costas para a entrada da academia e trajava apenas um short curtíssimo, um top e um all star de cano médio. Conclusão : Tô de pau duro.

Ela não notou minha presença então quando a música que soava no local parou eu forcei um pigarreio mas Marceline me ignorou.

-Vai me ignorar mesmo ? - Brinquei fingindo fazer drama e Marcy deu um pulo e olhou para a entrada.

Seus olhos se arregalaram e sua boca se abriu em um perfeito "Oh" .

-B-Bonnie ? - Balbuciou e eu fingi procurar algo atrás de mim .

-Tá falando comigo? - Perguntei com um sorriso nos lábios .

-Hahaha , engraçadinha - Revirou os olhos - Agora deixe-me fazer uma coisa... - Coçou a garganta - CARALHO MANINHA , VOCÊ VOLTOU !!! - Berrou e eu abri os braços em um sinal mudo para ela vir até mim e me abraçar.

Porém, Marcy correu até mim e pulou em meu colo rodando suas pernas em minha cintura e agarrando meu pescoço com força , fazendo-me dar dois passos para trás por conta do impacto e rodar meus braços em suas coxas torneadas.

-É você mesma? - Indagou apertando meu nariz, o que fez meu sorriso se alargar.

-Claro que sou eu , sua boba. - Respondi e Marcy começou a encher meu rosto de beijos , o que fez eu ter que me controlar e controlar meu amigo que já dava sinal de vida.

-Você voltou mais cedo. Aconteceu algo lá em Nova York ?

-Não, não aconteceu nada demais além de reuniões e coisas desse tipo. - Respondi acariciando seu rosto delicado. - Mas e aqui ? Aconteceu algo que eu deveria saber ?

-Se você quiser saber que eu bebi , curti e peguei geral...

-Você só faz isso ?

-A vida é uma só maninha e quando você percebe já é tarde demais para fazer coisas que sempre quis. - Beijou minha bochecha e saiu de meu colo o que fez eu soltar um palavrão. - Você pode me dar uma ajudinha aqui ? - Perguntou caminhando até um aparelho do que aparenta ser levantamento de peso .

-C-Claro . O que eu tenho que fazer ? - Indaguei caminhando até ela que riu de meu semblante.

-Vem aqui.

-Okay.

Fui até ela que observava cada passo meu e senti meu pau latejar ao sentir ela mandar eu me posicionar atrás dela .

-O que eu faço agora ?

-Agora você faz isso . - Pegou minhas mãos e de propósito as delizou sobre sua bunda antes de finalmente me fez firmar meus dedos em sua cintura -Você apenas tenta me manter firme para que nada aconteça comigo .

-E-em qual sentido?

-No sentido de eu acabar me machucando. - Pegou a barra de ferro com uma roda de aço em cada lado e a colocou atrás de seu pescoço ou mais precisamente apoiado em seus ombros e parte das costas. - Dez vezes , okay ?

-Okay.

Marceline lentamente foi flexionando suas pernas e abaixando seu corpo ao ponto de que suas nádegas roçavam em minha barriga ou , mais precisamente em meu membro . Esse ato me fez segurar sua cintura como se aquela fosse a última garota em que eu iria encostar em minha vida . Logo ela se levantou assim como eu e ficou com a coluna reta novamente , firmando os dedos na barra de ferro com os pesos.

-Um. - Murmurou e repetiu o ato só que de maneira mais lenta o que fez eu morder meu lábio inferior para conter um gemido - Dois.

A terceira, a quarta , a quinta . Cada vez que ela fazia aquela merda deliciosamente torturante meu pau latejava e sinceramente aposto que o mico que eu paguei por isso já basta pois o olhar que ela me lançou quando estava prestes a fazer o movimento pela décima foi de deixar minhas bochechas coradas.

Mas eu não tenho culpa alguma se ela insiste em me provocar...

-E...Pronto , dez. - Colocou a barra de ferro no apoio e eu soltei sua cintura. - Obrigado, maninha. - Beijou minha bochecha , pegou seu celular e sua garrafa d'água e saiu como se nada tivesse acontecido.

Fiquei ali , parada esperando ela sair do "terceiro andar" , até que desperto de meus pensamentos com um trovão.

-Eu preciso tomar um banho. - Balbuciei e sai do local.

                                             ***

Eu estava jogada no sofá assistindo um filme qualquer que passava na televisão quando ouço passos vindos da escada. Nem preciso me virar para saber que é Marcy pois só estávamos eu e ela naquela casa.

-A mamãe saiu , Bonnie ? - Perguntou indo até a cozinha e pegando um copo de água.

Seus cabelos levemente úmidos caiam por suas costas como cascatas e notei que ela não trajava nada além de uma maldita calcinha de renda e uma camisa que ia até a metade de suas coxas.

-Bonnie?

-Ah...Er...Oi ?

-A mamãe saiu ?

-Sim . Foi na casa da tia Betty

-Você sabe quando ela volta ? - Perguntou se sentado ao meu lado no sofá.

-Provavelmente só de manhã.

-Hum...Okay.

-E você? Não vai sair hoje ?

-Não , hoje eu só quero ficar em casa.

-Então fica aqui comigo no sofá fazendo vários nadas. - Sugeri abrindo meus braços e ela riu , se aproximando mais de mim e aninhando seu corpo no meu .

Ela suspira e sinto o ar gélido bater contra meu peito. Repouso minhas mãos em sua cintura e com o polegar comecei a acariciar o local . Notei que minha irmãzinha ficou inquieta e dei um sorriso torto, beijando seus cabelos.

-Bonnie , esse filme é de romance ! romance me dá sono ! - Resmungou .

-Então dorme ai , vampirinha - Respondi e ela sorriu ao notar que usei um apelido que dei para a mesma quando era pequena.

-Não estou com sono . E depois dessa merda vamos assistir um de ficção!

-Fechado.

Ficamos deitadas ali por um bom tempo mas , diferente de Marcy que mesmo odiando filmes de romance estava prestando atenção no mesmo, eu só prestava atenção em seu corpo pálido, frágil e aparentemente esculpido por deuses .  Quando o romance acabou minha irmãzinha insistiu em assistirmos algum filme que eu desconhecia . O filme era meio chato na minha visão e graças a esse motivo, no meio do longa-metragem eu acabei dormindo.

                                                   ***

Acordo e ao olhar para a sala não vejo Marceline. Me sento no sofá e ao direcionar meus olhos para a cozinha vejo-a debruçada sobre a bancada , com a bunda completamente empinada enquanto digitava algo em seu celular. Ela tinha um copo com alguma bebida ao lado de seu braço e percebi que ela não me notou acordada.

Aproveito isso e me levanto "silenciosamente" , ou pelo menos tento já que derrubei algo no chão e minha irmãzinha logo me olhou.

-Finalmente você acordou ! - Exclamou voltando a fitar a tela do celular.

-Quanto tempo eu dormi ?

-Umas duas horas. Por ai.

-Hum...

-Sonhou comigo ? - Zombou e eu ri mostrando o dedo do meio para a mesma.

-Vai se ferrar! - Resmunguei.

-Ah , outra coisa . Mamãe falou que volta mais cedo , por volta de uma da manhã.

-Como você sabe disso ?

-Ela voltou aqui e me avisou, oras. - Falou como se fosse a coisa mais óbvia desse mundo e pegou o copo ao lado de seu braço que notei estar com leite até a metade.

Fiquei observando cada movimento dela e a vi levar o copo até seus lábios e beber o líquido de uma forma provocativa. Mas o pior não foi isso . O pior foi o gemido rouco e o revirar de olhos que ela deu ao engolir o leite.

Aquela cena mandou toda a minha sanidade para a casa do caralho então caminhei como uma locomotiva desgovernada até ela e acertei um tapa em sua bunda , aproximando nossos corpos logo em seguida. Isso apenas fez Marceline dar uma risadinha divertida.

-Parece que minha irmãzinha perdeu o controle... - Brincou se sentando na bancada onde antes se encontrava debruçada.

Ficamos nos encarando por um tempo e o cheiro que emanava de sua pele , me entorpecia . Sua buceta estaca em cima do meu pau , e dessa vez não teve como disfarçar .

Aproximei meu rosto do seu e passei meu nariz por seu pescoço, começando a dar beijos naquela região. Levei minhas mãos para a barra de sua camisa e a tirei de seu corpo , quase tendo um ataque ao ver aquele belo par de seios fartos e pálidos. Sorri sacana e desci meus beijos até chegar nos seus seios .

Lambia , mordia e chupava um enquanto massageava o outro até que fazia a mesma coisa com o outro. Era quase pecado não dar atenção para aquele monumento. Rodei minha língua no bico rígido de seu seio direito e cada vez mais , minha irmãzinha gemia mais alto . Aquele acabará de se tornar meu som favorito.

- Está gostando, Marcynha ? - Perguntei quando escutei um gemido alto cortar sua garganta.

-S-si...Sim.

Desci uma de minhas mãos por sua barriga lisinha e adentrei sua calcinha encharcada , gemendo no seu ouvido ao sentir como ela estava molhada.

-Caralho , irmãzinha...Tudo isso é pra mim ?

-Só pra você...Ooh

-Então me diz o que você quer , sua cachorra.

-Me...Caralho...Me chupa ! Me faz sua !

Dei um sorriso torto e desci meus beijos até chegar na altura de seu sexo . Puxei sem dó a calcinha que cobria aquele pedaço do paraíso e com a língua, dei pinceladas leves e longas. Chupei aquela buceta como se minha vida dependesse daquilo. Chupava, sugava , mordiscava , lambia...Eu fazia de tudo ali . Os gemidos que Marceline deixava escapar só aumentavam minha excitação e meu pau já chegava a doer sendo sufocado pela minha boxer e minha calça de moletom .

Vi os olhos de minha irmãzinha descerem por meu corpo até pararem no volume no meio de minhas pernas. Um sorriso malicioso surgiu em seus lábios e com suas pernas, ela abaixou minha calça junto com minha cueca e a ouvi gemer ao ver meu membro.

-Porra maninha , você é grande . - Concluiu. 

Mordi o lábio com força para conter um gemido ao sentir a mão quente dela cobrir meu pau e começar a fazer movimentos lentos de vai e vem . Mas gemi vergonhosamente alto ao sentir sua língua deslizar por meu cumprimento e logo em seguida ela abocanhar meu membro .

-Caralho , Marcy! . - Agarrei seus cabelos e arqueei a cabeça ao sentir sua boca subir e descer em meu pau.

Ela chupava meu membro ao mesmo tempo em que me masturbava e fazia aquilo de um jeito delicioso . Vez ou outra, eu sentia meu pau em sua garganta e aquilo me fazia revirar os olhos de prazer .

Senti minhas bolas começarem a formigar indicando que eu estava quase lá.

-Mar-Marcy , tira . E-Eu vou ...OOH - Tentei falar porém Marceline não me deu ouvidos e então um orgasmo avassalador possuiu meu corpo.

Um gemido rouco e prolongado corta a minha garganta e então sem aguentar mais gozo na boca de minha irmãzinha que engole tudo e me olha com um sorriso "inocente" nos lábios. Aquilo foi o meu fim . Ela engole meu gozo e então se levanta , apoiando suas mãos em meus ombros.

-Vamos ver se você sabe usar esse seu brinquedinho . Me fode .- Praticamente ordenou e isso foi o suficiente para mim agarrá-la e fazer a mesma rodar suas pernas ao redor de meu quadril.

Caminhei com ela em meu colo até o segundo andar . Fui até meu quarto e como eu nunca tranco a porta, apenas a empurrei com o pé para que pudéssemos entrar e tornei a fechá-la , só que dessa vez a trancando.

Andei até minha cama e sem delicadeza nenhuma a joguei contra o colchão. Me livro de minhas roupas sob o olhar atento de Marceline . Olho para a cama onde ela estava e a mesma tinha o lábio inferior preso entre os dentes.

-Vem aqui. - Chamou e eu obedeci como uma cachorrinha .

Me deitei sobre ela porém a mesma inverteu nossas posições e prendeu meu braço acima de minha cabeça.

Tentei me livrar de suas mãos mas , por incrível que pareça, Marceline é mais forte que eu.

-Shhh . Fica quieta. - Ralhou no pé de meu ouvido e eu quase que automaticamente senti todos os pêlos de meu corpo se arrepiarem.

-Irmãzinha...Aah - Praticamente gemi ao sentir ela começar a fazer círculos perfeitos com o quadril em cima de meu membro. - Marcynha, eu não vou conseguir me controlar - Ela sorriu e arrastou seus lábios até meu ouvido, onde chupou o lóbulo de minha orelha.

-Então perca o controle - Sussurrou e senti uma fisgada em meu pau.

Naquele momento eu tirei de não sei onde , forças para conseguir me soltar dela e girar nossos corpos. Aproximei meus lábios do seu e os ataquei em um beijo quente que logo foi retribuído por ela.

Nossas línguas dançavam de uma maneira prazerosa , porém é como dizem por ai : tudo o que é bom dura pouco . E então o ar se fez presente , nos obrigando a separar nossos lábios.

-Você realmente quer isso ? - Perguntou ela sussurrando. .

-Sim... - Respondi e apenas a beijei novamente.

Minhas mãos foram para a sua nuca no mesmo tempo em que as suas desciam de minha cintura e iam para minha bunda , onde apertou com um pouco de força . Ato esse que me fez gemer contra seus lábios.

-Então me fode.

-Seu pedido é uma... - Comecei porém fui interrompida.

-Quem disse que foi um pedido? Isso foi uma ordem !

Atendendo a sua ordem , meti forte e fundo dentro dela que praticamente gritou com isso.

-Vagabunda !

-Você que provocou , agora aguenta - Ralhei e recebi um gemido em reposta. Levei aquilo como permissão .

Comecei a estocar meu membro em sua entrada cada vez mais rápido e enfiei minha mão nos cabelos de Marcy e os puxei com certa força enquanto a fodia com mais força. Fazendo ela arquear sua cabeça para trás. Ela solta um gemido de dor mas apenas com isso, percebi que ela gostava.

A vadiazinha da minha irmã mais nova adora ser fodida assim.

Forte , fundo e gostoso. Céus...Como eu quero ela gozando no meu pau...

- Hmmmm…Caralho – Estoquei com mais rapidez ouvindo ela gemer igual uma puta . Ela arranhava minhas costas e aquilo estava me proporcionando uma dor prazerosa.

- Minha puta – Enfiei todo meu pau dentro dela e a ouvi gritar . Ela estava quase lá . Sentia sua buceta esmagar meu membro

-B-B...OOHH...Bonnie eu vou...caralho - E Marcy gozou em meu pau.

– Gostosa. - Murmurei. - Se eu te pedir uma coisa você faz ?

-Sim .

-Fica de quatro. - Ordenei e ela com um sorriso malicioso no rosto fez o que eu pedi.

Marceline ainda fez questão de empinar aquelas montanhas que ela chama de bunda. Não aguentei e acertei um tapa em sua nádega antes de introduzir meu membro na mesma logo em seguida.

***

-Aahh , Marcy... - Ela soltou um gemido manhoso. - Caralho de buceta apertada - Murmurei meio perdida pela sensação deliciosamente excitante de estar dentro da minha irmãzinha.

Levei meu membro até sua entrada e estoquei de uma vez, indo até o fundo e tocando seu ponto esponjoso. Marcy gritou meu nome e agarrou os lençóis com força

- Ah… Puta que pariu , Bonnibel – Sorri e comecei a estocar com mais rapidez . 


Sua buceta estava tão molhada que eu deslizava sem nenhum problema para dentro e para fora.

Levei minha mão para seu seio, apertei ele com força e fiquei brincando com o mamilo entre os meus dedos.

 O corpo pálido de Marceline estava todo suado, seus olhos fechados e o lábio inferior preso entre o dentes. Porém , percebi que ela estava no seu limite. 

- Minha irmãzinha vai gozar? – Perguntei enquanto estocava com mais precisão quando vi seu corpo começar a tremer, seus gemidos ficando mais altos

- Bonnie – Ela agarrou com força o lençol gemendo mais alto o meu nome. 

E logo em seguida , ela gozou novamente chamando por meu nome e agarrando os lençóis.

Joguei a cabeça pra trás sentindo minhas bolas se apertarem e meu pau inflar dentro da buceta de minha irmã que se contraia violentamente. Um frio na espinha percorreu meu corpo e então gozei como nunca havia gozado na minha vida. Me jogo ao lado de Marcy na cama e tento normalizar minha respiração. 

-Esse... - Comecei ainda ofegante - Foi o melhor sexo da minha vida. - Ela riu e eu a acompanhei.

-Eu preciso...de um banho. - Disse tentando normalizar sua respiração e piscando um olho para mim .

-Posso te acompanhar?

-Se você quiser...

-Claro que eu quero.

***

Obviamente a última coisa que nós fizemos naquele banheiro foi realmente tomar um banho . Mas agora...

Agora aqui estou eu no meu quarto com o maior sorriso de tonta no rosto enquanto fito o teto . Marceline dorme ao meu lado de maneira serena com minha camiseta cobrindo seu corpo pálido como papel. Olho para meu lado e vejo que a coberta estava na altura de suas coxas.

Me ajeito na cama e me aproximo dela , cobrindo meu corpo e ajeitando a coberta sobre minha irmãzinha. Abraço seu corpo sem maldade alguma - como quando nós éramos pequenas e ela tinha pesadelos - e deixo um beijo casto em seu pescoço.


-Boa noite, minha irmãzinha sexy.


Notas Finais


Uma merda ? Talvez.
Sem sentido? Não sei
Corrigo os erros depois ? Com certeza!
Vocês gostaram? Espero que sim.


Bjuuuuuuussssssssss , até uma próxima fic ou one-shot !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...