História One-shot Taehyung - my little babygirl - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Daddykink, Hot, One-shot, Taehyung
Visualizações 403
Palavras 1.730
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem.
Especialmente você, Thatyelli. 🌸

Capítulo 1 - One-shot Taehyung - my little babygirl


Fanfic / Fanfiction One-shot Taehyung - my little babygirl - Capítulo 1 - One-shot Taehyung - my little babygirl


- Taehyung! - ele mais uma vez me ignorou, continuando a puxar meu braço em direção do carro, que estava no finalzinho do estacionamento.

- Taehyung caralho, o que deu em você?!

Ele continuou me puxando para onde o carro estava. Nós chegamos na porta do carro, ele abriu uma das portas e apontou para dentro.

- Entra. - falou baixo e seco.

- Olha aqui Kim Taehyung, eu não vou entrar nesse carro até vo..

- ENTRA LOGO NO CARALHO DESSE CARRO, THATYELLI!

Eu me assustei e entrei, quase chorando, pois Taehyung nunca havia falado daquele jeito comigo. Eu me senti assustada e triste, eu não sei o que tinha feito de errado. Ele me leva pra um lugar, me deixa sozinha, e depois me deixa lá sozinha, o Jimin, como o cavalheiro que ele é, começou a conversar e com isso, começamos a nos "soltar". Eu tinha ido no banheiro, e lá perto vi Taehyung se pegando com uma garota lá, aquela imagem tinha realmente tinha machucado eu realmente gosto dele, mas eu tinha que aceitar que ele só me via como uma irmã, acho que ele só me vê assim desde do começo desses 3 anos de amizade. Durante o tempo que passei com Jimin, ele tinha me levado para um lugar com muita pouca gente, teve uma hora que ficamos praticamente sozinhos, e Jimin ia tentar me beijar, e eu claramente ia deixar. Mas na hora, Taehyung me puxou e começou a me levar para aonde o carro estava, sem olhar para mim e falar comigo.

Ele chegou na casa dele, e me levou para dentro.

- O que deu na sua cabeça, Thaty? Você realmente ia beijar o Jimin?! - disse ele, indignado.

- O que deu em mim? O que deu em você?! Agora você pode beijar suas putinhas por aí, e eu não posso beijar ninguém se quer? - falei, me sentando no sofá.

- É diferente!

- Diferente?! Para de ser machista, Taehyung! Me fala o por que eu não podia beijar o Jimin? Anda, me fala! Pelo menos, ele sabe me tratar bem, e não me abandona no meio de uma festa em que eu não conheço quase ninguém! Não acredito que o meu melhor amigo teve a coragem de me abandonar sozinha na porcaria daquela festa, que eu nem queria ir - me levantei, falando brava e olhando para Taehyung - para poder ficar se pegando com as putinhas que tinha lá e me abandonar ali, sozinha, sem ninguém!

Ele ficou sem reação e sem completo silêncio.

- Quer saber? Eu vou embora! - falei, indo em direção a porta e pronta pra tirar a maçaneta dela.

Em um rápido movimento, Taehyung me virou para ele, segurou meu cabelo com firmeza, e empurrou minhas costas na porta.

- Eu fiquei com elas, pensando em você.. - sussurrou. - Pois eu não te tinha comigo. Então imaginava que elas.. eram você.

Ele me beijou intensamente e tirou a destra de meus cabelos e colocou as duas mãos em minha cintura, as segurando forte.

- Eu apenas estava com ciúmes, Thatyelli. - ele fez uma longa pausa. - Foi torturante o fato que você estava quase a beijar outra pessoa, ao invés de mim.

Ele me levantou e eu prendi minhas pernas na sua cintura. Ele me beijou novamente, me levando para o quarto dele, fechou a porta com o pé, e me levou para a cama.

- Sabe o dia que você veio aqui jogar videogame comigo? - ele falou olhando intensamente em meu olhos, e eu respondi assentindo com a cabeça e retribuindo o olhar. - Eu estava doido para achar um bom momento para cair em cima de você e foder você até você parar numa cadeira de rodas.

Eu corei brutalmente e arregalei os olhos, assustada com suas palavras. Não era assim que Tae falava comigo, ele usava palavras fofas, e tinha até receio/vergonha em falar de sexo comigo.

- Ah, lembrei. Você ainda é virgem, mas pode deixar. Eu vou cuidar bem de você, só que quando eu acelerar.. - ele fez uma pausa e se aproximou do meu ouvido. - Você não vai conseguir fechar a boca de tanto prazer que vai sentir.

Ele tirou minha blusa lentamente, e começou a apalpar meus seios.

- Tão perfeitos.

Ele tirou meu sutiã, e começou a morder levemente o bico do meu seio esquerdo, o puxando com os dentes de leve. Depois ele mudou para o outro, o chupando, me fazendo arrepiar. Ele começou a dar chupões em volta dos meus seios, e trilhou um caminho de beijos até minha intimidade, tirando minha saia, e dando leves beijos em minha virilha, me deixando mais molhada. A esse ponto minha calcinha já deve estar encharcada.

Ele começou a dar leves beijos em minha intimidade, e em um desses beijos, uma das minhas pernas deu um espasmo, fazendo Taehyung rir nasalado, ele tirou a minha calcinha e começou a estimular meu clitóris com o dedão.

- Sempre imaginei você assim.. toda molhadinha.

A essa hora já estava me segurando para não gemer alto, mas até aquele ponto era inevitável, então eu comecei a gemer baixo.

- Geme meu nome, baby.. não seja tímida.

Eu obedeci sua ordem, começando a gemer seu nome quando sua língua penetrou minha intimidade, me fazendo gemer muito alto.

- T-tae..h-hyung.. - ele olhou para mim, vendo minhas expressões de prazer, introduzindo seu dedo do meio em minha intimidade, fazendo movimentos de vai-e-vem. - O-oppa.. mais.. r-rápido..

No começo, tinha começado a dor doer um pouco, mas com um tempinho, me acostumei. Ele assim que ouviu meu pedido, começou a fazer os movimentos com rapidez e força. Ele introduziu o dedo anelar e começou a move-los mais rápido ainda, me fazendo chegar ao ápice.

Eu fiquei ofegante por um tempo, enquanto Taehyung estava de pé, ao lado da cama. Eu me sentei e fiz uma cara de interrogação, olhando para Tae.

- Thaty.. saeng, se não quiser ir adiante, eu entendo.. - ele jogou a cabeça para trás, pensativo e tímido.

Eu me aproximei dele, e o segurei pela cintura, a puxando para mais perto de meu rosto, fazendo ele se assustar. Eu comecei a tirar seu cinto, o olhando com toda a minha inocência e fiz Tae dar um sorriso malicioso me olhando. Eu tirei sua calça, e fiquei massageando suavemente seu membro, ainda por cima da cueca.

- Tão grande, oppa.. - disse olhando rapidamente para seu membro, e voltando a olhar com inocência para Taehyung. - Você que eu faça o que, Daddy? 

- Quero que coloque sua boquinha quente no meu pau, babygirl. - disse ele, ofegante.

Deu um sorrisinho, e tirei lentamente a cueca dele, segurando a barra da cueca com meus dedos indicadores e os levando para baixo, fazendo seu membro saltar sobre meu rosto. 

Peguei seu membro com força e comecei a chupar lentamente sua glande, continuando a olhar Tae com inocência, ora lambia a ponta da cabeça de seu pau, ora voltava a chupar com delicadeza e calma.

- Essa sua carinha não me engana, Thatyelli.

- Eu sei. - falei, dando um risinho sapeca.

Depois de minha fala, eu abocanhei de uma vez o membro de Taehyung, fazendo ele dar um gemido alto. Eu comecei a fazer lentos movimentos de vai-e-vem, masturbando com as duas mãos, o que não cabia na minha boca.

- T-t-thaty.. você faz isso tão bem.

- É pra te agradar, Daddy. - falei tirando seu pau da minha boca, e voltando a chupar-lo.

Eu fui intensificando os movimentos, fazendo que Taehyung fizesse um rabo de cavalo improvisado e começasse a ditar meus movimentos, fazendo eu colocar minhas duas mãos no colchão e ficar de quatro. Ele começou a ditar os movimentos de vai-e-vem rapidamente, até que havia horas que seu membro chegava em minha garganta e voltava, de repente ele tirou o seu membro de minha boca.

- Abri a boquinha, abri babygirl.

Eu o obedeci e abri minha boca, Taehyung começou a se masturbar, gozando na minha boca, vendo eu engolir tudo.

- Boa menina. 

Quando eu fica me sentar de novo, ele mandou eu ficar naquela posição, e foi para trás de mim, ficando de joelhos. 

- Você fica tão gostosa assim. Nessa posição. - falou, dando um tapa na minha bunda, me fazendo gemer. - Que gemido mais gostoso de se ouvir. - dando mais um tapa na minha bunda, me fazendo gemer mais alto.

Ele posicionou seu membro em minha entrada, e começou a me penetrar lentamente, me fazendo chorar e gritar de dor, ele percebeu e me abraçou, ainda com ele dentro de mim.

- Shh.. calma, já vai passar.

Eu assenti e, ele começou bem devagar, no início, a cada movimento que ele fazia, parecia estar me rasgando ao meio, mas depois de 20 minutos ali, eu comecei a gostar e sentir prazer com aquilo, e começando a gemer.

- Daddy.. v-vá mais rápido, sim? - disse, com os olhos fechados.

Ele não me respondeu, apenas deu um sorriso malicioso e começou a me estocar rapidamente, me fazendo gemer muito alto e ele, gemer arrastado.

- Taee.. hyuun..g. - ele me fez gemer seu nome a cada estocada rápida sua. - Ddaddy.. isso é t-tão bom. - falei, jogando meu cabelo pro lado.

- Tão.. apertidinha baby.. 

Ele começou a dar tapas fortes em minha bunda e em minha coxa esquerda. Aquilo com certeza ia deixar marcas.

Depois de um tempo, eu gritei seu nome, chegando ao meu àpice, deitando de barriga pra cima. Taehyung ficou no meio de minhas pernas, e me penetrou novamente, me fazendo dar um gritinho. 

- Minha vez de gozar, baby.

Ele começou a me estocar muito mais rápido do que antes, vendo minhas expressão de prazer, e me olhando nos olhos, intensamente.

- Você gosta disso, huh?

- Gosto. - disse, baixinho.

- Eu não ouvi. - disse, dando um forte tapa em minha coxa, não parando seu movimento.

- Gosto.. g-gosto muito d-daddy. - gemi alto.

Ele deu um sorriso malicioso.

10.. 20.. 30.. estocadas rápidas e "violentas", e ele chegou ao seu àpice, me fazendo chegar ao ápice pela terceira vez, só naquela noite. Ele se deitou no meu lado, ofegante. 

- Foi bom. - sussurrei.

- O que?

- O que a gente fez foi bom. - falei envergonhada.

- E o que a gente fez? - disse ele, com um sorriso sapeca, me enchendo de beijinhos no pescoço. 

- Bobo.. - disse rindo. - Amor. A gente fez amor.

- E é o que eu quero fazer com você pelo resto da vida, amor. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...