História One Shots Camren - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila G!p, Camren, Lauren G!p, Vamila
Visualizações 6.238
Palavras 2.385
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey gente! Vamos fazer assim... Vamos mentir que ninguém quer me matar, que eu não atrasei esse capítulo e que eu não estou postando esse capítulo de madrugada kkkkk.
A gente está com menos de dez capítulos e a fic já está com duzentos e poucos favoritos! Vocês são demais amadinhos da Tay! Bateu uma de Chaiene aqui kkk.
Voltando a fic... Esse capítulo vai ser dedicado à @camrensinner, espero que você e os demais gostem dessa one.
Se tiver algum erro depois eu reviso pq me deu um sono agora que... Gzuis kkk.
Então é isso amores, espero que gostem e boa leitura.

Capítulo 6 - Lauren Submissa


Fanfic / Fanfiction One Shots Camren - Capítulo 6 - Lauren Submissa

Camila Cabello POV'S

Não vejo à hora de ir pra casa, e ver minha mulher novamente. Só de pensar nela já fico com cara de adolescente apaixonado.

Lembro até hoje, no dia em que entrei para o exército... Lauren minha querida mulher, o amor da minha vida.

[N/A: Que gay kkkkk]

Flashback ON

Como eu estava dizendo, minha mulher Lauren estava em casa quando veio a carta, dizendo que a expedição para o exército iria ser naquele mesmo dia.

Li e reli a carta três vezes pra ter certeza mesmo, depois de ter a certeza de que era verdade, resolvi falar com a Lauren.

Como eu estava em frente a nossa casa eu peguei a carta, fechei, e entrei pela porta da frente.

- Amor! - Gritei do nosso quarto, já que na sala e nem na cozinha ela estava.

- No banheiro amor. - Disse ela.

- Vai demorar muito? - Perguntei sentando em nossa cama.

- Não. Já terminei de me banhar. - Respondeu ela saindo do banheiro. - Por quê?

- É que... Eu quero falar sobre um assunto muito sério com você. - Falei olhando em seus olhos.

- E esse assunto... Sobre o que seria?! - Questionou-me sentando ao meu lado.

- Lembra que eu me escrevi para o exército?! - Lembrei lhe.

- Sim... E o que tem a ver com isso Camila. - Puta merda chamou de Camila, sinal que já está ficando fora do sério.

- Bom... É que agora à pouco chegou uma carta do exército, dizendo que excursão vai ser hoje. - É agora que eu tenho que correr antes que ela jogue algo em mim.

E eu pensando que ela iria ficar alterada, mas a única coisa que ela fez foi, levantar da cama e ir para a janela ficando um bom tempo em silêncio.

- Que horas você vai? - Perguntou depois de alguns minutos em silêncio segurando o choro. Odeio fazer ela chorar.

- As duas da madrugada. - Falei olhando para onde ela estava.

- Você tem que ir mesmo? - Perguntou, não conseguindo segurar as lágrimas que começavam a cair.

- Sim meu amor. Hey olha pra mim! - Pedi levantando e caminhando em sua direção. - Vai ser só por um tempo, e nós vamos nos falar todos os dias, não importa onde eu esteja, com quem esteja eu sempre vou dar um jeito de falar com você. - Falei limpando as lágrimas de seu rosto e lhe abraçando.

- Eu n-não vou aguentar f-ficar longe de você. - Disse me apertando contra seu corpo.

- Prometo voltar logo amor, vai ser só por um tempo. Logo logo eu já estou em casa, vamos nos falar todos os dias, seja pelo Skype, pelo WHATS, por carta... Sempre vou arrumar um jeito de me comunicar com você. - Falei lhe dando um selinho.

- Tudo bem. - Falou me dando um selinho. Mas eu sabia que não estava nada bem.

- Vem cá. - Lhe puxei para a cama sentando-a em meu colo. - Quero ficar o dia todo agarradinha com você, até a hora deu ir. - Falei distribuindo beijos por seu rosto.

- Amor sempre tenha na cabeça, que eu te amo! Eu pensei que a excursão fosse mês que vem, mas mesmo assim. Já que vou de madrugada quero aproveitar o tempo que temos nós duas juntas, e quero ver um sorriso nesse rosto.

- Eu vou ficar bem. Você sabe que eu sou chorona. - Disse fazendo uma careta.

- Eu te amo tanto! - Falei olhando para seu lindo rosto e acariciando o local.

- Eu te amo mais ainda meu amor. - Não tem coisa melhor do que escutar isso da pessoa que você ama.

Lhe puxei para mais perto, mordi seu lábio inferior, e logo iniciamos um beijo. Nunca vou me cansar de beijar esses lábios. Nossas línguas brincavam uma na outra, saboreei cada centímetro da sua boca, como se eu precisasse realmente daquilo pra sobreviver.

Encerrei o beijo com vários selinhos e depois mordisquei seu lábio inferior, soltando-o devagar.

Assim que nos separamos, percebi que ela estava com olhos fechados ainda.

- Amor! Abre seus olhos por favor?! - Pedi fazendo um carinho em seu rosto.

Com calma ela foi abrindo os olhos, mostrando aquelas lindas esferas verdes.

- Seus olhos são lindos! Verdes da cor da mata, as vezes me perco olhando pra essa imensidão verde. - Admiti vendo um lindo sorriso nascer em seu rosto.

- Para Camz! - Pediu ficando corada.

- Ok. Agora vamos levantar dessa cama, porque eu quero aproveitar o tempo que tenho com minha mulher, o amor da minha vida. - Falei apertando sua bochecha e ouvindo um resmungo manhoso seu.

Depois de estarmos arrumadas, levei a Lauren para um parque que tinha na cidade e depois fomos para o cinema ver a nova estréia de um filme de romance. Claro que por escolha da Lauren, eu queria assistir um de terror mas ela não gosta.

Assim que nos divertimos bastante, resolvemos ir pra casa, pois eu não tinha arrumado minha mala.

Na hora de ir embora, foi uma luta, pois ela não queria me largar de jeito nenhum, mas o horário marcado para ir para e excursão estava quase na hora, e eu não podia atrasar.

Então tentei tranquilizar ela, coisa que eu havia conseguido. E então me despedi com o coração na não por ver minha princesa chorando por minha causa.

A partir da minha ida, no começo eu não conseguia me comunicar com ela, por causa dos lugares que íamos e por causa de tempo.

Mas depois de algumas semanas nos falávamos todos os dias. O que deixava o meu dia mais feliz...

Flashback OFF

- Moça! A Srta vai ficar mais um pouco aqui dentro olhando pro nada ou vai sair. - Disse o taxista em um tom irônico.

- Ahhh! Me desculpe, eu viajei aqui hahaha. Vou sair sim. - Falei abrindo a porta do carro.

- Tenha uma ótima noite Srta! - Disse me entregando minha mala, assim que lhe paguei.

- Obrigado! Para o Sr também. - Falei fechando a porta do carro.

Assim que ele saiu, dei um longo suspiro e fiquei olhando a frente da minha casa. Imaginando o que a Laur estaria fazendo.

Então resolvi fazer uma "surpresa" pra ela. Peguei meu celular, e disquei seu número.

Chamou uma, duas, três vezes, na quarta ela atendeu.

- Camz é você amor?! - Questionou- me.

- Sim meu bem, sou eu. Eu quero que você faça uma coisa pra mim... - Pedi com uma voz, que com certeza ela iria ceder.

- Ahhh. Ok! O que você quer que eu faça? - Perguntou depois de dar uma risadinha.

- Pare tudo o que você está fazendo agora, vá até o portão e o abra. - Pedi calmamente, tentando não mostrar meu nervosismo.

- Mas... Por quê? - Perguntou demostrando confusão.

- Só faça o que eu te pedi amor. - Pedi ( na verdade eu implorei ).

- Ok. Vou desligar daqui a pouco eu te ligo.

- Ok. Tchau amor! - Falei antes de desligar.

Como o portão da nossa casa é de vidro, assim que ela abrisse, iria me ver. O que realmente aconteceu.

Assim que ela me viu, ficou estática no lugar, sem conseguir se mover.

Então tive que tomar a iniciativa.

- Não mereço nem um abraço?! - Brinquei vendo um sorriso nascer em sua face com algumas lágrimas que caiam sobre seu rosto.

- Sua filha da mãe! Porque não me disse que iria vir hoje?! Eu senti tanto sua falta, nunca mais me deixe ficar tanto tempo sem você. - Disse me dando um tapa no braço.

- Ai amor! Doeu. - Reclamei sentindo a ardência no local.

Só não reclamo mais, porque adoro uma mulher agressiva. Que a Lauren não ouça meus pensamentos.

[N/A: Lauren se tu quizer me bater também eu aceito kkkkk ]

- É pra doer mesmo. Agora vem aqui que eu quero meu beijo. - Me jogou contra o portão. Me puxou pela cintura, e iniciamos um beijo, matando a saudade uma da outra. Explorei cada canto da sua boca, sentindo seu gosto junto ao meu.

- Como senti falta dos seus beijos. - Falei ofegante assim que terminamos o beijo.

- Não tanto quanto eu. - Falou ofegante também. - Vem vamos entrar acabei de fazer lasanha. - Disse me puxando para dentro de casa.

[N/A: Pensem em uma pessoa que acabou de ficar na vontade de comer lasanha... exatamente eu hahahaha]

- Vou tomar um banho primeiro vou ir para o nosso quarto, me espere na cozinha não vou demorar. - Falei lhe dando um selinho, e lhe vendo assentir com a cabeça.

[HORAS DEPOIS]

Depois de comermos aquela deliciosa lasanha, fomos para o quarto e ficamos conversando sobre o tempo que passamos longe uma da outra e namorando um pouco na cama.

Mas eu conheço a Lauren, e sei quando ela quer me provocar, pois desde que começamos a conversar ela não para de rebolar no meu colo.

Assim ela mata o papai né gente!

[ N/A: Não aguentei kkkk]

- Se você não parar de me provocar agora, irá sofrer com as consequências. - Avisei apertando sua cintura.

-E quem disse que eu quero parar? - Falou num tom inocente.

[N/A: Inocente sou eu kkk]

Eu já estava excitada mesmo, então só lhe joguei na cama, e ataquei seus lábios, em um beijo faminto, cheio de desejo.

- Que fogo heim! - Falou irônica.

- Foi você que mexeu com fogo. - Rosnei retirando seu short, jogando em qua qualquer canto do quarto.

Fui retirando cada peça de roupa, com toda calma existente em mim. Torturando ela mais ainda com a minha demora.

- Sempre gostei de azul, e gosto mais ainda por você estar usando em seu corpo. - Falei admirando a langerie em seu corpo desenhado.

- Anda Logo com isso Camz... - Rosnou em meu ouvido ofegante.

- Calma meu amor, temos muito tempo ainda. - Mordi o lóbulo da sua orelha, descendo meus beijos para seu pescoço onde deixava vários chupões.

- Camilaaaa... - Murmurou arranhando minha nuca.

- Essa noite... Sou eu você vai fazer o que eu bem entender.Entendeu? - Mordi seu queixo deixando ele vermelho.

Ela olhou em meus olhos e assentiu com a cabeça.

Mas ela sabe que essa é não é a resposta que eu quero.

- Me responda direito! - Exigi tocando sua intimidade, ouvindo seus suspiros.

- Sim Daddy. Eu vou fazer o que v-você m-mandar. - Respondeu entre gemidos, por meus dedos estarem em sua intimidade ainda.

Dei um sorriso satisfeito, e tirei meus dedos dela, ouvindo um resmungo de sua parte.

- Amor.... Tira essa cueca e me fode logo não aguento mais. - Ordenou entre dentes.

"Se ela não aguentava imagina eu que estava com uma ereção do cara***..."

- Com todo prazer meu bem. - Falei retirando minha cueca metendo sem dó.

- Hija de una puta! - Gritou quando entrei nela sem aviso algum.

Começo a entrar e sair dela movimentado meu quadril em um ritmo devagar, aproveitando cada sensação de prazer que nos proporcionava.

Como fiquei muito tempo na "seca", iria gozar facilmente então comecei a intensificar minhas estocadas gemendo roucamente.

- Ahhh... Caralho. - Gemeu cravando suas unhas na minha bunda. - Isso... Continua assim amor.

- Quero que você cavalgue no meu colo, enquanto olha em meus olhos. - Ordenei com minhas estocadas rápidas e fundas.

E como uma boa submissa, minha linda baby girl sentou facilmente por estar tão encharcada.

- Isso Baby girl... Gostosa da porra! Não para. - Rosnei vendo-a quicar em meu colo subindo e descendo indo em uma velocidade violenta. Vi que ela estava perto, então coloquei dois dedos em sua intimidade e a dar mais impulso, estocando com força e indo o mais fundo possível. Lhe fodendo duplamente.

No quarto não sabíamos quem gemia mais, entre eu e a Lauren. Nossos movimentos estavam tão rápidos, que eu sentia minhas bolas baterem na bunda da Lauren.

- Porra Daddy e-eu vou g-gozar. - Falou totalmente suada enquanto eu lhe fodia, estimulando seu nervo que estava durinho ainda.

Apertei suas coxas e, alisei o local atingido.

- Goza Baby girl... Vem junto comigo. - E como se ela estivese esperando eu falar isso, ela jogou a cabeça pra traz apertando o meu pau e caiu ao meu lado na cama melando todo meu pau.

Só com a cena dela ter gozado, eu dei mais três estocadas e acabei gozando também liberando jatos de porra em sua intimidade lhe fazendo gozar novamente caindo pra traz na cama.

Melhor orgasmo que tive na minha vida!

Olhei para o lado, e fiquei admirando o corpo da mulher ao meu lado, a cena da Lauren com os olhos fechados enquanto saía jatos de porra de sua intimidade molhando suas pernas, era uma cena maravilhosa.

- Amor... Você está bem? - Perguntei preocupada, pós ela não tinha parado de tremer.

- Sim amor. Só tive o melhor orgasmo da minha vida e estou um pouco cansada você acabou comigo. - Disse dando uma risadinha.

- Desculpa meu amor. Acho que me empolguei demais e te machuquei. - Me desculpei ouvindo ela rir, e não entedi o porque.

- Não precisa se desculpar Camz, você não me machucou. É que ficamos bastante tempo sem fazer, por isso que eu fiquei mais cansada que o normal, além do mais, eu tive orgasmos múltiplos. - Disse ela me tranquilizando.

- Você teve o que?

- Eu tive orgasmos múltiplos. - Falou baixinho.

- Dizem que é raro uma mulher ter orgasmos múltiplos, mas já é a sétima vez que eu te proporciono. - Falei pensativa.

- Por que você é você. E eu te amo meu dragão! - Falou me dando um selinho.

- Eu também te amo meu unicórnio! - Falei sorrindo.

Assim que terminei de falar, senti seus lábios macios se chocando contra os meus iniciando um beijo calmo. Puxei seu corpo mais pra perto, e o nosso beijo que era calmo, se transformou em um beijo intenso. Mas como o ar foi necessário, encerrei o beijo com selinhos e fiquei fazendo carinho em seus cabelos.

- Se você continuar assim, eu vou dormir. - Disse se aninhando em meu corpo.

- Essa é a intenção, quero que você descanse. Boa noite meu amor! - Beijei sua cabeça.

- Boa noite amor! - Disse antes de me dar um selinho e fechar os olhos.

De uma coisa eu tenho certeza: 'Nunca mais em toda a minha vida, vou querer ficar tanto tempo longe do amor da minha vida, não sei nem como consegui aguentar. Só sei que a partir de agora, não deixarei ela sozinha. 'Não importa o que aconteça'




Notas Finais


Nos vemos nos comentários seus lindos (as)😙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...