História One Shots de SwanQuenn - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Família, Romance, Sexo
Exibições 111
Palavras 882
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Professora e Aluna


Regina Povs

Meu Deus graça ao Senhor hoje é sexta-feira, não aguento mais esses alunos cheios de testosterona e garotas cheias de frescura ambos se esfregando em mim atrás de notas ou tentar me levar pra cama e sim ambos os sexos vivem me sugerindo isso, menos uma garota: Emma Swan, essa garota é a que mais me encanta, a que me dá vontade de vir todos os dias nesse maldito colégio, seu sorriso que aquece meu coração, seu jeito menininha, mas ao mesmo tempo seu jeito forte, tudo nela me encanta. Sou tirada dos meus pensamentos por ela que PUTA QUE PARIU está muito gostosa em um shorts jeans curto, blusa regata branca e all star branco com seu sorriso adorável:

Emma: Bom dia Srta. Mills. Desejou com um sorriso doce.

Regina: Bom dia Srta. Swan. Devolvi o mesmo sorriso.

Emma: Professora na aula passada eu fiquei em dúvida em algumas coisa sobre sua matéria e queria saber se você depois da aula podia me ajudar? Perguntou corada. Ah como eu queria beija-la naquele momento, agarrar seu corpo e faze-lo meu.

Regina: Claro Srta. Swan. Respondi e ela sorriu, me deu um beijo na bochecha e foi se sentar em seu lugar.

 Coloquei a mão em minha bochecha que se encontrava quente pelo toque de Emma. Uau apensa um toque dela meu corpo inteiro se acendeu eu preciso dessa garota em minha cama o mais rápido possível ou vou surtar. Tento tirar esses tipos de pensamentos, mas só de olha-la ele vem à tona novamente. Aos poucos os alunos vão chegando e vem me cumprimentar invadindo meu espaço pessoal o que me deixa irritada, passo alguma coisa sobre as poesias de Carlos Drummond e peço para fazerem alguma coisa relacionada com a poesia que escolhi e volto minha atenção a Emma que parecia mais concentrada que todos o que fazia nascer um sorriso em meus lábios. Logo bate o sinal e todos vão saindo alguns alegando que semana que vem mostra suas poesias e outros como já mostraram suas poesias só me desejam um bom final de semana e eu desejo o mesmo, até que sobra um certa loira que me fita com um sorriso lindo no lábios.

Emma: Podemos começar Srta. Mills? Perguntou se aproximando de mim.

Regina: Claro qual é a sua dúvida? Perguntei e ela foi se aproximando mais de mim.

Emma: O que você sente por mim? Ela perguntou me encarrando seriamente.

Regina: Desculpa, o que? Perguntei um pouco atordoada, estava tão estampado minha queda por ela??

Emma: Você me observa o tempo todo tanto na sala como no pátio, na hora da entrada, na hora da saída e no intervalo. Apontou entrando no me espaço pessoal. – Vou repetir mais uma vez e espero sua sinceridade. Sentou no meu colo e sussurrou em meu ouvido. – O que você sente por mim? Perguntou e mordiscou minha orelha. Eu já estava fudida a partir do momento em que eu disse que poderia ajuda-la depois da aula então eu liguei o foda-se e respondi.

Regina: Tesão, amor, carinho e muita, mais muita vontade em te ter em meus braços em gemendo pra mim. Respondi e ela me beijou de forma doce e calma o que vai esquentando aos poucos.

Emma: Era isso que eu queria ouvir professora. Sussurrou no meu ouvido e beijou meu pescoço dando algumas mordidinhas arrancando alguns gemidos de mim, mas eu não ia deixar ela controlar, mas não mesmo, quem iria comer na relação será eu. Então eu a carrego no colo e coloco ela em cima da minha mesa, vou até a porta para tranca-la já que não quero ser interrompida e ataco sua boca com um beijo ardente, tiro sua regata e seu sutiã e vejo seu peitos médio que se encaixam perfeitamente em minhas mãos, tiro seu shorts e jogo em qualquer lugar da sala, tiro sua calcinha e aprecio seu montinho de carne pulsar de desejo. – Por favor Regina me come. Ela implora depois de eu parar nosso beijo para respirarmos.

Regina: Com muito prazer Baby Girl. Falo e abocanho seu sexo molhado e nossa que gosto maravilhoso. – Que bucetinha gostosa você tem baby girl eu vou quer provar mais do seu gosto. E vou mesmo ah se vou.

Emma: Reginaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Gemia meu nome enquanto eu estocava sua bucetinha com dois dedos e chupava seu clitóris. – REGINAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. Gozou na minha boca e sabor delicioso My God! – Eu te amo Gina. Falou ofegante. Cara eu fiquei surpresa com a revelação, mas sorri tão abertamente porque eu sentia a mesma coisa que ela: Amor.

Regina: Eu também te amo baby girl. Dei um beijo em sua testa e ajudei ela se arrumar para irmos embora.

Emma: Ruby minha colega de quarto está viajando com a família e só volta daqui duas semanas e eu tenho medo de dormir sozinha posso dormir com você Gina? Pediu manhosa e eu claramente vou aceitar né gente.

Regina: Claro meu amor, por mim você até morar comigo, pois eu não terminei de te comer e eu quero você na minha cama. Sussurrei em seu ouvido e a puxei para um beijo carinho. – Vamos pra casa baby girl. Falei entre nosso beijo e a puxei para fora da sala a levando para minha casa para uma maratona de sexo.     



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...