História One Shots Hot Camren - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Tags Camila Cabello, Camren, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Sexo
Exibições 965
Palavras 2.656
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Orange, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OI OVELHAAAAAAAAS
MAMAE VOLTOU
A FIC HAVIA SIDO EXCLUIDA POIS NAO SE PODE MAIS POSTAR COMPILAÇÃO DE ONE SHOTS
EU TERIA QUE POSTAR CADA UM SEPARADAMENTE
POIS É, VACILO
FIQUEI PUTA
AGORA EU VOU POSTAR NO WATTPAD
POIS NAO QUERO CORRER O RISCO DE APAGAREM DE NOVO
VOU SOLTAR O LINK NAS NOTAS FINAIS
SO VOU POSTAR ESSE CAP PRA VCS LEMBRAREM
VEJO VOCÊS NO WATTPAD
AVISEM PROS AMIGOS QUE MAMAE VOLTOU

Capítulo 1 - Uma surpresa.


Lauren POV

 

Quando eu entrei no quarto de Camila naquela manhã chamá-la para ir a praia comigo, eu esperava tudo, menos aquilo.

Pensei de primeira que minha meia irmã estivesse dormindo, por ainda serem nove horas da manhã de um sábado.

Que ela estivesse ouvindo música ou lendo algum livro talvez. Essas coisas que eram bem a cara de Camila, a latina de dezessete anos calma e brincalhona que há alguns meses veio morar aqui em casa, após meu pai descobrir que tinha uma filha com outra mulher, Sinu, que havia falecido.

No entanto, quando eu cheguei perto da porta do seu quarto, já com a mão levantada pra bater, ouvi sons vindo de dentro que pareciam com… Gemidos?

Aquilo atiçou minha curiosidade, pois Camz não parecia fazer… Aquele tipo de coisa. Não que eu julgasse quem fizesse, mas aquilo não fazia o estilo de minha irmã.

Querendo descobrir o que estava acontecendo, girei lentamente a maçaneta, colocando apenas minha cabeça pra dentro do quarto.

E qual foi a minha surpresa ao encontrar Camila deitada nua na cama, cabelos esparramados no travesseiro, olhos fechados, a boca carnuda entreaberta, uma mão apertando ferozmente seu seio esquerdo, pernas flexionadas e abertas, me dando uma visão deliciosa de sua boceta sendo fodida por dois dedos de sua outra mão, e pra fechar com chave de ouro… Meu nome sendo gemido manhosamente por ela.

Deus que me perdoasse, mas aquilo era demais pra mim. Não era de ontem que aquela latina invadia meus pensamentos no meio da noite me deixando dura como uma pedra, me fazendo ter que correr para o banheiro bater uma pensando nela.

Eu ficava me sentindo horrível por fazer aquilo pensando na filha do meu próprio pai, que tinha metade do meu sangue.

Mas vendo aquela cena, vendo aquela garota maravilhosa peladinha se masturbando e ainda pensando em mim… Querendo que eu estivesse ali entre as suas pernas, santo Cristo!

Meu pau deu sinal de vida dentro do short que eu estava usando e eu só tinha uma certeza quando entrei naquele quarto e tranquei a porta logo em seguida, chamando sua atenção.

Eu ia foder Camila de um jeito que ela ia esquecer do próprio nome e só conseguiria pedir mais de mim e da minha pica.

- L-Lauren! - Ela gritou com os olhos arregalados, retirando suas mãos de sua intimidade e se cobrindo com o lençol. - Que merda tá fazendo aqui?

- Não precisa se cobrir, Camz. - Disse com um sorriso sacana me aproximando. - Sabe, eu tava gostando do showzinho… “Isso Laur, assim” - Imitei-a, vendo a cor sumindo do seu rosto.

- N-não era n-nada do que você e-está pensando…

- Ah, não era? - Perguntei ficando de frente pra ela, em pé do lado de sua cama. Minha altura e a da cama faziam com que meu pau ficasse de frente pro seu rosto, e pude perceber que ela encarava o volume que marcava meu short. - Vai me dizer que você não estava aqui, com as pernas abertas se masturbando pensando que era eu a lhe foder, hm? - Ela desviou o olhar pros meus olhos e suas pupilas estavam dilatadas. Acho que alguém gostava de ouvir putarias. - Me diz Camz, não queria meu cacete dentro dessa sua bocetinha, te alargando, hm? Olha como ele tá pra você… - Peguei sua mão fazendo com que ela apertasse meu membro. Soltei um gemido com o contato. - Diz…

Então pareceu que algo tomou conta do corpo dela. Um “foda-se” saiu de sua boca, e com uma agilidade desconhecida por mim, ela estava sentada na cama com o lençol caído em sua cintura, deixando seu tronco descoberto, abaixando meu short até meu tornozelo me deixando apenas de cueca.

- Quer saber? - Ela me encarou com aqueles olhos agora castanhos escuro. - Eu tava, tava me masturbando pensando em você. E quer saber mais? - Pegou meu pau de novo, me punhetando ainda por cima da cueca. - Eu já fiz isso várias vezes, mais de uma vez seguida. E sabe por quê? - Apenas neguei com a cabeça, soltando um gemido quando ela passou o polegar na cabecinha, que já estava soltando pré gozo, fazendo um círculo molhado na minha cueca. - Porque você me deixa doidinha, Jauregui. - Disse baixinho, levantando, ficando completamente nua de novo. - E agora que você me pegou no flagra, eu vou fazer o que eu quero tem muito tempo. - Me empurrou na cama, me fazendo cair sentada, apenas pra vê-la ficar de joelho na minha frente.

Porra, porra, porra.

Aquilo tava mesmo acontecendo?

Estava. Porque logo em seguida, Camila terminou de tirar meu short e minha cueca, librando meu membro tão duro, que batia em minha barriga.

- Hmm… - Gemeu passando a palma quente de sua mão por todo o comprimento. - Tão branquinho que nem você. E olha essa cabecinha rosa, que delícia. - Disse com uma puta cara de safada, me observando morder os lábios pra suprimir um gemido. - Você quer que eu te chupe, Laur?

Fechei os olhos com aquela pergunta. Devo ter feito algo de muito bom nessa vida, porque olha…

- Quero, por favor… - Supliquei, enquanto ela ainda me masturbava lentamente, me torturando.

Fechei os olhos e ouvi seu risinho. Já ia reclamar quando ela abocanhou minha cabeça com força, chupando com gosto, com vontade.

Não aguentei e gemi gostoso seu nome.

- Gosta assim, Lo? - Lambeu minhas bolas, fazendo minha mão automaticamente se embolar nos seus cabelos, empurrando ela mais pra mim. - Gosta quando eu boto suas bolas na minha boca? - Perguntou me olhando e fez o que disse, me fazendo soltar um grunhido. Deus, como ela era boa.

- G-gosto, eu adoro. - Respondi com dificuldade.

Camila então soltou meus testículos e lambeu toda a extensão do meu pau, subindo, depois descendo e subindo de novo. Passou a língua na minha glande e finalmente, abocanhou o máximo que conseguiu, me fazendo jogar minha cabeça pra trás e gemer gostoso. Ela começou a subir e descer, chupando com força, as vezes forçava mais na cabeça e soltando, fazendo um estalo completamente erótico.

- I-Isso, Camz, chupa esse cacete. - Falei com dificuldade. - Não era i-isso que queria? - Forcei mais sua cabeça contra meus dezoito centímetros fazendo ela dar uma engasgada.

Como aquilo era erótico.

Camila com a bunda empinada, ajoelhada na minha frente, me chupando e punhetando, babando meu pau todo. Queria aquilo todo dia.

- Que b-boquinha gostosa minha irmãzinha t-tem. - Disse encarando seus olhos. - Papai e-estaria orgulhoso da f-filinha dele me pagando um b-boquete.

Não sei se ela não gostou do que eu disse, pois assim que a frase saiu da minha boca, Camila parou de me chupar – um pecado – e soltou um grunhido. Mas então, ela me fez deitar na cama, com uma expressão felina, por assim dizer, e aquilo só serviu pra me excitar mais ainda.

Quando eu estava devidamente deitada, minha irmã veio engatinhando em cima de mim, parando com os dois joelhos do lado do meu rosto. Deus. Que visão estava tendo.

Camila em cima de mim, os seios com os bicos duros e apontando pra cima, respiração acelerada e o melhor, aquela boceta gostosa toda molhada e arreganhada só pra mim.

- Quem vai me chupar agora é você, maninha. - Disse com a voz carregada de tesão. - E acho bom chupar direito. Caso contrário… - Enfiou um dedo em sua entrada. - Hmm.. - Gemeu, de olhos fechados. - Você não me come.

 

Camila POV

 

Não precisei falar mais nada pra Lauren entender o recado. Me agarrou pela cintura, me abaixando e deixando minha boceta a centímetros de sua boca, mas sem encostar. Sentia sua respiração batendo na minha parte mais sensível, e se possível, aquilo me deixou mais louca ainda.

Pra piorar minha situação, a filha da puta passou o nariz de baixo pra cima, sentindo meu cheiro e sentindo o quão molhada estava.

- Hm, que delícia. - Gemeu contra minha carne. - Vou te chupar todinha, Camz… É isso que você quer, né?

- Porra – Gemi quando seu nariz passou por cima do meu clitóris. - Me chupa logo porra.

E foi isso que ela fez.

- Puta que pariu. - Fechei os olhos e baixei meu quadril na cara da Lauren quando ela passou a língua na minha boceta de cima pra baixo. Que merda de língua era aquela. - Isso, assim… - Gemi, rebolando levemente em sua boca. A filha da puta passava a língua nos pequenos lábios com movimentos circulares me fazendo afundar mais ainda na boca dela, se era possível, e ela nem havia me chupado de fato ainda.

Segurou na minha bunda, me puxando um pouquinho pra cima, pra logo em seguida chupar meu nervo pulsante pra dentro de sua boca, passando a língua nele de um lado pro outro, de cima pra baixo, só a pontinha.

- Porra, porra - Gemia sem pudores enquanto recebia o melhor oral da minha vida. - Vai Laur, chupa essa boceta, vai… - Apertava meus mamilos enquanto Lauren chupava meus pequenos lábios com uma força que me deixava mais molhada a cada momento. Como ela sabia que eu gostava mais rude, mais forte? - Chupa que você nunca vai chupar boceta igual a essa… - Comecei a praticamente rebolar na cara da minha irmã, esfregando meu clitóris na ponta do seu nariz e nos lábios, os grandes e pequenos lábios no seu queixo e também em sua boca, não tava ligando mais pra nada, já tinha ligado o foda-se faz tempo. - Isso, isso… Delícia. Chupa esse grelo, chupa. - E foi isso que ela fez, chupou com gosto meu grelinho, me fazendo gritar seu nome, soltando o nervo com um estalo no final.

Pra piorar meu estado deplorável, Lauren fez o favor de enfiar a língua em minha entrada, me puxando mais ainda, fazendo seu músculo entrar o máximo que podia.

Ela rodava sua língua dentro de mim, me fazendo jogar a cabeça pra trás e gemer alto.

- Puta merda, ah… Laur, eu to quase – Eu rebolava fora de controle.

Então ela me empurrou, me fazendo cair de costas no colchão, com a cabeça pro pé da cama. Antes que eu pudesse reclamar, senti a cabeça do seu pau passear por toda a extensão da minha intimidade.

- Não to aguentando, Camz… - Ela disse no meu ouvido, nossos corpos suados se encostando. - To tão cheia de tesão que tá doendo. - Mordeu meu pescoço. - Deixa eu te foder, vai… - Mordeu meu queixo, direcionando sua pica na minha entrada que já estava piscando.

- Me fode. - Eu disse puxando ela pra um beijo. E que beijo. Deus, se soubesse que Lauren ia me beijar com tanta paixão já teria feito isso faz tempo. - Vamos, enfia esse pau em mim. - Disse após separar meus lábios dos dela.

E ela enfiou.

Foi colocando centímetro por centímetro, devagar, me fazendo sentir minha boceta ser alargada deliciosamente por aquele cacete gostoso, sem me machucar. O tempo todo ela olhava nos meus olhos e mordia a boca, evitando gemer, diferente de mim, que já gemia baixinho.

- Você é tão apertada, tão quentinha… - Disse rodando seus quadris, fazendo seu pau rodar dentro de mim de uma forma que me fez cravar as unhas em suas costas e gemer mais alto no seu ouvido. Ela estava alcançando lugares desconhecidos, me mandando uma onda de prazer imensa e olha que ela nem havia começado a se mexer ainda. - Tão molhada, Camz.

- Laur… - Gemi quando ela começou a meter em mim. Sua cabeça encostava no fundo da minha vagina, me fazendo virar os olhos e gemer mais alto. - M-Mais rápido…

- Quer mais rápido, quer, irmãzinha? - Ela perguntou, aumentando a velocidade gradativamente, soltando sua respiração pesada no meu pescoço, me arrepiando. - Quer que eu te foda, mais rápido? Responde, porra. - Deu um tapa de leve no meu rosto, me fazendo encará-la. Seus olhos estavam num verde tão escuro, que dei um gemido involuntário.

- Quero, quero. Me come mais rápido, mais forte. - Pedi encarando-a, nossos seios balançavam com nossos movimentos e a cama começava a ranger. Aquela visão estava me deixando mais doida, se é que era possível. Não me aguentei e peguei seus peitos com minhas mãos e apertando com força aquela carne macia, sentindo seus biquinhos duros contra minha palma. Ela soltou um gemido delicioso. - Vamos, quero que faça gostoso, com força.

- Sua putinha… Esse tempo todo querendo dar essa bocetinha apertada pra mim, querendo ser comida com vontade, hm?

- Puta que pariu! Lauren! - Gemi quando ela começou a me foder de vez. Ela metia rápido, com força, suas bolas batiam em mim fazendo um atrito delicioso e a cama chegava a bater na parede. - Que delícia, isso, fode sua irmã, fode. - Lauren grunhiu, segurando no meu pescoço. - Arromba essa bocetinha, come ela, come. - Gemia gostoso enquanto minha irmã me fodia como uma verdadeira puta. - Isso, ah, eu to quase...

Então ela parou, me fazendo gemer frustrada.

Mas então, ela sentou com um sorriso sacana no rosto.

- Senta na minha rola, senta. - Pediu, pegando seu pau e batendo na sua barriga, como se estivesse me chamando. - Quero que você cavalgue em cima de mim e me veja te foder bem gostosinho.

Porra. Aquela garota ir me matar. Segunda vez que não me deixava gozar e ainda me faz um pedido desses… Porra…

Levantei e fui em direção a ela. Me agachei de costas pra ela, apoiando os pés no colchão e peguei seu pau, enfiando em mim de novo.

- Olha, Camz… Me olha entrando em você. - Ela falou no meu ouvido e fiz o que ela mandou. Olhei seu pau grosso dentro da minha boceta, deixando ela larguinha. E que delícia de visão. - Agora quica. Quica e olha como ele entra e sai.

Como boa putinha, fiz o que minha irmã mandou. Comecei a quicar no seu pau, rebolando naquela pica gostosa que a Lauren tinha.

- Isso Camila, desse jeito… Gosta de levar na boceta assim, gosta?

- Hmm, merda. - Gemi quando ela começou a estocar junto comigo, entrando e saindo numa velocidade absurda, e eu vendo tudo, do jeito que ela queria. - Porra, eu adoro.

Tava tão gostoso aquilo tudo, nós duas suadas, gemendo. Ela tinha as mãos apertando minha cintura , me auxiliando e me puxando com força contra ela cada vez que ela metia em mim. Não tinha explicação pro prazer que eu tava sentindo com ela me fodendo daquele jeito, seu pau estava indo tão fundo, batendo num ponto que me fazia praticamente berrar, me alargando tão gostoso. Cada vez que ela tirava e botava, seu comprimento esfregando minhas paredes molhadas, nossa… Era demais.

Ficamos alguns minutos daquele jeito e eu estava quase gozando.

- Porra… - Ela gemeu apertando mais ainda minha citnura. - Sua bocetinha tá me apertando tanto, que merda. Eu não vou aguentar muito…

- Nem eu, Laur.

Então ela segurou a base de seu pau e o girou dentro de mim, enquanto ainda metia. Sentia seu cacete entrando e saindo, girando e ainda sentia sua mão que estava em volta de seu pau bater na minha entrada. Não aguentei e senti minha boceta apertar o cacete de Lauren várias vez, comecei a dar espasmos e gozei demoradamente pra minha irmã, que ainda meteu em mim algumas vez pra logo depois soltar três jatos de porra branquinha dentro de mim. Delicioso. Via nossos líquidos se misturarem e escorrerem pelo lençol da cama.

Ela saiu de dentro de mim com cuidado, me fazendo gemer pela falta de contado, mas logo falou no meu ouvido:

- Descansa porque eu ainda quero comer seu cu…


Notas Finais


caso nao tenham lido
OI OVELHAAAAAAAAS
MAMAE VOLTOU
A FIC HAVIA SIDO EXCLUIDA POIS NAO SE PODE MAIS POSTAR COMPILAÇÃO DE ONE SHOTS
EU TERIA QUE POSTAR CADA UM SEPARADAMENTE
POIS É, VACILO
FIQUEI PUTA
AGORA EU VOU POSTAR NO WATTPAD
POIS NAO QUERO CORRER O RISCO DE APAGAREM DE NOVO
VOU SOLTAR O LINK NAS NOTAS FINAIS
SO VOU POSTAR ESSE CAP PRA VCS LEMBRAREM
VEJO VOCÊS NO WATTPAD
AVISEM PROS AMIGOS QUE MAMAE VOLTOU

LINK DO WATTPAD: https://www.wattpad.com/story/91816530-one-shots-hot-camren

PRA PODER LER TEM QUE ME SEGUIR, E DEPOIS ADICIONAR NA BIBLIOTECA, OK?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...