História One shots Supercorp - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supergirl
Tags Supercorp
Visualizações 229
Palavras 4.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Resolvi dar uma corridinha e postar mais cedo para agradecer esses 100 + favoritos. Nem acredito que existe mais de 100 pessoas que acham que essa historia é boa o suficiente para favoritar. Muito Muito obrigada. Aproveitem o capitulo.

Capítulo 21 - Natal


Kara

Assim que desligo o telefone, arrumo minhas coisas e saio da sala.

-Kara, eu não acredito que tivemos que saber pelos sites de fofocas. Diz uma animada Gigi que me para no meio do corredor.

Sorrio resignada.

-Desculpe, estávamos esperando mais um tempinho, só os familiares estão sabendo mesmo.

-Ei Danvers, parabéns. Berna passa falando.

-Obrigada.

-Para quando será? Gigi continua.

Paro e penso por alguns minutos.

- Abril, maio. Sorrio-me com a constatação

Seguimos andando até o elevador falando sobre o bebê, e cruzo com meu chefe e antes que eu comece a me explicar ele diz.

-Sra Danvers, parabéns.

-Obrigada sr. Eu tenho que ir, porque...

-Eu sei, vá lá. Pode tirar a sexta de folga, manda seu artigo por e-mail para mim.

-Muito, muito obrigada Sr. Mandarei o mais breve possível. Digo profundamente agradecida.

Sigo voando, literalmente pela L-corp. Resolvo usar o elevador privativo de Lena e sigo direto para sua sala. Vazia.

-Sra Danvers, que bom que chegou - Uma Simone meio atordoada entra pela porta – O chefe da segurança acaba de me informar que já tem uma discreta aglomeração de fotógrafos na entra principal da empresa.

-E Lena?

-Nem sonha. Esta com o pessoal da visita técnica.

-Certo.

-A assessoria de imprensa quer saber como deve proceder. Simone diz com o bloco em mãos.

Suspiro fundo e sento na cadeira de Lena.

-Me dê mais um tempinho para pensar nisso. Quando Lena chegar, vamos conversar e escreveremos uma pequena nota sobre.  Assim que ela desocupar, traga ela até mim por favor.

-Sim, sra. Ela diz se retirando.

Abro meu note e começo a pesquisar.

“Primogênito a vista”

“O próximo Luthor está a caminho”

“O mais novo bilionário do mundo”

Diversas pequenas notas aparecem em meu buscador, algumas fotos minha e de Alex na loja de bebê, algumas fotos de Lena tipo “antes e depois”, afirmando sua discrição em “esconder a barriga”, minha mãe no mercado “escolhendo coisas saudáveis para o futuro neto” e os pais de Lena em um restaurante “comemorando o próximo Luthor”. Rio-me de nervoso. Definitivamente não creio que hajam colegas que escrevam essas coisas. Estou tão concentrada que não percebo quando Lena entra.

-Apesar da roupa quase casual, você ficaria ótima na presidência. Ela diz se aproximando de mim.

-Ei baby, desculpe. Digo quase me levantando.

-Não, não fica ai – Ela diz se aproximando me dando um beijo quente – Achei muito sexy. Sorri divertida e meio que senta na mesa me olhando – Acho que vou tirar uma foto e mandar para meus pais, eles vão pirar. Diz sorrindo.

-Oh my Lena..- digo me recuperando do beijo – Não baby, eu não estou aqui para assumir a empresa, estou mais na condição de “mais nova mãe do momento” – digo fazendo as aspas.

Lena me encara confusa. Viro meu note para ela e o sorriso sai de seu rosto.

-Oh my...Rao. Como isso aconteceu Kara?

-Não tenho ideia.

Ela pega o note e leva para o sofá. Sigo sentando ao seu lado e vejo ela ler as notícias.

-Até nossos pais estão aqui. Ela fica perplexa.

-Sim. Digo encostando no sofá.

-Bem que achei a Simone com um comportamento estranho hoje à tarde.

Ela larga o note e reclina do meu lado.

-E agora?

-Temos que soltar uma nota confirmando querida. A Assessoria da L-corp está nos aguardando.

Ela faz um breve silencio.

-Não – Ouço e me viro para olha-la -  Nosso filho não é uma transação de negócio. Não acho que a L-corp tenha que divulgar a nota.

Lhe olho confusa.

-É algo de esfera intima amor. Nosso filho, devemos lançar essa nota em alguma mídia social nossa. Pessoal. Ela diz convicta.

Sorrio e alcanço sua mão.

-Tem razão. Na minha ou na sua?

-Na sua. Tenho certeza que você vai escrever melhor que eu. Ela diz divertida.

Sorrio balançando a cabeça.

-Certo, então vou escrever – Digo me levantando -  Você pode falar isso para Simone e dar as orientações que ela precisa. Ela está meio aflita.

-Certo. Volta lá para a cadeira da presidência e arrasa. Ela diz me dando um beijinho e indo conversar com Simone.

Lena

Abro a porta e antes que eu termine de pronunciar Simone já aparece com o bloco de notas em mãos.

-Sim sra.

Seu olhar é atento. Sorrio

-Pode relaxar Simone. Avisa ao pessoal da assessoria que vamos lançar uma nota em nossas mídias sociais. E que estão proibidos de responder qualquer coisa relacionada ao bebê. A empresa só respondera coisas da empresa. Ok?

-Sim sra. Ela anota determinada.

-O chefe da segurança já foi avisado?

-Sim sra. Sra Danvers me avisou mais cedo e ele já reforçou a entrada principal. Havia alguns repórteres de plantão mais cedo.

-Certo. Quero normalidade plena Simone, não quero o hall da L-corp com vigília. Sirva um café a todos e depois comece a dispersa-los. Diga que não haverá nenhuma declaração de cunho pessoal envolvida com a empresa. Repita isso dia após dia até que percam a disposição.

-Sim sra. Mas...eles irão todos para...

-A minha casa - Suspiro pesadamente – Peça ao chefe da segurança enviar alguns funcionários para lá, não quero nenhum tipo de ação violenta. Só quero que eles tentem manter alguma ordem ok?

-Perfeitamente. Ela diz se retirando.

Volto minha atenção para Kara e ela está concentrada escrevendo no note. Sento novamente no sofá e pego meu celular.

Várias mensagens.

“Fudeu, todo mundo já está sabendo do baby. Onde você está?” Corina me tira um sorriso.

“Filha, já vimos as notícias, temos que começar a trabalhar na segurança de vocês, não aceitamos não como respostas” Meu pai fala resoluto, me fazendo revirar os olhos.

Minhas mídias sociais então cheia de mensagens de parabéns, felicidades e carinhas felizes. Confiro até que sou avisada da publicação de Kara.

“Sim, é verdade.

É verdade que quando eu olhei para você pela primeira vez eu me apaixonei.

Sim, É verdade que quando você disse sim, eu sabia que eu tinha tirado a sorte grande.

E sim, é verdade que quando eu escutei aquele coraçãozinho bater pela primeira vez eu sabia que eu era a mulher mais feliz do universo.

Muito obrigada @Luthor.L por me dar uma família.”

 

Termino de ler e ponho um sorriso tolo no rosto, olho para Kara que já espera minha reação com um sorriso divertido.

-Perfeito, querida, perfeito.

------------------------------------------

Os dias que se seguiram foram intensos. Realmente na entrada de casa concentrou todos os repórteres de revista de entretenimento de Nacional. Os canais com programas de variedades já começavam a falar da nota de Kara, do sexo do bebê, possíveis nomes, e até que tipo de parto eu teria. Simplesmente uma loucura. E foi nesse clima que o Natal chegou.

-Bom dia. Ouço Kara dizer sussurrar em meu ouvido. Sorrio de olhos fechados.

-Bom dia...Ei você está arrumada?

Ela se abaixa e fica em minha frente.

-Tenho que dar um pulo na redação...

-oh sim. Sua amiga invisível inconveniente....

-Exato. Prometo que será bem rápido. Diz me dando um beijinho.

-ok.

Abraço o travesseiro e volto a dormi.

Kara

Vou até a redação e todos já estão reunidos na sala de reuniões.

-Ei Kara....só estava faltando você. Gigi diz com uma falsa indignação.

-Desculpe. Sorrio culpada.

-Ok, ok, vamos começar pessoal? Gigi convoca.

Todo mundo está na sala. A grande mesa foi arredada para o lado, está repleta de coisas natalinas, onde todos se servem a vontade. O chefe começa um pequeno discurso.

-Pessoal, mais um ano. Fico imensamente feliz que além de repórteres competentes e determinados....- O pessoal grita animado – Também somos amigos e parceiros de trabalhos. Então muito obrigado pelo empenho de todos em fazer dessa revista a melhor de Nacional.

A animação é generalizada.

-Vamos ao amigo oculto. E....eu começo. Ele diz divertido.

O chefe tira Bernar, que tira Jo da diagramação, que tira Mike da edição, que tira John, do departamento jurídico, que tira Gigi, que tira Eve, da coluna de interesses, que tira Caio da fotografia que tira a mim... Todos me olham ansiosos e posso escutar o coração descompassado de Jennie, Stefy e Tomy.

-Bom, o meu amigo oculto é uma pessoa muito competente que tem uma linda carreira para traçar - Ouço o coração de Jennie bater forte – Chamo por seu nome e ela sorri sem graça. Nos cumprimentamos com um leve abraço.

Jennie tira Tomy, que tira Stefy que finaliza chamando o chefe. Presentes dados todos voltam a beber animadamente.  Enquanto converso com Gigi ouço Jennie dizer.

-Nossa, minhas maquiagens favoritas...

Sorrio discretamente enquanto converso com Gigi.

---------------------------------------

Alex

Acordo e sinto Corina ao meu lado na cama. Gasto alguns momentos olhando-a. Seus cabelos ondulados caem sobre seus ombros, seus lábios grossos são perfeitamente desenhados, penso em seus olhos negros e sorrio sem me dar conta.

-Ei...você está me admirando?

-Talvez...

Ela sorri ligeiramente constrangida.

-Prefiro você assim...

Ela franze o cenho.

-Assim...natural. Você maquiada com aquelas roupas de escritório, deixam você sexy. Mas assim, assim você é mais bonita.

Toco em seu rosto e ficamos em silencio por alguns momentos.

-Eu gosto de você, sabe. Digo com um pequeno sorriso

-Eu sei. Eu sei que sim – Corina diz pegando minha mão -  Mas também sei que ela vai voltar Alex, nós duas sabemos disso... Eu não estou te cobrando nada. Eu sei que você gosta dela também...

-Corina...

-Alex, escuta... – Ela diz e eu me calo – Eu sei que você ainda sente algo por ela. Sei que quando ela voltar vocês terão que se encontrar e resolver isso. Eu estou ciente que você pode escolhe-la, e eu vou entender isso. Eu irei embora e você pode guardar a gente com carinho ai dentro, em algum lugar - Ela diz e aponta para meu peito – Mas....

-Mas....

-Mas se você quiser, se você me quiser, eu vou estar aqui. Basta você dizer, ok?

Concordo e lhe dou um selinho. Ficamos mais um tempinho em silencio.

-Acho que daqui a pouco tenho que ir até a casa de Lena, você vai comigo?

-Não...tenho que passar no trabalho. Digo meio desanimada.

-Mas Lena dispensou todos da L-corp até o dia 27. Corina fala confusa.

Sorrio

-Meu outro trabalho...

-Ah sim. Aquele que você luta e atira...ok. Ela diz divertida.

-Esse mesmo. Mas será rápido. Encontro você na casa das meninas. Afinal, quem vai tomar todos aqueles vinhos incríveis agora que Lena não está tomando nada.

-Certíssima. Espero você lá.

----------------------------------

Kara

Saiu da festinha da redação e encontro com Alex no DEO.

-Que bom que vieram meninas - Jon diz enquanto seguimos para sala de reuniões – Chamei vocês aqui pelo motivo obvio.

Ele mostra nossas fotos na loja de bebês.

-Possivelmente todos vocês estarão sendo acompanhadas de perto por paparazzi então cuidado redobrado. Alex você terá que se afastar momentaneamente do DEO, continuará a participar de missões importantes, mais o trabalho diário, gostaria que você fizesse da L-corp, como vem fazendo, e me mandando relatórios.

Alex assente.

 -Kara. Parabéns, estou muitíssimo feliz. – Ele diz amistoso – Contudo, não podemos correr o risco de alguém fotografar você como supergirl...

Assento e olho preocupada para Alex.

-Então, peço que você não faça muitas aparições, só em casos extremos ok? Não dispenso a possibilidade também de em algum momentos públicos, você aparecer como Kara e eu sair voando por ai como supergirl ok? Vamos vendo de acordo com a necessidade.

-Jon, não sei como agradecer. Muito obrigada. Abraço sinceramente o homem a minha frente.

-Por nada - Ele diz tranquilo – Por hora estão dispensadas.

-Certo. Esperamos você lá em casa ok?

-Pode contar comigo.

Saimos e cruzamos com Winn.

-Ei Kara. Um filho. Caramba. Diz com um grande sorriso.

-Siiiim - Digo recebendo seu abraço – Estamos indo para casa, esperamos vocês todos lá ok?

-Blz, eu e James vamos aparecer lá, afinal.....quem dispensaria tanta comida boa. Diz divertido levando um tapa de Alex.

Saimos do DEO.

- Você vai com Corina?

-Sim - Ela diz com um sorriso diferente – Vou voltar para o flat dela, dormi lá.

-huuuuum e....

-E....que eu estou apaixonada por ela.

Sorrio feliz.

-Mas hoje de manhã tentei dizer isso a ela, mas ela me cortou, falou que sabe que tenho algo mal resolvido com Maggie e que ela vai voltar qualquer hora destas e teremos que nós resolver.

-E ela esta errada?

-Não - Alex diz abaixando a cabeça – Essa conversa não vai ser fácil, mais eu estou cansada de machucar Corina, de ter esses sentimentos mal resolvidos por Maggie...

-Eu sei - Puxo ela e passo o braço por cima de seus ombros -  Vai dar tudo certo. Ok? Estou aqui para o que você precisar.

-ok.

Nos despedimos e seguimos caminhos diferentes.

 

Lena

Começo a verificar as coisas para a ceia de natal, passo pela sala, ligo a arvore e confiro os presentes.

-Sra Luthor, as louças já estão separadas, já arrumei a mesa na sacada como a sra pediu. Só esta faltando a Sra Danvers finalizar. Maria diz.

-Obrigada Maria. Já falei que não precisa dessa formalidade toda. Pode me chamar de Lena.

-Desculpe. É o habito. As comidas estão todas em ordem, as sobremesas estão acondicionadas e as bebidas separadas.

Kara entra pela sala.

-Ei linda - Me alcança dando-me um selinho – Olá Maria como vai? Obrigada por nos ajudar novamente mais....-Ela olha em seu relógio – Já está na sua hora. Eu e Lene não temos intenção nenhum de tira-la de sua família hoje.

A moça sorri e assente.

-Estava só finalizando com a sra Lena.

-Então vem comigo que vou fazer seu cheque. Kara diz e eu tento conter minha surpresa.

Elas saem para o escritório e penso que deve ser a primeira vez que Kara vai assinar um cheque de nossa conta conjunta. Nosso gerente irá até estranhar. Sorrio pensando. Enquanto elas voltam.

-Feliz Natal. Maria nos deseja e sai pela porta.

-Acho que sr Bauner vai me ligar para perguntar se você assinou mesmo esse cheque. Digo divertida olhando para Kara.

Ela revira os olhos.

-Muito engraçadinha você - Ela vem e me beija – Estava pensando aqui...Li algo sobre mulheres gravidas que tem um aumento na libido. O que você me diz disso? Diz beijando meu pescoço.

-Hum.....acho que talvez seja verdade...principalmente pelas manhã, quando acordo sozinha, porque você foi presentear outra....Digo tentando me manter firme.

Kara sorri e continua investido.

-Não me diga - Aperta minha cintura me trazendo para mais perto dela – Quer dizer que hoje, justamente hoje que tive que sair cedo, você estava com essa disposição.

-Talvez...- Sorrio quando ela desce e aperta minha bunda – Acho que você terá um pouquinho de trabalho para tirar essa má impressão que ficou...

-E como eu poderia fazer isso? Ela diz mordendo discretamente minha orelha.

-Não sei...me surpreen... Antes de eu terminar ela me toma nos braços – Kara....Rio-me.

-Será maravilhoso surpreender você.

No quarto Kara me põe na cama e se afasta ficando em minha frente. Lhe olho confusa. E ela sorri.

-Eu estava pensando aqui....

Ela começa a desabotoar a blusa, entendo seu jogo e lhe olho vidrada.

-Hum...

-Daqui a bem pouquinho tempo, nosso filho vai ficar maior, sua barriga também...

Ela tira a blusa e abre lentamente o zíper lateral da saia.

-Vamos ter que começar a experimentar posições diferentes...

A saia cai deixando Kara de lingerie e meias calça. Ela se aproxima da cama e põe uma das pernas entre as minhas, começa a retira a peça lentamente, me deixando totalmente excitada.

-Posições...digo olhando seus olhos.

-Sim, posições inusitadas, diferentes, afinal o fato de eu ser uma futura mãe, não fará com que eu deixe de ser uma esposa atenciosa com nossa relação...

-Não mesmo. Digo assistindo ela tirar a outra.

-Amaremos nosso filho, demais, mas....também amo loucamente a mãe dele – Ela se aproxima para me beijar e antes que eu capture seus lábios ela se afasta – não sei se consigo ficar sem sentir você – ela diz tocando minha intimidade me fazendo gemer seu nome.

-Kara....oh my.

-Não sei se eu consigo ficar muito tempo sem você gemendo meu nome assim...

Ela diz me dando um beijo de tirar o folego. Quebra nosso contato e nua em minha frente sobe na cama e começa a tirar minha roupa com alguma rapidez. Nossos corpos se encontram e só consigo pensar em ser dela.

-Kara....eu....

-Eu estou tentando surpreender você baby....lembra?

Balanço a cabeça lentamente. Ela me beija dos pés a cabeça, pega minha mão e põe um de meus dedos em sua boca, chupa lentamente e sinto que não vou aguentar mais.

-Kara...eu preciso que ...

-Precisa? Diz o que você precisa.

Dignidade não há.

-Preciso que você me coma, não aguento mais...por favor...

Ela sorri vitoriosa. Me pega firmemente me trazendo para mais próximo. Beija meu seios e eu me abro louca para sentir ela entre minhas pernas. Ela entende e prontamente se encaixa em mim. Começa um movimento lento que me deixa louca.

-Você esta querendo me enlouquecer...

Ela sorri e aumenta os movimentos, firmes, intensos e certeiros. Sinto seu peso sobre meu corpo e cada vez que nosso contato aumenta eu sinto um orgasmo intenso se aproximando. Ela geme em meu ouvido. Sabe que eu amo quando chegamos juntas ao ápice, que vem avassalador, levando o ultimo fio de energia que havia em nós. Sinto Kara deitar sobre mim.

-Feliz natal amor. Ela diz tirando um sorriso de meu rosto.

-Feliz natal baby.

Fecho meus olhos por um segundo e logo ouço a campainha tocando. Acordo perdida e Kara não está na cama. Antes que eu a procure ela sai do banheiro. Linda. Perfeitamente arrumada.

-Ei que bom que você acordou. Nossos convidados estão chegando.

-Oh my. Digo rolando pela cama. Ela me dá um beijo delicado.

-Se arrume, deixa que eu vou recebendo-os ok?

-ok.

Sai e deixa seu perfume em minha companhia.

 

Kara

Deixo o quarto e vou até a sala, abro a porta para Alex e Corina.

-Olá meninas.

-Ei. Alex diz me abraçando e Corina faz o mesmo com uma sacola de presentes em mãos.

-Ponham os presentem embaixo da arvore. Digo enquanto elas entrar.

-Caramba conseguimos chegar antes da mamãe? Alex pergunta.

-Exatamente. Lembra que eu disse para você passar no andar dela e chama-la?

-Oh my....Sim. Esqueci. Vou dar um pulo lá - Alex diz -  Já volto. Diz para Corina.

-OK.

Vemos Alex cruzar a porta e ficamos eu e Corina na sala. Sozinhas.

-Você quer tomar algo? Ofereço a ela.

-Humm, acho que ainda não. Você precisa de ajuda em algo?

-Na verdade sim. Preciso arrumar a mesa.

-Vamos lá.

Saimos para a sacada e enquanto arrumamos a mesa começamos a conversar.

-Alex falou comigo, sobre você. Digo olhando para Corina enquanto a analiso.

Ela suspira.

-Kara...eu sei que deve ser estranho para você. Temos aquelas situações meio estranhas do passado. E agora estou com Alex...Quero que você saiba que eu gosto dela. Mesmo. Diz olhando em meus olhos.

-Eu sei. Digo baixinho, enquanto escuto seu coração.

Ela me olha confusa.

-Quero dizer, que eu percebo. Essa proximidade de vocês.

-Ah...sim. Sei que meu passado não fica muito a meu favor, mais não era minha intenção fazer essa bagunça na vida da sua irmã – Ela faz uma pausa – Só não pude evitar. Aconteceu. Corina diz sincera.

-Sim. Alex está em um momento complexo mesmo. Espero que ela possa se resolver o mais breve possível. Ela é incrível e merece ser feliz.

-Sim. Se depender de mim, posso te garantir que essa será minha maior disposição – Ela faz um breve silencio – Sabe, quando eu vi você e Lena se beijando e você saindo correndo...

Sorrio balançando a cabeça.

-Não, serio. Quando você saiu, eu e Lena conversamos, tenho certeza que na época ela explicou que nosso relacionamento não era propriamente um namoro...

Confirmo positivamente.

-Sim. Então quando ela falou que também estava apaixonada por você, eu entendi perfeitamente. Sai da vida dela daquela maneira, para que vocês pudessem se acertar e serem felizes.

-Eu sei. Digo tranquila olhando em seus olhos.

-E eu faria o mesmo mesmo por Alex. Se ela achar que será feliz com Maggie, eu vou me retirar. Eu não sou a pessoa que atrapalha a vida dos outros Kara – Ela sorri tristemente – Então você pode ficar tranquila, que eu vou entrar no primeiro avião que me leve para longe dela, mesmo que... Ela se cala.

-Mesmo que?

-Mesmo que eu esteja deixando uma oportunidade tão boa quanto a que você e Lena encontraram. Ela diz com um sorriso tranquilamente resignado.

Suspiro profundamente

-Corina você dev...

-Ei ai estão vocês.

Alex volta com Eliza.

Eu e Corina nos olhamos encerando a conversa.

-Sim. Estamos.

Alex me olha como se soubesse que algo aconteceu. Mas isso se perde em meio aos cumprimentos.

-Sra Danvers... Corina diz.

-Eliza... - elas se cumprimentam com um abraço – Oi filha, feliz natal.

-Obrigada mãe.

-Onde esta Lena? Pergunta.

-Terminando de se arrumar. Ela sempre demora um tempinhho a mais. Corina e eu estávamos terminando de arrumar a mesa. Hoje não teremos nenhum ajudante, então cada um, por favor, escolha alguma atividade para fazer.

-ok - Alex diz puxando Corina pela mão – Vamos conferir as bebidas. Sai sorrindo divertida.

Eliza balança a cabeça e me olha.

-Ela está feliz ne?

Concordo com a cabeça.

Voltamos para sala e logo todos então chegando. Os pais de Lena, Jon, James, Win. Todos se cumprimentam e são apresentados.

-Ei onde está Lena e a barriga mais famosa de Nacional. Winn fala debochado.

Sorrimos e antes que eu diga Lena aparece pela sala.

-A barriga mais famosa de Nacional City chegou. Diz com um sorriso no rosto.

Todos fazem um “suspiro coletivo”

-Filha...você está linda. Lionel diz dando um beijo em Lena.

-Linda mesmo filha. Lilian toca em sua barriga.

- E vocês estão muito corujas...

Os pais dela riem.

Lena começa a cumprimentar a todos, um a um, recebendo os elogios e os parabéns pelo bebê. Chega em mim, selando meus lábios com um beijo calmo.

-Gente, muito obrigada por todo esse carinho. Mas....estou morrendo de fome.

-Agora sim, cunhadinha você falou tudo. Alex diz.

Os meninos trazem as comidas para mesa e todos tomam seus lugares. Faço um pequeno agradecimento e começamos a comer.

-Meninas vocês já sabem se é menino ou menina? James pergunta.

-Não. Com essas festas de final de ano, não conseguimos marcar a nova consulta - Digo a ele – Mas acho que é menino. Digo olhando para Lena.

-É eu acho que pode ser menino também. Lena diz.

-Acho que é menina. Eliza diz divertida, olhando para Jon.

-Menina. Que passa para Win.

-Menino.

-É menina. Posso apostar. Lionel diz confiante.

Todos dizem suas opiniões.

-Ok pessoal. Quando soubermos digo quem são os ganhadores. Lena diz fazendo todos rirem.

Após o jantar trocamos alguns presentes entre todos, de maneira que ninguém saia sem nada. Entre risadas, comidas e bebidas a noite vai adentrando e o grupo começa a se despedir.

-Filha agora não tem jeito. Você precisará de alguém para cuidar das coisas - Lilian fala e Lena revira os olhos – Onde está a minha nora? Ela com certeza tem mais juízo que você. Kara?

-Dessa vez sua mãe está certa baby. Teremos que ter a ajuda de alguém, daqui a pouco sua barriga será maior e ficará mais difícil.

-Exatamente - Lilian sorri vitoriosa – Podemos providenciar alguém.

-Acho eu já tenho alguém em mente. Lena diz e sorrio concordando. Kara sai ao encontro de sua mãe.

 

Lena

-Ótimo. Fico mais tranquila - Lilian diz - Sei que não é o melhor local querida, mais e L-corp?

-Ainda não sei mãe. Respiro profundamente.

-Você quer que eu e seu pai vejamos alguém?

-Na verdade eu já estou analisando alguns candidatos – Olho para Corina -  Prometo que assim que tiver uma decisão vocês serão os primeiros comunicados. Sorrio lhe passando confiança.

-ok.

Saímos ao encontro dos outros e começam as despedidas.

-Meninas fizemos uma operação coordenada ali na cozinha. Esta tudo nos conforme. Alex diz saindo da cozinha com os meninos e com Corina.

-Você só coordenou mesmo ne Alex? Win diz e leva uma encarada de Alex.

Todos riem e também se despedem de nós.

Quando todos saem sentamos no sofá.

-Uau, tenho que dar o braço a torce. Essa barriguinha aqui já pesa. Logo precisaremos de ajuda mesmo.

Kara puxa minhas pernas, tira meus sapatos e começa a massagear meus pés.

-Você não cansa de ser perfeita não? Pergunto lhe olhando.

Ela sorri e balança a cabeça.

-Amor...a única coisa perfeita aqui e essa sua barriguinha linda. Será que eu posso ver com a visão de raio – x se é menino ou menina? Pergunta sapeca.

-Ué? Cadê aquela ideia de normalidade que você queria? Sorrio.

-Estou ansiosa.

-Então vem cá - Puxo ela para deitar do meu lado – Vamos deixar nosso bebê quietinho aqui. –Passo a mão em seus cabelos e ela põe a mão em minha barriga.

-Será que é menino mesmo?

-Não sei linda. Acho que sim. Mas se for menina será incrível também.

-Siiim. Já posso imaginar um ser humaninho correndo por aqui. Kara diz divertida.

- Estava pensando em nos mudarmos para uma casa - Digo reflexiva – Acho que uma casa pode proporcionar mais conforto para uma criança.

-Certo...mas...não será a mansão ok?

Sorrio.

-Quero ver você convencer seus sogros disso.

-Oh my Lena - Ela esconde a cabeça em meu pescoço – Acho que será o primeiro não que sua mãe ouvira de mim.

-Quero só ver a cara dela. Digo divertida.

Resolvemos ir para o quarto, nos arrumamos e deitamos. Dormimos tranquilamente.

Na manhã seguinte, levanto um pouco mais cedo e desço na intenção de preparar uma bandeja de café da manhã para tomamos juntas na cama. Ponho todas as coisas que Kara gosta. Passo no escritório, ligo o note e rapidamente pego o presente dela. Subo com cuidado e vejo ela despertando.

-Ei...quem mandou acordar? Digo lhe dando um beijo.

-Você sabe que sem você aqui eu não me demoro...uau...adorei essas coisas que você trouxe ai. Diz com um sorriso no rosto.

-Que bom que você gostou. Mais tenho certeza que você vai gostar mais desse envelopinho aqui.

-Já começamos os presentes? O seu está lá na arvore.

-Esse aqui é mais um presente para nós duas, se posso assim dizer. Sorrio divertida e ela me olha confusa.

Pega o papel e me olha. Tenho certeza que já ouviu meu coração disparar. Abre o envelope e um lindo sorriso toma conta de seu rosto sonolento.

-Mas...como? Quando você fez isso? As lagrimas caem de seu rosto.

-Quando você saiu ontem de manhã eu fui em um laboratório. Não aguentei esperar até a próxima consulta. Digo extasiada.

-Menina?

-Sim. menina.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...