História One Week - Shawn Mendes - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cara Delevingne, Shawn Mendes
Personagens Cara Delevingne, Shawn Mendes
Exibições 22
Palavras 1.089
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Day 1


Já haviamos terminado o nosso taco de frango, e realmente estava muito saboroso.

Estávamos a espera da conta, até que a garçonete chegou em nossa mesa e nos entregou um papel.

Remexi o meu bolso para pegar o dinheiro para pagar, mas antes que eu fizesse o ato, Shawn se pronunciou:

—Eu pago Melinda.

—Não precisa Shawn

—Eu insisto. Eu te trouxe, eu pago—Falou pausadamente olhando para mim.

—Ok então, mas só dessa vez.

Logo depois que o meu acompanhante pagou a conta, nós saímos do restaurante.

—Então, o que faremos agora?—Perguntei enquanto olhava em volta.

O garoto ao meu lado pareceu pensar um pouco e após um tempinho percebi um sorriso de canto crescer em seus lábios. Logo ele começou a me puxar em direção a um carro.

—Pra onde você está me levando Shawn?—Perguntei confusa.

—Você verá—Ele entrou no carro—Agora entra aqui que eu te mostrarei a vista mais linda dessa cidade.

Acabei entrando no banco de passageiro do carro. Ele tirou as chaves do seu bolso e deu partida.

—Como eu saberei que você não vai me sequestrar e me estuprar?—Perguntei. Havia um tom de brincadeira na minha voz.

Ele soltou uma risadinha.

—Não confia em mim?

—Quer mesmo que eu responda?—Arqueei as sobrancelhas.

Eu olhava a vista pela janela, onde havia árvores e o céu maravilhoso.

—Chegamos—Shawn falou e desligou o carro em seguida.

Descemos e quando percebi, estávamos no que parecia um local em que pessoas acampavam.

—O que a gente está fazendo aqui?—Perguntei confusa.

—Vem—O garoto me conduziu para uma ponta, e percebi que estávamos em uma espécie de morro praticamente fora da cidade.

Tínhamos a vista de toda Port Jervis por aquele lugar. As luzes das casas e restaurantes, dos postes. Uma vista realmente linda.

Eu não estava com um espelho naquele momento, mas eu tinha certeza que a minha expressão era a de mais encantada que existia.

—Gosta do que vê?—Ele perguntou.

—Muito—Eu ainda estava fascinada—A cidade parece tão minúscula olhando por aqui.

—Sim. Eu costumo vir aqui quando quero pensar, ou compor—Ele olhou para mim—É realmente um ótimo lugar para quem quer ter paz por um tempo—Ele suspirou.

—Você trouxe o seu violão?—Perguntei e ele assentiu—Toque algo para mim.

—Ele foi em direção ao seu carro e tirou o seu violão do porta malas. Ele veio em minha direção novamente enquanto eu acompanhava todo o seu movimento com o olhar.

Nos sentamos de frente para a vista e o Shawn começou a tocar. Não consegui decifrar qual música era, mas tinha uma melodia suave.

Ele terminou de tocar e eu sorri para ele.

—A sua voz é linda—Elogiei e ele corou, logo me agradecendo em seguida—Mas, me conte mais sobre você. Desde que cheguei aqui só falamos sobre mim.

—Bem, eu tenho 18 anos. Me formei na escola a 2 semanas e atualmente estou de férias. Moro com os meus pais e a minha irmã mais nova.

—Não sabia que você tinha um irmã—Eu disse—Ela tem quantos anos?

—13

—Sabe...Eu também tenho um irmão—Ele arqueou as sobrancelhas—Nós somos gêmeos.

—Qual o nome dele?

—Matthew.

—A quanto tempo mais ou menos você fugiu?—Ele perguntou olhando para mim.

—Uns 5 dias mais ou menos—Respondi olhando para a cidade.

—Você não sente saudade de casa, ou da sua família?

—Será que...Podemos falar de outra coisa por favor?—Falei suspirando e ele assentiu.

Ficamos em um silêncio durante um tempo. Apenas apreciando a vista.

Até que acabamos olhando um para o outro e ficamos nos encarando.

– Os seus olhos...Eles são tão...lindos – Ele disse olhando intensamente em meus olhos.

Mesmo eu não querendo, sei que acabei corando. Não pelo elogio, mas sim pela forma que ele me olhava. 

Estávamos bem próximos, até que senti os meus lábios se tocarem com os seus.

Ele pediu passagem para língua e nós começamos com um beijo intenso. Estávamos em um beijo lento.

Com agilidade ele colocou a sua mão na minha cintura.

Tivemos que parar por falta de ar.

Nos encaramos sem saber o que falar um para o outro. Soltei uma risadinha e ele me olhou confuso.

– O que é tão engraçado? – Ele perguntou franzindo a testa.

– Você foi o segundo cara que conseguiu me fazer corar.

– Uau. Que honra – ele soltou uma risadinha – Quem foi o primeiro?

– Um garoto na quarta série que me deu um beijo na bochecha.

Ele estava com um sorriso de canto enquanto me encarava atentamente. 

Nesse meio tempo em que ficamos nos encarando, pude perceber alguns traços do seu rosto mais nitidamente. O quanto a sua pele parecia macia, apesar de ter algumas marquinhas de espinha. O quanto a sua boca era bem desenhada e rosada, e o quanto aparentava ser macia, o que era verdade. O seu cabelo castanho jogado para trás de uma forma extremamente fofa. O seu olhar penetrante e sexy ao mesmo tempo, era nítido a intensidade que ele jogava em apenas um olhar que te levava ao delírio. 

Percebi que estávamos a tempos demais olhando um para o outro.

– Bom...acho melhor voltarmos logo. Já deve estar tarde e eu tenho que voltar para o hotel – ele assentiu saindo dos devaneios.

Nos levantamos e fomos em direção ao seu carro, onde entramos. Ele deu partida, e logo aquela vista maravilhosa estava sumindo da nossa vista.

Fomos o caminho inteiro em silêncio. Eu olhava para as árvores através da janela à medida que passávamos.

As vezes eu me perguntava se sentia saudades de casa. Não, eu não sentia, pelo menos até agora não. As pessoas dessa cidade parecem tão acolhedoras, amigas, simpáticas. Aqui tudo parece um mar de rosas, calmaria, paz, sossego. Nada comparado a New York, onde as amizades são superficiais, onde as pessoas são frias e não expressam emoção, onde o mundo parece uma nuvem escura tapando a linda visão do sol. Enquanto todos os meus colegas preferem ficar lá, em suas vidinhas superficiais, eu prefiro estar aqui, apenas vivendo a minha própria paz em um ótimo lugar para pensar.

Estava tão perdida em meus pensamentos que não percebi que havíamos chegado ao hotel. O Shawn estacionou e logo destravou o carro. Dei um beijo em sua bochecha e saí, logo acenando para o mesmo.

Entrei no hotel e ouvi o barulho do carro do Shawn, indicando que o mesmo havia ido embora. Fui para o meu quarto, e quando entrei, me joguei instantaneamente na cama, suspirando logo em seguida.

 


Notas Finais


Oii gente, tudo bem? Então, já que eu entrarei de férias na sexta-feira, vou ter muito tempo para postar novos capítulos. Então eu pensei em manter uma rotina de postagem. Provavelmente irei postar um episódio por semana, mas estou COGITANDO a ideia de postar todos os dias. O que vocês acham?
Não sejam leitores fantasmas por favor, seus votos e comentários me estimulam a continuar postando.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...