História Online. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Batepapo, Computador, Gays, Internet, Jovens, Romancegay, Teens
Exibições 269
Palavras 780
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Mais uma fanfic minha nesse site maravilhoso, que vocês amem essa história como se fosse o filho de vocês pois eu só de começar já estou amando! ♥
Espero que fiquem comigo até o fim e não se esqueçam de ler H.F An Different Friendship, Homophobic e Ignorance.
Beijos, tia ama vocês.

Capítulo 1 - Beija-Flor.


Fanfic / Fanfiction Online. - Capítulo 1 - Beija-Flor.

[ Capitulo 1 - Beija-Flor ] 

O garoto pisava forte no chão, seus cabelos molhados assim como seu suéter em mãos, falsidade havia causado aquilo. Entrou na casa fazendo o maior barulho, a porta bateu e o barulho do sofá se fez presente em seus ouvidos, passou pela sala e deixou o suéter no chão. Ouviu seu pai tentando lhe explicar o porque de trair a sua mãe mas o garoto simplesmente gritou.

- Eu não dou a mínima para a vida lixo de vocês, calem a boca!

E se trancou no quarto, o ódio estava estampado na sua cara. Andy Buttercup era seu nome, sim, como uma flor amarela pois seus cabelos eram loiros e seus olhos eram bem verdes. Sua aparência era de um ser super fofo, ele era baixo e seu rosto ficava vermelho por qualquer coisa simples e era isso que fez acontecer o que aconteceu mas isso fica para depois.

Andy retirou suas roupas molhadas e não se importou em ficar apenas de cueca, se sentou na cadeira do computador e não esperou para liga-lo, foi direto para um site de bate-papo qualquer, sabia o perigo de usar aquilo mas precisava contar sua frustração para alguém. Observou todos os nomes bizarros que tinham ali, de SexyBitch até nome em números até que encontrou um nome que lhe chamou atenção e esse seria o alguém que o escutaria.

Buttercup: Oi.

O tempo passava e nada de uma resposta, a pessoa que tinha uma foto de um coelho cor de rosa parecia não querer conversar com Andy e isso lhe deixou frustrado mas por pouco tempo.

Beija-Flor: Oi, que estranho alguém me chamar.

Um sorriso surgiu nos lábios do garoto e ele rapidamente respondeu.

Buttercup: Você é um garoto, certo?

Beija-Flor: Nossa, você nem precisou ver meu pênis para isso. Estou impressionado, uma salva de palmas.

Buttercup: Sei que garotas nesses bate papos não utilizam fotos de coelhos, muito mais cor de rosa.

Beija-Flor: Parabéns, você conseguiu pensar.

Buttercup: Você é engraçado, por que utiliza isso aqui?

Beija-Flor: Porque eu odeio o mundo lá fora.

Buttercup: Então você me odeia?

Beija-Flor: Você quer que eu te odeie?

Andy por um momento sentiu seu rosto aquecendo, não sabia com quem estava falando, como era e nem que idade tinha. Só sabia que esta pessoa não gostava do mundo lá fora, mas algo lhe dizia que não seria legal sentir o ódio do garoto misterioso, as batidas de seu coração acelerava e ele precisava lhe dar uma resposta.

Buttercup: Você quer me odiar?

Beija-Flor: Não, e agora responde minha pergunta.

O garoto sorriu e sentiu um grande alivio invadir seu peito, não sabia o porque mas era bom saber que o garoto não queria odia-lo.

Buttercup: Não, não quero que você me odeie.

Beija-Flor: Ótimo, como você é? O que está vestindo?

Buttercup: Mas eu nem sei seu nome.

Beija-Flor: Verdade, me chamo Ascot, Ascot Soleil.

Buttercup: Sol? Que nome bosta.

Beija-Flor: Cala a boca, que eu realizo sua fotossíntese.

Andy começou a rir só de pensar em um rosto qualquer enquanto si mesmo realizava fotossíntese.

Buttercup: Você tem razão, me desculpe. Mas eu sou pequeno, e tenho os olhos verdes e sou loiro. Por isso que me chamo Buttercup, Andy Buttercup.

Beija-Flor: Você deve ser bonito, eu sou uma bagunça.

Buttercup: Deve estar exagerando.

Beija-Flor: É sério, faz tempo que não saio de casa, meus pais devem me odiar nesse exato momento. HAHA.

Buttercup: Meu pai está traindo minha mãe nesse exato momento, não sei o que é pior, ir para a escola e meu único “ amigo “ enfiar minha cabeça numa privada e depois molhar todo meu uniforme ou saber que minha família é uma mentira.

Beija-Flor: Não chora, eu estou aqui.

Buttercup: Eu não estou chorando.

E assim se iniciou uma grande amizade, Andy continuava indo para a escola mas ignorava todas as pessoas até mesmo os alunos novos que não tinham nada haver com seu grande trauma. As vezes Andy se sentia um pouco sozinho mas sempre que chegava da escola, Ascot já havia lhe mandado uma mensagem.

Beija-Flor: Acho que devíamos ter o numero um do outro, não é isso que “ amigos “ fazem?

Buttercup: Quem disse que somos amigos?

Beija-Flor: Ai nossa, como dói, essa dor não vai passar, me sinto iludido.

Buttercup: Idiota.

Andy passou seu numero para Ascot e no primeiro momento já lhe mandou uma mensagem para o mesmo salvar seu numero.

Ascot: Você me ama que eu sei.

Andy: Está bebendo? Começou a sair de casa para beber?

Ascot: Você anda sonhando? Não piso para fora do quarto.

Andy: Então nunca vamos nos ver?

Ascot: Quem sabe? 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...