História Only Friends - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer, Twenty One Pilots
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Josh Dun, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais, Tyler Joseph
Tags Cadeirante, Cashton, Joshler, Muke
Visualizações 44
Palavras 1.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Convite


— Você quer ajuda? — um garoto de aproximadamente treze anos, com cabelos claros para em frente à Calum, que esperava por Michel para o poder ajudar a ir para o andar superior do colégio.

— Você falou comigo? — o moreno fala apreensivo, já que somente três pessoas fala com ele na escola, sendo Michel, Luke e sua irmã, o restante, era por deboche ou por extrema necessidade.

— Não, falei com o outro gato que tá do seu lado! — Calum vira seu rosto e não vê ninguém.

— Mas não tem ninguém?! — fala com a expressão confusa, que faz Ashton soltar um riso nasal e mostrando seus dentes emaranhado em um conjunto de aparelhos coloridos.

— Então deve ser você. Prazer, Ashton! — fala com o braço estendido em um cumprimento, em que o moreno aceito.

— Prazer, sou o Calum.

Joy se encontrava sentada na cama do filho mais novo que dormia em seu costumeiro sono das três. Estava chamando-o e acariciando a bochecha farta de Calum até que o mesmo, acordasse com a cara amassada entre outras peculiaridades, que o deixava com uma cara angelical para a mãe.

— Filho, o Josh chegou, ele quer te ver. Que ajuda pra levantar? — Joy fala com o habitual tom de preocupação e se levantando da cama já se apressando para pegar a cadeira de rodas e colocando o mais perto possível para que o mais novo pudesse se sentar com maior facilidade, mesmo a cama sendo adaptada para ter a mesma altura da cadeira, na verdade, todo o quarto se adaptava com a atual condição de Calum.

Após se adequar a cadeira, Calum vai pra sala de estar com sua mãe guiando a cadeira com cuidado.

— Hey pequeno, como vai campeão? — o senhor de cabelo amarelo fala se levantando do sofá e caminhando em direção ao seu anfitrião, com um sorriso.

— Vou bem Josh, como vai o Ty? — Fala assim que terminam o seu cumprimento "secreto", e Josh vai se sentar em um dos sofáres e Calum se acomoda do lado do sofá consequentemente ao lado do mais velho.

— Agora é sério. Cal, bem, o que você decidiu, vai tentar ou não? Lembrando que vai ser por minha conta! — o paramédico fala com um largo sorriso, que daria medo em qualquer um que não o conhecesse.

— Eu vou preparar um lanche, já volto. — a senhora Hood, pega sua deixa para deixar os dois a sós.

— Eu não sei, já foram tantas tentativas, as duas cirurgias, os três anos de fisioterapia, pode parecer pouco, mas se tudo isso não funcionou, não vejo o porquê de da certo agora.

— Cal! — Josh tentava entender o lado do mais novo, sabia que ele sofreu muito com o acidente, para se adaptar a cadeira, a sua nova vida em modo geral. Mas ele tinha esperanças, com todos os processos, Calum conseguiu a sensibilidade nas partes inferiores, ele mantinha a mesma esperança no "seu pequeno" durante todo os dez anos.

— Já disse que você é um filho que eu e o Ty não temos? E que faríamos de tudo por você? — Josh fala com amor e admiração palpável na voz.

— Sim, assim como eu já disse que você é o Tyler são os meus pais gays que eu não tenho! — fala com admiração, já que realmente considerava muito o casal como seus pais.

— Mudando de assunto. Dia vinte e cinco tá chegando, e bem. Eu conversei com a sua mãe, ela concordou com você ir na minha casa de campo. Que tal? — Josh fala com as sobrancelhas arqueadas.

— Sério. Ela deixou mesmo?

— Sim amor, eu deixei, só que com uma condição, você só vai poder levar um amigo, e não pode ser o Michel, ele já foi da última vez. Cuidado Sr. Cafeina, o café está quente. — Joy, aparece na sala com duas canecas, uma com achocolatado para Josh e outra com café preto para seu filho. Quando entregou as canecas se sentou no sofá em frente ao filho, que tinha um rosto em confusão.

— Mas o Luke só vai se o Michel for! E só tem o Ashton, ele não gosta de viagens. — fala abaixando os olhos coma as bochechas coradas bebendo um pouco de seu café, ele sabia que o de olhos claros adorava viagens, sair e conhecer novos lugares, mas não queria se maltratar psicologicamente por ficar perto de alguém que não o correspondia da mesma forma.

— Vamos Cal, eu falo com ele, você nem precisa se preocupar! Qualquer coisa eu pego ele pelos pés e amarro dentro do carro.

— Não. Não. Eu falo com ele. — fala com o tom um pouco acima do comum.

— Tá bom campeão, fala com ele hoje, amanhã a gente sai de manhã bem cedo

— Como assim?!

— Só consegui convencer sua mãe hoje, por isso eu preciso da resposta o mais rápido possível

— Espera, vou mandar uma mensagem pra ele. — Fala retirando seu aparelho do moletom, e esvaziando mais um pouco seu café.

Kiwi: Ash, você topa ir viajar no final de semana agora na casa de campo do Josh?

Ashy: Que horas?

— Que horas nós vamos sair? — fala sem tirar os olhos do aparelho.

— As sete, amanhã, e vamos voltar domingo de tarde. — Josh fala um pouco apreensivo, já que a mãe de Ashton poderia não gostar que o filho faltasse no último dia de aula da semana.

Kiwi: Amanhã ás sete da manhã, a gente volta domingo de tarde, esteja aqui as seis e meia

Ashy: Que pena, vamos faltar amanhã na aula, que triste 

Mentira, graças ao Josh não precisamos fazer o teste de química

Ashy: Até amanhã as seis da manhã Kiwi

Kiwi:  amanhã Ash

— E aí? — o de cabelo amarelo fala com esperança

— Ele vai, vai chegar ás seis, mas me dêem licença que tenho que arrumar minha mochila! — Cal fala alegre por saber que teria alguns dias sem a comum superproteção de sua mãe, mesmo que "infelizmente" iria ver Ashton com sua necessidade de afeto.

— Eu já arrumei. — Joy fala com um brilhante sorriso.

— Obrigado mãe. — E ali estava mais uma vez, o sentimento de incapacidade, não culpava sua mãe por ser superprotetora que não o deixar fazer sua própria mochila, na verdade culpava ninguém, nem mesmo o Anjo Mal, apelido que Michael deu a Josh depois do acidente; isso não ia adiantar, mas o sentimento continuava ali.

Josh mantinha o olha no seu pequeno enquanto tomava seu achocolatado, sabia o que se passava ali, culpa de doze anos de casamento com o psicológico Tyler Dun; sentia a tristeza disfarçada em sorriso de Calum, não podia evitar sentir uma pontada de raiva e culpa em si, já que fora a causa de Calum não poder mais andar e consequentemente fez a senhora Hood ser extremamente superprotetora. Sabia também que esse tempo na pequena viagem o faria se sentir independente, mesmo que com alguns empecilhos, mas faria o seu melhor para garantir a alegria do seu pequeno.

— Bem, tá na minha hora de ir, eu vou na sua escola pra avisar a falta, e depois buscar o Tyler, e vai ser ele quem vai buscar vocês amanhã, okay? — fala se levantando e colocando a caneca na mesa de centro e rumando para a porta da frente. — Tchau Joy, tchau pequeno! — fala já do lado de fora da porta



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...