História Only Friends -Imagine Namjoon - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Kim Namjoon
Exibições 13
Palavras 1.310
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Poesias, Romance e Novela
Avisos: Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu sei que demorei mas é que eu tive um momento difícil por conta das provas, espero que entendam!
Espero que gostem!
Ps:> se encontrarem um "Namjoom" no caminho ignorem, é o sono.

Capítulo 5 - Let's have an ice cream.


Fanfic / Fanfiction Only Friends -Imagine Namjoon - Capítulo 5 - Let's have an ice cream.

A única coisa que eu conseguia fazer era ficar com meus olhos arregalados. Como ele pode? Ficou louco de pedra? Como ele diz uma coisa dessas a Sunny, se ela já fez questão de cortar meus cabelos fora imagina o que ela faria agora que soube disso, mesmo sendo uma mentira.

Meus braços não se moviam para nada, nem mesmo para dar uma tapa na cara daquele safado. Eu estava ali, congelada. Ele fala algumas coisas -que na minha cabeça não faziam sentido nenhum- e eu apenas concordava lentamente com tudo.

Pude ver o olhar de raiva de Sunny aparecer, e podia jurar que vi fumaça sair de suas narinas, ela estava realmente furiosa. Ela poderia facilmente arrancar a minha cabeça fora apenas com o olhar.

-Agora temos assuntos para resolver não é, amor? –Namjoon disse virando sua face para mim com um sorriso sacana nos lábios. Apenas concordei e ele me puxou para fora da escola. Pude ouvir um grito agudo de raiva no final do corredor, não tive coragem de olhar para trás.

Chegando do outro lado da rua eu me toquei do que tinha acabado de acontecer, passei a mão por meu rosto tentando me recuperar do susto e procurei por Namjoon, ele estava alguns passos a minha frente, quando notou que eu estava parada veio até a minha direção sorrindo.

No momento em que ele se aproximou de mim lhe dei uma tapa no rosto, o estalo foi tão alto que eu poderia ouvir da minha casa. Ele recuou para trás com a mão no rosto e uma expressão de dor. O olhei incrédula. –O que você fez?! –Perguntei afoita. –Como teve coragem de falar uma merda daquelas? Tem noção do inferno que eu vou passar agora? –O garoto não respondia nada apenas massageava sua bochecha. –Caralho, seu tapa está mais forte do que a ultima vez, tipo, algumas horas atrás. –Mesmo sentindo dor ele deu um sorriso e se recuperou, a marca de meus dedos ficaram marcados em seu rosto.

-E sim, eu tenho noção. –suspirou- Eu vou te proteger tá legal? –Disse com um olhar confiante. A única coisa que fiz foi dar risada. –O que foi? –Me olhou feio. –Você, me protegendo? –dei uma gargalhada alta. –Você, Kim Namjoon, apanhou de uma garota, no caso yo, e quer me proteger de uma? Por favor. –Passei por ele lhe dando um empurrão no ombro. –É bom que você vá até aquela loira oxigenada e diga que tudo foi uma mentira, quero mais problemas não. –Disse.

Ouvi o moreno correr até mim e ficar frente a frente. –Qual foi? –Perguntei já me irritando.

-Seria tão ruim namorar comigo? –Perguntou, sua face estava confusa e curiosa. –Vamos apenas fingir, por um tempo. Eu só quero tirar umas férias da Sunny, aquela garota tá grudada em mim desde a quarta série. Poxa, da uma ajuda. –Semicerrei os olhos o analisando detalhe por detalhe. Dei meu maior sorriso meigo –Não. –Disse e apertei a sua bochecha, justamente a que eu dei o tapa. Ele contorceu o rosto e retirou a minha mão dali.

-Namjoon não me leve a mal.  Você até que é bonitinho, mas eu estaria perdendo o meu tempo. Não quero me meter em mais uma burrada como essa. –Falei seguindo meu caminho. Parado ele gritou. –Qual foi a ultima vez? –Ele perguntou curioso. Me virei para trás e o encarei. Eu não queria falar sobre aquele assunto, não com ele, alguém na qual eu não tinha intimidade alguma. Me fazer relembrar aquele momento na qual chorei semanas sem parar por alguém que nem ao menos gostava de mim. Que ODIO de mim mesma!

-Não é da sua conta, palhaço! –berrei do outro lado da rua. Ele me olhou estranho e depois sorriu.. Estranhei quando ele se aproximou e parou ao meu lado ainda com o sorriso estampado no rosto. –Vamos tomar um sorvete. –Dito isso pegou na minha mão e me puxou até o outro lado da rua. –Hey, hey. Quem disse que eu quero tomar sorvete com você?! –Perguntei enquanto tentava me soltar.

Quando menos percebi já estávamos na sorveteria. –Qual sabor vai querer? –Perguntou desviando o olhar do menu para me olhar. –Você quem vai pagar? –Perguntei o olhando debochado. Ele sacudiu a cabeça afirmando. Sorri maldosa. –Então vou querer o mais caro, me passa esse menu! –Peguei o menu da mão dele e apontei para o mais caro que tinha. –Esse! –Ele arregalou os olhos. –Você vai me falir desse jeito! – bufou. –De jeito nenhum! –Disse cruzando os braços fazendo cara de emburrado.

O olhei com cara de cachorro que caiu da mudança. –Não vai pagar o sorvete para a sua namorada? –Perguntei fazendo biquinho. Namjoon arregalou os olhos e apoiou as mãos na mesa ficando frente a frente comigo. –Você tá aceitando ser minha namorada?–Perguntou com os olhos brilhando. –De mentira! –Acrescentei. –Tá, tá. Tanto faz. Você aceita? –Perguntou esperançoso. –Cara, isso vai depender desse sorvetão aí. –Apontei para o menu. Ele seguiu o olhar e sorriu. –Beleza, você ganhou senhorita gulosa. Mas teremos que dividir. –Disse já se levantando. –Contanto que você pague por mim, tudo bem. –Respondi me aconchegando na cadeira.

-Ok, me espere aqui, vou lá fazer o pedido. –disse. –Ok, namorado. –Fechei meus olhos me encostando à cadeira.

Eu podia jurar que o senti sorrir ao me ouvir dizer aquilo.

                                                                      {......}

-Cara, eu comi tanto que se eu me levantar eu explodo! –Respondi massageando a minha barriga. –Namjoon riu e se levantou. –Precisamos ir, anda logo que eu ainda tenho que te levar em casa. –Disse autoritário. –Oh! Você tá ligado que não precisa de tudo isso, né? Eu sei onde é a minha casa. Ok? –Me levantei. –Caraca, eu tô me sentindo uma gravida. –Passei a mão na minha barriga. –Espero que seja um menino. O nome dele será Jonnhy. –Sorri ao imaginar isso.

-Essa criança vai sofrer, vamos logo! –Namjoon me puxou até a entrada do estabelecimento. Já estava tarde quando saímos do lugar. Um vento gelado e forte veio com tudo do outro lado da rua me causando arrepios contínuos. Encolhi-me esfregando os braços em uma tentativa inútil de me esquentar. Dei o primeiro passo até o outro lado da calçada deixando Namjoon para trás. Logo senti algo quentinho e reconfortante sobre meus ombros. Olhei para a minha esquerda e Namjoon estava sem sua jaqueta. Ele estava apenas com uma simples camiseta branca de mangas curtas. Olhou-me no canto do olho e me ultrapassou na calçada. Sorri com seu ato, foi algo bem fofo da parte dele.

-Obrigado. –Sussurrei para que eu apenas pudesse escutar. –Disse alguma coisa? – Namjoon perguntou. –Eu? N-não. –Eu gaguejei!! Menina tu não presta!

 

 

                                                                            {....}

-Está entregue! –Namjoon disse assim que paramos na porta de casa. –É, eu percebi...Bom tenho que entrar. Tchau! –disse me preparando para abrir a porta. –Espera! –Namjoom segurou minha mão. –Sim? O que o senhor deseja? –Perguntei em tom debochado. Ele fechou a cara. –Nada não. –Disse cabisbaixo. –Então tá, boa noite. –disse girando a maçaneta.

-Você vai estrar livre amanhã? –Perguntou. –Amanhã? –Pensei- Sim. Por? –Perguntei desinteressada. –Vamos sair amanhã. –Disse confiante. O olhei incrédula.

-Desculpe, não saio com estranhos. –Retruquei.

-Sorte sua que eu saio. Pego você ás duas. –Disse e saiu correndo com um maior sorriso do mundo. –Volta aqui sua peste bubônica, temos que conversar sobre isso! –Gritei para o mesmo que enquanto corria virou o rosto na minha direção e gritou. –Parece que o jogo virou não é mesmo? –Gritou quase virando a esquina e mandou um beijo.

A única coisa na qual eu apenas sabia fazer era rir e, quando percebi que eu era única rindo no meio da noite, entrei para dentro de casa.

-Parece que não vai ser tão ruim como eu pensei! –falei e sorri subindo para o meu quarto. Amanhã o dia seria longo.


Notas Finais


Comentem! Eu adoro ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...