História Only Ghoul - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Tokyo Ghoul
Tags Ação, Ghoul, Romance, Violencia
Exibições 4
Palavras 2.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Escolar, Fantasia, Ficção Científica, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - 2- Body Ghoul...Human Heart


Aine

Estava sentada na minha secretaria a estudar, as provas são para o proximo mês e ainda existem muitos Kanjis que não sei ler, vou emtrar em colapso da qui a nada.

-Aine!!!!!!!!!!! - gritou a minha governanta

-Ryoko! - Respondi - o não vês que estou a estudar!

-Mas eu acabei o meu 6 livro! - comentou

-Aserio, parabens para ti! - respondi elevando o volume dos fones

-Estás ignorar-me!

-Claro que não! - respondi

-Muito bem, apenas vim ca deixar-te uma chavena de café! - disse

Ela colocou a chavena sobre a mesa e rapidamente eu bebia

-Delicioso! - comentei

-Amanhã, é o dia! - comentou

-Eu sei... - respondi seria - eu não quero ir!

-Aine, eu sei que não queres, mas essa é a tua natureza!- explicou

Não, não quero fazer isto, não quero ser um monstro quero ser uma humana normal, quero poder viver sem problemas!

-Apenas o fazemos para sobeviver! - continuou

-Temos o café! - respondi - delicioso

-Não mintas a ti propria, sabes bem que isso não te sasseia! - respondeu

É verdads, nada me sassei mais que um pouco de carne humana, o café é otimo, mas apenas engana os meus instintos.

-Ainda por cima, tens que manter a tua importancia como dona do teu território! - advertiu-me - sabes que muitos o querem!

Eu sou a dona da 4 zona, desde que o meu pai partiu que essa é a minha herança, mas muitos outrso Ghouls o querem porque é um local onde muitos humanos passam mas ninguém sabe que lá vão.

-Eles estão a atacar! - começou - os 3 faces e os Dervant, eles estão a atacar sem nenhuma restrição, qual quer dia vamos ser todos descobertos!

-Eu sei, por este andar, o acordo com o Investigador Chefe vai ser anulado! - respondi

-Aine, nós estamos a tentar, mas muitos não aderiram ao tratado de paz! - esplicou-me - eles continuam a achar que os humanos são apenas alimento!

-Então, teremos que falar com eles, o meu pai deu-nos a possibilidade de viver como humanos, esse foi o seu maior desejo, concerteza eu não o vou fazer com que a sua morte seja em vão! - respondi seria

-Achas que vais conseguir? - perguntou desconfiada - sabes bem que paciência é algo que um Ghoul não tem!

-Será dificil, mas eu acredito que todos nós temos um pouco de senso comum, mesmo que seja pouco! - respondi - eu acredito que apesar de tudo não somos assim tão diferentes dos humanos!

Olhei para a Ryoko que estava a desabar em lágrimas

-O que foi? Ryoko! - perguntei preocupada

-Estás a crescer tão rapido! Concerteza vais ser como o teu pai! - respondeu

-Não, eu não quero ser como ele, eu apenas não o quero desiludir! - respondi - Mas, agora preciso de estudar!

-Sim, claro! - respondeu

Ela saiu e incostou a porta, eu suspirei, bebi mais um golo daquele maravilhoso café, e voltei para os livros. A materi não era muito dificil,o meu problema era mesmo intender todos aqueles Kanjis, todos eles com significados diferentes, alguns ja tinha decorado, por exemplo sabia escrever o meu nome completo! Mas mesmo assim, havia muitos que por mais que estude não sou capaz de mentalizar!

-Talvez devesse ler mais livros...! - murmurei

Encostei as costas na cadeira e fixei o teto

Isto significa Sol Radiante

De repente lembrei-me daquilo que aquele rapaz me disse, ele parecia ser inteligente e entendia bem todos os Kanjis

-Talvez ele me pudesse ajudar! - voltei a murmurar

Os teus olhos são perfeitos assim como são

Corei ao recordar aquelas suas palavras, nunca ninguém me tinha dito algo assim...nesse momento senti-me feliz, mas um pouco estranha, algo realmente me incomodava nele, melhor me atraía, o seu cheiro, mais doce que qualquero outro, talvez seja por isso que me tentava manter destante dele, mesmo sem o perceber eu já estava a conter os meus instintos.

Mas apesar de já terem passado quase 5 horas desde a última vez que o vi, ainda consigo sentir o seu aroma

-Estranho, pensei que lhe tinha devolvido aqueles ganchos! - murmurei

Os ganchos que ele me dera tresandavam a ele, por isso mal os tive em mão o meu sangue começou a burbulhar e quase libertei o monstro em mim, sabia que não podia ficar com eles, por isso devolvios.

Cheirei o ar á procura da fonte daquele cheiro, esse aroma vinha exatamente de dentro da minha mochila. Levantei-me e abri esta, aí o cheiro intensificou-se. Remechia mas isso apenas fez ele espalhar-se pelo ar, mas acabei por conseguir achar a fonte daquele odor!

-O caderno dele? - analisei a capa do caderno com os Kanjis Haruka Akise

Abriu e vi os varios Kanjis com significados

-Ele realmente decorou estes todos! - estava suprendida

Entre muitos, encontrei uma frase que me chamou a atenção

Olhos Roxos são perfeitos assim como são!

Então, ele já tinha reparado neles? Não, telvez tenha escrito isto enquanto eu fazia os exercícios, estou confusa...sempre tive odio por estes olhos, este roxo assim, uma cor que ninguém tem, algo que me destingue deles, algo que quero esconder...existe alguem que realmente gostou deles!

-Akise, será que realmente posso aprender a gostar de mim? - murmurei

Levantei-me e dirigi-me á estante da sala, no escritorio estava a minha Tia a escrever o seu livro

-Ti-Ryo? - chamei

-Oque foi Aine! - perhuntou

-Porque é que tu escreves sobre Ghouls, tu disses-te que odiavas ser um! - perguntei-lhe

Ela tirou os seus oculos e guardou-os, bateu com a mão no tampo da cadeira ao seu lado e eu sentei-me nesta

-Eu não escrevo sobre os Ghouls como algo mau! - começou - eu escrevo sobre uma rapariga que quer ser mais que um monstro!

-Tal como eu...! - murmurei

-Sim, tu és o meu modelo! - começou - tu és quem dá vida a esta pequena rapariga indecisa!

Ela olhou para mim seria mas ainda com uma expressão amigavel

-Não quero que os humanos pensem que somos uns monstros, quero que eles percebem que apenas matamos para subreviver e que temos sentimentos, assim como os humanos,somos capazes de amar e de chorar, sorrir e trair, apesar de tudo somos como eles!

A Ryoko pensa como eu, e acho be, aquilo que ela está a fazer, quero deixar de temer as ruas, quero puder sair sem ter a cabeça a preço, quero estudar, formar-me, construir familia e morrer feliz!

-Mas, é mais dificil do que parece...  - começou

-Não! Vais ver nós vamos conseguir, vamos arranjar uma forma de subreviver sem matar! - acalmei-a

Ela olhou par mim e tentou forçar um sorriso, sabia que o que eu estava a dizer setia impossível, nada é capaz de nos sassiar para além de a doce e tenrra carne humana, e até eu me babo só de sentir o seu cheiro.

-Vou fazer café! - disse

Levantei-me e fui á cozinha,  abri o armario que apenas tinha sacas de café e tirei uma delas para preparar um!

Continua...

Aine

Estava sentada na minha secretaria a estudar, as provas são para o proximo mês e ainda existem muitos Kanjis que não sei ler, vou emtrar em colapso da qui a nada.

-Aine!!!!!!!!!!! - gritou a minha governanta

-Ryoko! - Respondi - o não vês que estou a estudar!

-Mas eu acabei o meu 6 livro! - comentou

-Aserio, parabens para ti! - respondi elevando o volume dos fones

-Estás ignorar-me!

-Claro que não! - respondi

-Muito bem, apenas vim ca deixar-te uma chavena de café! - disse

Ela colocou a chavena sobre a mesa e rapidamente eu bebia

-Delicioso! - comentei

-Amanhã, é o dia! - comentou

-Eu sei... - respondi seria - eu não quero ir!

-Aine, eu sei que não queres, mas essa é a tua natureza!- explicou

Não, não quero fazer isto, não quero ser um monstro quero ser uma humana normal, quero poder viver sem problemas!

-Apenas o fazemos para sobeviver! - continuou

-Temos o café! - respondi - delicioso

-Não mintas a ti propria, sabes bem que isso não te sasseia! - respondeu

É verdads, nada me sassei mais que um pouco de carne humana, o café é otimo, mas apenas engana os meus instintos.

-Ainda por cima, tens que manter a tua importancia como dona do teu território! - advertiu-me - sabes que muitos o querem!

Eu sou a dona da 4 zona, desde que o meu pai partiu que essa é a minha herança, mas muitos outrso Ghouls o querem porque é um local onde muitos humanos passam mas ninguém sabe que lá vão.

-Eles estão a atacar! - começou - os 3 faces e os Dervant, eles estão a atacar sem nenhuma restrição, qual quer dia vamos ser todos descobertos!

-Eu sei, por este andar, o acordo com o Investigador Chefe vai ser anulado! - respondi

-Aine, nós estamos a tentar, mas muitos não aderiram ao tratado de paz! - esplicou-me - eles continuam a achar que os humanos são apenas alimento!

-Então, teremos que falar com eles, o meu pai deu-nos a possibilidade de viver como humanos, esse foi o seu maior desejo, concerteza eu não o vou fazer com que a sua morte seja em vão! - respondi seria

-Achas que vais conseguir? - perguntou desconfiada - sabes bem que paciência é algo que um Ghoul não tem!

-Será dificil, mas eu acredito que todos nós temos um pouco de senso comum, mesmo que seja pouco! - respondi - eu acredito que apesar de tudo não somos assim tão diferentes dos humanos!

Olhei para a Ryoko que estava a desabar em lágrimas

-O que foi? Ryoko! - perguntei preocupada

-Estás a crescer tão rapido! Concerteza vais ser como o teu pai! - respondeu

-Não, eu não quero ser como ele, eu apenas não o quero desiludir! - respondi - Mas, agora preciso de estudar!

-Sim, claro! - respondeu

Ela saiu e incostou a porta, eu suspirei, bebi mais um golo daquele maravilhoso café, e voltei para os livros. A materi não era muito dificil,o meu problema era mesmo intender todos aqueles Kanjis, todos eles com significados diferentes, alguns ja tinha decorado, por exemplo sabia escrever o meu nome completo! Mas mesmo assim, havia muitos que por mais que estude não sou capaz de mentalizar!

-Talvez devesse ler mais livros...! - murmurei

Encostei as costas na cadeira e fixei o teto

Isto significa Sol Radiante

De repente lembrei-me daquilo que aquele rapaz me disse, ele parecia ser inteligente e entendia bem todos os Kanjis

-Talvez ele me pudesse ajudar! - voltei a murmurar

Os teus olhos são perfeitos assim como são

Corei ao recordar aquelas suas palavras, nunca ninguém me tinha dito algo assim...nesse momento senti-me feliz, mas um pouco estranha, algo realmente me incomodava nele, melhor me atraía, o seu cheiro, mais doce que qualquero outro, talvez seja por isso que me tentava manter destante dele, mesmo sem o perceber eu já estava a conter os meus instintos.

Mas apesar de já terem passado quase 5 horas desde a última vez que o vi, ainda consigo sentir o seu aroma

-Estranho, pensei que lhe tinha devolvido aqueles ganchos! - murmurei

Os ganchos que ele me dera tresandavam a ele, por isso mal os tive em mão o meu sangue começou a burbulhar e quase libertei o monstro em mim, sabia que não podia ficar com eles, por isso devolvios.

Cheirei o ar á procura da fonte daquele cheiro, esse aroma vinha exatamente de dentro da minha mochila. Levantei-me e abri esta, aí o cheiro intensificou-se. Remechia mas isso apenas fez ele espalhar-se pelo ar, mas acabei por conseguir achar a fonte daquele odor!

-O caderno dele? - analisei a capa do caderno com os Kanjis Haruka Akise

Abriu e vi os varios Kanjis com significados

-Ele realmente decorou estes todos! - estava suprendida

Entre muitos, encontrei uma frase que me chamou a atenção

Olhos Roxos são perfeitos assim como são!

Então, ele já tinha reparado neles? Não, telvez tenha escrito isto enquanto eu fazia os exercícios, estou confusa...sempre tive odio por estes olhos, este roxo assim, uma cor que ninguém tem, algo que me destingue deles, algo que quero esconder...existe alguem que realmente gostou deles!

-Akise, será que realmente posso aprender a gostar de mim? - murmurei

Levantei-me e dirigi-me á estante da sala, no escritorio estava a minha Tia a escrever o seu livro

-Ti-Ryo? - chamei

-Oque foi Aine! - perhuntou

-Porque é que tu escreves sobre Ghouls, tu disses-te que odiavas ser um! - perguntei-lhe

Ela tirou os seus oculos e guardou-os, bateu com a mão no tampo da cadeira ao seu lado e eu sentei-me nesta

-Eu não escrevo sobre os Ghouls como algo mau! - começou - eu escrevo sobre uma rapariga que quer ser mais que um monstro!

-Tal como eu...! - murmurei

-Sim, tu és o meu modelo! - começou - tu és quem dá vida a esta pequena rapariga indecisa!

Ela olhou para mim seria mas ainda com uma expressão amigavel

-Não quero que os humanos pensem que somos uns monstros, quero que eles percebem que apenas matamos para subreviver e que temos sentimentos, assim como os humanos,somos capazes de amar e de chorar, sorrir e trair, apesar de tudo somos como eles!

A Ryoko pensa como eu, e acho be, aquilo que ela está a fazer, quero deixar de temer as ruas, quero puder sair sem ter a cabeça a preço, quero estudar, formar-me, construir familia e morrer feliz!

-Mas, é mais dificil do que parece...  - começou

-Não! Vais ver nós vamos conseguir, vamos arranjar uma forma de subreviver sem matar! - acalmei-a

Ela olhou par mim e tentou forçar um sorriso, sabia que o que eu estava a dizer setia impossível, nada é capaz de nos sassiar para além de a doce e tenrra carne humana, e até eu me babo só de sentir o seu cheiro.

-Vou fazer café! - disse

Levantei-me e fui á cozinha,  abri o armario que apenas tinha sacas de café e tirei uma delas para preparar um!

Continua...



Notas Finais


Por favor, cliquem na estrelinha!🌟⭐️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...