História Only Mine - Capítulo 37


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags 50 Tons De Cinza, Adultério, Drama, Romance, Sexo, Tortura, Violencia
Exibições 215
Palavras 3.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


PRE- PA-RA o coraçãozinho monas!

(Ben na capa, sei que é o Justin mais finjam que é o Benjamin)

Boa leitura.

Capítulo 37 - It can not be


Fanfic / Fanfiction Only Mine - Capítulo 37 - It can not be

Algumas coisas voltam, outras não. E a única lição que eu tiro disso tudo, é que tudo teve seu motivo, para ter sido dessa maneira. — Caio Fernando Abreu. 

 

É obvio que as coisas mudam, a nossa volta se transforma, tudo se cria e evoluí, para o bem ou para o mal, isso convêm do seu carácter, das suas escolhas e atitudes. Como as estações do ano, mudam conforme os meses, as floras das arvores na primavera é a visão mais linda da face da terra, mas logo são substituídas por galhos secos, dando espaço ao frio e ao gelo. Assim é minha vida, em uma mudança constante, como as estações dos anos. Grandes escolhas, algumas para o bem, algumas para o mal. A boa é que escolhi o melhor de mim, o meu pequeno Ben, tão lindo e carinhoso, um anjo aos meus olhos e de todos aqui de casa. Não posso acreditar que cinco anos se passaram, e não foi fácil eu confesso, mais ter meu menino comigo me mudou, me fez pensar não só em mim, mais nele,e em Maria. A dor ainda esta, mais é tão pequena que não me derruba mais. Eu deixei de ter medo e me permiti ser livre. Agora sou uma mulher madura, tenho minhas escolhas e opiniões, não me humilho mais a ninguém, e sim eu digo isso por causa dele, Justin. Dizer seu nome em voz baixa as vezes ou lembrar dele não me sufoca mais, eu até tentei perdoa-lo talvez no fundo eu tenha, afinal ele me deu o meu bem mais precioso. Um lindo loirinho, de olhos castanhos que até confunde com o esverdeado claro, nariz afilado, boca em um lindo formato. Ele me ajudou a crescer, e amar mais a vida, tudo graças a ele. Não sei de nada sobre Justin, ou sua mulher, me desliguei inteiramente da vida passada. Meus pais agora estão livres da clínica, eu sinto tanta falta deles e tenho tristeza por eles pensarem que morri, mais eu não poderia voltar, isso taria toda a merda de volta e isso eu não quero. 


_Ei, porque não ficou deitada?- Ouvi a voz rouca de Ross, assim que saio do banheiro. Sorri e fui até o guarda roupa, vestindo um casado grande e quente. 


Eu ainda não sei bem o que temos, é engraçado. Todos sabem que temos algo, mais eu sempre nego, prefiro apenas curti o que temos, ele é uma boa companhia, temos muitas coisas incomuns, ele é grosseiros as vezes por bobagens, mais mesmo assim estamos tendo isso. Eu sei que ele me ama, ele já me disse diversas vezes mais eu não disse nada. Eu sei, eu mudei estou madura mais não sei como controlar uma relação, pois é nem tudo é perfeito. Eu tenho um imenso carinho e admiração por Ross, apensar de alguns erros, e ele é incrível comigo, Maria e Ben. Ben o adora e isso me reconforta, mais Ben sabe que ele não é seu pai, eu lhe disse que seu pai tinha viajado e não podia voltar por não ter como, e ele pequeno como é entende que nem tudo podemos ter, meu pequeno homenzinho. 


_Prometi andar na neve com Ben...- Em frente a penteadeira, arrumei meus cabelos já maiores, e na cor de antes, loiro.


_Se quiser posso ir com vocês...você sabe, eu faço um ótimo boneco de neve!- O vejo levanta vestido apenas em sua cueca, ele me abraça por trás e eu sorriu agradecida.


_Sei que sim, mais prometi um dia só de mãe e filho.- Ele me olha profundamente pelo espelho e eu faço o mesmo. 


_Tudo bem...-Ele arruma meus cabelos e beija meu pescoço, fazendo um leve arrepio. - Você é linda...muito linda.


Meu corpo se aquece, afinal elogios vindos de homens para mim era muito limitado, e saber que ele me acha linda, é tão bom. Não apenas meu corpo, como ele achava. Mais eu relevo até porque eu quero deixar isso atrás...pra sempre.


_São seus olhos. - Brinquei, e me viro o abraçando.


_Eu te amo...- Ele diz beijando minha boca e eu retribuo, mais me sinto péssima por não o ama-lo da forma que ele merece. Quando nossas bocas se descolam, eu o olho com ternura, quero que ele saiba que mesmo não o amando da forma que ele quer, eu ainda o amo. - Não precisa me olhar assim...eu sei que não me ama como eu quero. - Disse ele como se conseguisse ler minha mente, e as vezes eu até acho que sim. Mais sei que ele apenas me conhece bem. 


_Ross, já tivemos essa conversa, você sabe que te amo, mais eu ainda não estou cem por cento curada, eu ainda tenho feridas profundas...só espere.


Ele assente e me solta, eu sei que é pedir demais, um homem como ele esperar por mim. Um dia isso vai mudar e eu não vou poder fazer nada contra isso, eu vou deixa-lo ir e viver feliz, porque eu o amo como um homem que me ajudou quando eu mais precisei. Antes de sair do quarto o abracei e lhe dei um beijo.


_Tenha um bom dia querido.


_Cuidado os dois...tenha um ótimo passeio.- Ele adentra o banheiro e  vou até o quarto do meu filho, que fica ao lado do meu,abro a porta devagar, e o vejo de olhos abertos, todo enrolado e quieto, o que me faz acreditar que ele já estava acordado a tempos, Ben é muito ansioso e isso atrapalha no sono as vezes. 


_Ei amor já acordado?- Ele se assusta, mais logo sorrir, mostrando seus dentinhos pequenos e bonitos, me peito se enche de paixão a cada vez que o olho. Pelo que Jeremy me disse, quando ele vem aqui vê-lo ele é a cara do Justin quando mais novo. 


_Mamãe...- Ele abre os braços e me deito ao seu lado, o deixando mais quente. - Desculpa, estou ansioso. 


Ben é muito inteligente, ele ama histórias e com isso ele aprendeu a ler rápido, o que claro me deixou assustada de momento, mais o orgulho é bem maior que isso.

 

_Ainda quer sair? esta bem frio lá fora.- Eu sabia a respostas, mais adoro ver suas bochechas rosadas e um sorriso gigante.

 

_Sim mamãe, quero muito!- Ele se agita e eu o solto, ele se levanta na cama e vejo que já esta arrumado.- Veja, me vesti sozinho! 


Eu ri e ele me olha sorrindo. 


_Já escovou os dentes?- Ele para de pular e faz uma careta. 


_Esqueci mamãe...mais eu vou rapidinho.- Ele desce da cama e me sento.


_Não precisa pressa, vou fazer nossos chocolates, não desça correndo.- O avisei assim que sai do quarto, o cheiro de café estava pela casa e eu encontro Maria comendo, eu lhe dou um beijo e ela sorrir.


_Oh minha menina, já de pé!- Ela me faz sentar ao seu lado, como todos os dias. Me sento e vejo que tudo já esta preparado.


_Ah Maria, eu ia fazer os chocolates, não precisava se preocupar com isso. 



_Ei deixe sua velha vó cuidar de vocês...e não foi nada.- Maria sorrir e faço o mesmo, como sempre gentil.- Ross ainda não levantou? hum que preguiça, deve estar bem cansado. 


Meu rosto fica vermelho na hora, Maria sabe como me deixar assim com facilidade.


_Veja só, esta rosada!- A velha disse rindo de mim e eu a encaro com uma falsa braveza no olhar. 


_Maria você não presta!- Eu ri comendo meu bolo, e ela revira os olhos.


_Eu nunca disse que prestava, alias eu sei que um dia você vai assumir que ama aquele homem, e vão se casar logo.

 

_Está me mandado embora?- Fingi espanto.

 

_O que? mais nem morta que vocês saem daqui, essa casa é sua!- Ela me da um leve tapa no braço.

 

Ouvimos barulho na escada e logo Ben aparece todo quente em suas roupas. Ele sorrir travesso, porque sabe que ouvi ele correr pela escada.

 

_Pare de o olhar assim Sky, deixe o menino!

 

Como toda avó, Maria o deixa fazer o que quiser. E quando eu digo isso é verdade, um certo dia ele desenhou por toda a parede da sala, lhe dei uma bronca mais Maria logo o afastou de mim e lhe aparou.

 

_Ei mocinho, tome seu chocolate!- Afago seus cabelos, ele assente e bebê com gosto.

 

_Mamãe, ontem o vovô Jeremy me ligou!- Eu paro de mastigar e o encaro, e ele continua.- Quer dizer, um amigo dele, falei um tempão com ele, e ele falou que o vovó iria trazer ele pra me conhecer!- Ben se agita e quase derrama o chocolate quente na mesa.- Opa. - Ele gargalha e Maria faz o mesmo. - Ele vai trazer meu carrinho motorizado...eu estou tão ansioso!

 

_Que bom meu amor, fico feliz!- Lhe dei um beijo e voltamos a comer.

 

Jeremy de longe é o melhor avó, mais ele sempre faz o que Ben quer, lhe da presentes e lhe manda uma pensão no qual uso inteiramente para ele. Tenho um trabalho de meio-período que me ajuda com as minhas coisas. Jeremy se apegou a meu filho como nunca achei que ia se apegar, ele brinca com ele quando esta aqui, e parece mesmo amar meu filho como diz. Ainda tenho um pé atrás com ele, afinal ele não foi tão bom comigo como chutou meu traseiro para que me afasta-se de Justin a anos atrás, como medo de que sua esposa soubesse, então muito dinheiro sairia perdido. Mais ele me ajudou, e me trouxe pra cá, então eu lhe agradeço por isso.

Eu geralmente nunca acreditei em mudanças. Eu tinha perspectiva que a gente tem que sair da rotina, conhecer pessoas novas, lugares novos, experimentar novas sensações. E assim se mudar, e agora eu sei disso.  Entro na caminhonete depois de prender bem ele na cadeira de bebê. Liguei a rádio e Ben balançava as pernas ansioso, eu ri diversas vezes.

Quando cheguei a cidade, parei o carro próximo a igreja, a pracinha onde vamos fazer bonecos de neve é próxima, o soltei da cadeirinha e o coloquei na calçada, ele pula animado olhando em volta, retiro a mochila com nossa comida.

_Ei amiguinho, calma!- Ele me puxava, o frio esta forte mais não desconfortável, estamos bem agasalhados. Natal é a melhor data do ano para Ben, ele adora fazer bonecos de neve, fazer anjinho no chão, fazer guerra de neve, e claro o papai noel, ele garante que se comportou muito bem, e que papai noel lhe trará algo muito bom.  Apesar do frio, tinha algumas pessoa se divertindo lá, tirando fotos, fazendo bonecos, apensa apreciando a neve. Deixo nossa mochila no banco próximo e logo Ben se solta e se joga na neve, sua gargalhada fofa me deixa ainda mais apaixonada pelo meu filho, ele abre os braços e fecha, lá vamos nós.

_Olhe mamãe, sou um anjo!

_Sim você é!- Eu disse orgulhosa, e lhe tiro uma foto, ele ri ainda mais.- Faça um pose filho.

Ele faz uma careta e eu bato a foto pelo celular, gargalho ainda mais.

_Vem mamãe, vem. - Me deito ao seu lado na neve e imito seus passos.

Olho meu filho rindo e concentrado brincando e me veio em mente que eu consegui. Sim, depois de uma visita a um passado nem tão distante assim, acabei concluindo que não sou tão frágil quanto imaginava ser, se eu consegui superar a depressão e a automutilação, eu consigo superar qualquer coisa, tenho orgulho de mim.

Logo ele se agita de novo, e logo uma guerra de neve se inicia, quando eu vi muitas das pessoas que estavam lá, participavam da brincadeira, Ben ria alto quando era atingido, e sua língua se esticava quando ele mirava em alguém, ele conseguiu me acertar diversas vezes e eu só conseguia admirá ainda mais meu bebê. Não sei ao certo quanto tempo a brincadeira durou, mais ele parou quando estava sem fôlego, eu lhe ajudei a secar por cima da roupa, impermeável, que não lhe passaram neve para o corpo, me limpei e sentamos no banco e ficamos abraçados vendo o tempo, e a neve. Lhe dei seu lanche e ele comeu de bom grado, se sujando um pouco mais não me importei. Hoje vamos ver um filme antigo,  chamado A felicidade não se compra , é um ótimo filme. Conta a triste história de um homem que tem uma vida difícil e decide se jogar de uma ponte na época do Natal. Ele, no entanto, recebe a visita de um Anjo e passa a repensar sua escolha. O filme se repete todos os anos pelo que sei, e Ben adora, e eu também. É uma tradição nossa agora então sempre faço o possível para vir.

_Pronto?- Lhe peguei no colo e ele me aconchega.

_Sim vamos assistir!- Ele levanta os braços animado. Antes deixo a bolça no carro e pego alguns trocados, e vamos em direção ao pequeno cinema da cidade. A fila estava maior que ano passado, mais não ficamos desanimados, conversei sobre sua escola e seus amigos, ele dissera que Lola estava lhe mandando desenhos de corações nas aulas, ele fica vermelho só de dizer seu nome. Acho fofo, meu homenzinho, eu lhe ensino a tratar bem uma mulher, sempre educado e compreensivo. Ele não será como ele, ele não errara na vida porque eu estarei lhe guiado pra sempre.

Podemos comprar pipoca?- Ele sorri fofo e eu assinto.- Com muita manteiga?

_Muita. - Ele sussurra um yes! e eu fico rindo, já seriamos os próximos, compro uma pipoca média e um chocolate quente extra, sei que ele vai pedir, fomos procurando nosso lugar e a música tema do filme já tocava, muitas pessoas estava sentadas esperando começar, nos sentamos e Ben se encosta ao meu lado, lhe abraço e lhe entrego sua pipoca. O filme se inicia minutos depois, Ben já ria assim como eu e algumas pessoas da cena engraçada.

_Veja mamãe, eles vão pular, que loucura!- Ben acha graça quando eles pula na piscina na festa de véspera de natal com todas aquelas roupas elegantes. Logo a história toma a parte dramática na qual o homem se ver sem saída alguma e sua única alternativa é tentar suicídio. Talvez eu goste tanto desse filme porque de algum modo me lembra a minha história, mais agora eu sei que nem sempre desejar morrer é a única saída. Você tem que lutar, até conseguir.

E bom, pelo que parece eu consegui, me libertei e estou outra pessoa. Fiquei aleia a algumas partes do filme, mais consegui prestar atenção no final, no qual eu já sabia mais ver o sorrido de Ben faz valer apena. Já eram cinco da tarde quando o filme chega ao final, todos saem contentes da sala e Ben ainda agitado pula em quanto anda, o chocolate ainda faz energia em seu corpo.

_Mamãe, será se podemos comer o super do tio Jesse?- Ele põe suas mãos unidas em forma de pedido, eu o olho desconfiada, como eu posso negar algo a ele?

_Você ainda tem espaço nessa barriga?- Apertei a mesma de leve, e ele sorri, seus dentinhos a monstra só o deixa mais lindo.- Tudo bem, podemos comer um super do tio Jesse!

_Eba!- Ele levanta os braços e lhe pego no colo, o frio nos atinge quando saímos do cinema, o aperto ainda mais e ele gargalha, atravessando a rua lá estava a lanchonete de Jesse. É um senhor muito simpático que adora Ben, e ele lhe fez um sundae, com três bolas de sorvete choco-menta, com chantilly, granulado, calda de chocolate e claro a cereja. Um sorvete novo que faz bastante sucesso agora, mais como Jesse disse esse é único de Ben. Adentramos a lanchonete lhe coloco no chão e ele vai correndo até o balcão, alto chamando a atenção dele.

_EI, olhe se não é meu amigão Benjamin!-Jesse diz alto e logo sai atrás do balcão para lhe dar um abraço.

_Oi Jesse como vai?- Lhe pergunto sentando no banco, aceno para as duas funcionárias mais distantes e me concentro em meu filho, que estava com a testa encostada no vidro olhando todos os sabores de sorvete. Apesar do frio, não era ruim, e sempre esta movimentado. No inferno as caldas são quentes, quebrando o gelo e dando uma sensação incrível!

_Estou ainda mais jovem, e veja ainda tenho cabelos!-Rimos do seu jeito engraçado.- Mais então carinha, hoje vai o super tio Jesse?

_Hum...não sei, olhe isso mamãe, tem novos sabores.

_Que tal uma nova invenção?- Claro Ben se agita e pula, e lá vamos nós.

                                                                                                                         ***

_Sabia que ia ficar enjoado, comeu demais filho!- Fiz carinho em suas costas, enquanto ele tinha o rosto rosado encostado em meu peito.

_Desculpa mamãe.- Ele gemeu baixo, e logo vejo Jesse trazer um copo.

_Beba isso filho, vai melhorar seu estômago.- Jesse lhe entrega e ele faz careta ao cheirar o líquido de cor verde musgo.

_Não quero, eca!- Ele nega e eu o olho séria.

_Feche o nariz e beba bem rápido!- Disse Jesse preocupado e ele faz o que lhe pediu, bebendo rapidamente.

_Isso tem gosto de xixi de dinossauro!- Ele diz afobado entregando o copo, e eu e Jessi rimos alto. De onde ele tirou isso?! céus que imaginação.

_Agora temos que ir, já são sete horas sua vó deve estar correndo por a casa.- Fiz carinho nele que ainda estava enjoado.- Jesse já estamos indo, obrigada por tudo, apareça lá em casa qualquer dia, Maria adoro suas histórias malucas sobre o México.

_Sí, sí hermosa chica.- Ele me abraça e logo faz o mesmo com Ben, eles falam baixo e eu apenas sorriu lhes dando espaço, pago tudo e saímos. Ele ainda estava mole então o levei no braço até o carro. Já no mesmo o deixei em sua cadeira e logo adentrei o veículo ligando o aquecedor. O olho e vejo ele de olhos fechados.

_Ainda esta enjoado amor?- Ele assente.

_Está passando mamãe.

Assinto e remoço a viagem para casa, o som estava baixo e uma música meio antiga tocava. Acho que é one of us, cantarolei algumas partes. A neve não cai intensamente, mais me mantenho focada na direção por conta da estrada, Ben parece sonolento. Meia hora se passa e vejo ao longe a fazenda de Maria, tudo iluminado, suspiro aliviada, porque digamos que eu ainda sinta medo de dirigir, assim que passamos perto, da cerca billy começa a latir, e logo Ben desperta. Ele ama seu cachorro, e sempre sai correndo pelo campo com ele ao seu lado. Adentro o grande portão da entrada e vou reduzindo a velocidade, logo vejo um carro branco muito bonito. E franzo os cílios, eu posso não ser muito inteligente com carros mais sei que esse vale muito, um carro de luxo. 

_De quem é esse carro mamãe?- Ben me olha do mesmo jeito que eu, intrigado.- Será se é o vovô? ele só tem carros assim.

Eu paro o carro e o desligo.

_Deve ser filho. - Saio do carro dando a volta no mesmo e abrindo a porta e retirando Ben do seu acento, e logo ele corre para casa ansioso pra ver quem é. Pego a mochila e olho melhor o carro, e logo entro em casa e vejo Maria sentada com um homem diferente. Maria levanta colocando sua xícara no centro. 

_Ah menina, que demora!- Ela me abraça, Ben estava sentado no sofá em frente ao homem loiro, ele estava envergonhado.- Quem bom que chegou, estava preocupada.- Ela me solta e me pega pela mão.- Filha deixe-me apresentar Ryan

O olho de frente e vejo que era um homem, muito bonito, loiro de olhos claros assim como eu, tento me lembrar dele mais não sei. Ele estava de olhos arregalados para o meu lado, não entendi claro e fiquei séria. 

_Querida esse é Ryan Butler um velho netinho postiço!- Maria sorrir e eu assinto ainda séria, afinal ele me olhava como se estivesse vendo um fantasma.- Ryan essa é minha neta Skylar. 

_Oi!- Lhe dei um leve sorriso, e seus olhos se arregalaram ainda mais, ele não me olhava mais, mais sim a cima de mim.

_Maria eu ouvi um barulho de carro.- Uma voz disse atrás de mim, e sinto uma onda de frio me tomar. Não pode ser. 

 

Continua... 


Notas Finais


SIM, eu tinha que colocar o famoso XIXI DE DINOSSAURO na fanfic. Gente, Ben é um amor, ai amo demais meu bebê! Imaginem ele como um clone do Justin, porque sim! CINCO ANOS DEPOIS?! POIS ÉÉÉÉ, então antes de eu sair correndo, literalmente depois dessa bomba (haha) quero pedir MUITO a vocês que olhem minha nova fanfic.

Surrogacy* , Sinopse: De um lado um casal perfeito cheio de amor, mais algo faltava, faltava um bebê para completar a família feliz. Um plano estranho, mais um caminho certo a tomar. Mais nem tudo ocorre do jeito certo; A morte é sua maior dor agora, mais o inesperado acontece, o amor renasce e tudo volta ao lugar, mesmo que ainda ele não saiba lidar com o fato.

_Eu aprendi a te ama quando achei que tinha perdido tudo.

*Tradução do nome da fanfic: Barriga de aluguel * NÃO É CLICHÊ isso eu garanto, e sim é romântica e bem dramática porque eu adoro. Só vou iniciar ela quando acabar ON
Link: https://spiritfanfics.com/historia/surrogacy-7170971 POR FAVOR LEIA MINHA FANFIC https://spiritfanfics.com/historia/surrogacy-7170971 POR FAVOR LEIA MINHA FANFIC, POR FAVOR LEIA MINHA FANFIC, POR FAVOR LEIA MINHA FANFIC https://spiritfanfics.com/historia/surrogacy-7170971

Agora eu posso sair correndo, haha TCHAU AMORES! Desculpa a maldade do capítulo! lol
xoxo Mah


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...