História Only mine - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Tags Irmã, Irmãos, Kino Sakamaki, Vampiros
Visualizações 162
Palavras 1.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo 21 pessoaaaaasss

Obrigada pelos mais de 3.000 exibições pqp

Hoje temos um capítulo meio ( ͡° ͜ʖ ͡°) ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Finalmenteeeeee

Capítulo 21 - Capítulo 21 - HOT


Yuma me levou rapidamente até os Mukamis, pela suas feições parecia um tanto preocupado. Ele foi me carregando no seus braços com a sua velocidade sobrenatural, que poderia ter usado desde o começo. Ao chegar na mansão ele me senta delicadamente no sofá, enquanto eu solto leves gemidos de dor

 

Os outros devem ter percebido o cheiro de sangue, pois todos já estavam na sala me olhando

 

— Ai.. — falei quando Yuma começou a passar álcool na minha perna pra limpar o sangue. Ele parecia tão concentrado, que eu não deixei de reparar o quanto ele estava lindo. Com seus cabelos levemente bagunçados, seus lábios chamativos. Por fim ele colocou aquela faixa branca na minha perna

 

— Humanos.. são.. tão.. frágeis — diz Azusa depois de ficar vendo a cena em silêncio junto com os Mukamis

 

— Fala com se nunca tivesse sido humano — resmungo, tentando mexer a minha perna. Tentativa falha, pois ela começou a doer mais

 

— Fique quieta. Não quer abrir seu corte de novo, não é? — Yuma praticamente grita na minha cara

 

— Tá bom senhor pra que agredir? — digo irônica. Ironia é que não falta

 

— O que foi que aconteceu, Yuma? — Kou pergunta sério — Você está praticamente acabado e a Akane está ferida! — ele parecia que iria explodir ali mesmo e todos concordam

 

— Um cara nos atacou. Ele aparentemente era muito forte, e suas feridas curavam rápido demais ao meu vê — se antes Kou parecia que ia explodir. Agora ele está furioso

 

— Poderia ser um dos Sakamakis? — sugere Ruki

 

— Impossível! Eles quem nos salvaram — falei e todos menos, Yuma arregalaram os olhos. Este abaixa a cabeça claramente envergonhado. Mas eu não o culpo, poderia ter acontecido com qualquer um

 

— É deixaram vocês ir?..

 

— Sim — Yuma responde

 

— Óbvio se estamos aqui, né! — digo irônica, sorrindo pro Ruki. Este revira os olhos, não deixo de sorrir, Ruki revirando os olhos? Essa é boa

 

— Eu não estou entendendo por que os Sakamakis deixaram vocês escaparem — Ruki questiona confuso e os outros concordam. Mas Yuma olhava pro nada e parecia pensativo

 

— Eu vou matar aquele cara — diz Yuma e eu fico em silêncio e eu estava preocupada com ele. Não queria admitir mas eu estou, se ele não voltar? Ou se ferir?

Eu já percebi isso mas eu estou começando a ficar louca preocupada com esse cara! Eu fico tão preocupada e... não, não, não eu me recuso a dizer isso

 

— Eu vou subir — falei e vi uns balançarem a cabeça em negação — O que? Eu não preciso de uma babá e além do mais eu já consigo eu quero voltar pro meu quarto 

 

Me levanto sentindo uma dor aguda na minha coxa, mas nada que não possa suportar. Sentia seus olhares vidrados nos meus movimentos e fui em direção as escadas e me apoiei no corrimão, andei até o quarto da Yui. Bati na sua porta e entrei vendo ela sentada e está começando a virar costume ela ler esses livros de romance

Que iludida, sem ofensas

 

— Akane-chan?! — falou fechando seu livro e consequentemente olhou a minha perna, lá vem pergunta — O que foi que aconteceu? — perguntou preocupada

 

— Anh.. um cara nos atacou e eu acabei me ferindo — falei despreocupada fazendo sinais com a mão, não quero falar sobre o assunto. Ela me olhou e andou até mim me fazendo sentar no pequeno sófa, ali. Eu estou claramente estranhando isso tudo

 

— Você não veio aqui pra isso, certo?

 

— Sim, na verdade eu vim falar sobre uma coisa — falei mordendo o lábio inferior, apreensiva

 

— O que seria Akane-chan? — me olhou curiosa, interessada no que eu iria falar

 

— Ultimamente, eu estou tendo sentimentos estranhos e toda vez que eu vejo uma pessoa, meu coração começava a acelerar, eu sinto coisas no meu estômago e... eu nunca senti isso antes!

 

— Isso só poder ser uma coisa — sorriu largo pra mim e eu olhei curiosa

 

— O que?

 

— Você está apaixonada, Akane-chan! — ela disse simples e eu arregalei os olhos. Eu não poderia estar apaixonada pelo o diabetes, né? Eu odeio ele, não o amo — Eu poderia me saber quem é? — ela me olhou um pouco corada, mas eu não iria falar ninguém precisa saber disso

 

— Você não precisa saber. — disse um pouco fria e ela se encolheu. Ninguém precisa saber que eu sinto algo pelo Yuma... — Obrigada, Yui mas eu já vou indo. — saí sem esperar algo dela e fui para o meu quarto. Entrei no quarto e quis sair na mesma hora

Por que?

 

Yuma estava sentado na cama olhando a paisagem que fazia na janela. Não vou negar ele parecia um anjo. Seria esse sentimento melancólico chamado amor? Nunca me imaginei apaixonada por ninguém, já fiquei com alguns caras mas nada sério.

 

— O que faz aqui? — perguntei. Não é por que eu estou apaixonada por essa pessoinha que eu vou mudar

 

— Você está bem? — veio andando até mim e nesse momento eu queria desviar os olhos pra qualquer coisa que não fosse ele. Mas eu não consegui, que Deus Grego

 

— Estou ótima! — falei tentando me conter com a sua aproximação, meu corpo não regia. Se eu desse um passo agora eu com certeza cairia

 

— Oque ele falou pra você naquela hora? Digo o cara que nos atacou?

 

— Ele queria saber sobre os Sakamakis e minha relação com eles. — acabei por contar tudo e sua reação não foi uma das melhores

 

— Os Sakamakis estão colocando você em perigo — Yuma se afastou e eu agradeci mentalmente por isso

 

— Não acho que fizeram de propósito — falei com certeza. Eu realmente não acho que eles faria alguma coisa comigo.. eu acho

 

— Como?

 

— É, não acho que fizeram isso de propósito. Por que eles teriam nos salvado, então? — reafirmei

 

— Tem razão. Mas eu não vim aqui pra falar sobre isso — falou e eu arquei a sobrancelha. O que ele iria querer falar comigo?

 

— Não? — questionei ainda confusa. Se ele não veio pra isso, então veio pra que?

 

— Você não pode ter esquecido do nosso acordo, não é? — sorriu malicioso e eu entendi. O maldito acordo que eu fiz com ele em troca de respostas

Que maldição

 

— Você não quer matar uma garota que perdeu muito sangue e está de recuperação, né? — fiz drama

 

— Que dramática — riu — Mas você está super bem ao meu ver — ele se aproximava e eu recuava um passo. Ele coloca a mão na parede me impedindo de sair. No mesmo instante ele me mostra as suas presas e eu fechos os olhos esperando, mas ao invés disso eu sinto algo quente nos meus lábios?

 

Yuma selou os nossos lábios eu arregalei os olhos enquanto ele movia os lábios dele contra os meus. Ele puxou delicadamente meu queixo para baixo e adentrou a sua língua na minha boca, no início eu não iria corresponder afinal, era Yuma Mukami ali. Aos poucos eu ia me deixando levar pelo beijo, e o deixando sincronizado conforme os movimentos.

 

Sem nem perceber eu já estava na cama. Ele me deu outro beijo quente e devagar, começou a passar a mão pelo meu corpo e eu empurrei ele. Ele me encarou mordendo o lábio e no mesmo instante ele tira a sua roupa e rasga as minhas. Eu já não sei o que eu estava fazendo, eu estava lúcida queria me entregar para ele

 

— Você é minha — sussurrou dando chupões no meu pescoço, arfei com o ato

 

— Totalmente sua. — eu disse sorrindo pra ele. Nós nos beijamos profundamente, ele passou as mãos pelas minhas costas chegando até as minhas pernas. O beijo começou a ficar selvagem, eu me levantei ficando por cima dele. Pareciamos dois loucos. Desci minha mão pelo corpo dele, chegando no seu membro que já estava ereto. Comecei a chupa-lo e ele gemeu alto, fui indo devagar e ia aumentando a velocidade e ele ia gemendo cada vez mais. Então ele gozou na minha boca, era o gozo mais delicioso

 

Ele agora estava por cima de mim e posicionou seu membro na minha entrada e, sem dó começou a meter. Ele começou forte, me fazendo gemer muito, mas logo diminuiu a velocidade deixando mais gostoso

 

— Ahhhh — ao ouvir meus gemidos ele começou a ir mais rápido e mais forte. Passaram-se poucos minutos e nós gozamos ao mesmo tempo. Caímos na cama, lado a lado, suados e ofegantes, eu podia sentir a respiração pesada dele. Meu coração batia forte


Notas Finais


Depois dessa vou até descansar <3

Estamos quase chegando a 60 favoritos, muito obrigada mesmo

Eu sei que foi curtinho, mas na próxima eu me supero kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...