História Only Nine - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 592
Palavras 2.111
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Pivot, Captain, hottie


Existem ocasiões na vida que você programa minimamente todos os detalhes, perde maior tempo averiguando todas as premissas e quando vai efetivar simplesmente faz a maior burrada da sua vida.

 

Na verdade, eu estou dizendo da minha incrível capacidade de percepção ao perder minha querida amiga chamada virgindade. Pureza. Ingenuidade, o que optarem.

 

Havia sonhado minha primeira vez um verdadeiro conto de fadas, irônico não? Eu queria que fosse memorável, mas no bom sentido da palavra, não que no dia seguinte eu não iria lembrar-se de nada.

 

Minha existência era costumeira, tudo que uma adolescente de dezesseis anos mimada fazia. Despertava as seis, alimentava o meu cachorro, estudava pela manhã e à tarde adormecia. Minha única preocupação era passar de série, além de subsistir com as sobras que meus pais abandonavam na geladeira.

 

Eu poderia ter permanecido em casa assistindo algum filme na Netflix com meu cachorro Paçoca ou simplesmente ter lido um livro de autoestima autodenominado, como-parar-de-ser-trouxa, mas não, escutei minhas não-tão-amigas e acabei engravidando do capitão do time de basquete ou pior, filho do advogado do meu pai. E nesse instante, só sei que estou lascada, com L maiúsculo.

 

Tudo se iniciou há dois meses, quando minhas melhores amigas dispuseram me importunar a sair para comemorar a conquista dos Bulldogs, o afamado time de basquete do Westminster College. Fomos a um public house fronteiriço à escola, chamado Peter's Pub, ao norte da Pennsylvania, frequentemente prestigiado por ter os preferíveis petiscos denotados.

 

Lembro-me explicitamente que o renomado Peter's Pub possuía um ambiente rústico e agradável, toda revistada à moda antiga. Contendo mesas circulares de madeira na companhia de cadeiras estofadas e macias espalhadas por todo o recinto, onde dava uma primorosa visão para o local que faziam os afamados showzinhos ao vivo de bandas regionais que levam o rock’n’roll e suas vertentes para a pista.

 

Aos fundos, havia um espaço destinado para entreter-se, chamado Sport Bar, onde os demais jogadores constantemente acudiam da sinuca e dardos eletrônicos, enquanto podiam harmonizar-se por quatro televisões as transmissões esportivas do dia, além de possuir uma área para os tabagistas, nomeada Backyard Garden, como a exclusiva designação sobressalta, no jardim dos fundos.

 

Estacamos eu e Hinata em umas banquetas perto do balcão, onde existia acesso os mais variáveis petiscos e façanhas, enquanto Ino pegava as bebidas e, ouvíamos uma banda tocar uma música que desconhecíamos em um ritmo bem vibrante.

 

O rumor estava alto e casa estava cheia, todos celebrando a conquista dos Bulldogs. Homens e mulheres para todas as predileções. Jovens loiros, morenos, magros, altos, gordinhos e baixinhos. E pra nossa sorte ou meu azar, os afamados jogadores do time de basquete, dispuseram sentar ao nosso lado esbaldando beleza e cash’s sem fins.

 

Alguns vestiam o admirado uniforme do time, que abrangia o rosto imenso de um bulldog francês impetuoso estampado atrás da jaqueta de moletom azul e vermelho. Já outros optaram para uma roupa mais casual, como uma calça, blusa e tênis, a maioria na tonalidade escura.

 

O bando de aprendizes rumorosos comemorava a conquista da liga dos times, na qual cooperavam todas as escolas das proximidades cercanias de New Wilmington. A equipe nomeada Bulldogs vinha a cerca de dois anos consecutivos auferindo dos demais times, e esse não toleraria ser dessemelhante já que a final será em casa, na tão sonhada Westminster College.

 

— Hinata... — Murmurei. — Acho que tivemos a sorte de compartilhar o mesmo balcão com os garotos mais dotados da nossa escola. — Disse ajeitando meu cabelo.

 

Hinata espiou em volta, e viu os rapazes sentados confabulando animadamente em panelinhas sobre algum argumento nada audível. Por um instante, senti que todos os rapazes mirarem o olhar em nossa direção. E então, antes que eu pudesse abrir os lábios seguidamente e avisar Hinata para ser mais discreta, todos reorientaram os ângulos.

 

— Naruto... — Um sorriso discretamente, se formou no rosto de Hinata assim que percebeu o olhar do loiro de olhos azuis sobre ela. O admirado armador.

 

Revirei os olhos sem demora, observando Ino de papo furado com um seu quase-namorado-fantasma-Sai, que pelo visto também fazia parte do time, já que estava usando a jaqueta azul e vermelha. Em seguida, me fazendo resmungar; e pegar as bebidas que não trouxera desde que chegamos.

 

— Dois copos de vodka, por favor?  — Pedi ao bartender que assentiu assim que ouviu meu pedido, pegando dois copinhos e derramando um líquido transparente sobre eles.

 

— Sakura, você sabe que é fraca com bebidas, estão nem pense em exagerar. — Alarmou-me, antes de eu derramar as duas bebidas pela garganta abaixo.

 

Não respondi nada, apenas outorguei a ir procurar o banheiro, antes que o álcool começasse a correr mais nas minhas veias que o próprio sangue e minha amiga começasse a ditar os malefícios do álcool.

 

-----

 

Já estava à procura do banheiro em alguns minutos. Por enquanto só conseguia vislumbrar pessoas e mais pessoas além de uma entrada grafada banheiro feminino. Então julguei voltar para o balcão antes que abrangessem meu lugar.

 

O som ainda prosseguia alto e as pessoas continuavam dançando prazerosamente com seus copos de bebidas nas mãos. Por um período parei e fiquei observando atenciosamente Hinata papeando com Naruto algum tema nada audível adjunto do Sport Bar, me perguntando o que eu havia perdido. Incisivamente, liberei meus lábios para um sorriso mínimo e palerma, com o aprazimento da minha amiga.

 

Por mais que estivesse eufórica e feliz pela minha amiga, eu me sentia tão exausta que permitir vedar os olhos por algum momento, antes de bater de frente com um indivíduo e quase cair sentada se não fossem as enormes mãos me segurando pela cintura com toda precisão que havia.

 

— Desculpa... eu estava distraída. — Disse num sussurro.

 

Em meio ao total reflexo, levantei meu olhar e pude analisar com mais primor em quem eu havia esbarrado e distinguindo meu herói, que não é ninguém mais, ninguém menos que o capitão do time de basquete, Sasuke Uchiha. O pivô mais ambicionado de toda Westminster College.

 

O garoto possui mais ou menos uns 18 anos, cabelos denegridos desordenados que se contrastavam perfeitamente com sua pele alva e seus olhos extraordinariamente eram escuros, profundos e enigmáticos, que faziam qualquer uma perder a insanidade em 1,85 de estatura. Sasuke trajava uma calça preta e uma blusa da mesma cor, com a jaqueta de moletom do time arregaçada até o meio do antebraço.

 

— Tsc... não se preocupe. — Ele disse com sua voz rouca.

 

Eu não poderia acreditar que o afamado jogador do time de basquete estava falando comigo, ele que é tão circunspecto, sempre está com as preferíveis garotas e perpetuamente procurando o melhor consorte para si.

 

Quando eu menos percebi, um sorriso extenso se formou em meus lábios e rosto, me deixando sem graça e com certeza afogueada. Por um instante, senti meus olhos brilharam e meu coração palpitar o mais rápido que o costume, fazendo-me propriamente desconhecida.

 

Sasuke, surpreendentemente riu, fazendo-me notar seus dentes alinhados e branquinhos, logo apoiando umas das suas mãos sobre meu ombro direito e me tirando dos devaneios.

 

— Você está bem? — Disse baixo, mas o suficiente para que eu pudesse ouvir e sentir suas respiração próxima a minha. — Vamos sentar ali. Apontou para o balcão onde estava sentada mais cedo. — Talvez lá, você se sinta melhor.

 

Engoli seco, assentindo seu pedido e caminhando moderadamente até onde o mesmo havia apontado, analisando uma bancada livre, embarcando em mais uma dose de vodca e vendo de esguelha Sasuke acomodando ao meu lado.

 

— Sakura né? — Ele disse sério.

 

— Uhun. — Murmurei, sentindo meus membros tremerem e aquelas afamadas borboletas no estômago acudirem como se fosse amor à primeira vista.

 

Não que eu ainda não tenha o visto nos corredores do colégio ou até mesmo praticando nas quadras. Nitidamente, ele é o capitão do time, também é melhor amigo do idiota do Naruto, mas nunca tínhamos trocado uma só palavra. Algumas vezes o peguei perscrutando em nossa direção, mas com certeza não era pra mim.

 

— Nunca vejo você nas comemorações do time. O que te trouxe aqui? — Exclamou.

 

Surpreendi-me em saber que ele sentiu falta da minha presença, acreditava fielmente que passasse despercebida.

 

Sinceramente eu não entendi o porquê do capitão do time de basquete insistir em me querer próximo dele, podia apenas me ignorar e ter me deixado cair no chão, fingindo ao menos não me conhecer e que nada havia acontecido como a maioria faz.

 

— Minhas amigas que insistiram em me trazer aqui.

 

— Hum. — Murmurou monossílabo. — E você não está gostando?

 

— Pra ser sincera não, e você?

 

— Também não.

 

Por alguns instantes o silêncio se fez presente, mas seus olhos negros não me abandonaram em momento algum, me deixando inquieta.

 

— Podemos mudar isso... — Disse em seguida bebendo mais um pouco de bebida.

 

— Também acho. — Disse sorrindo minimamente.

 

Realmente era estranho, mas eu estava gostando. Estava gostando da sua companhia e das suas manias, como por exemplo, molhar sua boca com a língua antes de articular alguma fala. Ele não percebia, mas aquilo era extremamente tentador.

 

— Pelo visto o popular capitão não gosta de festas né? — Disse mudando de assunto.

 

Sasuke estalou a língua. — Não me chame de “popular capitão”. — Disse com ênfase. — Apenas de Sasuke. Mas respondendo sua pergunta, você acertou. Não costumo vir e ficar até tarde nas comemorações do time. — Bebeu um pouco de vodka. — Aqui tem muitas pessoas interesseiras.

 

— Engraçado, você me parece bastante interessado nas líderes de torcidas. — Provoquei.

 

— Não digas essas bobagens. — Sorriu de volta, me oferecendo mais bebidas. — Se você fosse umas delas, seria outro esquema.

 

— Uau... então Sasuke Uchiha, o “popular pivô” do time de basquete, lindo e venerável ficaria com uma menina que é tímida e nem um pouco popular?

 

Sasuke por um tempo ficou calado, me olhando com seus olhos inexplicáveis. Sentou ereto e se acomodou antes de entornar mais uma vez o líquido transparente de uma só vez e respirar fundo.

 

— Tsc, também não me chame de “popular pivô”. — Pediu-me. — Na verdade, estou aqui porque quero você.

 

— Sé-sério isso? — Gaguejei.

 

Um sentimento avassalador me consumiu, me deixando estática. Meu corpo não entendia minha falta de jeito. Eu estava tão inerte que não havia percebido o sorriso debochado que Sasuke deixava transparecer nos seus lábios extremamente finos.

 

Levantei meu olhar e me intimidei com aqueles olhos negros me fitando de uma forma avassaladora, uma pontada de nervosismo se formou em meu peito, me deixando inerte mais uma vez. Talvez eu devesse ser mais calma ou até mesmo aceitar um pouco mais suas provocações, mas o nervosismo fazia parte do meu corpo antes mesmo dos meus comandos fizessem algum sentido.

 

Balancei a cabeça espantando todos esses pensamentos e me sentei mais ereta, tentando transparecer um pouco mais calma, mas sua voz rouca se fez presente, fazendo-me cruzar as pernas na mesma hora e entornar mais um copo pela garganta.

 

— Desde hora que eu cheguei e vi você cochichando alguma coisa com sua amiga, ou você acha que esbarrei em você sem querer?

 

— Uau. Nossa Sasuke. — Respirei fundo. — Então...

 

— Então, o que? — Sasuke arqueou uma sobrancelha em surpresa.

 

— O que você está esperando? — Perguntei ansiosa, pois com certeza o álcool havia tomada conta das minhas veias mais que meu próprio sangue. É... realmente Sasuke Uchiha mexe com o psicológico de qualquer uma.

 

— Você me querer. — Sorriu debochadamente.

 

Sorri de volta, fazendo-o balançar a cabeça.  Eu delonguei alguns segundos para absorver o que ele estava gesticulando, e o tempo todo ele olhava pra mim com aqueles olhos profundamente sedutores e impossíveis de decifrar.

 

Ponderei em despachar-se, me ocultar e similar que nunca havia ocorrido nada depois daquele esbarrão, mas sem pensar duas vezes, dei dois passos em sua direção e joguei meus braços enlaçando seu pescoço.

 

E como no intuito repentino seus lábios aproximaram-se dos meus, logo me fazendo sentir sua língua úmida explorar cada canto da minha boca.

 

Com certeza eu não estava no meu melhor estado e ele também não. Então apenas aproveitamos o momento e nos beijamos ali mesmo, sem se importar com ninguém.

 

Sasuke rodeou-me com seus braços fortes, e eu sentia suas mãos fazendo uma leve carícia no meio de minhas costas, resvalando um pouco pela coluna, subindo e descendo. Enquanto, meus dedos pressionavam seus cabelos, trazendo-o mais pra perto.

 

Seu gosto, seu aperto, seu cheiro... Tudo nele era viciante. E naquele momento eu sabia que estava plenamente perdida. Pois Sasuke era uma droga pra mim.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...