História Only You - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Cora (Mills), Henry Mills, Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Once Upon A Time, Outlaw Queen, Outlawqueen, Regina Mills, Robin Hood
Exibições 63
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Musical (Songfic), Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiee
Bom, mais um ai para vocês hehehe

O título do capítulo veio da música “Tempo perdido” – Legião Urbana. Muito amor por essa música, e ela me lembra muito OQ.

Queria agradecer a todos que estão lendo, obrigada mesmo <3

Esse capítulo vai ser regado no drama, porém também vai ter muito amor, o final principalmente <3 Ele também foi bem difícil de sair porque eu perdi tudo o que tinha escrito, então tive que reescreve-lo ><

Eu to postando de 8 em 8 dias mais ou menos, a escola está meio corrida mas assim que eu entrar de férias, provavelmente vou postar com mais frequência, ok?

Enfim, vamos ao capítulo (O que será que aconteceu depois daquele beijo??? Heuheuehue)

*Em itálico é o passado deles (Que eu estou tentando fazer em ordem)
*Em itálico e sublinhado são frases soltas (Se vocês quiserem saber a origem da frase podem me perguntar)
*Desculpa qualquer erro

Capítulo 3 - A Tempestade Que Chega


CAPÍTULO 3 – A Tempestade Que Chega

“Olhe para mim, veja o quanto quero estar com você. Veja o quanto te desejo. Veja como estou virando um bobo apaixonado, mas apenas me veja, querida, me veja”

-Você por aqui novamente? – Robin sentou-se ao lado de Regina no banco mais afastado do pátio da escola. A garota levantou seu olhar do seu livro e o encarou por alguns segundos, balançando a cabeça negativamente

-Acho que devo me preocupar, você está me seguindo – Ela queria se manter séria, mas acabou sorrindo. A duas semanas Robin vinha falando com ela. Na verdade, trocavam poucas frases

-Se preocupar não seria a palavra certa – Robin lhe sorriu também. Os olhares estavam grudados um no outro. Castanho intenso com azul sereno.

-O que você quer comigo, Robin? – A garota foi direta

-Sair com você – E ele foi mais direto ainda

-O que te faz pensar que vou sair com você? – Regina parou de sorrir

-É um pedido, e não uma ordem – O garoto arqueou uma sobrancelha – Mas é um pedido que eu gostaria muito que você aceitasse – A morena ficou em silencio por alguns instantes, mas sem nunca desviar o olhar do dele

-E para onde você me levaria?

-Para um lugar onde você nunca foi

-Você pode ser um maníaco

-Passo o endereço para seus pais

-E se estiver mentindo? – Os dois trocavam as falas rapidamente

-Você terá que confiar em mim

-E quem é você? Só sei que seu nome é Robin – Regina fechou seu livro e se levantou

-Sou o garoto que não te esquece a duas semanas, e que te observa a duas semanas – Ele segurou a mão livre da morena enquanto continuava sentado a fitando de baixo

-Realmente tenho que me preocupar então – Ela riu – Eu aceito Robin...

-De Locksley – Ele sorriu -Regina...

-Mills – Ela tirou um papel do meio do seu livro – Sempre deixo meu telefone aqui caso eu perca o livro, manias... – Regina revirou os olhos – Enfim, esse é o meu número, vai cair direto no meu quarto – Ela o assegurou. Robin pegou o papel e observou a caligrafia forte de Regina. Os dois se olharam mais uma vez e então ela acenou e saiu na frente – Ah, Robin – Regina parou de repente o chamando. O loiro a olhou ainda sorrindo, e observou a coisa mais linda do seu dia, ela abrindo um sorriso para ele – Eu teria aceitado a duas semanas atrás – Ela piscou para e ele e então saiu andando

-

Regina

Aquele garoto de olhos azuis tinha me intrigado desde o primeiro dia, e quando no dia seguinte ele veio falar comigo no meu armário, meu coração parecia querer sair pela boca... ele vinha me observando a dias, e até veio falar comigo em alguns deles, mas eu ainda não estava acreditando que tinha alguém interessado em mim. Sempre fui muito isolada. Minha irmã, Zelena, que sempre teve todos a sua volta, pela sua forma extravagante de ser, temos um ano de diferença, e somos tão diferentes... eu sou a típica garota isolada que ama ler e usa óculos, nada demais perto da ruiva popular. Agora a garota nerd aqui estava esperando uma ligação, e eu estava tão nervosa... os minutos pereciam não passar, e eu andava de um lado para o outro. Já iria pegar meu livro quando o telefone tocou. Decidi atender no quarto toque, para não dar a impressão que eu já o aguardava.

-Alô – Tente deixar minha voz inerte

-Regina? – Era ele. Meu coração começou a bater tão rápido, que fiquei com medo dele ouvir do outro lado

-Robin? – Sorri

-Eu mesmo – Ele soltou uma risada leve – Está confirmado então?

-Sim, sim – Disse rápido – Quando?

-Amanhã mesmo, depois do colégio. Não quero perder tempo – A última parte ele disse mais baixo, acho que estava com vergonha

-Tudo bem então... depois do colégio

-Sim, você vai adorar – Sorri ainda mais.

“Quando você se apaixona, você se joga do precipício e voa, ou você se joga e cai nas pedras. E eu iria arriscar. Eu queria sentir isso, eu queria voar, e eu apenas torcia para que você não me jogasse nas pedras”

 

******

“Eu quero que você vá embora, mas não é porque não te amo, é porque eu te amo tanto, que sei que agora não é o momento para ficarmos juntos”

-Não – Regina o afastou e o viu totalmente confuso. Ela estava confusa – Eu não posso Robin – A morena disse baixo

-Mas... – Robin a olhou intrigado – Eu já te pedi desculpas... já expliquei – Uma lágrima solitária escorreu pelo rosto bonito da mulher, e ele observou aquilo querendo chegar perto, mas sabendo que os muros novamente foram levantados. Regina olhou para baixo se odiando

-Mas eu não acredito em você – Ela o olhou, e toda a dor do loiro a atingiu

-É, parece que não mesmo – Robin passou uma mão pelo cabelo nervosamente – Eu só não entendo por que você não acredita em mim Regina! Eu não entendo.

-Porque eu vi Robin

-E você sempre vai se prender a isso? – Ele aumentou um tom da sua voz – Nem tudo o que vemos é verdade! Ela nos enganou, Regina! Nos enganou, e sabe, você ainda cai na dela!

-Vai embora – Ela disse baixo

-Você quer que eu vá e finja que não aconteceu nada? – Ela assentiu – Pois é, mas eu não consigo! Eu não sei fingir que não significou nada, ou que não aconteceu nada – Ele se aproximou dela, mas a morena se afastou – Você é a minha vida Regina, e se um dia eu te deixei para trás, não irei repetir o mesmo erro.

-Não me importo – Ela o olhou – Antes eu queria que você viesse Robin, diversas vezes antes de pegar aquele trem eu olhei para trás te procurando, mas você não foi atrás de mim, onde você estava quando eu precisei? Onde você estava enquanto eu chorava? Eu chorava por você, mas eu queria você para me abraçar – Ela limpou uma lágrima que caiu. Não queria mais chorar, não queria fraquejar. Não na frente dele – E eu chorei Robin, eu chorei por meses e mais meses, mas sabe, acabou – Aquelas palavras os atingiram como um tiro no escuro

-Acabou? – Sua voz falhou

-Acabou o que nunca deveria ter começado – Deu uma pausa – Você pode seguir sua vida, pode ir embora daqui, pode voltar para sabe-se lá onde você estava, eu não quero você perto de mim.

-Você acabou de falar que sentiu a minha falta, e agora diz que não me quer por perto? – Regina viu em seus olhos o quanto a dor o dominava, mas ela teria que ser forte. Prometeu que nunca mais sofreria por amor. E nesse momento, ela estava sendo totalmente egoísta.

-Foi o momento

-Então você nunca sentiu a minha falta? – Ele a intimou – Me fala Regina, me fala que eu não sou mais nada para você, fala que você deixou de me amar – Robin se aproximou, e Regina não teve forças o suficiente para se afastar – Me diz que não me quer perto de você – A morena o olhou profundamente. O apartamento ainda estava escuro, e a tempestade ainda estava lá fora

-Eu posso ter sentido a sua falta no começo, mas agora eu não sinto nada – Sua voz estava fria – Eu não amo mais você – Um trovão cortou o céu, e o coração de ambos se comprimiram em uma dor profunda – Eu não te quero aqui, nem perto de mim e muito menos na minha vida – Robin estava estático, ele tinha que sair de lá, ele tinha que fugir daquela tormenta toda que eram os olhos da mulher à sua frente, tinha que fugir daquele sentimento que o seguia por anos. Ele se afastou sem dizer uma palavra, apenas assentiu com a cabeça e abriu a porta, mas antes a olhou uma última vez

-Sabe Regina – Oceano em meio a tempestade – Eu não acredito em você – Os olhos da morena marejaram – Mas eu vou embora, e não se preocupe, não vou mais te incomodar. Só quero que saiba de uma coisa, eu...

-Eu sei – Ela o cortou, não queria ouvir aquilo dele. Não agora. Grossas lágrimas caíram como uma cachoeira por seu rosto bonito, ela fraquejou no final. Robin a olhou pela última vez, e então ele partiu. A porta bateu e ali, em meio a mais um trovão, Regina se sentiu mais sozinha do que nunca. Foi até a porta a passos rápidos, encostou sua cabeça na mesma, mas não poderia abrir. Ela o estava libertando. Agora ela era toda quebrada. Segurou o colar que sempre carregava consigo, o colar que ele havia lhe dado, um dente-de-leão. – Eu também Robin, eu também – Sussurrou contra a porta.

"O que estava sentindo não era bem tristeza, era dor. Aquilo doía, e não é um eufemismo. Doía como uma surra"

******

“O amor precisa da sorte, de um trato certo com o tempo, para que o momento do encontro seja para dois o exato momento. O amor precisa de sol, e do barulho da chuva, de beijos desesperados, de sonhos trocados, da ausência de culpa. ”

Robin

-Nossa – Regina exclamou – Daqui de cima a cidade parece tão pequena – Ela foi abrindo um sorriso tão lindo, era aquele sorriso que eu via de longe todos os dias – É lindo – Ela finalmente me olhou

-Sabia que você ia gostar – Sorri

-Nada convencido – Ela se aproximou de mim – O que vamos fazer aqui?

-Um piquenique – Ergui uma cesta. Ela fingiu uma cara de surpresa e rimos mais uma vez. Era estranho, sorrir com ela é muito fácil. Estendemos uma toalha xadrez vermelha e branca no chão, e em seguida fomos tirando tudo de dentro da cesta

-Isso é bolo de maçã? – Os olhos dela iluminaram

-É sim

-Eu amo. Maçã é a minha fruta favorita

-Bom saber – Murmurei, mas ela ouviu e sorriu novamente

“Maçãs vermelhas são doentiamente lindas, não acha? ”

---

-Se a sua mãe é prefeita, como eu nunca te vi? – Arqueei uma sobrancelha

-Ah, qual é – Nós já havíamos comido, e agora passeávamos pela floresta. A conversa com ela era sempre tão agradável, por que não a conheci antes?

-Eu nem sabia que a Zelena tinha irmã, Regina – Realmente não sabia, ela era um enigma para mim

-Eu sou reservada, só isso – As bochechas dela ficaram levemente coradas

-Muito reservada – Comentei – Onde você fica nos eventos da prefeitura?

-Bom – Ela passou os olhos por mim e depois voltou a olhar para frente – Eu pego uma maçã caramelada na barraca, duas as vezes – Rimos – E em seguida venho para a floresta, sento em uma árvore, que inclusive já denominei de minha, e fico lendo.

-Na floresta lendo o que?

-Ah, de tudo – Deu de ombros – Amo todo tipo de livro, é como viajar sem sair do lugar

-Tem razão. Eu gosto também. E você é do segundo ano... tem 16?

-Sim, não vejo a hora de terminar tudo... E você 17 e terceiro ano...

-Sim – Dei um sorriso sem dentes

-Quais seus planos depois que terminar?

-Não faço ideia – Solto uma risada baixa – Queria sair, conhecer o mundo... – Nós paramos perto do meu carro – E você?

-Ir estudar jornalismo – Nossos olhares não desviavam – E fotografia, uma coisa complementa a outra, sabe? – Soltou uma baixa risada. Ficamos nos olhando por um tempo – O que você viu em mim, Robin? – Ela me olha intrigada

-Mistério – Nem preciso pensar – Não sei Regina – Me aproximo mais, e então coloco minha mão em seu rosto – Você me puxou... não consigo te explicar, eu só sinto, sinto que preciso estar perto de você

-Mas você mal me conhece – Ela disse baixo

-Eu sei – Falei no mesmo tom – E é por isso que quero te conhecer, quero te levar para esse tipo de lugar que fomos hoje. Quero ver o seu sorriso todos os dias – Nossas bocas estavam tão próximas – E não me peça para explicar

-Não precisa – Ela sussurrou

-Eu quero te beijar

-Então me beije – E eu a beijei.

“Talvez o amor só seja assim para mim, e para você não seja nada disso, mas eu prometo tentar aprender a te amar, do jeito que for preciso. “ 


Notas Finais


É isso aí,

Gente, desculpa se os capítulos estão saindo grandes demais, é que as vezes eu me empolgo heuheuehue por isso preciso que vocês me digam, ok?

E aí, o que acharam? Não me matem, por favor hehehe, mas sim, o nosso casal não vai ficar junto agora...
Mas as lembranças estão fofas, né?

Sobre o colar que a Regina segura depois do Robin ir embora: Eu vou explicar sobre ele no próximo capítulo. Era para ter ficado no mesmo, mas aconteceu um erro, e se eu colocasse no mesmo iria ficar muito grande, me desculpe por isso, mas prometo que vai ser bem bonitinho.
Sim, ali no final eu coloquei uma referência a aquela cena que eu tanto amo:
“-I...
-I know”
Episódio 16 da temporada 4 (Tão triste, choro muito)


Só posso falar que agora os dois estão separados, mas a fic irá ter uma passagem de tempo, e logo outros personagens irão entrar.

Enfim, é isso ><

Meu TT > @Bertolin_AC (Eu não dou spoiler a não ser que alguém pergunte...)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...