História Only you! - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Yuri!!! on Ice
Personagens Isabella Yang, Jean-Jacques Leroy, Otabek Altin, Personagens Originais, Phichit Chulanont, Victor Nikiforov, Yuri Katsuki, Yuri Plisetsky
Tags Lemon, Otabek, Otayuri, Victor, Victya, Victyuuri, Yaoi, Yuri, Yurio
Visualizações 132
Palavras 1.091
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Briga do casal;Logo as 4:00


-Nada,nada mesmo! Só estou pensando em voltar a patinar. Mais não estou muito confiante.

{Naquela mesma noite de madrugada....}

Yurio on

Acordei,e me virei pra pegar meu celular em cima do criado mudo. Era apenas duas e meia da manhã,senti algo meio grande em minha virilha. Quando olhei era uma mão,soltei um grito baixo e fraco,e logo depois a tampei com as duas mãos.

Olhei pra traz e era Beka,quando ia tocá-lo,o mesmo e puxa fazendo uma pequena pressão perto de meu membro. Soltei um gemido,era o toque diferente,ele nunca me tocou em alguma parte proibida.

-Fica!_ele apenas disse isso,ainda dormindo. O ignorei e o tirei de cima de mim,e me levantei indo até a cozinha.

Coloquei a chaleira para esquentar,e fui até o banheiro lavar o rosto.

-Eu sou um bosta mesmo!_disse assim que terminei,olhando meu reflexo no espelho. Meu rosto vermelho,meus olhos inxados.-por acaso sou burro?_abaixo meu olhar,e fico fitando a pia de vidro.

-Não fale isso! Nunca deve falar assim,de si mesmo._levanto minha cabeça rapidamente e o vejo Otabek,escorrado no batente da porta.-Assim,nem parece que é você.

-Porque o senhor Altin,ainda está acordado? Posso saber?_ele se aproxima mais.

-Porque não consigo dormir. Você precisa estar deitado comigo,tenho que sentir seu calor,seu cheiro._ele me segura pela cintura e aproxima nossos corpos.

-Pode ir dormir! Eu só vou tomar um chá,eu perdi o sono._seguro em seus braços com a intensão de retira-los.

-Você...ainda está bravo comigo? Se estiver me perdoe mais uma vez.

-Não estou bravo com você! Estou decepcionado comigo mesmo. Sempre faço as coisas erradas e estúpidas,sinto que não deveria pertubar você com essas coisas tão.... fúteis._retirei suas mãos de mim,e fui até o corredor. Mais novamente sou detido.

-Você não me perturba,você me provoca!_assim ele fala no pé de meu ouvido,assim que me abraçou por traz me fazendo um pequeno arrepio por minha nuca.

-V-você..está falando sério?_ele apenas diz "mais é claro!",e adentra suas mãos por baixo da camisa vermelha que usava. Seus dedos gélidos em contato com minha pele  quente,me fazia suspirar.

-O que foi? Não vai reagir,ou algo parecido?_me afasto dele com lágrimas,que insistiam em sair.

-Porque? Porque,vai me diz! Porque faz isso? Estou cansado de ser um brinquedo. Eu estou aqui,que nem um trouxa,querendo a meses! Você fica de cu doce pra cima de mim. Agora você sabe,sabe muito bem que desejo você! Mais continua a me provocar,o que você tem de ERRADO NESSA SUA CABEÇA. EU REALMENTE TE ODEIO OTABEK ALTIN._volto para a cozinha com meus olhos,super embasados. Os enxugo com a barra da camisa e desligo o fogo,e vou para o quarto principal.

Vou até o quarda-roupa e pego uma mala pequena de rodinhas,e a jogo em cima da cama a abrindo. Volto para o armário e tiro várias roupas de uma vez e jogo dentro da mala.

-O que você pensa que está fazendo?_ele aparece assim que fecho a mala e a coloco no chão perto de onde estou. Continuo o ingnorando e pego minha mochila de couro também pequena,coloco meu casaco do Rússia dentro,minha carteira no bolso da frente,oculos nas laterais,e um urso que ganhei de aniversário.

-Pode parar por aí! Você não irá sair dessa casa. Não precisa chegar nesse ponto, só quero que não se machuque. VOCÊ SABE MUITO BEM! EU DISSE ISSO QUANDO MARCAMOS A MERDA DA DATA DE CASAMENTO._depois dito,ele se tocou da que avia dito,se aproximou, tentou pegar a mala,mais o empurrei loge dali.

-Se você chegar mais perto está tudo terminado entre nós dois. Se a data da nossa cerimônia,é uma merda pra você,trata de aparecer sozinho naquele altar. SEU BABACA.

Coloco à mochila na costa e pego meu celular no outro quarto,que por alguma ironia do destino está carregado,mas mesma assim,ainda continua na tomada. Pego o restante das coisas,e pego minha mochila no quarto principal logo após vou até a porta da casa assim a grande porta de madeira escuro.

Percebo que estou de pijama,e dou meia volta pegando uma calça e uma regata na mala -pois era as únicas peças que eram mais fáceis,a serem pegas e fui até o banheiro me trocar.

Otabek on

Sei que minha ação a seguir,não pode causar um efeito mas preciso tentar. Se ele quer uma noite,ele vai ter a noite dele como tanto deseja.

Sempre fico ipinotizado com aqueles orbitas de esmeraldas. Sempre imagino se seria pecado violar aquele corpo,frágil e sensível.

O mesmo sai do banheiro,e já espero no final do corredor,ele passa por mim e o seguro o mais forte que posso mais sem machuca-lo.

-Me solte Beka! Agora mesmo._não dou a mínima para o menor,o puxo me agachando e o pegando colocando em meu ombro levando-o para nosso quarto,pelo percurso  o mesmo se debatia e batia em minha bunda com a chance de se soltar. E logo a seguir o jogo na cama,e depois subindo em cima dele.

-Se ainda quiser, podemos fazer agora mesmo,quero escutar seus gemidos flenetico e implorando por mais e mais._falo no pé de seu ouvido,mordendo logo em seguida seu lóbulo,e descendo mordidas para sua mandíbula. Com isso arranquei dele um gemido rouco,isso com todas as palavras me deixou excitado e chego de desejo,o mesmo tenta me empurrar e coloco seus braços acima da cabeça.

-B-eka!_ele me chama assim que me adentrei sua camisa e apertar seu mamilo direito,e ataco seu pescoço lambendo e logo dando chupões deixando vermelhos,dou atenção a sua boca que está entre aberta.

TOC TOC.....

-Merda!_disse e sai de cima dele,indo até a porta e colocando a mala de Yurio no canto da sala,e abrindo a porta.

-Olá,cresceu bastante hein Otabek!_faço cara de tonto não entendendo porque esse merda apareceu,em minha casa quando estava perto de fuder meu noivo.

-Que porra te trouxe aqui. Não tem casa não,ou que?_pegunto irritado,bem na hora H esse infeliz aparece.

-Só queria mesmo,visitar você e a loira!_disse entrando na casa com as malas sem mesmo minha permissão.

-Não fale do Yuri dessa forma seu bastardo._ digo fechando a porta e o vendo se jogar no sofá.-Vai,pode me explicar porque está aqui!?

-Então..er..bem,eu perdi minha casa pois não consegui pagar a parcela da minha casa.

-Então era isso? Você podia me ligar pra pedir o dinheiro. -Então já que estava sem dinheiro, como você vei pra cá? _ me sento na poltrona ao seu lado.

-Bem,é que eu já tinha a passagem pra vir na seu casamento. Mas ela estava sem data ao destino,porque vai que decidem fazer a cerimônia em outra dia ou até em outro lugar! O dinheiro que tinha eu paguei a passagem para o Japão para eu posso passar também no Yuri.

-Então,quer dizer que você sem lugar pra ficar?_arquei minha sombrecelha esquerda.-Bem,por mim tudo bem! Mas temos que conversar com o Yurio sobre isso,só pra que ele também aceite sua presença nessa casa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...