História Onze Mclean - O Escolhido - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Tags Deuses, Mitologia, Percy
Exibições 5
Palavras 832
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá leitores. Essa é minha primeira fanfic e espero que gostem!

Capítulo 1 - Minha cantina explode.


Fanfic / Fanfiction Onze Mclean - O Escolhido - Capítulo 1 - Minha cantina explode.

Mais um dia se inicia um novo dia para frequentar aquela maldita escola para crianças com déficit de atenção, eu pessoalmente não me vejo como uma criança anormal ou uma criança maluca. Atualmente moro em Maceió com meus pais na parte baixa da cidade em um acomodado apartamento. Meu pai, Luís é administrador e possui uma empresa que fornece chocolates, todo natal eu ganho chocolate (eu realmente não tenho o que reclamar). Minha mãe, Cecília é professora, por causa dela aprendi a ler com dois anos, desde que me entendo por gente que minha mãe me faz ter gosto pela leitura, apesar de muitas vezes elas dançarem na minha frente.

 Todo o dia tem que me deslocar de casa até a outra cidade, Satuba, pra poder ir estudar. Minha mãe também sempre demonstrou gostar dessa escola, meu pai não, mas ela sempre me falava que seria bom pra mim.

- Você vai aprender muito lá/ela dizia. Hoje é uma segunda feira e isso significa aula.                       

Mas algo estava me dizendo que eu não deveria ir pra escola hoje, que deu deveria ficar.

-Mãe!?

-Oi filho!/ ela sempre adora quando eu a chamo de mãe

-Não quero ir pra escola hoje!

-Ah, ela fez uma cara como se tivesse chupado um limão azedo.

-Filho, nós já conversamos sobre isso. Você, eu e seu pai/retruca ela.

-Mas mãe aquele colégio é horrível!

-Você sempre fala isso meu filho, mas esse colégio vai ser bom para você./responde ela dando um sorriso.

Olho ao redor da cozinha a procura de meu pai, mas não o encontro.

-Mãe, cadê o pai?/pergunto.

-teve que sair mais cedo.

Terminamos nosso café e entramos no carro em direção à escola.

Enquanto vamos passando pela cidade me lembro de uma coisa que aconteceu ano passado. Minha antiga professora, Sra. Marília, passou dever de casa e quando eu fui fazer havia uma bomba entre os papeis, sorte que meu pai percebeu antes e me puxou, mas se não eu estaria morto. Nos fomos falar com a coordenadora, mas a professora tinha simplesmente sumido. Como se ela nunca estivesse aparecido lá.

                       

O tempo que penso nessa história é suficiente para o tempo passar e quando percebo já estou em frente à escola. Despeço-me da minha mãe e saio do carro. A parte boa de você frequentar uma escola é que você encontra amigos, eu tenho dois amigos nesse colégio infeliz. Matheus e Alice. Alice sempre gostou de usar aqueles lindos cabelos loiros em um rabo de cavalo, e hoje não é diferente. Com Matheus é difere tente ele sempre gostou de deixar aquele grande cabelo encaracolado solto.

-Bom dia pessoal!/falo soltando uma risada leve.

- Oi On/ respondeu Alice tímida.

-Bom dia cara. Você soube? Roubaram a Patrícia/ respondeu Matheus com uma expressão ansiosa.

-Não acredito! Sério?/ respondo espantado.

-Sim! Vou descer lá eu conto os detalhes.

Com isso entramos no colégio e descemos a rampa em direção à cantina. Como sempre, cheguei cedo, e com isso não tem muitos alunos essa hora.

-Vocês vão querer o que?/falo pra eles

-Ah você sabe, aqueles pão de queijo maravilho!/ responde Alice animada

-Eu também!/ disse Matheus depressa                       

-Tudo bem!/ respondi e fui comprar

Lá estava a sir. Moreira, ela é uma senhora de aproximadamente uns 60 anos e não é nada simpática, mas hoje ela parecia estar mais agitada do que o costume, ela murmurava umas palavras aleatórias como: Não vão pegá-lo ou eu o matarei ou deuses me perdoem. Quando ela me olhou com aqueles grandes olhos negros, fiquei totalmente paralisado, não sabia o que fazer, mas ai ela sorriu e me perguntou:- O que vai querer meu bem? De uma forma tão doce que eu estranhei.

-Eu quero dois pães de queijo e um pastel, por favor! Falei tentando não soar com medo.

-Claro meu bem, mas você deveria pedir pra viver!

-O que você quer dizer? Respondi ainda mais tenso

-Ah nada, é só que um semideus aqui não é tão fácil de encontrar, principalmente nesse país ridículo/ ela falou ridículo e começou a gargalhar.                        

-Moça, eu não sei o que você está falando/ tento responder de uma forma calma e dose, mas ela pareceu ficar mais brava.

-Ah cala a boca seu idiota, estou vigiando você e seus amiguinhos há três anos, e nunca tive a oportunidade de mata-los, mas agora eu os matarei.

Depois de ter falado matarei a sir. Moreira se transformou em uma coisa horrível, ela tinha cinco cabeças como um dragão e um corpo enorme, enquanto se transformam emitia sons horríveis. Ela olhou pra mim e lambeu a boca. HOJE O BANQUETE VAI SER GRANDE!

E correu na minha direção, enquanto ela vinha ela cuspiu fogo no fogão e ele explodiu! Uma explosão alta o suficiente pra chamar atenção da escola toda, as pessoas olhavam confusas como se não estivessem vendo o demônio na frente delas!

Ela saiu da cantina e começou a berrar: VOCÊ VAI MORRER ONCE MCLEAN, HOJE VOCÊ E SEUS AMIGOS ALÍ MORRERÃO!


Notas Finais


Esse é apenas o começo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...