História Open my eyes - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Jade, Kentin, Kim, Leigh, Letícia, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Senhora Shermansky, Thomas, Viktor Chavalier, Violette
Tags Ação, Alexy, Amor Doce, Armin, Castiel, Comedia, Drama, Kentin, Legais, Lysandre, Nathaniel
Exibições 199
Palavras 3.112
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Pois é, eu REALMENTE nasci no dia das crianças...
(Não, eu não ganho dois presentes)
(E eu sei que não sou mais criança, mas presente é sempre bom) KKKKKKKK

Espero que gostem.
~❤~

Capítulo 19 - Drink night (part 1)


-Finalmente você chegou - Ela disse enquanto abria a porta fazendo cara feia – eu já estava farta de tanto te esperar.

-Mas Rosa, faltam dois minutos para 19h...

-Não interessa – Ela respondeu revirando os olhos enquanto me puxava para dentro.

Eu apenas ria enquanto a garota me direcionava ao quarto.

-Finalmente você chegou – Iris disse assim que abri a porta.

- Vio, você pode ver se eu já tenho cabelos brancos? –Bia perguntou virando-se de costas para Violette que apenas ria.

- Faz HORAS que estamos aqui – Melody disse deixando sua garrafa de água na cômoda.

-Garotas –Eu ri – Ainda faltam alguns minutos para dar o horário que vocês tinham me dito.

Rosalya revirou os olhos novamente.

-Ok, a gente releva isso - Ela se sentou em uma das camas.

Pude enfim olhar a minha volta e percebi que as garotas tinham juntado todas as camas e consequentemente tinha sobrado um espaço livre maior.

Iris se sentou no chão e fez um movimento com a cabeça esperando que as outras se sentassem também.

- Lembra do dia que você chegou aqui? – Ela falou enquanto separava alguns copos pequenos e tirava uma garrafa de baixo da cama – Fizemos o jogo mais bosta de todas as nossas vidas.

-E queremos corrigir isso – Melody completou.

-Apesar de que eu não gostei muito dessa ideia de “eu nunca” – Violette comentou rindo.

-“Eu nunca”? Vocês querem mesmo jogar isso?

-É só pra brincar – Bia disse dando de ombros – Não vai matar ninguém passar um pouco de vergonha.

-E nós só vamos beber um pouquinho... –Iris disse rindo – Que eu saiba, todas nós somos maiores de idade.

-Ou quase todas - Disse Bia.

-Isso vai dar merda – Eu disse rindo enquanto me sentava no chão junto a elas.

-Olha, eu realmente acho que é melhor eu não brincar –Violette disse – Vou ser a pessoa sóbria que vai impedir vocês de fazerem besteiras.

-Oh, por mim tudo bem – Melody disse – É melhor prevenir mesmo.

-É uma pena que a menina das brigas não pode vir – Iris disse – Eu queria muito arrancar umas verdades da Bárbara sobre o Caleb.

Olhei para ela e não pude deixar de rir.

-Então é dele que você gosta?

Ela devolveu o olhar e sorriu

-Tente descobrir – Ela me olhou e mordeu o lábio, me fazendo rir.

Provavelmente ela já tinha bebido um pouco antes.

-Ok, quem começa? –Rosa perguntou animada – que tal... Bia?

A garota sorriu e Violette encheu os copos pra podermos começar.

- Eu nunca... Beijei – Ela disse sorrindo.

Todas as garotas riram e viraram o copo fazendo com que Bia sorrisse vitoriosa sem mexer em seu copo.

-Você nunca beijou? –Melody perguntou rindo levemente.

-Selinho conta? – Bia sorriu e assim que assentimos a garota virou o copo.

- Ok, minha vez – Melody se animou – Eu nunca... Gostei do Caleb.

Todas olharam para Iris, mas a garota apenas sorriu e deixou seu copo no mesmo lugar.

-Merda - Sussurrei.

-Eu nunca... –Rosalya começou – Dormi na casa da pessoa que eu gosto.

Eu sorri envergonhada e virei meu copo, sendo acompanhada por Rosa, Iris e Melody.

-Você já dormiu na casa do Nath? – Rosa perguntou rindo.

-Longa história - Melody respondeu enquanto ria e dava de ombros.

O jogo se seguiu com perguntas um pouco banais e Violette aproveitava para marcar quantos copos cada uma tinha virado.

Em um determinado momento percebi que as pessoas que ainda podiam se considerar meio sóbrias estavam atacando as outras para receberem algumas das respostas constrangedoras.

-Eu nunca... Fiz sexo - Melody disse rindo.

Iris olhou profundamente nos olhos da garota e virou seu copo, sendo acompanhada por Rosalya.

-Serio, eu estou ficando muito surpresa com você Iris – Eu disse rindo.

A garota olhou em meus olhos e piscou para mim.

-Ainda tem muito... – ela soluçou– mais...

-Que medo – Bia disse enquanto ria.

-Eu nunca... – Comecei – Me declarei.

Novamente Iris virou seu copo, sendo acompanhada por todas as garotas, inclusive eu.

- Cara, vocês escondem muitas coisas por trás dessas... Carinhas perfeitas – Iris pronunciou as palavras lentamente enquanto ria.

-Eu nunca... – Bia disse parecendo um pouco indecisa – Violette me ajuda?

- Ela nunca teve pensamentos impuros – Violette disse animadamente rindo.

Todas as garotas riram e viraram os copos.

-Levadas – Violette disse rindo enquanto apoiava seu rosto em suas mãos.

- Duvido que você nunca teve – Iris disse – É natural.

- Confesso que eu nunca realmente parei para pensar nisso... – Violette disse pensativa.

-EU NUNCA – Rosa gritou chamando nossa atenção – roubei algo.

Todas as garotas, menos a Iris viraram os copos.

-Eu já roubei sim – Ela começou – Mas foi o coração de muitos garotos.

-HAHAHAHAHA – O efeito da bebida estava nos atingindo e ficamos rindo disso por muito tempo.

-Ok – Eu disse enxugando uma lagrima – Eu nunca duvidei da minha sexualidade.

Bia virou.

Eu virei.

Melody virou.

E Iris virou.

- Duvidei, mas depois olhei para o lado e vi um garoto MUITO gostoso e falei: não, eu gosto de homem mesmo – Bia disse fazendo todas nós rirmos de novo.

-Eu nunca - Iris começou enquanto olhava para os lados – Fiquei com o ex-namorado da minha amiga.

Rosa olhou pra mim e bebeu.

Acabei me sentindo um pouco desconfortável e abri a boca para dizer que aquilo não havia significado nada

-NÃO VAMOS BRIGAR – Melody gritou, porém eu quase não entendi uma palavra do que ela disse – Vio, tem mais? – Ela perguntou apontando para uma garrafa.

-Eu acho melhor você não beber mais – Violette disse.

-Eu quero – A garota se levantou e começou a procurar de baixo das camas – Faz tempo que não bebo uma boa cerveja.

Melody encontrou uma garrafa e voltou a se sentar.

-Violette, não se preocupe – Eu disse – Ainda estou suficientemente sóbria para dar um tapa nela se ela fizer alguma coisa.

-Ih, ta achando que é quem, miga? Vou fazer nada não – Melody disse enquanto tomava um gole da garrafa.

-Eu nunca – Iris começou sem se preocupar com o fato de que estávamos na vez de Melody – Fiquei gostando do mesmo menino por ANOS e não tive coragem de me declarar.

-SENTI UMA INDIRETA – Bia gritou.

-Olha aqui – Melody disse olhando para Iris enquanto ria – Nós crescemos juntos e é difícil dizer essas coisas, tá?

- Só fala pra ele, amiga – Rosa comentou – Se ele te rejeitar pode ter certeza de que ele ira se arrepender.

- Eu não vou fazer isso sem estar sóbria – Melody disse – O que ele pensaria de mim?!

-Pensaria que você não teria coragem de revelar os seus profundos sentimentos para um garoto “TÃO INCRIVEL” quanto ele – Eu disse enquanto ria e repousava minha cabeça no colo de Rosalya.

-Eu voto que você vá falar com ele – Iris disse erguendo sua mão.

-Eu também – Rosa disse – Afinal, é sempre bom correr riscos.

-E-eu não sei se isso é uma boa ideia – Violette disse apertando um travesseiro em seus braços.

-Eu concordo com a Violette – Eu disse – É muito melhor você dizer quando estiver sóbria.

-Pff – Bia disse rindo – faça o que quiser Melody, a vida é sua.

A garota olhou para o chão e para os copos agora vazios.

Melody fechou seus olhos e suspirou, parecia estar tentando se acalmar.

-Ok, eu ligo – Iris e Rosa comemoraram – Mas vocês vão ser obrigadas a ouvir toda a nossa conversa.

-Melody – Violette suspirou – Isso não tem nenhuma chance de dar certo...

- Segura na mão de Inês e vai – Melody disse rindo enquanto puxava seu celular do bolso.

Suspirei sabendo que isso não daria certo.

- Alô? – Melody chamou enquanto apertava no viva-voz e mordia seu lábio animada. Ela parecia estar em uma mistura de ansiosa e nervosa.

¨ -Melody? Por que esta me ligando às 10h? Aconteceu alguma coisa?¨ - Nathaniel respondeu parecendo realmente preocupado.

-E-eu... Ammm.

¨- Mel, você esta bem?¨

-N-na verdade – ela suspirou – eu espero que você não me ache estranha, mas eu gostaria de te dizer uma coisa...

¨-... Estou ouvindo. ¨

Todas nós estávamos em silêncio apenas esperando aquelas palavras saírem da boca dela.

-É agora – Iris sussurrou contendo seu riso para mim.

Melody suspirou e pareceu reunir coragens enquanto tentava se acalmar.

-E-eu gosto de você, Nath – Melody disse rapidamente.

Depois de alguns segundos conseguimos ouvir Nathaniel rindo do outro lado da linha.

¨ - Era isso? Nossa ¨ – Ele riu – ¨por um segundo pensei que você iria dizer algo mais secreto ¨

- O-o que?

¨ -Acho que percebi isso há quase 1 ano atrás ¨ –Ele disse rindo – ¨É fofo que você tenha me dito só agora ¨

-M-mas...?

¨ -Estou orgulhoso de você por ter conseguido não dizer nada sobre isso durante tanto tempo – Ele riu – Eu provavelmente já teria enlouquecido no seu lugar ¨

-E...  – Melody o cortou aparentemente muito nervosa - Você gosta de mim?

¨ -Mel, você é minha amiga ¨ – Ele disse rindo.

-Mas, você...?

¨ -Sabe, é melhor que continuemos assim... Eu gosto de você, mas não desse jeito ¨.

Melody olhou para o telefone em sua mão sem expressão alguma e o apertou em sua mão à medida que ouvia as próximas palavras dele.

¨ -Vou desligar, Mel ¨ – Ele disse – ¨Vejo você amanhã na sala do diretor¨

-Mas, Nath?

Sem que ela tivesse tempo de ao menos terminar de falar ele já tinha encerrado a chamada.

Todas ficaram quietas com expressões incrédulas e Violette cobria a boca com as mãos enquanto observávamos Melody levando o celular em direção ao peito olhando para a garrafa em sua frente.

-Ele... – Melody disse – Me rejeitou?

Nenhuma de nós respondeu.

Melody levantou seu olhar para Iris.

-ISSO TUDO É CULPA SUA!

Ela se levantou e caminho até a porta do quarto.

-MELODY –Violette gritou da cama – Não saia, por favor, me prometa que você não vai fazer nenhuma besteira.

Melody apenas olhou nos olhos dela e levantou seu dedo do meio para enfim sair do quarto e bater a porta.

-MELODY - Eu gritei correndo em direção à porta dando apenas tempo de vê-la fechando o banheiro.

-Me deixem em paz - Foi a única coisa que ela disse antes da porta bater.

Resolvi que era melhor não me aproximar mesmo, pelo menos por agora.

Ela precisa pensar...

-Saiam da frente – Iris disse enquanto abria caminho pelo meio de todas as garotas que tinham se reunido logo atrás de mim.

-Iris, acho que a Melody precisa pensar... Ela quer ficar só – Rosa disse segurando o pulso da garota levemente.

-Acredite, ninguém quer realmente ficar sozinho – Ela disse para que em seguida tirasse seu braço de Rosa.

Ela caminhou em direção ao banheiro sem deixar que nenhuma de nós a impedisse.

Espero que tudo fique bem...

POV’S IRIS

 

Ok, eu sei que eu posso até ter colocado um pouco de lenha na fogueira, mas realmente precisava desse draminha? É só mais um garoto patético, e isso tá em excesso hoje em dia.

E ainda por cima a garota me culpa? Aaaa ta de brincadeira com a minha cara.

Eu bebi, mas ainda consigo enxergar o quanto isso foi ridículo.

-Abre a porta Melody – Bati na porta tentando soar autoritária.

-NÃO

-Eu só quero conversar com você.

-EU NÃO LIGO – Consegui ouvir sua voz ficando mais embargada – E-eu quero ficar sozinha...

-Você tem que entender algo... Eu apenas quero conversar. Se você quiser que eu saia, é só dizer, mas pelo menos me deixe dizer algumas coisas.

Nenhuma resposta.

-... Ok – Escutei o barulho dos passos dela e a tranca da porta sendo aberta.

A porta se abriu ligeiramente permitindo minha passagem.

-Eu gostaria que vocês não ficassem ouvindo – Me direcionei as meninas atrás de mim – Seria chato da parte de vocês.

As garotas assentiram com relutância e se dirigiram ao quarto.

Pelo menos foram obedientes, eu odiaria ter que insistir nisso.

Entrei no banheiro e avistei Melody sentada encostada na parede perto da pia.

-Oi – Ela sussurrou.

Me sentei a sua frente e olhei bem fundo nos olhos dela que agora estavam vermelhos.

-Quero que você me conte – Eu disse – Tudo o que você esta reprimindo agora.

-Eu não te devo satisfações.

Melody teve coragem de olhar em meus olhos enquanto pronunciava cada palavra.

Tive que respirar fundo e contar até mil.

-Eu estou tentando te ajudar.

-Eu não pedi a sua ajuda.

Não me aguentei e explodi.

-O QUE EU FIZ PRA VOCÊ? POR CAUSA DE UM GAROTO UMA AMIZADE DE ANOS VAI SER ESTRAGADA? AH, ME POUPE, EU JÁ VI ESSA HISTÓRIA.

-VOCÊ ME FEZ ESTRAGAR TUDO O QUE TINHA ENTRE MIM E O NATH.

-NÃO TINHA NADA ALÉM DE UMA AMIZADE ENTRE VOCÊS, E ELA ESTA INTACTA.

-MAS E-eu me humilhei – Ela recolheu suas pernas junto a seu corpo, abaixou sua cabeça e começou a chorar novamente.

-Talvez ele apenas não seja o cara certo – Me aproximei um pouco mais dela – Você não precisa sofrer tanto.

-V-você não entende – Ela dizia chorando enquanto tentava olhar para mim novamente.

-Me explique...

A garota suspirou e aparentemente desistiu de tentar olhar para mim.

-Tudo começou quando e-eu... Estava andando na rua – Ela disse tentando controlar suas lagrimas e acalmar sua voz – Eu tinha 12 anos e estava indo comprar leite no mercado da capital...

Não falei nada apenas esperando que ela terminasse. Acredito que se ela for interrompida não irá terminar de contar esta história.

- Eu estudava em uma escola publica. Aluna dedicada que queria um futuro melhor do que o dos pais que viviam das vendas de uma pequena loja de grãos... – Ela suspirou- Depois que os grãos começaram a dar um lucro maior por causa dos alimentos para emagrecer todos acharam que eu iria dar pelo menos uma pausa nos meus estudos, já que eu supostamente estava enriquecendo.

As lagrimas desciam dos seus olhos e ela passava a língua nos lábios para poder continuar.

-Meu pai faleceu nesse mesmo ano e ainda não sabem o porquê, mas eu suspeito de algumas pessoas já que meu pai foi varias vezes questionado sobre coisas que ele nunca pensaria em fazer – Melody olhou em meus olhos –Ninguém parecia acreditar que ele nunca tinha feito algo, apenas julgavam a proximidade que ele tinha com algumas crianças, jovens e adultos... Mas eles nunca se deram ao trabalho de... Ver o quanto aquele homem vivenciou em seu passado pobre... Não era culpa dele que as pessoas confiavam seus segredos a ele por pensarem que ele seria sempre mais um... Meu pai acima de tudo gostava de ouvir as pessoas... Mas... As pessoas não conseguiram lidar com a sensação de serem ouvidas... Elas acharam que meu pai contaria...

Ela respirou fundo.

-Bom, essa é a minha teoria, sabe? Não leve muito a serio, não sou formada ainda...

Ela limpou a garganta

-... Decidi que iria me tornar advogada, e futuramente subiria de cargo para juíza para que eu pudesse entender um pouco mais desse meio que tanto maltratou meu pai... Foquei em meus estudos como nunca, eu não queria gastar muito o dinheiro da minha mãe porque eu sabia que seria difícil pra ela continuar com os negócios e em breve nós iríamos falir. Fui apelidada de muitas coisas, mas o que mais doía era a forma que as pessoas se referiam ao meu pai por pensarem que ele realmente era um...

Ela fechou os olhos e continuou.

-Até que um dia um advogado chamado Francis apareceu... Ele provou a inocência de meu pai... Ele realmente conseguiu tirar acusações antigas do nome dele... E ainda, ajudou minha mãe a reerguer os negócios... Minha vida sem duvidas tinha melhorado, mas o bullying parecia nunca acabar... Mesmo depois de verem que meu pai nunca fizera nada continuaram com os insultos em relação ao meu sonho de ser advogada... Minha dedicação foi vista como um ato de querer chamar a atenção... Eu sofria diariamente com as garotas bonitas me chamando de inútil e... Varias outras coisas...

Melody não conseguia mais manter seus olhos abertos e algumas lagrimas silenciosas ainda desciam de seus olhos.

-E... Um dia na escola as garotas se juntaram para me bater... Não sei o que elas tinham, nem porque não gostavam de mim, mas isso era uma coisa meio que frequente, sabe? Mas naquele dia foi diferente... Um garoto apareceu na rua no momento em que as garotas iriam me bater... Você já deve ter deduzido que esse era o Nathaniel e com certeza deve estar achando minha história ridícula- Ela riu levemente- Mas... Em um dia, pareceu que tudo iria mudar... Me segurei em no fio de  esperança... De que TUDO poderia mudar... Eu só precisava dele... Se eu estivesse pelo menos perto dele as coisas dariam certo... Senti que se eu estivesse perto do Nathaniel eu poderia ser... Feliz...

-Ele tinha te defendido – Falei calmamente – E você se apegou por pensar que ele sempre te daria proteção...

-Espero que você entenda que ele não é só um paquera para mim... Ele é aquilo que eu tive quando precisei... E eu amei ter algo... Amei ter ele...

Ficamos alguns segundos em silêncio e ela começou a rir baixinho enquanto limpava suas lagrimas.

-Tem noção do quanto eu fiquei feliz em descobrir que o advogado que ajudou meu pai era o pai dele? Nossa –Ela riu – Pra ser sincera, eu nem sei exatamente quando comecei a gostar dele... Mas, agora...

Ela me olhou com um sorriso triste.

-Mel... – Eu disse enquanto me aproximava mais dela – Não chore...

-Eu achei que talvez ele pudesse gostar de mim... Mas ninguém nunca gostou... Eu sou uma estúpida...

Eu não deixaria que ela falasse uma coisa assim sobre si mesma.

Me aproximei de seu rosto olhando em seus olhos.

-Você não precisa dele, Mel.

E beijei sua bochecha de uma forma amigável enquanto voltava a sorrir.

-Você sabe que não deveria ficar desse jeito, afinal... Você tem muitos amigos que gostam de você... Existem muitas formas de se amar... Você só precisa encontra-las.

Melody olhou em meus olhos e sorriu.

-Obrigada por me escutar...

-Sempre que precisar – Eu disse enquanto me levantava – Vamos?

-Eu acho que vou pensar mais um pouco... Prometo que irei sair daqui a pouco.

Sussurrei um “ok” e sai do banheiro me direcionando ao quarto.

-Ela esta bem – Me apressei em dizer antes que fizessem a pergunta – Apenas precisa de tempo pra ela.

-Que? – Bia perguntou enquanto bocejava e abria os olhos.

Olhei para os lados e todas as garotas estavam dormindo encostadas uma na outra.

-Nada –Eu sussurrei para ela – Apenas durma...

Desliguei a luz e me dirigi a um espaço perto de Bia para dormir também.

Pensei em algumas coisas sobre mim e minha via antes de dormir como de costume e segundos antes de eu finalmente me entregar ao sono vi a porta do banheiro sendo aberta...


Notas Finais


Tem uma segunda parte que pretendo postar ainda hoje

SÓ VAI VIM TRETA HAHAHAHAHA

~❤~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...