História Open Your Eyes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias NCT U
Personagens Doyoung, Taeyong
Tags Dotae, Doyoung, Nct, Taeyong
Exibições 18
Palavras 1.540
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Musical (Songfic), Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa OS devia ser uma songfic, já que a letra de The 7th Sense ta nela, mas é que a música não combinou muito com o contexto da história. Mas vou deixar o link do vídeo nas notas finais caso você queira ouvir enquanto lê, ou so ver o MV mesmo.

Essa é minha primeira OS/fanfic postada aqui, espero que gostem.
Boa leitura. ♡

Capítulo 1 - Único


"Deitado na cama
Cobrindo meus ouvidos
Ontem é hoje, hoje é ontem"

Doyoung estava deitado em uma cama de hospital, ele estava em coma desde a noite passada quando sofrera um acidente de carro junto com seus pais. Seus pais felizmente estavam bem, aparentemente sem nenhum dano muito grave, mas estavam em um quarto separado do filho, seu irmão, Myung, não saira de perto de seu irmão mais novo um minuto sequer. Seu melhor amigo, Taeyong, estava lá fora na sala de espera, angustiado.

Quando soube do acidente do melhor amigo ficou desesperado. Taeyong havia conversado com Doyoung antes de o tal ir viajar, ele estava tão entusiasmado, o sorriso do garoto não cabia no próprio rosto, Taeyong estava feliz por ver o melhor amigo feliz.

Antes do amigo ir viajar Taeyong o abraçou forte, pegou no rosto do amigo, olhou no fundo dos olhos de tal:

- Se cuida, preciso de você vivo depois das ferias. - Disse Taeyong

E ele realmente precisava do amigo vivo, Doyoung era a única pessoa que conseguia aguentar suas brincadeiras, seus conselhos de uma hora, sua misofobia e sua super organização. Precisava do sorriso espontâneo e super aberto do amigo. Ele não conseguia ver seu futuro sem o melhor amigo.

Taeyong estava de olhos fechados tentando com todas suas forças não derramar nenhuma lágrima, seu melhor amigo iria sair dessa, ele sempre conseguia sair das piores enrrascadas que Taeyong o envolvia quando crianças, por que não sairia dessa?
Ele abriu os olhos e olhou para a lâmpada do hospital, já estava ficando sem paciência, Myung havia entrado no quarto do irmão a horas e nada. Taeyong estava totalmente perdido, angustiado por qualquer notícia sobre o melhor amigo.

Foi então que sentiu alguém sentando na cadeira ao seu lado, olhou para pessoa, era Myung.

- Você quer ir ver meu irmão um pouco? - Myung perguntou, Taeyong só conseguiu balançar a cabeça positivamente. - Você pode ficar com ele até o horário de visita acabar, eu vou para casa descansar um pouco.

Taeyong agradeceu a Myung que se levantou e foi embora.

"Nós iremos devagar"

Taeyong andava pelo corredor do hospital ao lado da enfermeira em direção ao quarto do melhor amigo.

Ele estava nervoso, o quanto o amigo havia se machucado?

- Ele está bem, felizmente ele não precisa de ajuda dos aparelhos para respirar, mas o trauma do acidente o fez ficar em coma. - Disse a enfermeira.

Taeyong olhou para ela é depois abaixou a cabeça, se sentia feliz por saber que ele não precisava dos aparelhos mas também sentia triste por ele estar em coma.

A enfermeira para em frente a uma porta e abre a tal, Taeyong entra e vê seu melhor amigo, pálido e sem expressão nenhuma, seu coração aperta quando lembra do sorriso do melhor amigo.

Olha para trás e vê que a porta está fechada e a enfermeira já não está mais ali, se permite derramar algumas lágrimas, mas não muita.

"Ele vai sair dessa e minhas lágrimas vão ter sido inúteis. " - Pensa Taeyong

Taeyong se senta em uma cadeira próxima a cama e segura a mão do melhor amigo. Ele começa a cantar uma canção que Doyoung adora.

"No mesmo sonho eu ouço uma canção familiar
Que chama por mim
Ele me envolve, o ódio em mim
Todos os dias se repetem, mas está tudo bem
Estou andando sobre uma profunda escuridão
Olhe para o que é real e que está escondido ali"

Doyoung, está preso em sua própria cabeça, ele não consegue sair daquele local escuro e sem nenhuma vida. Ele não encontra nenhuma saída, nenhuma brecha para poder se esquivar. Tudo que Doyoung quer nesse momento e poder ver alguma coisa colorida

"Abra seus olhos, em silêncio abra seus olhos
Abra seus olhos, agora abra seus olhos"

- Por favor Doyoung, abra os olhos e me mostre seu sorriso. Você sabe o tanto que odeio ver você sério. Você sorrindo e tão cheio de vida, tão colorido, por favor Doyoung abra os olhos, eu preciso de você. - Taeyong falava isso enquanto chorava.

Ele não aguentava ver o melhor amigo daquele jeito, o rosto dele estava todo machucado com arranhões fundos, os braços dele tinha mais arranhões e até algumas queimaduras.

Tudo que Taeyong queria nesse momento era ver a cor colorida que emanava de Doyoung quando ele sorria.

Mais uma vez ele começou a cantar.

"O ódio não desaparece e sonhos me torturam
(Sonhar)
O relógio ri para mim, não cometo nenhum erro
Estou um caos, nem sequer me conheço
Meu futuro está sombriamente colorido
Estou me debatendo, colorindo esta noite com cores ainda mais sombrias"

O local onde Doyoung estava que antes era totalmente escuro, agora estava cheio de imagens do acidente que ele sofreu. Minutos atrás ele havia conseguido espantar essas imagens e nunca se sentirá tão aliviado em ver aquele escuro novamente. Agora que elas voltaram ele nunca sentiu tanta falta do escuro.

O coração de Doyoung sabia que estava tudo bem, mas a mente dele insistia em dizer que não estava, que tudo de pior havia acontecido.

"Neste mundo, eu estou fechando os meus olhos
Deitado na cama, cobrindo meus ouvidos
Ontem é hoje, hoje é ontem"

Doyoung se senta no chão abraça suas pernas, coloca a cabeça entre elas e tenta de uma maneira desajeitada tampar os ouvidos. Suas lágrimas descem e ele não consegue segura-las.

Diferentemente da primeira vez que Doyoung viu as imagens do acidente, essa tem sons, que ficam cada vez mais alto. O grito agudo de sua mãe é o mais o aterroriza.

Ele consegue ouvir o coração dele falando que nada daquilo resultou a algo trágico mas ele não consegue acreditar, a mente dele toma conta de todo o corpo dele o impossibilitando de fazer outra coisa a não ser ficar ali e chorar.

Mas então um canto consegue ser mais alto que os sons do acidente, que o grito de sua mãe. Ainda chorando ele se concentra na voz cantando umas de suas canções favoritas. De primeira ele não consegue identificar de quem é aquela voz, mas logo percebe que é Taeyong cantando.

Os sons do acidente param e ele levanta a cabeça limpando algumas lágrimas que insistiam em descer. Ele consegue ver um colorido em sua frente, um pouco longe, mas aquele colorido o enchia de esperança.

"Nós iremos devagar
Baby,nós iremos devagar"

Doyoung anda lentamente até a luz colorida que a cada passo ela fica cada vez a maior.

"No mesmo, sonho eu ouço uma canção familiar
Que chama por mim (Você faz)
Ela nos conecta (Você quer)"

Taeyong continua cantando, para a felicidade de Doyoung, nunca achou tão bom ouvir o som da voz do melhor amigo.

Quando chega perto da luz colorida percebe que é uma porta, que não dá para ver o outro lado. Ele olha ao redor e então passa pela porta colorida.

"Eu ainda estou indo para algum lugar
Para um lugar desconhecido
Para um corredor desconhecido
Estou passando a maior parte do meu tempo em um lugar desconfortável
Mesmo depois de muitas noites como um explorador
Esse caminho é muito difícil
Estou andando por ai distraído até que fecho os meus olhos
Duvidando deste momento, no meio de sonhos e realidades"

Doyoung está em um corredor colorido e com perfumes de várias flores, se sente feliz por ter saído daquele lugar escuro. Ele sente que podia ficar nesse corredor pelo resto de sua vida, mas algo o puxa para continuar andando.

Nesse momento Doyoung não está mais chorando esta com um sorriso que não lhe cabe no rosto.

"Abra seus olhos"

A música que Taeyong estava cantando acaba e mais uma vez ele volta a chorar.

Encostando a mão de Doyoung em seu rosto molhado ele volta a cantar. A música de algum modo o acalma.

Na hora que Taeyong para de cantar Doyoung fica totalmente perdido, o colorido do corredor vai ficando cada vez mais escuro, o sorriso no seu rosto desmancha e o medo volta. Mas Taeyong volta a cantar e tudo volta ao normal.

"Olhos estão se abrindo através desta canção
Seus sonhos estão sendo compreendidos
Você está sendo acordado de um sono profundo
Meu sétimo sentido"

Doyoung volta a andar, eles anda metros e mais metros de corredor mas não se importa contanto que ele não esteja naquele lugar escuro para ele está tudo bem.

"Está noite veio até mim
Um sonho diferente esta se aproximando"

Ele encontra uma porta fechada, ele vai até a porta pega a maçaneta e gira quando ele abre a porta ele é puxando para dentro dela e então começa a cair, então ele cai no local escuro novamente.

Taeyong para de cantar a música de repente, se levanta da cadeira ainda segurando a mão de Doyoung e se senta na beirada da cama, passando a mão livre pelo rosto pálido de Doyoung ele diz;

- Por favor Doyoung, abra os olhos... Eu preciso de você aqui comigo... Eu... Eu te amo! - Lágrimas voltaram a descer pelo seus olhos.

"Abra seus olhos, em silêncio abra seus olhos
(eu não estou sozinho!)"

- Não acredito que Taeyong o bad boy conseguiu admitir que ama alguém. - Falou Doyoung com a voz fraca.


Notas Finais


Se você chegou até aqui, muito obrigada ♡

The 7th Sense: https://youtu.be/3UGMDJ9kZCA

Então gostou?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...