História Operação baile - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias South Park
Personagens Eric Cartman, Kenny McCormick, Kyle Broflovski, Stan Marsh
Tags Kyman, Stendy
Exibições 10
Palavras 1.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo 2


Na tarde daquele mesmo dia, Kyle decidiu ir até a casa de seu melhor amigo. Não conseguia tirar da cabeça o que acontecera mais cedo. Pensou que seria melhor conversar com alguém sobre a questão.

Ao chegar foi calorosamente recebido pela senhora Marsh, quem em seguida avisou que seu amigo estava no quarto. Kyle assentiu com um sorriso humilde e subiu as escadas até o segundo andar. Parando em frente à porta deu alguns toques de leve.

- Quem é? – gritou do outro lado uma voz abafada.

- Sou eu, cara.

- Ah, sim. Pode entrar.

Kyle abriu a porta com tanta intimidade que era como se fosse entrar em seu próprio quarto. Ele parou perplexo ao encontrar Stan deitado na cama com um travesseiro no rosto.

- Não me diga que...

- É isso mesmo. – interrompeu o amigo com impaciência. Depois de um tempo colocou o travesseiro de canto suspirando cansado e sentou-se permitindo que Kyle se acomodasse ao seu lado na cama.

- Wendy? – arqueando uma sobrancelha Kyle arriscou um palpite. O amigo abaixou a cabeça com uma expressão acabada.

- Eu não aguento mais, cara. O nervosismo tá sugando a minha vitalidade! É como se o mundo fosse acabar amanhã, e minha mãe ainda vem falar com entusiasmo sobre o terno que alugou meses atrás só para esse dia de merda. – Kyle colocou a mão sobre o ombro do amigo pedindo que fosse com calma.

- O quê exatamente aconteceu? – perguntou mesmo já imaginando a resposta.

- Wendy me falou hoje de manhã que quer concorrer para rei e rainha do baile. – revirou os olhos. – Nós não podíamos simplesmente ter uma noite tranquila a dois?

- Stan. – pontuou o nome com firmeza, massageando a testa. Às vezes se perguntava como encontrava paciência para lidar com situações como essa. – Você está exagerando, cara. Pensa assim, você vai com a Wendy, a garota com quem tem saído nos últimos oito anos, à parte dos conflitos. Aliás, isso só significa que ela está levando o relacionamento dos dois a sério.

Houve um momento de reflexão até Stan concordar um pouco mais animado.

- Tem razão, cara. Ainda assim, sorte a sua que não vai precisar ir.

- Você que pensa. – respondeu abaixando a cabeça.

- Como assim?

- Simplesmente aconteceu a coisa mais bizarra hoje, e irei a essa estúpida festa com o Cartman. – ao escutar isso Stan voltou-se ao amigo atônito.

- Como assim? - perguntou novamente com a voz um pouco trêmula, queria ter certeza de que ouvira direito.

- É isso mesmo. Eu sinto que ele está planejando algo, ele veio com todo um discurso de almas gêmeas. Stan! - deu um olhar de censura ao amigo que começara a rir.

- Foi mal, Kyle. Mas por quê você aceitou? – disse recobrando-se.

- É como eu disse, ele está planejando algo, cara. E seja o que for eu vou impedir.

Os risos cessaram e Stan agora olhava o teto contemplativo.

- Sabe, se eu fosse você teria deixado para lá. É estranho ver você se preocupar assim com o Cartman.

De repente, Kyle não soube o quê responder. Muitas vezes se opôs aos planos do colega, se é que poderia até chamá-lo assim. Raras vezes esteve de acordo, inclusive participando ativamente. Qualquer que fosse a ocasião estava atento a cada passo suspeito do outro. Como poderia estar preocupado com ele?

- Relaxa, cara. - falou Stan ao ver que o amigo adquirira um ar pensativo. - Que tal uma partida de Call of Duty?

Kyle deu um singelo sorriso à sugestão.

*** *** ***

Estavam no começo do primeiro ano do colegial quando Kyle teve coragem de assumir-se gay para o seu melhor amigo. Inicialmente teve medo da sua reação; conhecendo-o bem iria fazer um drama desnecessário. Ele nunca olhou para Stan de forma diferente, repudiava a ideia de se apaixonar por seu melhor amigo. Contudo, o sufoco de não poder ser sincero sobre isso com a pessoa mais próxima e quem mais confiava era imenso.

Ele se aproximou dizendo que tinha algo importante para falar. Após as aulas se encontraram em sua casa, e ficaram jogando conversa fora até que viesse a oportunidade.

- Quê? – Stan exclamou surpreso. – Não está falando sério, certo? – Kyle o olhou com determinação. – De jeito nenhum, e o que aconteceu com a Rebecca? Com a Nichole? – o amigo continuava com a mesma expressão.

- Tínhamos dez anos, Stan. A Rebecca foi apenas admiração, e a Nichole foi empolgação do momento. Não tinha como eu me sentir atraído por elas.

- E, quando foi que... - ele ainda estava incrédulo, e por mais que não quisesse admitir, também chocado. Quando eram crianças era frequente as dormidas um na casa do outro, juntos na mesma cama.

Sem prestar muita atenção acabou se afastando um pouco do amigo.

- Você lembra da minha festa de aniversário de treze anos?

- Aquela em que sua mãe fez questão de alugar uma casa de buffet ao ar livre e convidar quase toda South Park? Como alguém poderia esquecer disso? - respondeu como se fosse uma questão óbvia. 

- Exatamente. - sentiu um calafrio à recordação, ainda assim continuou. - Naquela época já não era surpresa para ninguém que o Tucker e o Kenny estavam ficando. Contudo, naquele dia, quando chegaram de mãos dadas, tão próximos... Eu senti meu estômago embrulhar, Stan. E uma raiva do Tucker por uma razão injustificável. No momento eu não tinha entendido muito bem, e então,  no dia seguinte eu comecei a prestar mais atenção no Kenny.

- Calma. - Stan o interrompeu. - Kenny? Você está dizendo que foi por causa dele? - de alguma forma sentiu-se mais aliviado.

- Sim. Eu acho que tenho um fraco por ele. - sem que se desse conta, um pequeno sorriso surgiu no canto de seus lábios.

Esse simples gesto foi o suficiente para sanar todas as dúvidas de Stan, e ele mesmo sentiu-se sorrindo.

- Tudo bem, cara. - disse colocando uma mão em seu ombro. - Você sempre vai poder contar comigo, afinal, somos melhores amigos, certo?

- Valeu, cara. - assentiu, olhando para o amigo com uma sincera gratidão. 

*** *** ***

Depois dessa confissão nada mudou na amizade dos dois. Poderia-se apontar para o fato de que agora Kyle dormia no sofá quando passava a noite na casa de Stan. Contudo, mesmo que não tivesse dito nada, assim que entraram no colegial a presença de Wendy se tornara mais constante, o que garantia à garota o privilégio de dormir junto com namorado.

Talvez, a única diferença aparente fosse nas conversas pessoais que tinham quando estavam sozinhos. Geralmente Stan reclamava algo sobre a namorada, e como se devolvesse na mesma moeda, Kyle desabafava irritado sobre como nunca daria certo a sua paixão por um cara que parecia ter necessidade de pegar todos da escola.

Quando Kenneth se aproximou convidando-o para o baile, lógico que sua resposta deveria ter sido "sim". Porém, assim que Cartman o pegara desprevenido com o mesmo convite... Era como funcionava o inconsciente de um adolescente em circunstâncias como essa. Se fosse ao evento com ele causaria ciúme no garoto com quem realmente queria estar.

Após descansar a mente perdendo para Stan no jogo de tiro, deu por encerrada a tarde. Despediu-se do amigo e voltou para casa, preparando-se psicologicamente para o que viria no dia seguinte.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...