História Operação Onii-chan - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Elizabeth Liones
Tags Colegial, Incesto, Melizabeth, Nanatsu No Taizai, Romance, Shoujo
Exibições 182
Palavras 1.437
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Volteiii meus Puddinzinhos safadinhos que votaram pro Hentai... Eu sei disso, li todos os comentários e me sinto lisonjeada com isso.

Obrigado, nos vemos nos comentários, neh?

Capítulo 7 - Isso é loucura.


Fanfic / Fanfiction Operação Onii-chan - Capítulo 7 - Isso é loucura.

             

[Aviso: Faça uma releitura da fanfic pra não ficar mais perdido que a dentadura da minha vó no baile funk]

 

 

         [Pov.Autora]

 

Meliodas virou os olhos, e enfiou a prateada dentro de um provador de roupas. Ela reclamou contra, mas não teve argumentos para sair de lá.

– Fica quieta ai dentro, vou buscar uma roupa decente. Eu estava vendo sua calcinha com aquele vestido rasgado.

– Não demora, ou eu...

– Vai fazer o que? Me matar?

– COM CERTEZA!.

– Duvido.

                 (Pov.Meliodas)

Droga dessa vez eu consegui realmente irritar a garota, adolescentes sempre são tão sensíveis e estranhas, choram por tudo. não posso nem me divertir com ela fazendo escândalos desse jeito... Sim, confesso que foi divertido ver a expressão dela entrando em desespero.

É parece que não vai ser tão fácil cuidar dela assim, mas eu tenho que aguentar mais um pouco nessa família de escrotos.

Fui ate a parte de roupas femininas da loja e procurei alguma roupa "decente" pra ela já que ela fez questão de se rasgar toda correndo atrás de mim pelo shopping. Que garota desajeitada parece um pato correndo.

Peguei um conjunto com uma mini-saia e uma blusa rosa com botões dourados, imagina que cena adorável seria ver ela usando isso. Ela é desastrada nojenta e completamente antipática, mas isso não muda o fato dela ser gostosa e charmosa.

Levei a roupa ate o provador onde ela estava e joguei por cima, me sentei na cadeira de frente para o provador esperando ela sair, não evitei de sorrir ao ver ela resmungando.

– Ai não acredito nisso.- Ela sai do provador.– Que roupa de baranga você me trouxe, seu pervertido.

Observei os detalhes, os magnéticos e hipnotizante detalhes daquele maravilhoso corpo escultural cheio de curvas, aqueles seios fartos enormes por dentro da blusa apertada. Sem com contar com aquelas coxas branquinhas, aqueles cabelos longos...

Meus deus que garota bonita, pena que um nojo em pessoa, deve ser por isso nunca reparei direito no físico dela.

– Vai ficar ai me olhando? Ficou tão estranho assim?.- Ela virou o rosto timidamente, com uma voz meiga, pensando bem ela não é tão chata. Pude ver ela corando aos poucos.

– Humm... Da uma voltinha, amor.- Soltei um sorriso malicioso, logo ela jogou o salto na minha cara, me fazendo cair da cadeira. Retiro oque disse, ela é insuportável mesmo.

– Moleque safado, deixa essa coisa dormindo.- Disse andando ate a saída.– E vamos logo, temos que chegar em casa ou a mãe me mata.

Oque ela quis dizer com "Deixa essa coisa dormindo". Olhei para os lados e procurei a "Coisa" notei do que se tratava quando percebi o volume na minha calça...

Ah! Então ela estava falando dessa coisa, que merda viu.

                  [Pov.Elizabeth]

Chegando em casa minha mãe me olhou com estranheza, claro que ela vai me olhar assim. Estou muito vulgar com essa roupa que o anão me levou, tentei não dar satisfação e subir para o meu quarto, mas ela me chamou e eu fui obrigada.

– Elizabeth minha filha, pelo amor de Deus oque você está fazendo com essa roupa?.- Disse ela sentada no sofá com Meliodas ao lado, se fazendo de inocente. (De inocente esse safadinho não tem nada)

– Mãe, eu preciso te dizer uma coisa, por favor não surta.- Eu sei que é uma péssima hora pra trollar minha mãe, mas não consigo resisti.– Mãe eu estou usando essa roupa por um motivo, se acalma.

– Ai minha nossa, Ellie não é oque eu to pensando? Por favor diz que não.- Ela pouso a mão no peito prestes a chorar, Meliodas aumentava o sorriso a cada estante.

– S..sim mãe... E..eu to trabalhando em quatro esquina, rodando minha bolsinha.

Por um segundo a sala ficou em silêncio, eu nunca disse algo assim pra ela. Nos olhos dela ainda sou uma criança... O silêncio foi quebrado com a risada escandalosa do loirinho, minha mãe ficou mais incrédula.

– Bebê corre lá no quarto da mamãe e chama o papai.- Ela estendeu um nota de cinco para Meliodas, ele não pegou a nota e levantou do sofá.

– Sorry Bitch, eu não preciso disso, minha irmã trabalha em quatro esquinas.- Meliodas.

Dessa vez foi eu que ri igual uma retardada ouvindo ele falar assim com o sutaque ridículo de gringo... Minha mãe deve ta tendo um infarto, ainda mais comigo. Eu realmente nunca brinquei desse jeito com ela, tenho 99,9%  de chance dela achar que eu fumei maconha e 100% de chance dela querer me matar junto com Meliodas nesse exato momento.

– EU VOU PEGAR VOCÊS!.- Em um pulo e ela arranca o chinelo do pé e ameaça a tacar em nos dois.– E vou dar uns tapa.

– CORRE NEGADA!.- Disse Meliodas em um movimento rápido me pegando no colo feito um saco de batata, mas que PORRA, esse garoto é duas vezes menor que eu.

Olhei pra trás e vi o chinelo da minha mãe voando em minha direção, que me atingiria numa boa se o anão não tivesse se abaixado comigo.

– Você é uma formiga?.- Perguntei enquanto ele subia os degraus escada comigo, na tentativa de fugir da mãe e do outro par de chinelo que estava por vir.

– Why are you asking that?.- Meliodas.

– Porque você ta me carregando, seu idiota.

– More beautiful in silence.- ele me joga na cama e tranca a porta do quarto, fiquei meio sem graça com isso, mas tentei não demostrar.

– Parece que conseguimos escapar dos chinelos voadores.- Disse ele suspirando pesadamente buscando fôlego.

– Hum... Então agora você me acha Beautiful?.- Sorri me deitando na cama rodeada de ursinhos já que estamos no meu quarto.– Sabe... Você é ate legal, me faz lembrar da minha amiga Diane, ela é tão rebelde, acho que estou ficando assim por causa dela.

– Sabe... Gosto de meninas rebeldes.- Ele sorri de lado e passa a língua nos lábios.

Se não fosse meu irmãozinho caçula eu diria que ele esta flertando comigo, soltei uma gargalhada com o meu pensamento sujo e completamente indecente.

– A é? Então você gosta de garotas rebeldes?.- Me sentei na cama de um jeito sexy... Entrando na brincadeira.

Ele se aproximou de mim, dessa vez com um sorriso malicioso, sorri da mesma forma e do nada ele puxa minha perna me fazendo cair sentando no tapete cor de rosa felpudo do chão. No momento paralisei enquanto ele me colocava em seu colo... Ele não estava brincando!!! Estou sendo abusada por uma criança de 13 anos.

QUE NOJO!!!

– O...Onii-chan.- Sussurei baixo encarando seus olhos verdes que secavam minha boca.– O que esta fazendo?.

Sua mão tocou meu queixo e logo seus lábios se uniram aos meus de forma rápida e ao mesmo tempo cuidadosa. Oque ta acontecendo? estou perdendo o controle do meu corpo, não consigo simplesmente empurra-lo seus toques me deixaram imóvel, era tão quente sentir um carinho assim.

Logo ele pediu passagem pra língua e eu por pura loucura me deixei levar, não, isso não é normal tenho quase o dobro da idade dele. Meus braços se envolveram em volta de seu pescoço, meus dedos tocaram nos fios loiros e macios.

Ao mesmo tempo nossas línguas brigavam por espaço e se conectavam e dançavam de forma excitante, senti algo descer entre minhas pernas, sim eu realmente havia me empolgado. Ele desce as mãos na minha cintura e me pega com força me fazendo rebolar em seu colo, isso começou a me estímular já que sua intimidade se esfregava na minha, mesmo por cima da roupa...

Sinto um prazer enorme com aqueles movimentos e solto um gemido baixo, cortei o beijo deixando um fio de saliva entre nossas bocas.

– Droga, oque pensa que esta fazendo?.- Perguntei tentando parecer brava e escondendo o desejo de continuar.– Melhor parar enquanto da tempo, não posso simplesmente pegar meu Onii-chan assim como um garoto normal, aliás eu nunca peguei ninguém antes.

– Então esse foi, seu primeiro beijo?.- Perguntou ele me olhando daquele jeitinho fofo, assenti com a cabeça e ele sorriu corando um pouco (Por que diabos esse também não é o primeiro beijo dele? Sou mais velha).– Ellie, você beija muito bem.

– A é? Acha mesmo?.- Voltei a prestar atenção em seus lábios, já não dando pra esconder a vontade e devora-los mais uma vez.

– Você realmente não é tão nojenta.

– E nem você, na verdade você é ate gostoso.- Falei sem pensar, e ouvi ele rindo.

– Vem cá.- Me puxou.

E mais uma vez iniciamos um beijo molhado como o anterior, ele mordia meus lábios inferiores me fazendo soltar leves gritinhos.

"Estou ficando louca, talvez. A mamãe esta na sala o papai no quarto, e eu estou brincando e cuidando do meu pequeno irmãozinho, nada de mais"

 


Notas Finais


Só brincando, nada de mais...
Elizabeth se mostrando um irmã super cuidadosa com o maninho.
Palmas pra ela minha gente, palmas palmas.

Comentem ou eu juro que coloco pimenta no bumbum de vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...