História Opostos - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Piece
Personagens Eustass Kid, Franky, Koala, Monkey D. Luffy, Nami, Nico Robin, Roronoa Zoro, Sanji
Tags Luna, Zorobin
Exibições 85
Palavras 12.284
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


SIIIIM EU VOLTEI !!
~Depois de 84 anos kkkk

Agora eu voltei para ficar =]
Demorei por problemas pessoais e principalmente estava sem inspiração...
Mais prometi a mim mesma que irei terminar minhas histórias!

Bom vou dividir essa parte do passado em três partes ou quatro
Porque quero tudo bem explicado bpara vocês!

Bom já demorei bastante então
Boa Leitura!

Capítulo 9 - Passado - Parte II


Fanfic / Fanfiction Opostos - Capítulo 9 - Passado - Parte II

Dezembro 3 anos atrás

A chuva começava a cair mais forte no lado de fora a cafeteria, o inverno estava bem rigoroso esse ano e como o risco de escorregar pelas calçadas era bem grande, pois tinha nevado no início da manhã, algumas pessoas se abrigavam aqui conversavam, riam, comiam cuidavam de suas vidas a maioria eram adolescentes de férias curtindo o fim de tarde com os amigos.

Em uma mesa mas afastada três amigas conversavam alegremente, no auge dos seus 14 anos estavam esperando ansiosas pelos resultados de suas provas de admissão, na Alabasta High School, enquanto comiam e bebiam.

Bonney – Que horas que vai sair o resultado hein? Já tá chato aqui....

Nami- aqui diz que vai está no portal as 16:00 agora são... 15:45! –Falou mexendo no celular.

Bonney- Ai quanta demora! Tenho que ir pro treino!

Nami- espera só mais um pouquinho vai... e com essa chuva tenho certeza que o seu treinador vai cancelar tudo!

Bonney – isso não quer dizer que eu não vá treinar... ta demorando muito! – Fez bico e abaixou a cabeça bagunçando os cabelos e fazendo a amiga revirar os olhos.

Nami tinha seus cabelos ruivos curtos acima dos ombros, usava uma camisa algodão branca e azul, uma saia laranjada, botas de couro e um sobretudo.

Bonney tinha os cabelos rosados de tamanho mediano, usava uma regata branca e um macacão jeans rasgado, uma galocha azul e uma jaqueta de couro com esporões.

Robin tinha os cabelos negros curtos acima dos ombros, usava um vestido azul marinho, uma bota cano curto preta, um casaco grosso e seus óculos de armação lilás.

Amigas desde o jardim não importa a situação estão sempre juntas, seus corpos ainda não devidamente desenvolvidos, mas todas têm o necessário para chamar a atenção por onde passam: Inteligência, atitude, descontração e Beleza. Eram consideradas populares, mas não ligavam muito para isso, principalmente a morena que fugia de quaisquer situação em que ela fosse o centro das atenções.

Nami – Desculpa, mas eu não aprendi a controlar o tempo ainda! Dá pra acreditar nela Robin? – a morena bebia seu suco e olhava para um grupo de garotos do outro lado a ruiva seguiu seu olhar e sorriu, cutucou a rosada a sua frente que levantou a cabeça e por sinais dados pela ruiva já tinha entendido o recado.

Bonney – Robin... ta babando... – mesmo assim a amiga estava em outro mundo.

Nami- Robinzinha.... – as duas se olharam  esorriram. – Olha é o Lee Min ho ali na esquina!

Bonney – e pelado!! – A ruiva fez carita de “Como assim?”e a outra deu se ombros sorrindo. Viram que não adiantava então usaram medidas drásticas.

ROBIN !! – As duas gritaram batendo as mãos na frente dela a fazendo pular e com o susto e derrubar suco no vestido fazendo as amigas rirem.

Robin- Hã?! O que foi? A droga, minha mãe vaisurtar por eu sujar meu vestido!! – Falou passando o guardanapo na roupa.

Bonney- aproveita e passa nessa baba do lado da sua boca... ta bem visível kkkkk

Robin – Do que você está falando? – passou o lenço no rosto.

Nami- não se faça de boba... se seus olhos tivessem lazer a cabeça do Law tinha explodido! Kkkk

Robin – isso não tem nada a ver... – as bochechas dela estavam vermelhas e ela baixou a cabeça agora fingindo ainda limpar o vestido.

Nami – kkkk sei... então eu acho que ela não vai se importar Bonney... – ela levantou.

Robin – O que? – levantou o rosto assustada.

Bonney – Também to achando isso... – a rosada tambem se levantou virando o rosto para onde os rapazes estavam.

Robin – Não ousem...

TRAFALGAR!! – as duas gritaram com as mãos erguidas assim que ele olhou Nami fez sinal o chamando, ele sorriu e foi em direção às mãos no bolso.

Robin – Meu Enel!Eleestá vindo! Eleestá vindo mesmo! Me lembra de matar vocês depois... – ela falou entre os dentes forçando um sorriso já que ele já estava próximo a mesa.

Nami – Anotado! – piscou para ela.

Law- Meninas... a que devo o convite? – a ruiva cutucou a amiga ao lado dela e a morena a chutou por baixo da mesa a fazendo sorrir.

Nami – rsrs Sabe o que é nós esquecemos que horas vai sair o resultado la no portal! Você sabe?

Law- Ah é isso... – ele olhou no relógio – eu acho que já deve está !

Nami – Sério? Nossa muito obrigada!

Law- que nada! Estou ao dispor de vocês  - falou olhando para Robin que sorriu e baixou um pouco a cabeça.

Bonney - Quer sentar conosco?

Robin- NÃO! – todos se assustaram - Digo ele está... Está com os amigos dele...

Bonney – Eu conheço a maioria são do time de vôlei... se quiserem podem todos sentarem aqui!

Law- eu não me importo.... tem algum problema Robin-chan?

Robin – N-não... se e-eles quiserem podem vir... – ele lhe sorriu

Nami – ISSO! – Ela deu um pulo assustando todos.

Bonney- Quê isso mulher!!! – pós a mão no peito.

Law – Quanta animação! Kkk vou ver se os meninos querem vir !

Nami – Não é isso! Digo, isso também! É que nós passamos! – elagesticulava para todos os lados

Robin – Sério? Cadê? – tomou o celular– Nossas notas foram praticamente iguais, parece ate que colamos kkk ficamos entre os 20 melhores!!

Nami- Ebaaa Somos Nerds!! Obrigada Robinzinha – abraçou a amiga.

Robin- Disponha kkkk depois cobro meu honorário...

Nami- Credo minha amizade não vale o suficiente??!!

Robin – tô brincando boba – beijou sua bochecha

Bonney – OOOBA! – olhava para o celular -  Não vou precisar ir para a prisão! – ergueu ao braços.

Law- Prisão? Como assim...

Nami- kkk não esquenta! É que se ela não passasse ela ia para uma escola só para garotas, tipo aquelas bem conservadoras kkk

Bonney – Graças a santa Nico eu passei... DomoArigato – ela ficou segurando a mão dela e beijando.

Robin – Deixa de besteira! – puxou a mão – é vergonhoso...

Law- me empresta seu celular para eu ver se acho meu nome ou dos meus amigos?

Nami- Claro !! Pega ai... – ele pegou seguiu para perto seus amigos.A morena o seguiu com o olhar.

Bonney-ei Robin.... Que tal um karaokê?

Robin- mas você disse que ia treinar...

Nami- esqueci isso !Temos que comemorar!!!

Bonney- isso mesmo! Entretanto... Vocêterá que convida-lo! – apontava para ela.

Robin- M-mas por que EU?–logo ficou rubra.

Por que SIM! – asduas falaram. Ouviram os meninos fazerem algazarra e Law se aproximar.

Nami- como forma de pagamento eu irei te ajudar a agarrar o Trafalgar!

Bonney – e eu ajudo! – ficou dando pulinhos na cadeira.

Robin – não preciso que me ajudem nisso...

PRECISA SIM!!! – Gritam juntas a fazendo corar.

Law- então meninas – falou se aproximando e sorrindo- Nós também passamos! Acho que vamos ficar juntos por mas 3 anos – falou devolvendo o celular e olhando para Robin.

Nami-que legal! Bem... A Robin queria falar com você... – cutucou a menina.

Law- pois não? – cruzou os braços a encarando.

Robin- ah! Be-bem.... Estávamos pe-pensando em comemorar no karaokê, sabe pode até chamar seus a-amigos...– tentou ao máximo não parecer nervosa mas sempre gaguejava perto dele.

Law- Karaokê? Bom... – ele olhou para os meninos que estavam fazendo guerra com bolinhas de guardanapos –... eles são meio bagunceiros...

Bonney- assim que é legal!

Law- vocês tem certeza? – coçou a nuca meio constrangido já que o proprietário estava expulsando ao rapazes da lanchonete.

Nami- vamos Law-kun!!

Robin- vai ser divertido Law-kun... – ele a olhou e sorriu de canto.

Law- certo, certo! Vou perguntar para eles, vão topar mas mesmo assim vou lá perguntar!

Robin- okay... – ele saiu e foi conversar com os garotos.

Nami- Amiga, de hoje esse boy não te escapa! Gruda nele , abraça ele, beija ele!

Robin- O QUÊ?

Bonney- Não espere atitude dele! Beija Logo na primeira oportunidade!

Robin- tah agora vocês estão mesmo loucas!

Bonney- que ingrata! Também não ajudo mas!

Robin- não e isso... E só que, não posso tomar esse tipo de iniciativa... Principalmente no meu primeiro beijo...

Bonney- Quanta baboseira! Beijo e beijo!

Nami- Verdade? Então por que ainda não beijou o Drake? Meu priminho já aguenta mas – falou maliciosa.

Bonney- Aí já é diferente! Seu primo e mas velho e só quer me agarrar, tem deixar banho-mariase ele realmente gosta de mim vai me pedir em namoro ou algo assim!

Nami- ou ele vai desistir e segui para outra.

Bonney- tanto faz!

Robin- você vai acabar se machucando!

Nami- eu concordo com Robin, eu prefiro aguardar a pessoa certa! E Rico de preferência!

Robin- Credo! Kkkk

Law- MENINAS! – Gritou chamando a atenção delas- vamos!

Nami- é agora que as coisas ficam interessantes! Anota o que eu estou dizendo você vai estar namorando antes do natal!

Juntaram suas coisas e foram andando já era só 10 min de caminhada.

(...)

Alabasta High School – 15 de Abril – 10:45

Pois bem haviam se passado 4 meses e adivinhem? Não, Nico Robin não está namorando! Pelo contrárioestá solteiríssima e com uma vontade imensa de jogar sua faca direto nos testículos de um certo moreno que neste momento está no refeitório quase transando com sua namorada... sim namorada!

Aquele emo do Paraguai, como Nami o chamava, está namorando com uma das garotas, mas populares da escola Boa Hancock. Se ela é bonita? É linda! Corpo violão, pele de pêssego, cabelo negros lindos abaixo dos quadris, lindos olhos azuis e os peitos enormes! Era a capitã do time de animadoras da escola e presidente do clube de biologia, sim ela era uma bicth nerd....

“Se pararmos para pensar somos um pouco parecidas... Só tirando os seios enormes e o cabelão claro! Seria por causa dos seios de melancia dela?(Olhou para a mesa deles e fechou ainda mais a expressão) sim deve ser isso, já que as mãos dele não saem de lá. ”

Pensava nossa linda morena que tentava comer sua omelete de queijo que já havia esfria e perdido o gosto a muito.

“Será que eles não sentem vergonha? ”Ela sentiria, mas eles não.

Não eles não tinham nenhuma pois estavam a duas mesas dela acompanhados de alguns amigos e não paravam de se beijar e se tocar. Em pensar que ele encheu seu coração de esperanças, mas na primeira oportunidade caiu de amores pela Miss “boing-boing”. Agora era popular, membro de carteirinha do clube de biologia e presidente do Grêmio estudantil, nem falava mas com ela já que não era do mesmo nível social de popularidade que eles, não porque era inferior ou coisa e tal mas sim por que não achava necessidade de ter que chamar a atenção de todos da escola para se sentir bem ou superior a todos, preferia manter-se neutra a essas questões.

Deixou de ama-lo? Não, infelizmente não! Quem consegue esquece o primeiro amor de uma hora pra outra? Dizem que pode-se esquecer com outro amor, mas ela não o quer fazer. Sabe que ele,por mas que não pareça ainda é o garoto gentil e engraçado que ela conheceu no início de sua 8º serie, e que a dois meses quase se tornou seu namorado.

Nami- Se continuar olhando eles vão notar... -  ruiva se sentou ao seu lado lhe dando um pequeno susto.

Robin – Hum... talvez essa seja minha intenção... – empurrou seu prato, já não tinha mas fome.

Nami- Ai amiga para com isso... tem vários caras mas legais que ele.

Robin – Mas eu não quero eles... – manteve o olhar na mesa dele e deitou a cabeça nos braços cruzados na mesa -  ele não percebe que é só por que ele é presidente do Grêmio que ela deu bola pra ele?

Nami -ele não é nenhum ingênuo que eu sei, e também está se aproveitando muito bem da situação...

Robin – Chega, vamos sair daqui! – falou já se levantando  e a ruiva a seguiu.

Nami – Vai pra sala?

Robin – não... acho que biblioteca quero pegar alguns livros para ler.

Nami- Acho que vou com você então, tenho que pegar um de poemas para a aula de literatura... me sugere algum?

Robin- Hum...

(...)

“Se quereis que ainda ame agora,
Tornai-me à idade do amor.
Dos meus dias ao sol-pôr
Que brilhe uma nova aurora.

O Tempo tem-me cativo,
E manda que eu não mais vá
Onde quer que o ébrio Divo
Com Amor reinando está.

De tão dura austeridade
Tiremos algum valor:
Quem não vive a sua idade
Dela sofre só a dor.”

(...)

(Voltaire – 1694-1778 - A MADAME DU CHATELÊT SOBRE A AMIZADE)

Nami – Nossa... muito... lindo... – passaram pela porta do refeitório e a ruiva fez uma careta enquanto pensava.

Robin -kkkk eu sei que você não entendeu nada, vem vou te mostrar uns mas fáceis de interpretar.

Nami – Ai! Me chamou de burra! Agora eu quero desse autor, como é o nome mesmo? Voltarei?!... – Coçou a nuca.

Robin- Voltaire, e os poemas deles estão todos em Francês!

Nami-  Nada que a Internet não resolva! – Falou pegando o celular no bolso que apitava.

Robin – então por que estamos indo para a biblioteca?

Nami- Oras la tem a sala de computação,com internet de graça!

Robin – certo, mas ainda prefiro os livros! Se quiser eu te ajudo!

Nami – Eu adoraria! Já disse que amo você? – Beijou a bochecha dela a fazendo rir –ah!nossa moranguinho chega hoje anoite, mandou mensagem.

Robin -Otimo, já estava com saudades dela! Agora vamos que temos só mas 15 min de intervalo! – se abraçaram pela cintura e seguiram seu caminho.

(...)

3 dias depois – Sábado 21:45 – Salão de festas de Skypiea TechnologyCompany

“A Skypiea Technology Company convida Vossa Senhoria a participar a 31ª edição do seu tradicional Jantar para comemorar os 55 anos de fundação da entidade, será realizado neste sábado 19 de Abril,às 20h, no Salão de festas da própria empresa Skypiea,em Shibuya*Tóquio. O jantar será um momento de confraternização e de comemoração dessa data, mas também uma oportunidade para nos unirmos nesse momento em que o mercado pede inovação e diferenciação para superar os desafios da economia. Historicamente o jantar promove a confraternização dos empresários e estreita laços importantes para os negócios, esse ano não será diferente” (...)

Robin estava sentada enquanto observava a movimentação, fazia só 01:45min que estava naquela festa e já estava entediada.Amúsica era clássica, as pessoas falsas,seu sapato já apertava os pés e o vestido Curto Azul Royal Chiffon*estava dando coceira.

Mas não podia ir embora pois era uma das anfitriãs junto de sua mãe e seu tio, que aproposito a deixaram sozinha depois que um senhorde cabelo negro, muito auto e bigodudo adentrou o salão, dona Olvia praticamente saltou da cadeira junto de seu tio e seguiu até onde ele se encontrava com alguns outros homens, não só eles como mais uns 3 sócios de sua mãe só faltavam dar comida na boca dele.

Odiava essas reuniões onde tinha que sorri e bajular para quem sua mãe lhe apresentava, como parecia ser mais velha do que realmente era já havia decorado as cantados dos riquinhos que acompanhavam seus pais ou até alguns vinham como representante. Hoje sabia que sua mãe estava atrás de parcerias e sócios para os novos projetos da empresa iria realiza, existiam dois, quais ela não sabia por muito ligada as coisas da empresa, mas sei que tem a ver com tecnologia.

Bufou irritada pegou uma taça de champanhe (mesmo não podendo beber) com um garçom e seguiu para a área externa do salão, como era na cobertura de um prédio de 40 andares lhe propulsionava uma belíssima vista da cidade. Tomou toda sua bebida de uma vez e colou a taça no parapeito aonde estava encostada, seus cabelos balançaram com o vento a fazendo fechar os olhos, hoje estava usando lentes o que faziam seus ficarem com mais destaque principalmente por que agora estava com eles cheios de agua. Preferia estar em casa com a cara enfiada no livro se distraindo do que aqui onde as pessoas não falavam com ela a não ser por interesse, suas amigas tiveram outros compromissos e não puderam vir e a única pessoa de sua idade presente era a que menos suportava.

???? – Uma moça tão linda não devia estar aqui fora sozinha. – Robin se assustou com a voz grossa bem atrás dela, se virou e viu um jovem de uns 20 anos, usando um belo terno Italiano azul marinho completo*, olhos cor de âmbar, alto, de cabelos negros, um cavanhaque que o deixava sexy e sem esquecer muito, muito gato! Ele deu mas alguns passos ficando já diante dela, tocou o rosto dela a assustando e a tirando do transe – e muito menos chorando... aconteceu alguma coisa Hime?

Robin – Hime? – Tirou a mão dele e limpou o rosto – até onde eu sei não te conheço pra tamanha intimidade! É sempre assim?

??? – Só quando me interesso... – deu um belo sorriso de canto.

Robin – Runf... – Bufou e murmurou - era só o que me faltava... – se virou novamente, voltando a olhar a vista da cidade. Era só o que faltava alguém querendo bajula-la.

??? – Dracule Mihawk! – Lhe estendeu a mão para a mesma, que o olhou relutante mas aceitou.

Robin – Nico Robin! – ele pegou sua mão e a beijou a fazendo ter um calafrio na espinha – Pare com isso, odeio isso!

Mihawk – Beijos? – Ergueu uma das suas longas e finas sobrancelhas.

Robin – Bajulação! O que quer hein? – virou para ele cruzando os braços.

Mihawk – ah!... Fique certa que essa não foi minha intenção, vim aqui fora com o mesmo proposito que o seu... – ele encostou no parapeito de costa para a cidade e olhando para o salão.

Robin – e qual seria o meu propósito? – voltou a posição anterior mas ainda o encarava, enquanto ela mantinha o olhar para onde a festa ocorria.

Mihawk – Fugir, escapar um pouco daquele mundo... meu pai é o grandão falando com sua mãe! – Ela olhou por sobre os ombros e viu ambos conversando próximos ao bar -  Sempre que venho para essas reuniões e festas de negócio com meu pai sou cercado por pessoas interesseiras e, como você mesma falou, bajuladoras! Ainda agora teve uma garota de cabelos rosas que quase tirou a roupa pra que eu lhe desse atenção... fiquei meio que com medo dela...

Robin – É a Perona, acostume-se... Ela foi até descente com você! – ambos sorriram em silencio e ele voltou a olha-la.

Mihawk – Se nossos pais fecharem um acordo iremos nos ver com uma certa frequência... talvez façamos companhia um para o outro em alguns encontros.

Robin – Apesar de não aparecer muito na empresa, acho que posso suportar sua companhia nas festas...– falou dando de ombros e ele sentiu que ali era sua deixa.

Mihawk –acho que minha primeira má impressão já passou né?!

Robin – Ainda tenho um pé atrás em relação a você, mas a má impressão já não tem mais. A confiança, você vai ter que correr atrás – falou sorrindo e olhando bem naqueles olhos que pareciam se contrair de excitação.

Mihawk – Não sou do tipo que desiste fácil Hime.... – ele lhe deu um lindo sorriso que fez seu coração falhar uma batida, de repente aquela festa até que ficou bem interessante.

(...)

Terça-Feira – Mansão Nico – 15:35min

Robin estava com suas amigas estavam fazendo o trabalho de química que seria para o dia seguinte, ela ajudava as meninas e fofocavam sobre vidas alheias e as suas também. Claro que contou para as amigas sobre o moreno e juntas procuraram alguma foto na internet achando algumas em que ele sempre estava em eventos com seu pai mais nada pessoal.

Bonney- o Moreno delicia te ligou Robin? – eles haviam trocados números na mesma noite do jantar mais ela que não iria ligar para ele.

Robin – Não... acho que era só fogo de palha, devia estar entediado e foi falar comigo, por mim - deu de ombros, mesmo estando um pouco chateada.

Bonney – Deixa eu ver a foto dele no WhatsApp de novo? – a morena deu o celular para ela – Ai senhor ele mudou a foto ta sem camisa agora... olha esses gominhos, ah se me desse bola! – ela ficou se abanando.

Robin -kkk tah com fogo amiga! Mas ele é mesmo um gostoso... deixa eu ver ai, não tinha nem notado que ele tinha mudado.  -  ela mordeu o lábio não podia negar que ele era uma tentação, mas não o conhecia para saber se prestava ou não, nem teve coragem de perguntar de sua mãe algo sobre ele.

Bonney – Quantos anos ele tem mesmo?

Robin – 19... completou mês passado... – ficou olhando a foto dele e se imaginando tocar naqueles gominhos.

Nami – Por que não liga pra ele?! – entrou no quarto com uma bandeja com o lanche delas, bolo de cenoura, suco e cookies, não precisa se dizer quem já havia começado a devorar os cookies de chocolate.

Robin – Nani?! Tá louca? Jamais! – apertou o celular no peito.

Nami- e por que não? – se sentou próximo a ela.

Robin - Primeiro ele vai achar que estou interessada, e segundo vai ficar se achando! – Boqueou o celular e pegou um pedaço de bolo.

Nami- Mais você está interessada? – pegou o celular para ver a foto.

Robin – Um pouco, mais ele necessariamente não precisa ficar sabendo. – todas riram em concordância e continuaram lanchando, dando uma pausa nos estudos.

Bonney – Ah! Falando nisso, o teu primo me chamou pra ir no cinema no sábado!

Nami- Era só o que me faltava você na minha família – revirou os olhos e recebeu uma almofada na cara como resposta – Baka! To brincando rsrs

Bonney – sei, e você Nami? E o Arlong voltou a te procurar?

Nami -Graças a Enel que não! – ergueu om braços.

Robin -Como assim? Ele ta te perseguindo?

Nami – Estava, mas eu falei que chamaria a polícia se ele se aproximasse de mim novamente.... nem lembro por que eu fiquei com ele! É um lunático.

Bonney – A vodka e seus mistérios kkkk – a reposta veio com ela devolvendo a almofada nas foças da amiga.

As três estavam sentadas no chão em meio a almofadas, livros, cadernos e cookies, as tardes eram sempre melhores quando elas se juntavam e ficavam até tarde as vezes dormindo ou conversando madrugada a fora, eram irmãs de pais diferentes. Amizade que já rendiam 12 anos entre brigas, conselhos, lagrimas e irmandade. Nada era escondido entre elas era a regra fundamental delas, seguido do: amiga acima de homens!Nenhuma ia deixar de ser amiga da outra por causa de macho.

Nami – seu celular está tocando Robin! – como ela estava próxima pegou e olhou o visor – MINHA SANTA MADONNA !! E O MIHAWK!

Robin – What?? –tossiu engasgada com o suco e pegou o celular da mão dela e realmente era ele, seus olhos se arregalaram – o que eu faço? O que eu faço???

ATENDE !!! – As amigas nada discretas e nada escandalosas gritaram!

Robin – Nani? Mas por que?

Nami- atende logo e coloca no viva voz!

Robin – mas... – quando deu por si o toque cessou – ah! Caiu....

Bonney – você perdeu uma grande chance!

Nami -Bom se ele desistir na primeira ligação que dizer que não está mesmo afim...

Robin – verdade, vai ver ele... – o celular vibrou lhe dando um susto – É ELE!

Nami – Se acalma, me da aqui -  pegou o celular atendeu colocando no viva voz e no meio das três.

Mihawk –Alô? Robin?

Robin  - O-oi….

Mihawk – Nossa, que bom que você atendeu – soltou um suspiro

Robin – hã?! Por que eu não atenderia?

Mihawk – Bom você não atendeu quando eu liguei antes, achei que talvez estivesse me evitando.... tipo eu te ligando do nada e tal.

Robin – ah! Bom é que eu estava... – olhou para as amigas que fizeram mimicas de banho - ... estava tomando banho!

Mihawk – hmmm... elas notaram o modo malicioso que esse murmuro dele saiu e se seguravam para não rir.

Robin – Você gosta que lhe atendam logo de primeira, senhor Dracule? – usou sua voz mas sensual e bateu na ruiva ao lado que tava roxa segurando o riso

Mihawk – Na-não! É só que eu fiquei meio apreensivo....

Robin- Hmm, e o que deseja de minha pessoa? Ou ligou só para ouvir minha voz?!

Mikawk – bem talvez.... – as três arregalaram os olhos se entre olharam–mas também para lhe fazer um convite!

Robin – que seria?

Mihawk – ah... talvez... possamos sair... e tomar um sorvete? – ela sorriu, dava pra se notar que ele estava nervoso e achou bem fofo da parte dele.

Robin – e o que leva a crer que eu aceitaria? – as amigas ficaram cochichando “Como assim? ” “Aceita logo! ”

Mihawk – bom.... Talvez por você ser boazinha e talvezme dar a chance de te conhecer um pouco mais? – ela olhou para as amigas que estavam segurando os gritos e faziam sinais de positivo em sua direção.

Robin – certo... onde e quando? – elasescutaram um “yes” sussurrado e sorriram. Bonney sussurrou um “Hoje Tem!”

Mihawk – se me permitir... hoje as 19:00 eu passo para te pegar...

Robin – nossa... bem...– ela ia aceitar, claro que ia mas estava se fazendo de difícil obvio.

Bonney – ela aceita! Não importa o que ela diga venha busca-la ... –logofoi puxada pela ruiva que caiu na gargalhada apesar de tapar a boca da rosada.

Mihawk – hã?! Quem...? – ela pega o celular e tira do viva voz.

Robin – Ai céus, me perdoe minha amiga idiota, e que vou estrangular logo, –olhou para as amigas que se contorciam sorrindo- pegou o celular da minha mão, não percebi que ela estava ouvindo a conversa.... ai que vergonha!

Mihawk – ah! B-bem... já foi feito né rsrs... mas e sua resposta? Posso busca-la?

Robin – Sim, claro! Eu mando por mensagem o meu endereço!

Mihawk – Otimo... bom até mas tarde! E depois eu gostaria de conhecer sua amiga...  bye!

Robin – Acho que vai ser meio difícil você conseguir conversar com um defunto rsrs .... bye!

Ela desligou o celular e fechou os olhos, soltando uma bufada de ar pelo nariz, olhou para a amiga que ainda era segurada pera ruiva e viu ambas morrendo de rir. Pegou uma almofada e jogou na direção delas.

Robin – Eu mereço vocês como amigas oh! – elas nada disseram e a morena se entregou a risada delas contagiante e as chamou para ajudá-la a achar uma roupa para o seu “encontro”.

(...)

Alabasta High School – 19 de Maio – 14:11

Maio havia chegado e já estava em seu fim faltando somente 2 semanas para junho, a semana de provas já tinha passado e agora só restava o campeonato interescolar junto com o festival escolar que seria em comemoração ao aniversário da escola e logo após isso começariam as férias de verão.

Agora todos os alunos arrumavam a escola para esses eventos, os clubes de esportes treinavam sem sessar, enquanto o restante dos alunos arrumava e organizava a escola para tal evento. Todos correndo contra o tempo já que no dia seguinte se iniciariam as festividades e as barracas ainda não estavam montadas.

Robin e suas amigas infelizmente ficaram juntas com a equipe organizadora, ou seja, estavam trabalhando diretamente com o Grêmio estudantil e tento que aturar Law, a peituda saltitante e suas seguidoras.

Bonney – quanto tempo ainda temos que ficar aqui hein? – ela segurava uma prancheta e anotava as barracas já finalizadas.

Nami – acho que até as barracas ficarem prontas... infelizmente isso vai demorar. – olhou para a prancheta e ainda faltavam 10 das 20 barracas para acabar o trabalho delas

Bonney – queria fazer alguma coisa, não fazer nada é pior.

Nami – vai participar das competições?

Bonney – sim, de futebol, mas é só no segundo dia e não estamos mas tendo treinos. Você vai participar de algum?

Nami – Não, preferi ficar em off só na organização mesmo, quem sabe ano que vem!

Bonney –hmmm, ei cadê a Robin? Foi fazer o suco? Eu vou derreter! – ela se abanava com a prancheta.

Nami- Pois é, ela está demorando muito e a máquina é bem perto... – olhou na direção onde se encontrava a máquina e viu a morena com um monte de sucos em sacolas e nos braços – Mas o que...?

 Robin saiu distribuindo sucos a todos os rapazes e moças que trabalhavam nas barracas, o sol estava forte e todos lhe agradeciam com reverencias e sorrisos e ela fazia o mesmo, demorou um pouco e ela se aproximou das amigas.

Robin – Eai demorei? – ela ofegava e tirou um suco da sacola para si.

Bonney – Mais que o necessário, me da -pegou a sacola das mãos dela e se sentando embaixo de arvore próxima logo Nami fez o mesmo.

Nami – por que distribuiu sucos free? Ta caridosa é? – pegou um também.

Robin -Um pouco, mas só fiz por que se eu que estou somente fiscalizando estou com calor imaginas eles – olhou um pouco em volta – e também nem saiu tão caro assim, só demorei mais por que a máquina emperrou depois de chegar a 30ª latinha, acho que acabei com estoque dela kkk tenho que avisar ao Trafalgar depois.

Law – me avisar sobre o que senhorita Nico? – as três se viraram e o encontram com Hancock e Shashi.

Robin – ah! Já ia atrás de você, eu comprei alguns sucos para os alunos que estão aqui fora então eu... – se virou pegando a sacola das mãos de Bonney onde ainda tinha umas 4 latinhas.

Hancock – ela quer reembolso Law-kun... – a interrompeu agarrada ao braço do moreno.

Robin – Nani?– fez careta e suas amigas se levantaram ficando ao seu lado.

Hancock – Não se faça de sonsa querida, como tesoureira posso dizer que não recebi nenhuma autorização para tal ato então nada de reembolso! – falava enquanto apontava para ela.

Law- desculpe Robin, mas eu também não pedi nada assim, e não posso fazer nada! O orçamento para o evento já está na pendura e mesmo sendo pouco não posso fazer nada! –

Robin – Eu não estou acreditando no que estou ouvindo! Era só o que me faltava essa... olha eu fiz isso com meu dinheiro por que....

Law- Façamos assim, diga a Shachi o quanto foi gasto e depois a Hancock vai te reembolsar metade é o máximo que eu posso fazer. – as três amigas abriram a boca em um perfeito “O”.

Nami – não to acreditando nisso. – ela cruzou os braços.

Bonney – Serio isso? – riu amagar.

Robin - Nossa como você é generoso Law-kun! Mas que saber o que fazer com esse seu dinheiro? Enfia... – jogou a sacola nele girou seus calcanhares e saiu pisando duro em direção a escola.

Law – hã?! Desde quando ela fala assim?

Shachi – Nossa que garota arrogante... mas ainda é gata!

Hancock – Gata?! Coitada! É uma mal-amada que tem inveja de mim!

Bonney- escuta sua siliconada, cala a boca ou eu já incorporo o Bruce Lee! – fez pose de boxeador e ficou pulando em posição de ataque.

Hancock – Olha como essa Maria macho fala comigo Law-kun! Ela vai me agredir! – ficou atrás dele o usando como escudo.

Bonney – Maria Macho??? – apertou as chiquinhas que tinha no cabelo – Vai ver quem é Maria Macho agora!! - ela partiu pra cima da morena que se escondeu atrás de Law.

Nami – Calma Bonney!- puxou pelo pulso -  Escuta Law, eu vou falar isso só uma vez, a Robin só ia avisar que a maquia de sucos está desabastecida por ela ter tirado bastante.

Law- Serio? E por que ela não disse de uma vez. – a rosada gargalhou e se aproximou tocando seu peito com o indicador.

Bonney- Você deixou? Claro que não, você só da ouvidos a essa, essa... essa ai! Os seus hormônios afetaram o seu cérebro, só pode! – se soltou de Nami,que ainda a segurava, e foi em direção a saída da escola.

Hancock – Que petulante! Vai deixar elas falarem assim conosco!? Você é o Presidente do Grêmio haja como tal! Isso foi desacato!

Nami – Desacato? – Nami e Shachi deram risada e Law pôs a mão no rosto.

Law- Ai meu Enel... Não sou da polícia Boa! – ela corou envergonhada.

Hancock – Não interessa! Advertência, castigo, expulsão, deportação!

Law- Hancock, por favor sem chiliques.

Hancock – Chilique? Chilique? Serio? Ok , então estou indo embora!

Law- Boa espera – suspirou ao vê-la sir em direção as escola, voltou sua atenção para a ruiva - Olha Nami...

Nami – Eu também já estou de saída, pense bem em quem você se tornou Trafalgar eu mesma já não te reconheço.... –– fez uma pequena reverencia - com licença Law-Sama - e se retirou indo para onde Bonney foi. Law olhou para Shashi e ficou pensando no que tinha acabado de acontecer, talvez suas escolhas tenham sido erradas.

(...)

Robin saiu da entrada da escola e seguiu para dentro da mesma, queria um lugar quieto o suficiente para que pudesse gritar de raiva, de preferência onde não tivesse ninguém, a biblioteca estava descartada lá não poderia grita e também estava fechada então restava o terraço, estava torcendo para ele estar aberto e sem algum casal se agarrando.

Seguiu correndo e enfim ele estava aberto e sem ninguém, tirou os óculos, fechou os olhos e sentiu o vento balançar seus cabelos, estava com a roupa de educação física então ficava mais confortável.Em sua mente vinha os flashes do que havia acabado de acontecer, como ela podia ainda se sentir apaixonada por alguém como ele, ta que ela nem chegou a se declarar, mas ele alimentou suas esperanças e quem sabe um dia não chegasse a vez dela? Abriu os olhos e seguiu até a grade de proteção olhou para baixo e viu que esse lado do prédio dava pro lado das piscinas, que agora estavam vazias pra os alunos fazerem a limpeza antes das competições.

Imaginou quão seria o estrago se um corpo caísse dessa altura, 4 andares para ser mais especifica, claro que ela não pularia, mas pensou sim em jogar alguém de lá. Riu do próprio pensamento e sentou no chão encolhida, encostando a cabeça em seus joelhos e se abraçando, se sentia patética por querer chorar.

??? – que bom ta aberto! Vem galera da pra fumar aqui!

Ela levantou a cabeça e viu 3 rapazes que pelo fardamento indicava que eram do 3º ano, conhecia eles de vista eram todos do time de basquete Puzzle, Absalom e Caribou, todos super encrenqueiros.

Puzzle tem cabelos vermelhos espetados, tem o corpo um pouco atlético, sempre tem uma corrente na calça, era o menos encrenqueiro ou esquisito, nem sabia por que andava com eles.Absalom é até bonito, loiro, musculoso, alto, voz grossa, olhos lindos, só que é um tarado assumido e também tem o Nojento e estranho.Caribou, o que ele faz no time? Sei lá! Ele vivi no banco, era alto, de cabelo escuro, descendo até os ombros, um topete molhado de aparência distinta, o olhar psicótico, orelhas pontudas, e braços esquisitamente longos, acho que ele esta no time por que eles têm medo, ela mesmo sentia calafrios só de olha-lo.

Caribou – Ora, ora olhem a gracinha que temos aqui?! 1º ano hum... – a morena se levantou e ajeitou sua farda se dirigindo a saída.

Puzzle – não to nem ai pra ela, só quero fumar em Paz! – acendeu um cigarro e foi andando pro outro lado do terraço.

Caribou – Ela faz o seu tipo Absalom... – segurou o pulso dela e a trouxe para perto de si - ... olhos azuis e virgem!

Robin – Nani? – ela ficou corada pelo comentário e pelo loiro que também se aproximava.

Absalom – Verdade... -segurou o queixo dela olhando fixamente em seus olhos, ela corou ainda mais pois ele a devorava com o olhar e tanto que lambia os lábios - ... vou adorar te ver nua, os peitos são um pouco pequenos, mas dá para o gasto.

Robin – A nicotina afetou teu cérebro foi? Francamente! – se desvencilhou deles e seguiu rumo a saída só que sentiu ser puxada novamente – Ai, ta machucando! Me larga!

Absalom – Vai doer ainda mais se não colaborar...

Robin – Nani?! – “Colaborar?!” – Colaborar com o que...?

Absalom – Sim lindinha, eu gosto das que se fazem de difíceis, fica mais excitante!

Robin – D-difíceis...? E-excitante? Do que....

Caribou – e eu das inocentes .... – foi até aporta e a fechou.

Absalom – Hoje será seu dia de sorte! Hoje você feita mulher!! – sorriu juntamente com seu amigo, Robin recuou até suas costas encostarem na grade.

Robin – Vocês estão falando de... estão malucos?! Só podem estar drogados! Se não me deixarem sair daqui agora mesmo, eu irei denunciá-los a Edward-sama, serão expulsos e presos!

Absalom- por isso queremos sua colaboração, ninguém se machuca ou se encrenca! -lambeu a bochecha dela – e então querida? Como vai ser?

Caribou – Juro que não vai se arrepender... – chegou ao lado dela passou a mão no rosto dela, a fazendo virar o rosto por repulsa.

Robin – Jamais ! – tentou se afastar mas o loiro a segurou pelos ombros a olhando bem nos olhos.

Absalom – Só quero deixar claro que eu sou um pouco sádico. Então talvez você saia um pouco vermelhinha.

A morena se sentiu acuada, claro que ela não tinha chance contra eles nem se esperneasse muito conseguiria bater neles. Fugir? Só se pulasse daqui,ai ela seria cobaia de seu próprio pensamento morbido sobre a queda. Será que eles falavam a verdade? O que eles tinham na cabeça? Estavam drogados? Céus! Ela ia ser estuprada!

Robin – Onegai me deixem ir, e-eu j-juro não contar para o diretor! – ela já chorava – eu não conto pra ninguém!

Absalom – vamos fazer bem gostoso... e ai você não conta pra ninguém – a abraçou a força e aproximou para lhe beijar.

Robin -Não! Onegai, me solta! – ela batia no peito dele enquanto ele fazia um bico escroto para beija-la.

???? – vocês não ouviram a menina? – bocejo – soltem ela!

Caribou – e você seria? – saiu de perto dela e foi se aproximando dele.

??? – Tsc... alguém que tentava dormir, mas vocês são muito barulhentos! – ela o olhou, pela farda era do primeiro ano mas não sabia quem era, estava usando um gorro azul e uma jaqueta jeans. Absalom a largou e ficou olhando um tempo para o rapaz e seguiu para onde o ele estava.

Absalom – Te conheço? não se meta onde não lhe diz respeito! Saia logo daqui e não vai se complicar!

??? -  Eu saiu sim, mas com ela junto. – ele estava sentado/deitado com as costas apoiadas na grade do lado esquerdo de onde eles estavam

Absalom – É melhor você não querer da uma de heroizinho e sair daqui ou se não vamos te ajudar, de uma forma nada educa, a achar a saída!

???? – ou é melhor deixarem ela ir, ai eu não arrebento a cara de vocês.

Caribou – Marrento... eu acho que te conheço, mas não lembro teu nome! Qual teu nome guri!?

??? – não preciso dizer meu nome para te bater! Deixa ela ir!

Absalom – hahahaha, você me bater? So nos seus sonhos! – fechou o punho, e olhou para Robin – espere só um pouco querida logo vamos continuar nossa brincadeira, só tenho que arrebentar esse calouro.

Caribou – Agora ficou bem interessante! – foi se aproximando e ficou ao lado do loiro.

Robin nada fez nada falou, o que podia fazer se suas pernas perderam os movimentos e sua mente ainda nem tinha entendido direito o que acontecia ao seu redor, antes ia ser estuprada e agora ia presenciar uma briga entre “Gangsteres”.

Absalom partiu pra cima dele com o intuito de dar um soco, mas o rapaz segurou o soco a tempo girou o pulso dele de uma vez o fazendo gritar e fica de costas para ele lhe chutando as costas, Caribou se aproximou e com um movimento rápido o rapaz socou delechutando com força no estomago o fazendo cambalear para trás e cair, nisso o Loiro já se levantou e seguiu em sua direção.

Para Robin foi tudo muito rápido, principalmente por que fechou os olhos na maior parte do tempo, quando deu por si os dois já estavam jogados no chão o loiro sangrando pelo nariz e o outro perguntando do outo se estava com todos os dentes. O rapaz sem nem suar direito, pulando na pontas dos pés em pose de luta como se fosse um pugilista profissional, ele a olhou com os olhos estreitos e ela se encolheu aonde estava, quando fez menção de falaria algo o ruivo até então esquecido aparece e quando vê os amigos no chão, olha envolta analisando a situação.

Puzzle – Mas o que CARALHOS está acontecendo aqui? –ele a olhou e se aproximou estendendo a mão. -está tudo bem?

Robin – H-hai... m-mas n-não graça a s-seus amigos... – falou meio baixo e trêmula ainda sobe efeito de tudo o que aconteceu.

Puzzle – Como assim?... – Olhou para o rosto dela e o viu vermelho. -te bateram? Quem e por que?

Robin – E-eles queriam... v-voce sabe! Se não fosse e-ele... j-já estaria feito... – ele tocou no rosto vermelho dela e se virou para seus amigos, que se levantavam do chão com certo esforço.

Puzzle – Saia daqui flor, deixa que eu me resolvo com esses imbecis! Eles vão ter o que merecem... – ela somente confirmou com a cabeça juntou suas coisas e seguiu rumo a porta.

Absalom – Ei Puzzle nos ajude com esse credito!

Caribou – Por que esta deixando o lanchinho ir embora?

Absalom – Tanto faz, nos ajude com esse imbecil, ele fez meu nariz sangrar!!

Puzzle – Eu vou é ajudar ele da uma SURRA em vocês! Vocês têm cérebro de gafanhoto?

NANI??!! – Os dois o olharam espantados, enquanto Robin já havia chegado até a porta, mas não conseguia abrir estão o rapaz se aproximou e abriu para ela assustando um pouco.

??? – ela abre pra fora, empurrar não vai funcionar! – ela corou com gesto dele, e o olhou bem nos seus olhos cor de um castanho tão claro que a enfeitiçou por um instante.

Robin – Domo Arigato – disse se curvando.

???- Tcs, deixa disso e saia logo daqui! – ele nem precisou dizer duas vezes para ela sair correndo escada a baixo.

“Céus o que acabou de acontecer? Eu quase fui estuprada”

Robin – BAKA ! - bateu na própria testa – eu não perguntei o nome dele! Mas eu é que não volto lá encima... mas ele pode esta encrencado... aaaargh o que eu faço!!!

Ficou andando de um lado pro outro no batente da escada sem saber no que fazer, podia denunciar ao diretor mas o menino podia se encrencar! E agora???

Robin – Posso procurar alguém para ajudar ele! Isso, isso!Vai que o tal Puzzle resolve ficar do lado dos amigos! – saiu correndo e quando virou o corredor viu três rapazes vindo em sua direção, não lembrava deles mas um tinha um topete enorme em seu cabelo azul, ia pelo menos mandar reforços. – EI EU PRECISO DA AJUDA DE VOCÊS!!

(...)

Já fora da escola e com seus pertences e saiu em disparada para entrada da escola, resolveu ir para casa não ia ficar aqui mais nenhum segundo e, mesmo não querendo, ia ter que relatar o ocorrido ao seu padrinho vulgo diretor, claro que ia defender o rapaz mesmo não sabendo quem era, o que já ajudava pois deixava ele no anonimato. Seu telefone apitou e ela foi ver de quem era a mensagem.

-Mihawk

“Já saiu da escola? Amanhã é o festival né? ”

-Robin

“Sim começa amanhã, e estou de saída agora mesmo! Por que? ”

-Mihawk

“Que bom! Estou aqui na frente”

Nem deu tempo dela responder, já estava perto do portão e logo o viu encostado em sua moto uma Yamaha XJ6* vermelha, assim que a viu lhe mostrou seu melhor sorriso. Usava uma jaqueta de couro marrom, uma jeans com alguns rasgos e uma camisa branca@. Ela não soube dizer bem o que sentiu quando o viu, mas simplesmente correu ao seu encontro e o abraçou pela cintura causando ao rapaz um certo susto inicial, mas logo retribuiu.

Mihawk – Hei... – beijou o topo de sua cabeça - Se eu soubesse que ia me receber assim, teria parado antes aqui!

Robin -Bobo... – falou ainda com o rosto em seu peito sentindo o seu perfume que no momento estava estranhamente bom.

Mihawk- é serio! Sabe quantas voltas nesse quarteirão eu dei antes de tomar coragem e parar?

Robin – Quantas? – levantou o rosto e encarou os olhos cor de âmbar.

Mihawk – só umas duas, essa escola é muito grande e a gasolina ta cara rsrs – sorriu coçando a nuca.

Robin – Baka... – ela afrouxou o abraço e se afastou um pouco- podemos dar uma volta, meu dia não ta legal hoje... – soltou um suspiro longo.

Mihawk – To percebendo Hime... aonde que ir? – tocou seu rosto a fazendo fica um pouco corada, olhou em volta e viu que alguns alunos cochichavam mas ela não se importou muito. – Qualquer logar longue daqui.

Mihawk – Essa proposta é bem tentadora sabia? - Ele lhe entregou o capacete e sentou na moto já o ligando, quando ela ia colocar o seu capacete ouviu seu nome ser chamado.

Law – ROBIN! –ambos seguiram o som e viram ele correndo em sua direção.

Robin – Ninguém merece... – subiu na moto rapidamente, deu uma tapinha em Mihawk que deu uma arrancada e saíram cantando pneu, deixando o Trafalgar totalmente no vácuo, ofegante e com muitas perguntas sem respostas.

(...)

Parque Ueno* - 21:35

Já havia anoitecido e ela nem sabia que horas eram, desligou o celular logo após avisar a sua mãe que chegaria tarde e as meninas com quem havia saído. Estavam em um parquinho bem próximo ao bairro onde ela morava, Mihawk a tinha levado para jantar em um restaurante tipicamente japonês, sem muita chiqueza e onde tinha o melhor Miso* que ela já tinha provado. Depois de lá foram para uma sorveteria que fica próximo ao parque e depois de passear um pouco param em baixo de uma grande arvore e aproveitaram a companhia um do outro e a vista que se tinham do lago e do céu estrelado refletido nele.

Ele como um bom cavalheiro lhe deu sua jaqueta para que não sentisse tanto frio com a brisa fraca que soprava, sentados na grava conversavam sobre trivialidades e se conhecendo um pouco mais, não contou o que houve na escola por que queria esquecer só disse que não precisava se preocupar que o pior já tinha passado.Ele desde o jantar que se conheceram vinha tentando manter-se próximo a ela, e depois que saíram a primeira vez não passaram um dia se quer sem se falar.

Dracule Mihawk era uma boa companhia, era inteligente, engraçado, educado e extremamente sedutor. Nunca havia tentado nada realmente com ela, isso não quer dizer que não flertava, e era maravilhoso estar com ele pois esquecia um pouco de tudo e simplesmente curtia o momento. Não podia negar que se sentia atraída por ele e retribuía sempre os flertes, mais ele nunca faltou respeito ou alguma aproximação brusca, como no primeiro dia, mais hoje ela se deixou levar e até de mãos dadas, mesmo que por alguns minutos, eles andaram.

Seu sotaque era um pouco puxado e ela descobriu que ele era irlandês por parte de mãe, mostrando foto e tudo onde viu que ela era ruiva, seus pais não eram separados pois nunca se casaram, mas ele disse que isso nunca o abalou, pois fora um pai presente e a escolha de não casamento ela um assunto de seus pais! Tinha um Irmão um ano mais novo por parte de pai, que só conheceu quando veio morar aos 15 anos no Japão morando com ambos.

Ele era o sucessor de seu pai nas empresas e tive que aprender logo cedo a comandar ela, então era treinado diariamente junto a seu irmão, que seria/é seu braço direito. Fazia faculdade de Administração e relações externas, se formaria daqui a 2 anos, já trabalhava com o pai que lhe ensinava todo. Perguntado em qual ramo eles seguiam e contou que era voltado a tecnologia e armas para o governo, mas ela não intendeu muito bem, deixando de lado.

Ele estava lhe mostrando algumas fotos no celular da família, e amigos da faculdade até que chegou em uma em que ambos estavam juntos, tirada no primeiro encontro deles.

Mihawk – hm, eu já ia esquecendo! Sabe que dia é hoje? – disse enquanto colocava uma mexa no cabelo dela atrás de sua orelha.

Robin- Hoje? – pensou um pouco - Sexta-feira?

Mihawk – também rsrs... mas hoje faz exatamente 30 dias que nos conhecemos! –fez carinho na bochecha dela.

Robin- oh! É verdade, nem tinha lembrado aconteceu tanta coisa... – olhou para o celular onde ainda mostrava a foto.

Mihawk – Tudo bem... mas, eu trouxe um presente! – tirou do bolso uma bolsinha de pano onde continha uma pulseira de ouro branco toda trabalhada com safiras azuis*.

Robin – Que lindo! Me diga que isso não é uma safira!  – ele sorriu e pegou o pulso dela e colocou delicadamente. – não era necessário... Arigato!

Mihawk – Robin... – manteve as mãos juntas e com o olhar nelas -não muito bom com palavras desde tipo, mas desde que te conheci você não sai do meu pensamento.... Pode ser meio precipitado de minha parte, mais neste mês que passou nos falamos bastante e seu nunca passei a barreira da amizade, mas eu não estou aguentando! – Levantou seu olhar e a encarou, ela notou um brilho diferente no olhar, sua pupila dilatava e retraia de forma hipnotizante.

Robin – Mihawk... Eu...

Mihawk – só diga que me aceita, quero sorrir com suas alegrias, poder te consolar e saber o que te entristece como hoje! Quero poder não mais me segurar para te abraçar ou beijar... Acima de tudo quero que sejas minha namorada... só minha ... – ele se curvou um pouco se aproximando, com a aproximação ela fechou seus olhos sentindo um leve formigamento em seu rosto, sabia que estava corada, logo sentiu a respiração de ambos se misturar.

Não seria seu primeiro beijo pois, infelizmente, dera esse ao Trafalgar mas mesmo assim se sentia muito nervosa, ele beijou sua bochecha de forma leve e a fez tremer por antecipação. Se estava confusa? Sim estava, mas simplesmente pensou “Por que não?!”.

Mihawk – Você é linda Robin... maravilhosamente linda! – distribuiu beijos molhados pelo seu maxilar e pescoço a fazendo se arrepiar e arfar, subitamente ele parou a fazendo abrir os olhos e o encontrar a olhando fixamente, ele era uma mistura perfeita de sexy apple e mistério com uma pitada de romantismo. Droga estava excitada…. – Então senhorita Nico Robin, me aceita como seu namorado?

Robin – Mih-kun, eu realmente não sei...!não conheço sua família ou você a minha, e meu tio vai marcar acirrado pra cima de você, ainda tem o meu padrinho...

Mihawk – Então você não me aceita por causa da sua família?

Robin – Sim... digo não! É complicado... só estou confusa, e com medo...

Mihawk – Medo?

Robin – Olha eu já me decepcionei uma vez, eu também vejo minha mãe chorando as vezes pelos cantos por causa de meu pai, que eu não conheço, e nem nos conhecemos direito! Acho melhor esperar mais um pouco,

Mihawk- Olha, eu conheço sua família, apesar de só termos nos encontrado naquela festa eu já havia ido na empresa de sua família, a reuniões ou jantares inúmeras vezes... Conversei com seu tiovárias vezes e com Olvia-san Também e te conheço bastante já que sua mãe sempre que podia falava de você!

Robin – Serio? E-eu não s-sabia... – baixou a cabeça -  mas ainda estou confusa... – ele a puxou pela cintura para perto segurou seu rosto a fazendo olhar para ele, encostou suas tentas roçando os narizes.

Mihawk – Por que não me dá a oportunidade de tirar de todas as suas dúvidas? Juro que vai valer a pena.... posso curar seu coração...

Robin – Será mesmo?! – falou brincalhona.

Mihawk -Se não gosta pode me chutar depois!!

Robin – Vou me lembrar disso!  - ambos sorriram, ele fez uma caricia em sua bochecha.

Mihawk – então o que me diz? – ela apenas assentiu com a cabeça timidamente, ele sorriu abertamente e lhe beijou o nariz – Agora sim eu posso fazer isso...

Segurou o rosto dela com ambas as mãos, automaticamente Robin fecha os olhos e ele juntou seus lábios em um longo selinho,timidamente Robin foi se soltando e entreabriu a boca como um convite ao moreno, que logo a correspondeu primeiro mordendo e chupando seu lábio inferior para depois introduzir sua língua, mesmo com sua inexperiência ela logo pegou o ritmo dele. Com um movimento atrevido ele a puxou para seu colo( de lado) segurando sua cintura e se encostando na arvore para maior conforto, ela o abraçou pelo pescoço entrelaçando seus dedos em seu cabelo e lhe causando leves arrepios, enquanto ele lhe apertava a cintura. O beijo era lento, calmo e delicioso!

Claro que ela teve que comparar!Seu primeiro beijo fora com Law, em seu aniversário em uma praia próxima a casa de veraneio de sua família, ela havia convidados os amigos para um fim de semana onde fez um lual para comemorar.

O beijo com Law foi... Bom, levando em conta que ela nunca tinha beijado, estava toda travada, e seus amigos começaram a gritar e rir que nem hienas epiléticas, o beijo foi bom, sem muita língua, mas bom.

O beijo de Mihawk era.... Excitante! Daqueles que você sente uma pontada lá embaixo, a cada toque sente choques pelo corpo. Ela se sentiu diferente, esqueceu-se de onde estava, de quem era! Sentia-se desejada, sexy, Mulher!

Naquele momento decidiu se entregar a esses novos sentimentos e sensações! Para ela amor é algo que tem de ser conquistado e se ele estava disposto a conquista-la, por que não? Iria sim dar essa oportunidade a ambos, para que juntos descobrissem se há entre eles, seria amor? Ou atração? Só o futuro diria.

Não soube dizer quanto tempo se passou enquanto se beijavam, pois não teve cabeça para pensar nisso. Mais na mesma noite ele a pediu em namoro formalmente para sua mãe e seu tio.

(...)

Centro de Treinamento Kuraigana – 12 de junho – 17:15

Enfim as férias haviam chegado, e os professores até foram bonzinhos deixando poucos exercícios, ou seja, menos trabalho e mais curtição! Nami havia viajado para a casa dos avós no interior. Bonney estava se dedicando ao futebol já que o time da escola ia para as nacionais. Robin só não se sentia só por que estava tendo aulas de autodefesa, 2hrs por dia, com seu namorado, matando 2 coelhos com uma tacada só.

Ele insistiu dizendo que ele poderia protege-la, mas mesmo assim quis as aulas, já que nem sempre ele estaria lá! Não tinha contado para ele o que aconteceu naquele dia, mas ele sabia que ela tinha sido “atacada”, pôs estava com alguns machucados, mas aceitou treina-la para ficar mais despreocupado e também curtir o momento juntos.

Mihawk -Tá... Chega! Estamos suados e você nem consegue mas ficar de pé! – ele estava sentado no tatame em “pose de índio”, ambos tinham seus quimonos bagunçados e estavam extremamente suados.

Robin – Concordo.... Meus músculos estão todos doloridos! Vamos comer alguma coisa também, estou faminta! – Ela estava jogada no chão.

Mihawk – Certo, vamos nos trocar! – Deu dois toques na perna dela e se levantou.

Robin – Mih-kun... – falou manhosa, e estendeu os braços – me levanta!

Mihawk – Certo, certo! – a puxou de uma vez a fazendo gemer.

Robin – Ai! Seu bruto! – bateu no braço dele o fazendo rir.

Mihawk- Desculpa – beijou sua testa e a abraçou pela cintura e saíram caminhando - Vamos logo, hoje vou deixar você sair da dieta!

Robin – SERIO?! Cheeseburger? Batata e coca? – disse de olhos brilhantes.

Mihawk- Sim, mas só hoje! Meu presente para você! – juntaram as mochilas e seguiram para fora da sala.

Robin – Credo nada romântico! – ele lhe deu um selinho e ela sorriu - Sorvete de sobremesa? – falou andando de costas para o corredor e de frente para ele.

Mihawk – Não abusa Hime... – ambos sorriram e foram tomar um relaxante banho (separadamente okay?).

Após a ducha Robin saiu primeiro e ficou esperando ele na recepção do Centro de Treinamento Kuraigana, que era de um tio de Mihawk. Se localizava no centro da cidade onde também funcionava como centro comunitário.Todo fim de semana crianças e jovens de orfanatos ou de baixa renda tinham o direito de treinar com os melhores professores e até alguns atletas.

O Kuraigana era enorme, com três andares e um estacionamento subterrâneo, bem dividido ocupando um espaço de aproximadamente 1 campo de futebol, lá se tinham opções para todos os gostos, uma academia completa, professores qualificados onde muitos deles eram atletas olímpicos renomados, como o próprio Dracule.

Robin estava com uma roupa leve, um short-saia azul marinho, um top e uma regata larga ambos preto, usava um tênis leve e mantinha os cabelos presos em um coque frouxo, sentada em umas das cadeiras descansava as penas sobre a mochila e mexia no celular.

Mihawk – Vamos Hime?! – ela se assustou com ele que se jogou no sofá ao seu lado tomando seu celular. Ele usava uma regata preta bem folgada preta, uma bermuda de academia folgada um pouco acima dos joelhos e um tênis também preto.

Robin – Vamos, e pare de fuçar no meu celular! – tomou de volta já se levantando.

Mihawk – Nossa que grossa! Só queria saber com quem tanto troca mensagens... – fez bico

Robin – com minha mãe, seu ciumento! – mostrou a tela com a conversa – ela e meu tio viajaram ontem para uma conferência sei lá de que na Alemanha e estava me mandando fotos de lá!

Mihawk – ok, ok... e não sou ciumento! Só cuido do que é meu!

Robin – isso é frase de pessoa ciumenta kkk. – se levantou e foi indo em direção a saída.

Mihawk – ta muito engraçadinha– correu e a pegou como um saco de batatas a jogando sobre os ombros – Vamos que eu estou com fome! – tudo que ela pode fazer foi rir e espernear.

(...)

Mandarin Oriental Tokyo* – 18:31

Robin – Aonde exatamente nós vamos? – Falou assim que ele estacionou seu Nissan Skylin* em uma vaga no hotel.

Mihawk – Vamos no meu apartamento! – Soltou seu cinto e a olhou.

Robin – Porque…?- o olhou com uma sobrancelha erguida.

Mihawk- O jantar hoje é por minha conta! – Beijou seu rosto e saiu do carro, ela demorou exatos 10 seg. para pegar sua bolsa e sair do carro.

Robin – Isso você já havia me falado, mais ainda te pergunto por que estamos indo para seu apartamento?

Mihawk – Vou fazer seu jantar hoje! – Acionou o alarme do carro e ela cruzou os braços com o cenho franzido.

Robin- E o meu Cheeseburger? – ele negou – Batata Frita? –negou novamente.

Mihawk – comida caseiro é melhor que aqueles industrializados, e eu sei fazer batata frita sem frita-la.

Robin – Mais ai ela deixa de ser frita e fica batata assada! – ela fez bico e apontou para ele – Você me enganou!!!

Mihawk –Quer comidas gordurosas feitas por pessoas suadas e nojentas ou um jantar delicioso por seu namorado lindo e sedutor? – estendeu a mão para ela que o olhou de forma taxativa. – qual é Robin, é meu presente de dia dos namorados!

Robin – No Japão se comemora dia 14 de fevereiro! – ele revirou os olhos.

Mihawk – E em vários outros países hoje! E eu nem te conhecia pessoalmente em fevereiro!

Robin – Não sei não.... – cruzou os braços.

Mihawk - quer ou não? – bufou já zangado, então finalmente ela cedeu.

Robin – Okay... – segurou a mão dele – quais quer gracinha sua e eu te faço ficar desacordado!

Mihawk – Como? – olhou curioso para ela enquanto seguiam para o elevador.

Robin- Meu padrinho me ensinou a golpear no bulbo carotídeo*. – ele olhou para ela assustado – juntando ao que você me ensinou, eu posso mesmo te machucar! Ah e eu tenho duas armas de choque. – levantou um chaveirinho que tinha pendurado na mochila e mostrou uma lanterna apertou o botão fazendo uns estalos e as faíscas aparecerem.

Mihawk – E-e onde está a outra? – falou a olhando entrar no elevador sorrindo assustadoramente a seu ver.

Robin- Isso você nunca saberá! – ele engoliu a própria saliva com dificuldade e apertou o botão de seu andar.

(...)

Mandarin Oriental Tokyo –  5º andar - 18:34

Eles entram no apartamento que era bem luxuoso, perfeitamente mobilhado e bem organizado, todo em tons neutros, com algumas fotografias espalhados na sala de estar onde também tinha uma pequena mesa de centro um sofá de três lugares e duas poltronas, uma TV de 42’’, uma estante com alguns livros e fotos da mãe e ele juntos, uma escrivaninha próxima a grande janela de vidro que levava a pequena varanda, que tinham algumas plantinhas. Coloram suas mochilas próximas a entrada da sala, tiraram os sapatos ficando só de meia, ele a puxou pela mão e a sentou no sofá.

 Mihawk – Gostou? – falou pegando o telefone que estava em um criado mudo.

Robin – é jeitosinho.... – ele riu e beliscou a bochecha dela, a fazendo resmungar.

Mihawk- Konbanwa*, aqui é do quarto 506 poderia trazer o pedido que eu deixei reservado com o chefe? Certo, muito obrigada.

Robin- eu não ia comer a comida feita por meu namorado Lindo e sedutor? –Riu zombeteira e cruzou os braços o fazendo ficar corado.

Mihawk – E vai! Bom... 50% eu diria! –  riram e ele a conduziu até a pequena cozinha, onde tinha uma pequena pesa redonda já posta para duas pessoas, ele puxou a cadeira para ela.

Robin – Você já tinha planejado tudo hein...

Mihawk – Isso, te incomoda?

Robin – Não, pelo contrário acho muito fofo.–mandou um beijinho.

Ele suspirou aliviado e seguiu até a geladeira tirando um vinho do tipo suave e de baixo teor alcoólico, serviu ela depois tirou da geladeira alguns vegetais e começou a cortar fazendo uma salada, sua concentração foi cortada quando viu um flash.

Mihawk – O que pensa que está fazendo? – ela riu e balançou o celular - Nem ouse mostrar essa foto para alguém! – falou apontando a faca para ela para frisar a ameaça.

Robin – que isso meu amor... é arquivo pessoal, pessoal!

Mihawk – Acho bom mesmo – ouviu a campainha tocar, e foi em direção a porta.

Robin – Isso vai lá na porta... bye...

WhatsApp On – Grupo Girls On Power

Robin Poderosa:

-Olha como meu gatinho é prendado!

- (Imagem)

Bonney Maravilha:

-No Creio (Ô_Ô)

-Ele ta de shortinho? >///<

- Gente! Que volume é aquele... (*’-‘*)

Robin Poderosa:

-Desnecessário seu comentário...

-E tire o olho do meu Home!

Nami Venenosa:

-Céus! Ele foi abençoado pelos deuses!

-Cê disse que ele ta cozinhando?

Robin Poderosa:

- Aprendam comigo Bitches ! (*3*)

-Eu mando logo é pra cozinha kkkk #sqn

Nami Venenosa:

- Aonde vocês estão? (@_@)

Robin Poderosa:

- .... qual a pergunta mesmo?(‘-’)

Bonney Maravilha:

- Nico Robin Fale agora onde você se encontra com essa encarnação de Apollo agora mesmo!

Nami Venenosa:

- Sim, sim, explique-se agora!

Robin Poderosa:

- bem... no apto dele... em um jantar romântico (*u*)

- Feito por ele claro !!

Bonney Maravilha:

- C.H.O.C.A.D.A! (X_X)

Nami Venenosa:

-Você é a sobremesa é? Kkkkk

Bonney Maravilha:

-Acho que é o prato principal shuashauhsua

Robin Poderosa:

- Só recalque (‘3’) kissus no ombro kkkk

Nami Venenosa:

-Quero saber dessa história direitinho rum....

-Pode começar a falar...

Robin Poderosa:

-Depois, ele já voltou aqui, e ta me olhando torto. Bye Bitches

Bonney Maravilha:

- Certo, vai lá “jantar”

-Ahhhh !!!

-Não esqueça o Lubrificante!! \o/ shusauhsuahs

- Por que, pela analise no meu zoom, ele foi agraciado!

-Tem certeza que ele já não está excitado ?

Nami Venenosa:

-kkkkk analise te zoom é foda! kkkk

-não esquece a camisinha!

-Aproveita amiga! (*3*)

Robin Poderosa:

- Idiotas! ( ¬.¬)

- Bye

whatssApp Off

Mihawk – o que tanto você rir ? Posso saber? – falou enquanto empurrava o carrinho.

Robin – Ah! Isso, bem... Meninas perguntando onde eu estava, estava tentando explicar o porquê de estar aqui...

Mihawk – Hm.... Bom o jantar já vai ser servido senhorita!

Robin – Mal posso esperar Senhor quase Chefe.

Mihawk – De entrada nos teremos Ceaser Salad que eu mesmo fiz, prato principal Risoto de Camarão que eu realmente não sei fazer e pedi ao chefe do Hotel – ele sorriu sem graça– de sobremesa Torta de Maçã com Sorvete de creme, essa eu também fiz!Gostou?

Robin – Pelo sorvete, te perdoou rsrs – fez pose de esnobe.

Mihawk – Muito cheia de gracinhas né? – foi até o balcão terminar de colocar o molho na salada.

Robin – Um pouquinho – fez o sinal com o indicado e o polegar, ele riu já a servindo e também se mesmo logo se sentando, brindaram e saborearam o jantar.

(...)

Os dois estavam na sala de estar assistindo um filme da qual ela não estava entendendo nada, mais não fazia muita questão já que no momento se encontrava agarrada com seu namorado, debaixo de um Lençol meio grossinho, sentindo o perfume de tabaco e baunilha e apreciando o cafune gostoso que ele estava fazendo na cabeça dela. Eles estavam deitados e ela estava sobre seu peito, o sofá era daqueles retrateis e agora estava todo puxando fazendo dele um quase sofá-cama.

De repente no filme, que era de guerra pelo que ela deduziu devido os inúmeros soldados, bombas e pessoas atirando, o soldado gostosinho mocinho do filme, que estava “machucado” e de repouso na enfermaria, agarra as Enfermeira já arrancando a roupa de ambos e protagonizando uma cena de sexo quase explicito, (claro que os órgãos genitais não apareciam) mais que não deixava de ser quente e fazer um fogo subir de repente na pessoa.

Ela resolveu fingir que isso não a afetou, e também a cena durou no máximo 1min., então fez como se nada houvesse acontecido e fingiu desinteresse, só que para homens esconder a excitação é meio complicada, já que seu amiguinho não ajuda muito, ainda mais ele estando com sua namorada sobre si.

Robin -Pervertido... – ela murmurou e o encarou se erguendo um pouco. – Não conhecia esse seu lado...!

Mihawk – E-eu não tenho culpa! – estava extremamente corado, se sentou abruptamente quase a derrubando e segurando seu ombros- A-a-a cena veio de repente, não negue que foi erótico por que foi! Meu corpo reagiu rápido, sou homem e não dá pra disfarçar esse tipo de coisa! Eu não queria ser indelicado, ou parecer um tarado ou coisa do tipo... – ele falava todo afobado, e Robin não aguentou e caiu na gargalhada – e você estava encima de mim então...

Robin – O que eu estar sobre você tem haver? – Perguntou suavizando a voz passando o indicador no peito dele.

Mihawk – Oras, você sabe muito bem! – Ele fez careta e ela riu e lhe deu selinho.

Robin – Você é um bobo, nunca ia te julgar por isso!– riu ainda da cara de espanto dele.

Mihawk – Não? – perguntou ainda confuso.

Robin – Claro que não! – o beijou novamente – isso significa que sou atraente para você. – ele sorriu de forma sedutora.

Mihawk- Com certeza você é- puxou já lhe beijando com urgência a morena correspondeu a altura – Você não tem noção do quanto é - voltou a deitar com ela sobre si. Uma das mãos foi para a cintura e a outra para a nuca da namorada, ela mantinha as mãos apoiadas no peito do maior. Ele diminuiu a velocidade do beijo e começou a beijá-la bem devagar, porém com luxuria foi descendo pro pescoço, com a mão na cintura entrou pela camiseta e sentiu aquela pele macia inconfundível que sua namorada possuía, fez uma leve pressão apertando e a puxando para mais perto a fazendo sentir sua ereção agora bem maior e chupou seu pescoço o que a fez arfar.

Robin- Ahh... Mih-kun... – ele voltou a tomar seus lábios e com um giro ficou sobre ela, puxou sua própria camisa de uma vez, revelando seus maravilhosos gominhos e pareciam esculpidos a boca da morena secou, mordeu seu lábio e seus olhos brilharam ao ver aquela maravilha. Ele sorriu e jogou o Lençol longe voltando a deitar-se sobre ela a beijando, pegou na barra da regata dela e tirou a deixando só de top.

Ela se sentia quente, muito quente! Uma sensação que nunca tinha experimentado até começar a namorar com Mihawk, e ela estava adorando aquela pegação, sempre rolava uns amassos entre eles mais nunca estiveram em local onde não corriam o risco de serem pego, ali eles teriam privacidade para tudo. Só conseguiu voltar a realidade quando sentiu ele apertar seu seio e tentar abaixa o seu short-saia, ela brecou na hora!

Robin- Espera...! – Falou ofegante pondo as mãos no peito dele.

Mihawk – E-eu te machuquei? – olhou assustado, ela sorriu e negou – Fui muito rápido né? Desculpa eu só... não consegui me conter! Me desculpe Hime...

Robin – Não precisa se desculpar, eu também estava gostando! É só que...

Mihawk – Que...? – incentivou.

Robin – Olha, eu sei que você não é mais virgem e tal.... Mais eu sou daquela que sempre fantasiou a primeira vez, pelo menos um pouco, e eu não quero fazer em um sofá! – ela estava corada e ele a ouvia atentamente até que sorriu.

Mihawk – Você é uma fofa! - beijou sua bochecha se levantando – se a questão é o sofá, já tenho uma solução para isso! – a pegou no colo estilo princesa a fazendo soltar um gritinho de surpresa, caminhou até o corredor e entrou na primeira porta onde era o seu quarto, a colocou com carinho na cama e deitou-se ao seu lado. – Está melhor assim para você.

Robin – Nossa você realmente é um Pervertido! Nada romântico!

Mihawk – Olha Robin, eu realmente não planejei nada disso! – sorriu nervoso- Meus planos eram o jantar, assistir um filme, te entregar seu presente e depois te levar pra casa! Eu só... fui no clima, mais se você não quiser não sou eu quem vai te forçar.... E-eu gosto de você!

Robin – Que presente você comprou para mim? – sorriu sapeca sentando na cama e ele revirou os olhos.

Mihawk – Você ouviu alguma coisa que eu te falei? – ele confirmou com a cabeça estendendo a mão, ele achou graça do jeito dela se levantou abriu uma gaveta na cômoda e tirou uma caixa de tamanho médio – espero que goste!

A morena abriu e viu que tinha um porta-jóias antigo, dourado e preto com detalhes que pareciam folhinhas e um ganchinho que parecia de uma flor de Liz, totalmente maravilhoso e parecia antigo e verdadeiro.

Robin – É maravilhoso! É linda, Arigato! – beijou-lhe o rosto.

Mihawk – Pertence a Família de minha mãe desde o século 18, reza a lenda que nossos antepassados eram da nobreza e essa caixinha pertencia a eles e foi passado as gerações seguintes. Eu sempre achei que minha trisavó era meio biruta, mais depois que minha bisa me bateu nunca fui obrigado a manter a história!

-Você mereceu kkk

- Eu sei, mais eu tinha 13 anos releve por favor! Bom, como minha mãe só teve a mim e não sou uma menina, ela me deu ele.

Robin – E você vai dá-lo para mim?? Nos conhecemos a mais ou menos dois meses, não acha precipitado? – ele bufou, a puxou fazendo sentar-se no meio de suas pernas encostando suas costas em seu peito desnudo, a abraçando.

Mihawk – Robin... você não entende?! Não importa o tempo que nos conhecemos e sim o que eu sinto por você! -  beijou o topo de sua cabeça. – Aishiteru.

Robin – Realmente se sente assim por mim? – ela falou baixo mais ele ouviu, tirou a caixa de suas mãos e a virou para si. Olhou em seus lindos olhos azuis constatando certa duvida mesclado com medo.

Mihawk – Nunca fui tão verdadeiro em minhas palavras Hime! Te amo tanto que chega a doer... e sempre eu que precisar te lembrar eu direi, Aishiteru... – segurou seu rosto com as mãos e beijou seus lábios calmamente sentindo o sabor de sua boca.

Com cuidado foi a deitando na cama ficando por cima dela e se apoiando em seus cotovelos, ela tinha as mãos em seus ombros onde apertava levemente. Dado momento suas intimidades se encostaram e ambos soltaram gemidos abafados, ela sentiu o quanto ele estava excitado e ela não era diferente, quando ele desceu os beijos para seu pescoço não pode segurar o gemido que o fez enlouquecer de vez.

Robin – Aah Mih-kun...

Mihawk – Hime... assim n-não irei conseguir me segurar...

Começou acariciá-la e beijá-la de forma carinhosa, desceu o beijo ate o seu pescoço, a fazendo arfar, sua mão passava pelo corpo esguio da moça apertando e deixando pequenas marcas como seus chupões. Ela passava suas unhas nas costas dele e dava pequenos puxões em seus cabelos.

Entrou com a mão pelo top e sentindo pele macia da namorada, tocou seus seios. Não agüentando mais puxou a o top tirando por alguns segundos os admirou, voltou a tocar os seios médios que cabiam em suas mãos, passou os polegares em seus bicos os pressionando a fazendo gemer baixinho e arquear um pouco as costas.

A olhou por um instante e viu seu rosto corado, a respiração pesada e os olhos fortemente fechados, queria muito sentir o gostinho dela na sua boca, mais precisava da aprovação total dela.

Mihawk – Tem certeza? – fez um carinho em sua bochecha, a viu abrir os olhos lentamente e viu certa confusão neles.

Robin – Hun?

Mihawk- Olha... Apesar de estarmos nessa situação... Posso esperar o tempo que você quiser!

Ela sorriu tímida, e passou sua mão nos fios negros dele e olhou bem em seus lindos, seu rosto também estava levemente corado, ele era tão fofo!

Robin podia sempre se sentia sozinha quando chegava em casa, sua mãe ou estava na empresa ou viajando e Saul sendo um bom secretario sempre a acompanha. Em casa tem alguns empregados fazem companhia, mais não é a mesma coisa. por isso sempre vai para casa das amigas ou trás elas para a sua.

Ela entende que sua mãe faz isso para o seu bem para seu futuro e por causa disso sempre teve o que desejou, ama sua mãe incondicionalmente! Mais queria a companhia da mãe em certos momentos de sua vida, ou de seu pai que nunca conhecera e só carregava o sobrenome, apesar de que nunca assinava ou dizia possuir.

Suas amigas eram ótimas companhias, eram suas irmãs! Mais sua vida realmente mudou depois de conhecê-lo. Se o amava? Não sabia dizer... Mais o sentimento que sentia por ele era algo que mexia em sua alma.

Tocou-lhe o rosto fazendo carrinho e o trouxe para perto lhe beijando com carrinho nos lábios tentando transmitir o carinho eu sentia por ele, assim eu separou seus lábios lhe pediu em um susurro.

Robin – Faça-me sua Mihawk-kun!


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...