História Opostos - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Personagens Alexandre Nero, Giovana Antonelli
Exibições 111
Palavras 868
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Babaca


Saio por ali na chuva, eu estava mesmo toda ensopada. Eu fiquei com tanta raiva daquele mal educado.. Como pode, eu nem molhei tanto o carro dele. Grosso! Péssimo! Parei na chuva tentando procurar algum taxi, mas só tinha ele. Estava morrendo de frio, minha boca já tremia, já era 21:00.  Tentei achar um local de cobertura, achei um barzinho ali por perto.

Aff, aquele ogro já foi embora. - vejo o carro dele passar por mim

 

Fique alguns minutos até eu ver um carro se aproximar.

 

- Helô! Que surpresa!

- Meu deus Giovanna, olha pra você!

- É, essa chuva me complicou. - dou um sorriso  

- Nossa entra ai, vou te levar em casa. Só vou passar em casa rapidinho.

- Ai eu vou aceitar sua carona porque eu tô morrendo de frio e também ficar até essa noite na rua não dá muito certo. Muito obrigada! - entro no carro

 

Seguimos até o apartameto dela, não era tão longe dali. Helô é minha amiga, trabalha comigo há anos.

 

- Chegamos! Entra ai.

- Ah, que isso não precisa, vou ficar esperando aqui mesmo.

- Não.. Eu faço questão. Vou te emprestar uma blusa, você tá molhada demais.

- Tá bom. Obrigada de novo!

 

Entro na casa da minha amiga. Tão bonita, bem decorada. Havia um violão na mesa de  centro da sala, nossa como eu amo violão.

 

- ALEXANDRE NERO, O QUE EU FALEI SOBRE DEIXAR ESSE VIOLÃO NA MESA, CACETE? VAI FAZER ESSAS MUSICAS NO SEU QUARTO! E PODE TIRANDO ESSE PÉ DO MEU SOFÁ!

 

Helô começa a gritar com alguém que estava deitado no sofá, que eu não conseguia ver ainda porque ainda estava entrando.

 

- Caralho, eu só você chegar. Me erra, meu deus do céu. Ohhh, tá vendo? tô pegando aqui, tô indo pro meu quarto - ele se levanta pegando suas coisas espalhadas pelo sala, até que ele me vê a loira molhada na porta do apartamento

 

- Você? - ele me olha espantado

- Eu não acredito nisso! - fiquei pasma, eu não tinha o reconhecido, até porque não o olhei no taxi, só escutei sua voz. Só lembrei desse tal de Alexandre por causa da voz, que é, confesso, maravilhosa

- Vocês se conhecem? - helô diz confusa

- Infelizmente! - Giovanna diz fuzilando ele com o olhar

- Aff, ninguém merece isso - Alexandre revira os olhos vai para seu quarto

 

~ Como eu não reparei nela, meu deus, ela é tão linda, e essa voz rouca... AAAAH ~

~ Nossa, o que ele tem de mal educado ele tem de lindo, senhor! Help!

 

- Você conhece ele de onde?

- Eu estava saindo do trabalho e entrei no carro dele sem avisar, estava chovendo então.. Sabe eu tive culpa, mas ele não precisava falar comigo daquele jeito, eu pedi desculpa. Ele foi ogro!

- Ele é assim mesmo, mas é gente boa. -  helô diz sorrindo, saindo do local entrando pro quarto pra pegar um blusa pra gio

 

- Ah, eu quero distância, eu hein

- De você eu quero mesmo. - Alexandre aparece do nada, mas entrando logo em seguida na cozinha
 

- OGRO!

- LIND..CHATA

- É O QUÊ? - entro na cozinha

- Chata! - Alexandre revira os olhos e continua mexendo na geladeira

- Me chama de chata mais uma vez..

- C H A T A - ele diz com a cabeça na geladeira ainda procurando algo pra comer

- BABACA - Giovanna voa nas costas de Alexandre, passando seu braço em seu pescoço, quase o enforcando.

- P aa aah, sua lou cah -  Alexandre tem dificuldades pra falar, pois estava perdendo ar

- ME CHAMA DE CHATA AGORA!  - Giovanna diz com fúria, ela estava se passando de louca, mas ela já queria fazer isso desde quando eles estavam no taxi

- Chaaaah ta - Giovanna enforca mais Alexandre.

 

Alexandre apenas anda com ela agarrada em suas costas até a sala, ele joga seu corpo pra trás, fazendo que ela fique por baixo dele, mas ela ainda continuava apertando mais. Ele pega em uma de suas coxas e aperta até ela soltar .

- Isso é pra você aprender a não brincar comigo - em uma movimento Alexandre fica por cima dela segurando seu braços no sofá.

- Me solta agora!

- Não. - Alexandre fica muito próximo a ela.

 

 As respirações de repente ficaram ofegantes. Alexandre já estava drogado com aquela mulher. O corpo de Giovanna  estava quente mesmo estando molhando. Aquilo era de mais pra ele. Ele começou a se aproxima mais e  afundou sua cabeça em seu pescoço e o beijou. A língua dele percorrendo na pescoço como se estivesse dançado, o toque era assustador, mas era tão prazeroso. Giovanna revirou os olhos sentido aquele toque, chegou a fechar os olhos. Depois de um tempo naquele momento, ela voltou a realidade e com o pouco de sanidade que a restava, ela com sua perna livre chutou o membro dele.

- AAAAAAAAAAAH PORRA - ele caiu do sofá se contorcendo de dor

- Isso é pra você aprender a não brincar comigo -  disse a mesma coisa que ele disse a ela em  pouco minutos atrás


Notas Finais


desculpe os erros
revisar essa hora não dá mesmo
preguiçaaaa
COMENTEM
QUERO SABER SE VOCÊ ESTÃO GOSTANDO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...