História Opostos: One-shots de Miraculous - Capítulo 2


Escrita por: ~

Visualizações 182
Palavras 1.457
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Ficção, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Capítulo Único - Marionnette


Fanfic / Fanfiction Opostos: One-shots de Miraculous - Capítulo 2 - Capítulo Único - Marionnette

Era aparentemente um dia normal na vida de Marinette, tinha acordado atrasada, saiu correndo para a escola, sendo quase atropelada no caminho. A aula correu bem, até chegar o intervalo, a mestiça decidiu ir até os armários, nem ela sabia bem o porque, só deu vontade de ir, ela se dirigiu até um dos corredores de armários e ficou pensando o como era desastrada e como uma pessoa assim poderia ser a Ladybug, escrevia todas as suas frustrações no diário. Sua kwami percebeu isso e quando estava prestes a falar algo ouviram duas pessoas entrarem, e indo até o corredor de armários ao lado.

-Já chega disso Chloe!- Marinette reconheceu a voz de Adrien.

-Eu não estou entendendo Adrien.-Diz com um ar inocente.

-Você está me segundo a manhã toda!

-Estou?-Ela falou com inocência, de novo, e colocando o dedo no queixo, tentando fazer uma pose fofa.

-Está! e isso já me irritou, o que você quer afinal?- Adrien diz cruzando os braços.

-Ora, não está claro?- Ela disse projetando seu corpo para frente, aproximando o rosto dela com o do loiro.

-O...-Antes que ele pudesse falar, Chloe roubou um beijo do loiro, e ele não conseguiu sair dali.

Marinette, presenciou a cena, o que fez o coração dela partir, sem dar explicação e sem se despedir ela correu para casa, enxugando as lágrimas com uma mão e com a outro segurando o caderna mais valioso para ela, onde escondia todos os seus segredos. Chegando lá deu a desculpa que estava mal e que iria dormir um pouco, subiu correndo os degraus e se jogou na espreguiçadeira.

-Mari...Não fique assim, você...

-Tikki, eu não estou brava, porque Adrien e Chloe se beijaram, eu estou decepcionada comigo mesma, sou um desastre, medrosa, covarde, não deveria nem ser chamada de Ladybug, não consigo nem me ajudar, como posso cuidar e salvar todos.- Ela colocou as mãos na orelha- Eu não mereço isso. -Tirou e jogou os brincos.

Deixando Tikki chocada, que voou até eles, para recolhe-los. Quando se virou para discutir com Marinette viu que tinha algo errado, o redor de seus olhos estavam escuros, e ela estava olhando para frente com um rosto perverso, mas que ainda chorava.

-Sim, Hawk Moth.

De repente, ela foi coberta por um névoa, que a transformou, deixando-a com uma roupa chinesa e uma venda nos olhos, mas isso não impedia que o choro acabasse,amarrado em seus tornozelos e pulsos fios, com uma cruz de madeira nas costas,  aquilo era sua arma que usava como um bumerangue. E saiu pela janela, pulando de telhado em telhado.

Já em cima da Torre Eiffel, ela tirou o seu bumerangue e jogou no chão fazendo-o rachar, e o puxou de volta com os fios presos em seu corpo, fez isso várias vezes, machucando a todos que passavam por ali.

-Ladybug, Chatnoir, onde estão vocês? Apareçam!- Disse cantarolando de forma sarcástica.

-Chamou? Chamou?- Chat apareceu atrás dela já dando um golpe com seu bastão, fazendo-a desviar bem na hora e pular para baixo, o gato a seguiu, agora estavam a uma certa distancia de frente um para o outro.

-Gatinho que bom que apareceu, agora cadê a joaninha?

-Hum... Me descartando tão rápido? Porque não brincamos um pouco.-Disse pulando e tentando acertar ela de novo com o bastão, mas ela foi mais rápida -Ah! desculpe a minha falta de educação, sou Chatnoir, e você?- Falou em um tom de deboche e ironia.

-Eu sei que é, eu sou Marionnette.-Respondeu irritada.

Começaram a lutar, eram surras e desvios muito bem feitos, Chat já estava ficando preocupado, Labybug ainda não tinha aparecido, não descobriu quem era aquela akumizada, e por que ela era tão mais forte que os outros que ele tinha derrotado? Ele também reparou que Marionnette tinha algo diferente dos outros akumas, ela tinha uma venda nos olhos, mas o que chamou mais sua atenção foram as lágrimas que não paravam de sair, apesar da vilã sorrir, ela chorava. A praça em frente a Torre Eiffel já estava completamente destruída, ambos estavam cansados agachados, respirando fundo. Chat foi o primeiro a se levantar.

-Cansada já?

-Olha quem fala.

Marionnette se levantando, e jogando seu bumerangue e desse vez acertou, levando o gato bater em um prédio mais distante da praça, prendendo ele e causando uma rachadura nesse prédio, a cruz voltou, soltando Chat que caiu no chão tossindo por causa da fumaça e da surra na barriga.

-CHATNOIR!- Uma pequena luz vermelha o chamou de um beco, ele com esperança de ser Lady se aproximou, viu que na verdade era um kwami, diferente de Plagg, ela era vermelha com bolinhas pretas lembrava uma joaninha, estava segurando um par de brincos.- Eu sou Tikki, a kwami de Ladybug. O gato se espantou.

-O que? Porque está aqui? Cadê My Lady? Eu preciso dela para purificar esse akuma...

-Chat.-Ela interrompeu.-Pense um pouco, se eu estou aqui é porque Ladybug tirou seus Miraculous.- Ela mostrou os brincos.- Se ela tirou os brincos e não os colocou de volta para derrotar um akuma é porque...

-Ela se tornou o Akuma!!

-Você até deduziu rápido.-Ela disse com ironia.

-Onde está o objeto possuído?

-Já reparou que ela á um akuma diferente, não parou de chorar até...

-GATINHO, ONDE ESTÁ VOCÊ?- Marionnette gritou, eles perceberam que ela se aproximava.

-Venha, eu te explico.

Chat seguiu a kwami até um prédio familiar, cuja o térreo era uma padaria, eles pararam no terraço e entraram por um alçapão, descendo ele viu um cama, e descendo mais um pouco viu um quarto familiar, ele já tinha ido ali, treinar para o festival de jogos de Páris, era o quarto de Marinette.

-Chat por aqui.-Tikki chamou a atenção do gato para espreguiçadeira perto dela, no chão havia um caderno negro.- Ladybug se tornou uma akumatizada diferente, ela não leva consigo o objeto que o akuma possuiu, isso a deixa invulnerável, além disso, acho que você reparou, ela chora. -O gato confirmou.- Isso porque em algum lugar dentro dela ainda está sã, e não consegue se libertar, ela não chora só pelo coração partido, chora por que está vendo o que faz e chora porque se decepcionou com ela mesma.

-O que fez Mationnette ficar assim?

-Bem, começou quando ela viu outra menina beijar o garoto que ela gosta.

-E quem é ele?

-Está muito curioso gato.

-Desculpe é que eu só...- Ele coçou a cabeça tentando achar uma desculpa.

-Não tem problema, sei que você gosta da Ladybug, bem o nome do menino é Adrien Agreste, deve conhece-lo, é um modelo famoso.

-Sim, sei quem é.- Era eu esse tempo todo era para mim que My Lady suspirava, eu não reparei, como pode ser tão burro, Chatnoir pensa.- Deve ser um mesquinho, arrogante, porque ela gosta dele?

-Bem na verdade, no começo ela nem sabia quem ele era, depois que o conheceu ela o odiou, e ai quando ele emprestou um guarda-chuva para ela, Lady percebeu que na verdade Adrien era gentil e bom, e foi isso que a atraiu. -Tikki percebeu que o gato ficou corado e olhava para o chão.- Chat...

-Ah! Desculpa. -Ele apanhou o caderno do chão.- Precisamos destruir isso.

-Sim, Ladybug não vai gostar nada disso, mas é o único jeito.

Concordaram, e Chat abriu o caderno, bem na parte em que Marinette falava o quão frustada estava por não corresponder suas próprias expectativas como Ladybug, e rasgou ao meio. Saiu da casa de Marinette e foi procurar por Marionnette, que já estava na forma normal. Chat a pegou com cuidado no colo e a levou para casa. Deixando a na cama. Tikki lhe deu os brincos e pediu para coloca-los de volta.

-Os Miraculous não só lhes dão poderes, como também os protegem, não es tire.-A kwami vermelha advertiu. E se escondeu debaixo dos cobertores de sua dona.

-Claro.-Chat disse como uma despedida dela. Ele olhou para Marinette que não estava mais chorando, mas ainda tinha marcas de lágrimas em seus olhos.- Chorou tanto e eu sou um dos motivos, me desculpe. -Ele passava a mão pelos cabelos e pelo rosto de sua amada.- Eu não tinha reparado, mas você é muito linda Marinette, me desculpe, sou um idiota, um gato idiota- Ele riu de si.- Prometo que isso nunca mais vai acontecer com você, eu irei te proteger.

Chatnoir ficou observando Marinette dormir, e quando deu por si já era tarde da noite, tinha que voltar para casa. Ele se despediu dela dando um beijo na testa, após o gesto ela virou um pouco para o lado, e esboçou um sorriso, ele viu aquela cena e achou muito fofa, não conseguiu, acabou então dando um selinho na mestiça e saindo pelo alçapão.

-Bons sonhos, My Lady.- E foi embora

-FIM-



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...