História Opposite - Norminah G!P - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Ally Brooke, Apollo, Artemis, Atena, Connor Stoll, Dinah Jane Hansen, Eros (Cupid), Frank Zhang, Hades, Hermes, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Poseidon, Quíron, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Zeus
Tags Ally Brooke, Deuses Gregos, Dinah Jane Hansen, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Os Olimpianos, Percy Jackson
Visualizações 69
Palavras 2.614
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Harem, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vooooltei!!! Galera!!!! HOJE É O MELHOR DIA EVEEEEEEEEEEER!!!! VOCÊS TÃO VENDO AS GAROTAS NO INTAGRAM??? TÃO VENDO OS NOMES DAS MÚSICAS???? SURTEM COMIGOOO!!!! TEVE ATÉ FLERTE NORMINAH!!!!! NOSSO OTP É REAL CARALHOOOOOOOOO!!!

Parey... voltando ao normal (impossível), fiquem com mais um capítulo totoso <3
Enjoy <3

Capítulo 3 - Ally Brooke


Fanfic / Fanfiction Opposite - Norminah G!P - Capítulo 3 - Ally Brooke

Normani: 

 

Allyson me conduziu por praticamente todo o primeiro andar do colégio, levando-me até os bebedouros, ao banheiro feminino e aos armários dos alunos do ensino fundamental. Descobri que havia, sim, um pátio, mas era interno. Ally disse que era lá onde faziam as aulas de Educação Física. Depois de enchermos nossas garrafas, voltamos para a nossa sala no segundo andar.  

-Com licença, senhora Martin. -Allyson bateu na porta, abrindo-a logo em seguida, e colocou apenas a cabeça na fresta. -Podemos entrar?  

Ela deve ter recebido uma resposta positiva, pois segundos depois abriu mais a porta, puxando-me pelo braço enquanto entrava. A turma toda nos encarava em um completo silêncio, senti meu rosto esquentar e minhas mãos começarem a suar. Allyson me puxou até a mesa da professora, parando muito perto dela.  

-Senhora Martin, desculpe o atraso. Normani é aluna nova e se perdeu, encontrei com ela perto do banheiro e descobri que a sala dela é essa. -Falou Ally, baixo o suficiente para que apenas nós três escutássemos.  

Elizabeth Martin era uma mulher perto dos cinquenta, com cabelos castanhos escuros e alguns fios brancos, um pouco acima do peso e usava roupas fora de moda. Ela me observou da cabeça aos pés, e pude jurar que "me cheirou", depois abriu um largo sorriso. Ela viu minha mochila na cadeira em frente a de Ally, era óbvio que eu tinha estado ali antes, mas ela ignorou completamente.  

-Seja bem-vinda, senhorita Hamilton. -Falou ela, e eu não fazia a mínima ideia de como ela sabia o meu sobrenome. -Espero que você e a senhorita Brooke sejam grandes amigas.  

Ally sorriu e me puxou para sentar em meu lugar, Harry olhava para a professora Elizabeth com uma mistura de medo e receio, ele não parecia gostar muito dela. Ela chamou a atenção dos outros alunos e voltou a passar a matéria no quadro.  

-Como ela sabia o meu sobrenome? -Perguntei baixinho, virando-me na cadeira para olhar os dois.  

-Ela já deveria saber da sua chegada, Normani. -Disse Ally, dando de ombros, como se aquilo fosse a coisa mais normal do mundo. -Seu nome deve estar na chamada. Além disso, uma aluna nova no meio do ano chama bastante atenção.  

Olhei para Harry, esperando alguma resposta dele, mas ele parecia concentrado demais olhando para a professora. Quando me virei para o quadro, ela também o encarava, e pude jurar ter visto suas íris completamente vermelhas, como se soltassem faíscas. Fechei os olhos com força e, quando os abri novamente, ela estava escrevendo os conceitos da física no quadro normalmente. Harry estava encolhido em sua cadeira, mordendo o lápis com força.  

-Harry? -Chamei assustada, depois de vê-lo engolir metade do lápis. -Você está bem?  

Ele me olhou com os olhos arregalados, mas depois sorriu timidamente, ainda pude ver um pedaço de madeira preso em um dos dentes.  

-Claro, Mani! -Respondeu ele, dando de ombros.  

-Mani? -Perguntei confusa, unindo as sobrancelhas.  

-Seu novo apelido. -Respondeu ele, piscando para mim.  

-Boa, Harry! -Exclamou Ally, sorrindo para o garoto. -Podemos chamar você assim?  

Deixei a boca entreaberta, pensando naquilo, ninguém nunca tinha me dado um apelido, com exceção de minha mãe que me chamava de Bear. Acho que a falta de amigos acaba nisso, e mais uma vez sorri para os dois.  

-Claro que sim! Amei o apelido. -Respondi, sorrindo abertamente, e eles sorriram de volta.  

Ambos voltaram a copiar, e eu voltei a olhar para a professora. Em nenhum momento ela nos chamou atenção, mas os outros alunos não tiveram tanta sorte. Resolvi ignorar e comecei a copiar também.  

 

(...) 

 

-Então, Mani, de onde você é? -Perguntou Ally, mordendo um burrito.  

-São Francisco. Me mudei nesse fim de semana. -Respondi, mordendo minha maçã, e Harry cuspiu seu suco fora.  

-São Francisco? -Perguntou ele assim que parou de tossir, assenti receosa. -Isso não é muito perto do Monte Tam e daquela ponte enorme?  

Franzi o cenho, depois Ally e eu nos entreolhamos, era incrível a sintonia que estávamos criando.  

-Existem várias pontes em São Francisco, pelo que me lembro. -Falou Ally, cruzando os braços abaixo dos seios. -De qual delas você está falando?  

Ele encolheu os ombros, levantando as mãos com as palmas viradas para cima, como se não soubesse responder.  

-Bom, tirando a parte da ponte, o Monte Tam fica lá mesmo. Eu morava a uns dois quilômetros de distância. -respondi, dando de ombros. -Você ouviu falar do que aconteceu lá?  

-Algumas coisas. -Falou ele, olhando para baixo enquanto fungava. -Mas, e aí, você gostava de lá?  

Foi óbvio o que ele estava fazendo, mudando completamente de assunto, como se não se sentisse a vontade com aquilo, mas Ally não parecia querer parar de falar sobre isso tão cedo.  

-Que notícias? -Perguntou ela, ignorando a cara emburrada de Harry. 

-Há uns seis anos, uma série de terremotos, tempestades e incêndios abalou a cidade. -Comecei sentando-me mais ereta na cadeira, lembrando do que tinha visto no noticiário quando era mais nova. -Isso passou por todo o estado, mas começou lá. Diversos prédios foram destruídos, sem falar das pessoas feridas e dos que morreram.  

-Que horror! -Exclamou Ally, com uma carinha triste, enquanto colocava a mão na boca. -Não lembro de ter visto isso no noticiário. Se bem que eu era muito pequena na época.  

-Era? -Perguntou Harry, olhando com um sorriso travesso para Ally, a mais baixinha de nós.  

Ela lhe deu língua, e nós dois caímos na gargalhada. Estávamos os três rindo quando o sinal avisando do fim do intervalo da manhã soou. Mal tivemos tempo de arrumar nossas coisas para a próxima aula, quando os outros alunos começaram a entrar rápida e desordenadamente, falando alto e fazendo brincadeiras entre si. Harry, Ally e eu tínhamos escolhido ficar na sala durante o intervalo, afinal, nós três trouxemos lanche de casa e não precisávamos descer até o refeitório.  

-O que temos agora mesmo? -Perguntei, tentando encontrar o papel que o diretor tinha me entregado no início da manhã.  

-Minha matéria favorita, história! -Exclamou Ally, extremamente animada, dando pulinhos na cadeira enquanto tirava um caderno de girassóis da mochila.  

-Sério? A minha também! -Exclamei animada, e Ally levantou a mão para um high five, o qual eu não demorei a completar. -O que vocês estão estudando?  

Como entrei no meio do ano, não fazia a mínima ideia dos conteúdos que os professores estavam ensinando, poderia ser completamente diferente dos quais eu estava aprendendo em São Francisco.  

-Não sei, ele ficou de ensinar uma matéria nova essa semana. -Respondeu Ally, erguendo os ombros em um pedido de desculpas, mas logo voltando com seu sorriso fofo. -Você precisa conhecer o Senhor Patrick! Ele é o professor mais legal da escola!  

Bem na hora que eu estava prestes a perguntar quem era esse, um homem perto dos quarenta anos adentrou a sala com tudo, batendo com uma pasta de couro na porta, assustando todo mundo.  

-Atenção, guerreiros! -Exclamou ele, com sua voz ecoando na sala inteira, todos estavam em um completo silêncio. -A matéria que iremos aprender agora é a mais incrível de todas!  

Ele fechou a porta com o pé, jogou a pasta de couro em cima da mesa, e tirou uma caneta de quadro do bolso da calça jeans. Escreveu rapidamente e em letras enormes, as palavras: Mitologia Grega.  

-Mitologia Grega! -Exclamou ele, erguendo os braços para os alunos, a maioria não parecia muito entusiasmado com isso, e pude jurar ter escutado Harry lamentar agoniado. -Vamos lá! Será divertido! Teremos trabalho em grupo, viu? No máximo quatro alunos, podem escolher.  

A turma explodiu em um falatório, todos tentando encontrar seus parceiros perfeitos, e eu logo olhei para trás com timidez.  

-É óbvio que você fica com a gente, Mani. -Falou Ally, antes mesmo de eu perguntar qualquer coisa. -Se quiser, é claro.  

-Vamos tirar a melhor nota. -Falei confiante, sorrindo para ela e Harry. -Animado, Harry?  

Ele fez uma careta, olhando para as duas palavras no quadro como se fosse algum tipo de maldição.  

-Digamos que essa não seja minha matéria favorita. -Murmurou ele, enfiando a cara entre os braços por cima da mesa.  

-Não liga pra ele, Mani. Ele só não é muito fã de história. -Explicou Ally, batendo de leve no ombro do garoto. -Então, o que achou do Senhor Patrick?  

Voltei meu olhar para o homem perto dos quarenta, com uma aparência bem jovial para a idade. Ele estava ocupado separando algumas folhas, entregando para os alunos em cada mesa. Os cabelos eram castanhos avermelhados, sua barba muito bem aparada, usava óculos de armação preta e com roupas muito sofisticadas. Com uma calça jeans azul-marinho, uma camisa social branca e um suéter preto, ele parecia mais o tipo de pessoa que trabalha em uma empresa.  

-Parece muito legal. -Dei de ombros, sem saber muito bem o que falar.  

Ally o observava com um sorriso tímido nos lábios, suspirando ao vê-lo sorrir. Ela parecia até mesmo apaixonada.  

-Ally tem um crush nele. -Contou Harry, que tinha levantado a cabeça e também olhava para o professor.  

-Harry! Isso não é verdade! -Exclamou Ally, indignada, batendo mais forte no braço do amigo. -Idiota.  

Ele apenas riu, piscando para mim, e acabei rindo junto, mas nós dois paramos assim que Ally nos lançou um olhar assassino. Aquela baixinha sabia botar medo em alguém.  

-Então é aqui que temos uma aluna nova! -Levei um susto quando a voz do professor soou bem ali, na nossa frente. -Muito prazer, senhorita...  

-Hamilton, senhor. -Respondi envergonhada.  

-Muito prazer! Sou seu professor de história, pode me chamar de Senhor Patrick. -Ele me lançou um leve aceno de cabeça, com um sorriso acolhedor nos lábios. -Vejo que já conheceu minha melhor aluna e seu fiel escudeiro, não? Vão fazer o trabalho juntos?  

-Hã... s-sim, senhor P-Patrick! -Gaguejou Ally, derrubando seu estojo no chão ao tentar se sentar ainda mais ereta na cadeira.  

Vi Harry revirar os olhos e se esforçar para não rir.  

-Sobre o que vai ser o trabalho, exatamente? -Perguntou o garoto, mudando sua voz para soar mais velho, mas só o deixou mais engraçado.  

-Vocês terão que relatar, a partir de um teatro, algum mito grego que irei sortear entre os grupos. -Respondeu o professor, pegando o estojo de Ally do chão e devolvendo para ela.  

-E vamos ter que apresentar para a turma? -Perguntei receosa, torcendo para que a resposta fosse não.  

-Esse é o tópico do trabalho! O teatro será feito em frente à turma, para que todos possam conhecer o mito. -Respondeu o professor, ainda mais animado, e eu só pude lamentar. -Já volto com o sorteio.  

Assim que ele saiu, joguei minha cabeça para trás e acabei batendo ela na parede.  

-Ouch! Parede idiota! -Resmunguei enquanto passava a mão na parte de trás da cabeça de leve, depois soquei a parede com força, o que foi um erro. -Ain! Meu dedo!  

Quando voltei a olhar para Ally e Harry, os dois me encaravam com caras de idiota. 

-O que foi? Nunca viram alguém bater a cabeça e o dedo no mesmo lugar, não? -Perguntei inocentemente, olhando-os com cara de tédio.  

Por segundos eles continuaram apenas me olhando, depois explodiram em gargalhadas, chamando a atenção de toda a turma e do professor. Enquanto eles tentavam parar de rir, eu me controlava para não começar a rir, e nesse meio tempo o senhor Patrick vinha em nossa direção com um pote transparente cheio de papeis dobrados dentro.  

-Parece que temos um grupo voluntário para sortear o mito primeiro! -Falou ele, e a turma inteira riu diabolicamente. -Por favor, fiquem à vontade!  

Ele esticou a mão que segurava o pote em nossa direção, deixando-o bem no meio.  

-Ally, pega você! Sou péssimo nisso. -Harry empurrou levemente o pote na direção da baixinha.  

-Eu não! Mani, você é a novata, talvez nos traga sorte. -Rebateu Ally, empurrando o pote para mim.  

-Mas... -Eu estava prestes a argumentar, mas com a carinha de cachorro pidão que ambos fizeram foi impossível. -Tá bom, eu escolho!  

Enquanto levava minha mão até o pote, o resto do cenário parecia estar em câmera lenta. Pude ver Harry roendo as unhas nervosamente, Ally agarrar o próprio estojo em expectativa, algumas garotas fofocando enquanto riam de nós ao fundo, uma borboleta azul ultrapassar a sala voando rapidamente, e o professor sorrindo para a minha mão dentro do pote. Parecia uma das decisões mais importantes da minha vida, mas era apenas um papel dobrado com o nome de um mito grego.  

-Então? Qual o mito? -Perguntou o senhor Patrick, depois de eu ter desdobrado o papel e lido o que estava escrito.  

-Hã... os Deuses dos ventos: Bóreas, Zéfiro, Noto e Euro. -Respondi, virando o papel para ele ler.  

Muitos da turma riram, provavelmente também não conheciam os tais Deuses.  

-Só espero que a gente não seja atacado por Anemois. -Murmurou Harry, achando que mais ninguém tinha escutado.  

-Como, senhor Campbell? -Perguntou o professor, franzindo as sobrancelhas.  

-Hã... nada! Só estava pensando alto. -Desconversou o garoto, e o professor pareceu acreditar, pois deu meia volta e foi sortear o mito dos outros grupos. -Ainda acha ele o melhor professor da escola?  

Nós dois olhávamos para Ally, e ela apenas fez uma careta engraçada e mostrou a língua para a cara emburrada de Harry.  

-Ele só está sendo justo, afinal, atrapalhamos a aula dele. -Falou ela, dando de ombros.  

-Nós também atrapalhamos a aula da professora Elizabeth e ela não disse nada. -Rebati, vendo Harry concordar.  

-É diferente! A senhora Martin me adora! Sou a aluna favorita dela. -Explicou Ally, gesticulando com as mãos.  

-Adora até demais. -Resmungou Harry, cruzando os braços na frente do peito.  

-Você só está com ciúmes porque ela não te convidou para as aulas extracurriculares dela. -Rebateu a baixinha, também cruzando os braços.  

-Não estou entendendo nada. -Comentei, olhando para as expressões emburradas dos dois.  

-É uma longa história, Mani. Explico pra você mais tarde. -Prometeu Ally, fazendo sinal para que eu me virasse, pois o professor já estava na frente do quadro.  

Ele assoviou alto, fazendo com que as conversas cessassem.  

-Agora que todos têm seus mitos, vamos marcar o dia da apresentação para a semana que vem! -Assim que ele terminou de falar a turma inteira explodiu em reclamações, mas ele apenas bateu com a pasta de couro no quadro e fez todos ficarem em silêncio. -Aqueles que não tiverem internet em casa podem usar os computadores da escola. Por hoje é só! Tirarei as dúvidas no período da quinta-feira.  

E foi só ele terminar de falar que o sinal anunciando o final da aula tocou. Os alunos começaram a arrumar suas mochilas para ir embora, e eu mal tinha notado os dois períodos com o senhor Patrick passar.  

-Mani? -Chamou Ally, tocando de leve em meu ombro. -Que tal combinarmos como vamos fazer o trabalho amanhã?  

-Claro! -Respondi, sorrindo fraco. -Vamos?  

Ambos assentiram, então descemos juntos para ir embora.  

 

(...) 

 

No fim, Allyson não me explicou nada sobre as aulas extracurriculares da senhora Martin. Quando cheguei em casa, mal tive tempo de almoçar, pois Dona Andrea queria visitar a 5th Avenue. Passamos quase a tarde inteira lá, voltando apenas perto das seis horas. Usei o resto da minha noite para pesquisar sobre os Deuses dos ventos, o que era irônico, considerando a falta dele nas ruas atualmente. A não ser pelo incessante chacoalhar do arbusto no quintal da casa do vizinho, o qual eu conseguia ver da janela do meu quarto, aquele não parecia precisar de vento nenhum para se mexer.  

Depois de tomar banho, jantar e me despedir de minha mãe, joguei-me exausta na cama e adormeci. Dessa vez sonhei com uma bússola, mas ela parecia não saber para onde apontar, e parecia cravada em pele humana. 

 


Notas Finais


Nem dei indireta... mas okay... quem entendeu, entendeu, quem não entendeu, não entendeu :3
Parey... Hoje eu não tô muito bem... mas okay
Comentem o que acharam, babies :3

See you <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...