História Opposite Destinations - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien, Holland Roden, Teen Wolf
Personagens Dylan O'Brien, Holland Roden
Tags Dylland
Exibições 28
Palavras 603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Estava esses dias em varias provas, desculpem!!!!

ESSE CAPÍTULO NÃO TA MUITO BOM, MAS O PRÓXIMO VAI SER!

Capítulo 8 - Help


Dylan P.O.V

A festa de comemoração estava totalmente chata, afinal, eu conhecia poucas pessoas e essas poucas pessoas estavam mais preocupadas em conversar com outras. Eu já tinha bebido quase todas as garrafas de cerveja e fiquei horas encarando a parede, até que meu celular começou a vibrar e não parava mais

Holland: Dylan?

Holland: Você poderia vir até aqui?

Holland: Eu preciso muito de você agora.

Holland: Não, esquece, não precisa mais.

Holland: Você deve estar na festa.

Holland: Não queria atrapalhar, desculpa.

Dylan: Não atrapalhou nada, não precisa se desculpar.

Dylan: Eu já estou indo.

Guardei meu celular no bolso de trás de minha calça e larguei a garrafa que estava pela metade na mesa de centro, acenando rapidamente para as pessoas que estavam ali e saindo do local, caminhando até meu carro.

Estacionei meu carro em frente à sua casa amarela e caminhei até a porta, me deparando com ela entreaberta

- Holland? – a chamei um pouco alto na fresta da porta e ninguém respondeu, empurrei levemente ela para trás que se abriu por completo e adentrei na casa, observando em volta. A sala estava completamente destruída, subi as escadas e caminhei até seu quarto, batendo na porta.

Depois de um tempo a chamando e batendo na porta, resolvi abri a mesma e me deparei com ela sentada na cama, abraçando seus joelhos e encolhida. Me aproximei com cuidado e me sentei em seu lado

- Hey – sussurrei e no mesmo instante me abraçou, apertando seus braços em volta de meu corpo

- Você veio – sussurrou num tom aliviado, afundando seu rosto em meu pescoço

- Eu viria sempre por você – levei minhas mãos até suas costas, as acariciando

- Obrigada – afastei o abraço e me assustei ao ver seu rosto todo machucado

- O que aconteceu com você?

- Eu cai, não sei – abaixou a cabeça. – Minha pressão caiu e eu devo ter desmaiado e acabei me machucando

- Isso não me convence – passei o dedo delicadamente nos locais machucados

- Quer dizer, não foi a primeira vez – levantou a cabeça. – Às vezes isso acontece

- Hum... certo

É claro que eu não acreditava, ela não ia se machucar tanto e destruir a sala num desmaio, mas ela não queria contar o que realmente havia acontecido e eu não podia obriga-la a falar. Apenas concordei e fingi que tinha acreditado em cada palavra que havia saído de sua boca.

Holland P.O.V

Acordei com uma dor insuportável em todo meu corpo, fiquei um tempo na cama antes de tomar coragem de levantar. Tomei um remédio, me troquei e lavei meu rosto. Sai do quarto e desci as escadas e fiquei um tempo observando a sala que já estava toda arrumada graças a ajuda de Dylan, mas tudo que vinha na minha mente era aquela noite.

Passei a tarde inteira trocando mensagens com o Dylan, vendo filme e quase entrando para dentro do sofá. Eu estava agradecendo pelo meus pais estarem viajando e só voltarem daqui a umas 3 semanas. Dylan havia me contado que ia ter daqui a duas semanas um show de talentos na escola e que estava interessado em participar e queria que eu fosse o assistir. Eu só ia voltar para a escola depois de não tivesse mais nenhum roxo ou machucado em meu rosto e eu estava torcendo para que saísse antes do show, eu daria tudo para ver ele.

Minha tarde se resumiu nisso, até que por umas 21:26 alguém batia minha porta constantemente e não desistia nunca, larguei meu celular no sofá e me levantei indo até a porta e a abrindo

- Tyler?


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...