História Opposites - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Rap Monster, Suga, V
Tags Assassinato, Bts, Fuffly, Jin, Maníacos, Namgi, Namjoon, Psicopatas, Rap Monster, Seokjin, Suga, Sugamon, Suspense, Taehyung, Taejin, Vjin, Yaoi, Yoongi
Exibições 85
Palavras 2.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OEEEEEEEEE PESSOAL!!
Sentiram minha falta?
Não?
Tá bom ;-;
Enfim, desculpa demorar tanto pra atualizar. Acabou dando muitos problemas, e ontem minha vó faleceu.... não é algo muito bom de se falar, de verdade, ainda me sinto incomodada com isso... mas a vida segue, mesmo que duramente ;-;
Trouce o capítulo com 2.000 palavras
agradeçam porque ia ser só 1.200 por aí... tava desanimado, mas vocês merecem
Obrigada pelos 58 favoritos, AMO VOCÊS <3

Boa Leitura!

Capítulo 5 - Unbelieving person


Fanfic / Fanfiction Opposites - Capítulo 5 - Unbelieving person

Oppsites

Capítulo 05:

Unbelieving person

Autor Pov’s On

 

SeokJin estava jogado em sua cama encarando o teto, já passavam das duas da manhã, e o sono não vinha de maneira nenhuma. Era um pouco chato ficar ouvindo o silêncio quase atordoante da noite, antes acharia isso completamente calmante, mas isso já estava o deixando completamente louco! Queria poder escutar música, mas não sabia onde tinha guardado seu fone, ou seja, teria que sofrer com isso.

 

Suspirou frustrado enquanto se sentava na cama, e puxava os fios negros com certa força. Não aguentava mais ficar deitado naquela cama! Iria se levantar e fazer qualquer que viesse em sua cabeça, mas um barulho em sua janela chamou sua atenção fazendo ele ir até ela. Jogavam pedrinhas no vidro, como forma de chamar atenção, abriu o vidro e pode ver TaeHyung com mais algumas pedrinhas em sua mão. Seu celular começou a tocar, e o mesmo atendeu escutando a voz do outro.

 

- Pode descer aqui embaixo?

 

- Meus pais podem acordar! E como conseguiu meu número? – SeokJin respondeu.

 

- Isso eu te conto se você descer, princesa. – TaeHyung disse, rindo logo em seguida.

 

- TaeHyung, que porcaria de apelido é esse? Vou descer, espera um pouco. – SeokJin disse irritado, enquanto desligava o celular.

 

Saiu do quarto, e desceu as escadas de modo cauteloso, o que não adiantou muita coisa. Por quê? O pai do moreno estava na cozinha mexendo no celular.

 

- Seok? Por que está acordado essa hora? Devia estar dormindo! - O mais velho disse sério.

 

- E-e-eu só quero pegar um pouco de ar, não consegui dormir! – SeokJin respondeu rápido. – Já volto. – Disse saindo em disparada para a porta.

 

Assim que abriu a porta viu TaeHyung encostado em uma árvore, com as mãos dentro de sua jaqueta preta, quando avistou o moreno deu um sorriso largo, e fez um sinal para que o mesmo se aproximasse.

 

- Olá, princesa. Está uma graça assim! – TaeHyung disse sorrindo sacana.

 

SeokJin, por sua vez corou violentamente. Ele só estava com uma blusa grande e um shorts curto...

 

- Cala a boca! O que quer aqui a essa hora da noite? – Questionou cruzando seus braços.

 

- Conversar. Passei na casa do Yoongi e ele estava agarrado com o representante, sabe Deus porquê. – Respondeu dando de ombros. – E também não é muito importante. Aí eu resolvi vir aqui, falar com você.

 

- Quando eu falo para o Namjoon que estou certo, ele não me ouve. – Revirou os olhos. – Mas por que eu?

 

- Simples, eu gosto de você! Você é todo fofo, amável e adorável! Além do mais, eu gosto da sua companhia, ela é boa. – O maior disse calmo, puxando o moreno pela cintura, colando mais seus corpos.

 

Se antes SeokJin estava corado, agora estava como uma pimenta. Uma pimenta adorável. Aos poucos TaeHyung se aproximou de SeokJin, foi quebrando mais a distância que estava entre seus lábios, até que a quebrou, iniciando apenas um selar, que foi evoluindo a um beijo. O moreno tinha as mãos na nuca de Tae, enquanto fechava os olhos e aproveitava mais do toque, TaeHyung estava com a mão na cintura de SeokJin, a apertando com certa possessão. O beijo dos dois era um tanto afoito, mas não deixava de ser bom.

 

Assim que se separaram por falta de ar, o outro levou sua boca para o pescoço branquinho de SeokJin, e o mordeu, logo em seguida deixando um chupão, que ficaria roxo.

 

- TaeHyung, não deixe marcas! – O menor reclamou abraçando Tae e escondendo seu rosto na curvatura do pescoço desse.

 

- Okay, okay. Hey, princesa, que tal irmos para o seu quarto? Aqui está ficando frio, e você está com as pernas de fora! – Tae alertou apertando a coxa de SeokJin.

 

- Meu appa está acordado... isso vai dar merda... – O moreno falou.

 

- Vamos ser cautelosos, vou pela sua janela, okay? – TaeHyung perguntou, e SeokJin revirou os olhos.

 

- Se quebrar a perna não vou estar nem aí.

 

- Assim você me magoa. – TaeHyung fingiu um falso drama. – Até daqui a pouco. – Falou, deixando um selo rápido na bochecha de SeokJin.

 

O moreno foi até a porta de sua casa com passos rápidos, logo entrando em casa, vendo que seu pai continuava mexendo em seu celular. Foi para as escadas, subindo-as, até finalmente estar em seu quarto. Tomou um pequeno susto ao ver TaeHyung sentado em sua cama, com um simples quadro em mãos.

 

- Você era bastante fofo quando pequeno... – TaeHyung comentou, ainda encarando a foto. – Quer dizer, você continua fofo, mas antes era mais.

 

SeokJin deu um longo suspiro, sentando ao lado de TaeHyung na cama, que passou o braço envolta de sua cintura, o puxando mais para si.

 

- TaeHyung... você pode me contar da sua família?

 

- Por que... por que isso agora? – TaeHyung questionou, um pouco assustado.

 

- Ah, eu apenas queria saber! É que você parece ser uma pessoa tão boa, e acho que sua família pode ser assim também. – O moreno respondeu, sorrindo fofamente.

 

Por um momento, por um misero momento TaeHyung se sentiu extremamente mal. Talvez ele estivesse engando o menor, porque ele “construiu” uma imagem totalmente contraria do que ele é para SeokJin. Agora o garoto pensa que ele é uma pessoa boa, na qual, vive ajudando os outros, sendo que ele é o contrário disso, que é uma pessoa má, que não ajuda, mas piora a vida dos outros.

 

O maior ficou em silêncio por longos segundos, encarando algum ponto fixo no quarto.

 

- Eu não te conheço direito, não sei se deveria contar... contudo, com o que eu vi até agora, é que você é uma pessoa doce e amável, que sempre quer fazer o melhor que puder para os outros. – TaeHyung disse, sem encarar SeokJin. – Por isso vou te contar. Minha única família é minha mãe, meu pai eu nunca cheguei a conhecer, e não é como se eu me importasse de qualquer forma, não tenho irmãos, apenas filho único. – Contou, finalmente encarando SeokJin.

 

- E como sua mãe está?

 

- Morrendo.

 

Assim que TaeHyung o respondeu, SeokJin se assustou, e procurou qualquer indicio de brincadeira no rosto do outro, mas não havia nada, simplesmente nada.

 

- Minha mãe tem câncer, e eu ainda não tenho dinheiro o suficiente para pagar o tratamento... por isso faço o que eu faço. – Explicou, sorrindo ladino em seguida.

 

- E o que você faz, Tae? – SeokJin questionou com a voz tremula. Mordia o lábio inferior, e mexia os dedos nervosamente, tentando pensar em alguma coisa que o outro trabalhasse.

 

- Não irei te contar agora, talvez você descubra sozinho. Quem sabe, né?

 

TaeHyung sorriu enquanto encarava SeokJin, que preferiu esquecer um pouco as coisas por um momento.

 

- Vamos fazer algo mais divertido! – O acastanhado exclamou. – E eu sei muito bem o que podemos fazer. – Falou, sorrindo sacana.

 

O moreno encarou esperando ele falar mais alguma coisa, mas só o que teve, foi TaeHyung o jogando contra a cama, e ficando por cima de si, lhe beijando afobada mente. Não teve tempo nem de se assustar, apenas de corresponder o beijo e sentir as mãos ligeiras de TaeHyung passeando por seu corpo. O acastanhado estava com a mão por baixo da camiseta longa de SeokJin, passando os dedos pela pele alva. O beijo de ambos logo foi cessado, fazendo TaeHyung levar sua boca até o pescoço de SeokJin, e começar a marca-lo.

 

- A-ah, espera um pouco, TaeHyung. – SeokJin pediu entre ofegos.

 

O maior sorriu sacana enquanto continuava com as caricias. SeokJin tinha suas bochechas em um tom vermelho, denunciando sua vergonha. TaeHyung achou isso adorável, sorrindo para o menor. Levantou-se um pouco, pronto para tirar sua camiseta, mas esse processo fora interrompido pela porta sendo aberta, pegando todos completamente de surpresa.

 

Na porta estava a mãe de SeokJin e o pai do mesmo. O garoto colocou a mão na frente do rosto, como se fosse esconder seu rosto completamente vermelho. Ele estava muito mais que envergonhado! Já TaeHyung estava em estado de choque, isso nunca tinha acontecido.

 

- Fodeu... – Foi a única coisa que TaeHyung conseguiu dizer.

 

✴✴

 

Yoongi acordava aos poucos, estava abraçado com seu travesseiro – Ou era isso que ele achava. – mas seu travesseiro estava fofo e quentinho demais, o que era extremamente estranho. Abriu os olhos de modo lento, enquanto tentava se acostumar com a claridade do quarto, que era proporcionada pela lâmpada de lede, já que estava uma total escuridão fora da casa. Assim que se acostumou, Yoongi ergueu o olhar, vendo que estava abraçado com alguém, e não com seu travesseiro.... e esse alguém era nada menos e nada mais que Namjoon! Ele estava surpreso? Talvez um pouco, já tinha se lembrado de todo ocorrido de horas atrás, mas ainda não acreditava que o maior tinha continuado naquela posição com ele.

 

Levantou ainda um pouco atordoado, sentindo uma dor latejante em seu braço, sentindo algo escorrer desse. Tirou sua jaqueta, observando o grande machucado que estava em seu braço. Vagamente lembrou da troca de tiros que teve com Cheng, e acabou que estava tão preocupado com Namjoon que tinha esquecido completamente de si. Isso era tão estranho, ele colocou Namjoon em primeiro lugar, e ignorou-se totalmente. Ainda soava incrédulo até mesmo para o próprio Min.

 

O platinado se dirigiu até seu banheiro, pegando uma caixinha com remédios e outras coisas dentro, e começou a limpar o local, passando remédio, e tentando enfaixar. Mas aquele bendito remédio ardia e muito, fazendo o menor soltar inúmeros palavrões de forma baixa, enquanto tentava terminar de enfaixar seu braço.

 

Namjoon, ainda um pouco sonolento, levantou-se assustado, encarando Yoongi que tinha uma expressão de dor em seu rosto. Um pouco lerdo por ter acordado naquele momento, Namjoon buscava entender o que platinado estava fazendo. Talvez o sono atrapalhasse um pouco sua vida.

 

- O que está fazendo? – Namjoon questionou, com a voz rouca pelo sono.

 

- O que você acha? Estou tentando enfaixar meu braço! – Yoongi respondeu de modo ignorante.

 

Namjoon revirou os olhos, já tinha até se acostumado com aquele jeito de Yoongi, que nem mesmo se surpreendia mais, o garoto na maioria das vezes poderia ser previsível, mesmo que fossem raras as vezes que ele era imprevisível. Talvez Namjoon conhecesse Yoongi bem até demais....

 

- Quer ajuda? – O maior perguntou.

 

- Não!

 

- Então tá.

 

Yoongi era orgulhoso até com pequenas coisas, e isso de alguma forma cansava Namjoon, que tinha certas esperanças que aquele ser difícil de entender mudasse.

 

O platinado cansado de lutar, largou aquela faixa, bufando de ódio. O acinzentado quis rir da forma de ser de Yoongi, ele ficava extremamente fofo com a expressão irritada e as bochechas completamente corada. Admitia apenas para si mesmo que tinha muita vontade de apertar aquele ser.

 

- Tem certeza que não vai querer ajuda?

 

- E-eu... tá bom! Eu quero ajuda! – Yoongi deu-se por vencido, bufando de raiva.

 

O maior apenas deu um pequeno sorriso, e ajudou Yoongi com seu curativo, logo arrumando corretamente. Assim que terminado, deu mais um sorriso ao platinado, que virou o rosto emburrado. Ele odiava mesmo pedir ajuda.

 

- Não vai agradecer? – O maior questionou.

 

- Não!

 

- Nossa, eu te ajudo de bom grado, e você não diz nem um obrigado. – Namjoon falou fingindo-se de ofendido.

 

- Me ajudou porque quis, não sou obrigado a te agradecer por isso! – Respondeu ácido, encarando o outro nos olhos.

 

- Não ajudo mais também, sofra o quanto quiser, porque eu, não vou fazer mais nada. – O acinzentado respondeu virando o rosto de modo infantil.

 

Yoongi suspirou longamente antes de se levantar da janela, e ficar observando a paisagem a fora. O silêncio não estava de todo ruim dentro daquele quarto, estava até agradável, diferente da troca de olhares intensa de ambos.

 

O celular do platinado começou a tocar, e Namjoon, por puro indistinto pegou o aparelho e atendeu, ganhando um olhar incrédulo do menor a poucos metros de si.

 

- Alô?

 

- Alô? É o celular do Yoongi-oppa? – Uma voz feminina questionou.

 

- Quem quer falar com ele?

 

-  Chin-hwa! A namorada dele! – A garoto falou com convicção.

 

- Namorada? Ele não tem namorada! – Namjoon respondeu visivelmente irritado.

 

- Claro que tem! E sou eu, ou vai dizer que é você quem ele namora? – A outra questionou com deboche.

 

- E se for, algum problema? E também, não é da sua conta quem eu namoro ou deixo de namorar! Não estou mais afim de falar com você! – Namjoon respondeu rápido, desligando o celular.

 

Yoongi o encarava com a face incrédula, tinha escutado a conversa toda, e ainda estava processando o que tinha acontecido. Ele iria questionar, mas o celular tocou novamente, e novamente foi Namjoon quem atendeu.

 

- ALÔ? YOONGI?! PELO AMOR DE DEUS, ME AJUDA! – A voz de TaeHyung saiu aguda. – LARGA ESSE CELULAR E ME AJUDA TAEHYUN! – Uma segunda voz se fez presente, fazendo Namjoon se questionar se não era a voz de SeokJin.

 

- O que aconteceu? – Yoongi e Namjoon perguntaram ao mesmo tempo.

 

- SÓ VEM PRA CASA DO SEOKJIN RÁPIDO, TÁ?! MANDO ENDEREÇO POR MENSAGEM! – O outro gritou antes de encerrar a ligação.

 

Yoongi e Namjoon se encaram por alguns segundos, e se levantaram dispostos a saber o que tinha acontecido. A curiosidade já falava mais alto mesmo.


Notas Finais


~~<3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...