História Opposites - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Personagens Alaric Saltzman, Andie Star, Bill Forbes, Bonnie Bennett, Camille O'Connell, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Elena Gilbert, Elijah Mikaelson, Elizabeth "Liz" Forbes, Enzo, Esther Mikaelson, Finn Mikaelson, Freya Mikaelson, Hayley Marshall, Hope Mikaelson, Jeremy Gilbert, Josette "Jo" Laughlin-Saltzman, Katherine Pierce, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lexi Branson, Lucy Bennett, Marcellus "Marcel" Gerard, Matt Donovan, Mikael Mikaelson, Personagens Originais, Rebekah Mikaelson, Sheila Bennett, Stefan Salvatore, Tyler Lockwood
Tags Amor, Caroline, Comedia, Klaroline, Klaus, Romance, Steroline
Visualizações 130
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Heeeey gentee ❤
Já estou começando a escrever outra fic de Klaroline! (CALMEM AI, Opposites não está acabando). Ela irá ser postada muito em breve. Então não deixem de acompanhá-la quando ela sair!
*-*
Primeiramente quero falar que teve um salto temporal, ou seja, já passou a missa de sétimo dia e eles já estão em Nova York. Caroline já superou a morte de seu avô , então o clina triste se foi ( não por muito tempo).
Bem era só isso que eu gostaria de falar, apenas para vocês não ficarem confusos.
*-*
E outra coisa, esse capítulo contém cenas de SEXO! Se você não gostei, não leia. A classificação da fic é +18, então a presença de cenas hots serão constantes. Eu não garanto que avisarei sempre,mas eu irei tentar.

Boa leitura!

Capítulo 12 - Capítulo XII - Kiss


Fanfic / Fanfiction Opposites - Capítulo 12 - Capítulo XII - Kiss

Pov's Caroline Forbes

Faltavam apenas dois dias para o casamento de Bonnie. Estava tudo uma loucura!. Hoje iríamos finalmente até o hotel onde ficaríamos hospedados,que ficava próximo à capela onde seria realizado o matrimônio.Bonnie e Enzo já se encontravam lá desde o dia anterior, por isso,eu e o restante de nosso grupo tratamos de ir o mais rápido possível para ajudar na organização. Como estávamos em quatro pessoas, cabia tranquilamente em apenas um carro. Íamos todos juntos no carro de Damon.

-Gente, eu liguei no hotel e eles tiveram um problema, muita gente já havia reservado os quartos, então nós ficamos com apenas dois. -Dei de ombros e voltei a olhar a vista. Klaus babava em seu travesseiro, e Damon estava totalmente focado na estrada.

-Então, Caroline você irá dormir com Klaus, eu escolhi um quarto com duas camas de solteiro para vocês não terem que dormir totalmente juntos. -Completou Elena. Arregalo os olhos. Eu sei que Klaus está mudado de uns dias pra cá, mas dormir com ele estava fora de cogitação.

-Por que não dormimos nós duas e Damon com Klaus? -Questionei Elena.

-Porque não é com Klaus que eu combinei de renovar a lua de mel. -Elena acertou um tapa no ombro de Damon. Não acredito que além de dormir com Klaus, vou ter que escutar os gemidos de Elena.

-Anão! Vocês transam todo dia. Podem ficar pelo menos dois separados. -Falei um pouco em voz alta, acordando Klaus.

-Quem transa todo dia? -Ele perguntou um pouco inconsciente por causa do sono.

-Damon e Elena. E nem adianta discordarem, se vocês pensam que eu não escutei vocês trasando no meu apartamento ontem a noite, vocês estão muito enganados. -Os dois arregalaram os olhos. Era possível fritar um ovo na bochecha de Elena.

-Alguém por favor pode me explicar o que está acontecendo? -Diz Klaus esfregando os olhos.

-Tivemos um problema com a reserva e ficamos com apenas dois quartos, ou seja, você e Caroline ficarão no mesmo quarto. -Klaus abre um sorriso malicioso, sendo correspondido por Elena e Damon.

-Anão! Não ousem falar nada!- Resmunguei cruzando os braços.

-Calma amor, não vamos fazer nada de mais. -Revirei os olhos e dei língua para Klaus, que me olhou intensamente. Senti um calor de repente e desviei o olhar.

-Chegamos. -Disse Damon estacionando o carro. Desci do veículo e um rapaz se aproximou de nós. Deduzi ser um funcionário que levaria nossas malas.

-A senhorita precisa de ajuda com as malas? -Ele se referiu a mim. Ia respondê-lo quando Klaus, com uma expressão rabugenta, se enfiou em minha frente.

-Ela não precisa de ajuda, mas se você quiser pode levar as minhas. -O rapaz ficou meio sem graça e pegou as malas de Klaus.

-Claro senhor! -Klaus sorriu vitorioso. Antes mesmo de  perguntar que cena foi aquela, ele pegou minhas malas e puxou minha mão.

Elena me entregou a chave de nosso quarto, eu e Klaus subimos até o mesmo acompanhados pelo rapaz. Chegamos e eu destranquei a porta.

-Me perdoe, eu não sabia que a senhorita era casada. -O rapaz falou, colocando as malas de Klaus no chão.

-Não somos cas...

-Se precisarem de mais alguma coisa é só chamar! -Ele me interrompeu, abandonando o quarto.

Balancei a cabeça e passei os olhos pelo local.

-Eu fico com a cama do canto. -Disse me jogando na mesma e conectando meu carregador na tomada.

-Não senhora! É o único lugar com tomada. -Ele pulou em cima de mim, me fazendo cócegas.

-P-pare Klaus. -Eu digo já chorando de rir. Ele me larga por alguns segundo e eu inverti nossas posições, fazendo cócegas em seu abdômen. Mas como ele era bem mais forte que eu, não demorou muito para voltarmos a posição inicial.

A porta foi aberta rapidamente, exibindo Elena. Klaus ainda estava por cima de mim. A morena nos analisava com um sorriso sacana.

-Será que os dois podem se conter? Aqui não é um motel. Temos um casamento para ajudar. A noite vocês continuam o que começaram. -Peguei uma almofada e joguei em Elena, me ajeitando na cama.

-Não exagere, estávamos apenas rindo. -Explicou Klaus.

-Então é assim que chamam sexo hoje em dia? -Revirei os olhos e levantei, arrumando meu cabelo.

Descemos até a recepção e fomos à igreja.

-Graças a Deus vocês chegaram! -Gritou Bonnie nos abraçando.

-Íamos chegar mais cedo, mas esses dois fizeram questão de nos atrasar com atividades indecentes. -Pisei no pé de Elena com força.

-Ai vadia! -Ela exclamou e nós entramos dentro da igreja. 

O tapete era a única coisa posta. Pelo que parece, as coisas seriam montadas todas amanhã durante o dia. 

-Caroline, você pode receber a banda por favor, eles já devem estar chegando. 

-Claro, mas eu devo falar o que? -Questionei Bonnie.

-Apenas fale para eles se acomodarem no hotel. E descerem para ensaiar. -Concordei e fui até lá fora.

Avistei uma van à poucos metros dali, caminhei até ela e me deparei com um grupo de rapazes.

-É aqui o casamento de Bonnie Bennett e Lorenzo St.John? -Perguntou o que parecia ser um baxista.

-É sim. Eles me pediram para avisa-los para irem ao hotel e depois descerem para ensaiar. 

-Tudo bem, obrigado. -Ele piscou para mim.

O restante do dia se passou normal. Voltamos para o hotel e todos subiram para seus quartos, excerto eu. Caminhei até um jardim que ficava no térreo e deitei na grama, observando as estrelas. Me assustei quando senti alguém se deitando ao meu lado, mas suspirei aliviada quando vi que era Klaus.

-O que você está fazendo? -Ele perguntou já ao meu lado.

-Olhando as estrelas. Como minha infância não tinha aparelhos eletrônicos como hoje em dia, meu passatempo favorito era observar as estrelas junto com meu avô. -Sorri lembrando de meu avô. -Droga! Eu sinto muita falta daquele velho.

-Você falou com sua avó depois do funeral? 

-Sim. Ela está arrasada mas sobrevivendo, assim como eu. -Suspirei cansada. Klaus puxou meu queixo, fazendo eu olhar para ele.

Ficamos em silêncio por alguns segundos enquanto eu via seu rosto se aproximar mais e mais. Seus lábios se encostaram nos meus lentamente. A iniciativa de mover as bocas partiu de mim,ataquei os lábios de Klaus de forma selvagem. Ele me correspondeu com um fervor indecente. Sua língua invadiu minha boca sem demora, arfei imediatamente enquanto nossas línguas se chocavam de forma sincronizada. As mãos de Klaus voaram para minha cintura, me ajeitando em seu colo. Finalizamos o beijo com três selinhos, mas logo nossas bocas já estavam juntas novamente. Meu estômago revirava de prazer, o incômodo em meio as minhas pernas aumentava a cada segundo enquanto Klaus apertava minha bunda sem nenhum pudor. Soltei um gemido involuntário, fazendo ele arfar. Seu membro começou à dar sinal de vida, sua ereção recém formada, pressionava minha intimidade coberta, me levando à loucura. Meu corpo estava em chamas, senti minha blusa sendo tirada, aquilo me trouxe bruscamente a realidade de onde estávamos e apoiei as mãos em seu peito dando um pouco de distância entre nós.

-Klaus, aqui não. -Digo com a voz falhada pela falta de ar. 

Naquela altura minha sanidade tinha ido por água abaixo. Ele concordou e me pegou no colo, fazendo eu entrelaçar minhas pernas em sua cintura. Klaus nos levou até nosso quarto e trancou a porta, me colocando sobre a cama logo em seguida.

Ele pegou a bainha da minha blusa, terminando de retirá-la. Depois me deu um beijo voraz e atordoante que me deixou quase zonza quando ele finalmente separou seus lábios dos meus. Klaus começou a descer os beijos por meu pescoço, e quando chegou aos meus seios, ele deu mordidas e lambidas em cada mamilo. Minhas costas arquearam e puxei seus cabelos com  força, fazendo-o arfar. Klaus desabotuou meus shorts, os retirando e jogando em qualquer canto do quarto, seguido por minha calcinha. Ele me encarou por alguns segundos e beijou minha barriga até chegar as minhas pernas, seguidamente as afastou. Suas pupilas estavam dilatadas e seus olhos famintos. A visão de seu rosto no meio de minhas pernas era tão erótico que fechei os olhos e apertei os lençóis com força.

Senti uma mordida no interior de minha coxa que me fez ofegar e abrir os olhos. Sua língua tocou minha carne quente e molhada. Klaus me acariciava lentamente, mais ia aumentando a velocidade na medida que meu orgasmo ia se aproximando.  Fiquei tentada a fechar os olhos, mas ele me olhava tão intensamente que parecia errado desviar. Senti ele penetrar dois dedos em mim, o que foi o suficiente para eu gozar.

-Klaus! 

Repeti seu nome várias vezes e ouvi um gemido rouco soar no fundo de sua garganta. Ele afastou minhas pernas com os joelhos, e com uma estocada ele já estava totalmente dentro de mim. Arqueei as costas, envolvendo minhas pernas em sua cintura. Ele soltou um grunhido e começou a me penetrar tão profundamente, que o barulho de nossos quadris se chocando preenchiam o quarto. Seus lábios buscavam os meus de forma rude e intensa, e sentia uma pressão se formar em meu ventre.

-Klaus...Eu vou gozar,mais fundo...

Ele gemeu alto e enterrou a cabeça em meu pescoço, senti seus dentes em meu ombro e essa pequena pontada de dor foi o ápice. Me apertei contra ele e gozei. Klaus deu mais três estocadas e explodiu dentro de mim. Nossas respirações iam se acumulando aos poucos e o peso de seu corpo quente sobre o meu era tudo que eu precisava.

Minhas pálpebras ficaram pesadas e senti o sono me consumir. Agradeci aos céus por tomar anticoncepcional, acabamos não usando camisinha. Klaus saiu de dentro de mim, me deixando com uma sensação de vazio. Ele se colocou atrás de mim, me abraçando pela cintura. Puxei o edredom e nos cobri.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...