História Opposti e Pari - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Suho, Taemin Lee
Tags Chanbaek
Exibições 63
Palavras 4.456
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Lembrando que não vale xingar a autora, bjs

Capítulo 10 - Capitolo Nove


Fanfic / Fanfiction Opposti e Pari - Capítulo 10 - Capitolo Nove

-Mas o que foi que aconteceu aqui? – resmunga ChanYeol com o cenho franzido ao estar sozinho com Taemin.

-Como assim? – pergunta Taemin o olhando.

-KyungSoo me chamando de dumbo nerd, BaekHyun me defendendo, o que eu não vejo muito sentido alias, Kibum te apelidando... – responde ChanYeol mantendo o cenho franzido ainda em confusão.

-Sério que você não vê sentido no Baek ter te defendido? – Taemin olha para ChanYeol com uma sobrancelha arqueada.

-De tudo o que eu falei você só prestou atenção nisso?

-Pelo amor de Deus, ChanYeol, como você pode ser tão inteligente para umas coisas mas tão burro para outras? – diz Taemin revirando os olhos – Eu vou para a sala do conselho que eu ganho mais

Antes que ChanYeol pudesse falar algo, Taemin já havia saído para a sala do conselho, o maior observou confuso o primo se afastar até sumir do seu campo de visão.

-E essa agora... – resmungou ChanYeol indo para o quarto.

 

 

Os dias se passaram tranquilamente, Kibum e Minho por estarem um ano a frente ficaram na turma do último ano, a mãe de Kibum na segunda-feira havia ligado para o diretor para avisar que estava assumindo as mensalidades de Jongin e BaekHyun, então o homem não se surpreendeu quando o pai dos meninos ligou duas horas mais tarde alegando que não pagaria mais a mensalidade e que o diretor poderia expulsa-los se quisesse, claro que o homem não faria isso, além da tia dos dois ter assumido a responsabilidade sobre as mensalidades, eles ainda eram ótimos alunos, tinha para si que, caso a tia deles não houvesse se prontificado a pagar as mensalidades, iria ele mesmo oferecer uma bolsa aos meninos.

Ficara combinado que a mulher iria na semana seguinte oficializar e deixar tudo em ordem na matricula dos meninos para que não houvesse nenhum problema para eles.

Naquela semana o senhor Park também havia ligado dizendo que não pagaria mais a mensalidade do filho, o diretor ficou preocupado com a situação, uma vez que ChanYeol era o melhor aluno da escola e ainda mais por não ser o primeiro aluno com quem isto ocorria. Se perguntou se aconteceria com outro aluno também. Taemin o garantiu que o primo ficaria bem e que a mensalidade seria paga, provavelmente ainda naquela semana seus pais ligariam para falar sobre o assunto, o diretor apenas concordou deixando claro que se ChanYeol precisasse, ele teria uma bolsa para ele.

 

Era quinta-feira e as aulas haviam terminado há pouco tempo, BaekHyun encontrava-se no momento fugindo de TaeYeon ou como Kibum a chamava, ChataYeon. Kibum não entendia como a menina podia ser tão insistente quando o mais novo já havia deixado bem clara a sua preferência por homens, Jongin dizia que aquilo era apenas fogo, que assim que ela conhecesse alguém mais bonito que BaekHyun ela o deixaria de lado, Kibum apenas riu.

-Baek...

BaekHyun quis chorar quando ouviu um colega de turma o chamar no final do corredor, estava conseguindo despistar TaeYeon quando o colega o chamou a fazendo olhar em sua direção.

-Finalmente eu te achei – disse o menino indo até BaekHyun.

-O-oi... – disse BaekHyun querendo correr dali, TaeYeon já o havia visto, era questão de tempo até ela se grudar em si.

-Será que nós podemos conversar? D-digo, em particular... – pediu o garoto parecendo estranhamente nervoso.

-Claro – respondeu BaekHyun rapidamente o puxando para longe dali.

-Vamos até o terraço – disse o garoto assim que notou que estavam próximos ao local.

-Ok – BaekHyun respondeu parando de arrastar o garoto – Sobre o que quer falar? – perguntou direcionando o olhar ao garoto.

-Ah – o tom rosado se fez presente nas bochechas do menino e o mesmo desviou o olhar fazendo BaekHyun franzir o cenho – Quando chegarmos lá eu falo – murmurou olhando para o chão.

BaekHyun apenas murmurou um rápido “ok” e continuou a seguir o garoto até o terraço, a medida que iam chegando ao local o garoto parecia ficar cada vez mais nervoso e isso não passou despercebido pelo moreno.

-Pronto, chegamos – disse BaekHyun ansioso assim que colocou o pé no terraço sem nem mesmo se preocupar se haveria mais alguém ali.

-Então – o garoto respirou fundo tomando coragem – Eu gosto de você BaekHyun, gosto tanto que chega a doer... Espera – disse o garoto ao ver que BaekHyun iria falar – Eu sei que você não retribui meus sentimentos, todos aqui na escola sabem que você já é apaixonado por outra pessoa, Deus, nunca senti inveja tanta inveja de alguém como sinto dele, sei bem que não pode retribuir meus sentimentos pois seu coração já pertence a alguém, mas eu já não aguentava mais guardar isso para mim.

-E-eu... Eu... Me desculpe –disse BaekHyun abaixando a cabeça sem saber o que fazer ou dizer.

-Não se desculpe, não mandamos em nossos corações, tenho certeza que você não escolheu se apaixonar por ele – disse o garoto com um sorriso fraco.

-Não escolhi, mas acho que se pudesse escolher, ele seria a minha escolha – retruca BaekHyun com um sorriso triste.

-Você o ama não é mesmo? – perguntou o garoto.

-Não sei por que nem como aconteceu, mas sim, eu o amo – responde BaekHyun sentindo o peito apertar.

-Então boa sorte, espero que possa ficar com ele – disse o garoto fazendo força para não chorar o que fez BaekHyun querer chorar.

Antes que BaekHyun pudesse dizer algo o menino se retirou do local deixando apenas um Byun sem saber o que fazer para trás.

-Então quer dizer que você é apaixonado por alguém?... – diz ChanYeol assustando BaekHyun.

-O-o que? – BaekHyun se vira assustado para ChanYeol e sente suas bochechas esquentarem.

ChanYeol permanece olhando para BaekHyun tentando imaginar quem seria a pessoa por quem o menor estaria apaixonado, mas ninguém lhe vinha a mente.

“Porque ele sempre tem que aparecer atrás de mim?”.

Pensou o menor pronto para tentar fugir o mais rápido possível.

-Por quem? – pergunta curioso desistindo de tentar adivinhar quem seria.

-Por quem o que? – pergunta BaekHyun se fazendo de desentendido.

-Se não quiser falar tudo bem... – diz ChanYeol tentando conter sua curiosidade.

-É-é que... Bem... Ahm...

-Achei você – diz LuHan entrando na área aberta do terraço fazendo BaekHyun suspirar aliviado.

-O-oi Hannie – diz BaekHyun com um sorriso forçado e LuHan franziu o cenho

-Oi ChanYeol – diz LuHan ao notar o maior ali - Esqueceu que nós temos ensaio senhor Byun BaekHyun? – perguntou voltando sua atenção ao menor.

-Então... É... Pois é, eu esqueci... – BaekHyun sorri fraco e LuHan revira os olhos.

-Até mais ChanYeol – diz LuHan pegando a mão de BaekHyun e o puxando para fora dali.

-Até mais Chan... – antes que BaekHyun pudesse terminar de falar LuHan já o havia tirado do terraço.

-Até... – ChanYeol murmurou ao perceber que novamente estava sozinho.

 

 

-Vai me dizer que clima tenso era aquele entre você e o ChanYeol lá no terraço? – pergunta LuHan ao ver que já estavam longe do local.

-Um menino da minha turma pediu para falar comigo em particular e nós fomos para o terraço, eu estava tão ansioso para saber o que ele queria que nem sequer verifiquei se havia mais alguém além de nós no terraço – reponde BaekHyun e logo solta um suspiro antes de continuar – O menino se declarou para mim, mas ele disse que sabia que eu não retribuía os sentimentos dele porque já sou apaixonado por outra pessoa, graças aos deuses ele não falou o nome do ChanYeol, porque aquela criatura estava lá o tempo todo e ouviu tudo.

-Meu Deus, BaekHyun, eu não sei dizer se você teve sorte ou azar – diz LuHan olhando preocupado para o amigo.

-O pior foi que ele perguntou quem era, mas você chegou antes que eu tivesse que responder – disse BaekHyun soltando um suspiro aliviado.

-Bem, quanto a isso, eu tenho uma boa e uma má noticia para você – disse LuHan colocando as mãos nos bolsos.

-E quais seriam? – pergunta o menor o olhando confuso.

-A má é que agora ele esta curioso quanto a isso e provavelmente vai querer descobrir quem é – disse LuHan e BaekHyun suspira – E a boa é que ele provavelmente não vai te perguntar novamente, já que ele perguntou uma vez e você não respondeu, não acho que ele vá ficar te pressionando com essa pergunta.

-Não, o Chan é gentil demais para isso – um suspiro desanimado escapou pelos lábios do Byun – Ele não vai ficar me pressionando, mas ele é tão curioso quanto o Taemin, só é mais discreto, enquanto o Taemin pergunta tudo na maior cara dura e não esconde a curiosidade dele, o Chan pergunta só quando esta muito curioso, caso contrario ele deixa que a pessoa conte quando se sentir confortável.

-É sério, que Taemin é esse que você e o Kibum hyung falam? Porque ele definitivamente não parece ser o nosso Taemin do conselho estudantil – diz LuHan com o cenho franzido.

-Eu já disse, ele só é sério daquele jeito aqui, quando nós estávamos fora do internato ele era uma pessoa totalmente diferente – retrucou BaekHyun revirando os olhos.

 

 

-Entra – disse Taemin ao ouvir alguém bater na porta.

-Com licença, aqui é a sala do conselho estudantil? – perguntou uma mulher ao entrar na sala.

-É sim, precisa de algo? – responde Taemin analisando a mulher discretamente.

“Bonita, não muito discreta, mas bonita”.

Pensou parando seu olhar no rosto de traços delicados estranhamente familiares.

-Eu sou Kim Shin Hye – se apresentou a mulher com uma leve reverencia – Eu preciso falar com o diretor, mas não acho a diretoria, um aluno me disse para vir aqui que o presidente poderia me levar até lá.

-Oh, entendo – disse Taemin se levantando – Eu sou Lee Taemin, presidente do conselho – o mais novo se apresentou retribuindo a reverencia.

-Então você pode me...

-Babymin, já termin... – diz Kibum entrando na sala sem nem ao menos bater na porta – Omma? O que faz aqui? – pergunta confuso ao ver Shin Hye ali.

-Querido, que bom te ver – diz Shin Hye abraçando o filho – Eu vim resolver as pendencias dos seus primos – responde a mulher soltando o filho e o olhando de cima a baixo – Olhe só para você, esta tão bonito.

-Omma, nos vimos domingo de noite... – diz Kibum rindo com o jeito de sua mãe – Mas omma, você não ia vim só na semana que vem?

-Ah, quanto a isso, eu quis vim antes – responde ela dando de ombros.

“Agora sabemos a quem o hyung puxou”.

Pensa Taemin observando os dois.

-Enfim, eu preciso ir ver o diretor – disse Shin Hye voltando sua atenção a Taemin – Pode me levar até ele?

-Claro – responde sorrindo levemente.

-Ah, Tae, eu já terminei minha inscrição pro clube de musica mas a ChataYeon disse que não vai aceitar – disse Kibum emburrado.

-Ela não pode fazer isso hyung, ela é a líder do clube, mas não quem determina quem é aceito, para entrar basta se inscrever, me traga a sua ficha de inscrição depois que eu dou um jeito nisso para você – responde Taemin achando graça de como Kibum se emburrava fácil.

-Ok, obrigado Tae – Kibum sorri entregando a ficha para o mais novo – Bem, eu vou indo, até mais Tae, tchau mãe.

-Tchau querido – diz Shin Hye vendo o filho sair da sala.

-Vamos senhora Kim? – perguntou Taemin guardando a ficha de Kibum em uma pasta.

-Vamos sim, mas não precisa ser tão formal, pode me chamar apenas de Shin Hye – disse a mais velha com um sorriso doce.

Taemin retribuiu o sorriso e levou a mais velha para a sala do diretor, se despediu da mesma e voltou para sua sala, assim que entrou na sala viu uma pessoa sentada de costas para si em sua cadeira e franziu o cenho.

-Com licença, quem é você? – perguntou sério após fechar a porta.

-Olá – disse a pessoa se virando para Taemin e o dando uma clara visão de seu rosto – Como vai... Taemin, certo?

-O que faz aqui? – perguntou em tom frio.

-Nossa, quanta hostilidade – sorriu de canto – Eu apenas vim ver o meu pequeno e queria saber se você pode me dizer qual o quarto dele.

-Não, eu não posso te dizer qual o quarto dele, vá embora – respondeu Taemin seco.

-Não pode ou não quer?

-Não quero e não vou, é bom você ficar longe dele, JongHyun – o maxilar de Taemin estava travado e ele se segurava para não fazer nenhuma besteira.

-Pois saiba meu caro Taemin, que eu vou ver o meu pequeno sim, independente de você me dizer o quarto dele ou não – disse JongHyun se levantando e indo até Taemin – E não pense que eu não sei que o pai dele quis casar o Jongin com o ChanYeol e ainda por cima tentou passar a bola para o meu Baekkie – continuou e parou em frente ao presidente – Eu sei muito bem o que aconteceu no domingo, e sei também que o meu pequeno dormiu na mesma cama que o seu primo, então é bom que me diga onde o BaekHyun esta, porque não eu não gostei nada do seu priminho ter levado o meu pequeno embora da festa do meu pai e muito menos dele perto do meu BaekHyun, e se não quiser que o seu primo se de mal, é melhor me obedecer – concluiu fazendo Taemin engolir em seco.

-Ele não tem obrigação de te dizer nada e nem vai te dizer nada, a ideia do BaekHyun dormir com o ChanYeol foi minha – disse Jongin na porta da sala com os braços cruzados e expressão séria.

-Oh... Chegou o herói – disse JongHyun com um sorriso debochado – Veio defender seu namoradinho? Francamente, pensei que tivesse bom gosto Jongin.

-Olha como fala JongHyun, você não é bom o suficiente nem mesmo para falar com o Taemin, quem dirá para falar algo dele – disse Jongin indo até os dois e parando ao lado de Taemin – E escute bem o aviso que eu vou te dar, se algo acontecer ao Taemin ou até mesmo ao ChanYeol, é bom você se preparar, porque aquela surra que eu te dei vai parecer cócegas perto do que eu vou fazer, esta me entendendo?

-Uau, quem diria, o grande Jongin que sempre fez o maior sucesso entre as garotas, esta de quatro por um garoto insignificante, e pensar qu... – antes que JongHyun pudesse terminar de falar seu rosto fora acertado por um soco vindo de Jongin.

-Nunca mais ouse falar assim do Taemin – disse Jongin com raiva.

-Kai, calma – pediu Taemin segurando seu braço.

-Mas o que? Será que eu não posso desgrudar os olhos de você por um instante que isso acontece? – pergunta BaekHyun entrando na sala.

-Olha quem chegou... – diz JongHyun fazendo o corpo de BaekHyun estremecer de medo.

-Você não ouse, JongHyun – disse Jongin ainda sendo segurado por Taemin.

-Como esta, pequeno? Espero que o ChanYeol não tenha tocado em você, eu teria que te punir por deixar ele tocar você – disse JongHyun sustentando um sorriso um tanto quanto psicótico.

-Você não vai tocar um dedo no BaekHyun

“Meu Jesus, não vai parar de chegar gente?”

Pensou Taemin ao ver ChanYeol entrar na sala com uma expressão séria.

-Eu não teria tanta certeza, o BaekHyun pertence a mim, eu posso tocar ele a hora que eu quiser – retrucou JongHyun desafiadoramente.

-Tente, tente para você ver o que vai acontecer – o tom de voz de ChanYeol era duro e seu olhar para JongHyun era frio.

-Chan-ChanYeol , você prometeu – disse BaekHyun baixinho puxando a manga do casaco fino que ChanYeol usava.

-Prometi que não iria mais tocar no assunto com você, não falei nada sobre ignorar isso – retrucou ChanYeol ainda olhando para JongHyun.

-Baekkie Baekkie, é bom que eu esteja imaginando coisas e que você e o ChanYeol não estejam tendo nada... – disse JongHyun olhando seriamente para BaekHyun.

-Nós n...

-E se eles tiverem? O que você tem com isso? Nada, você não faz mais parte da vida do meu irmão, ele não te quer mais e se você não for embora agora, pode ter certeza que amanhã você vai acordar na cadeia – disse Jongin olhando friamente para JongHyun.

-Baek? – disse JongHyun direcionando seu olhar ao menor que se encolheu atrás de ChanYeol.

-É melhor você ir embora – disse Taemin sem soltar Jongin.

-BaekHyun, eu vou ter que viajar mas quando eu voltar nós vamos conversar – disse JongHyun ignorando Taemin.

-Correção, quando você voltar você vai permanecer longe do Baek porque se você chegar perto dele novamente, eu te mato JongHyun.

“Meu pai eterno”

Pensou Taemin ao ouvir a voz de Kibum.

-Ora ora se não é Kim Kibum, senti sua falta também – diz JongHyun irônico e voltou seu olhar a BaekHyun – Meu recado esta dado – disse e saiu da sala.

-Deuses... – murmurou BaekHyun caindo de joelhos no chão.

-Hey bebê, não fique assim – disse Kibum correndo para abraçar BaekHyun – Obrigado por defender meu bebê de novo, dumbo – disse olhando para ChanYeol e logo voltou sua atenção ao mais novo que retribuía seu abraço.

-Se ele chegar perto do meu irmão de novo ou tentar qualquer coisa contra o Taemin eu acabo com aquele imbecil – disse Jongin revoltado.

-Calma Jongin, ele já foi embora – disse Taemin olhando Jongin.

-Como foi que ele entrou aqui pra início de conversa? – perguntou ChanYeol sentando em uma cadeira e suspirando.

-Não sei, geralmente não deixam quem não é aluno ou funcionário do internato entrar, os únicos que podem entrar no internato durante a semana são os pais dos alunos, mas eles precisam ligar antes – disse Taemin indo se sentar em sua cadeira.

-Eu... Me desculpe gente, a culpa dele ter vindo foi toda minha – suspirou BaekHyun se levantando de cabeça abaixada.

-Não se culpe meu anjo, você não tem culpa do seu ex namorado ser um psicopata imbecil – disse Kibum fazendo carinho nos fios negros do mais novo e este apenas assentiu sem olha-lo.

-Eu vou para o meu quarto – murmurou BaekHyun e antes que alguém pudesse dizer algo se retirou da sala.

-Sinto que será um longo mês... – disse Jongin após um suspiro.

-Ele não vai esquecer isso tão cedo, e pior, ele vai ficar pensando no que JongHyun falou sobre voltar... – diz Kibum preocupado.

-As coisas vão ficar um pouco complicadas – diz Jongin olhando para Kibum que assente.

-Eu quero saber é de onde o ChanYeol surgiu e o que foi aquilo – se pronuncia Taemin fazendo ChanYeol querer se jogar pela janela.

Todos na sala olharam para o maior que permaneceu em silêncio, a verdade é que nem mesmo ChanYeol sabia porque havia feito aquilo, ele apenas o fez, foi um impulso, impulso esse que ele não se arrependia, mas que ao mesmo tempo o deixava confuso, uma vez que nunca foi de se meter em discussões, tão pouco em brigas, além do mais, BaekHyun tinha Jongin o defendendo, porque se metera então?

-Eu não sei...

Murmurou baixo em uma resposta mais para si mesmo do que para os que tinham seus olhares direcionados a si.

 

 

 

 

Três semanas se passaram e as coisas pareciam mais calmas, a apresentação do final do mês fora um grande sucesso, todos que foram adoraram, o clube de musica recebeu muitos elogios por sua organização, claro que, Taemin fizera questão de dar todos os créditos pelos preparativos e organização a KyungSoo e BaekHyun que eram quem havia de fato deixado tudo em ordem para que não ocorresse nenhum problema. Taemin ouvira muitas reclamações de TaeYeon por sua atitude, no entanto ignorou todas, não permitiria que ela levasse os créditos por algo que não fizera.

O trabalho do grupo esta quase pronto, todos estavam fazendo sua parte e preparando tudo com dedicação, em todas as reuniões novas informações eram acrescentadas e debatidas. Taemin e ChanYeol estavam mais próximos de BaekHyun e Jongin, JongDae sempre que acabava as reuniões corria para o clube de teatro ver SuHo, o que fazia BaekHyun rir e dizer que eram um belo casal.

 

Já era quarta-feira quando BaekHyun e Jongin acordaram com Taemin batendo na porta de seu quarto, o mais velho abriu a porta ainda sonolento, mas seu sono fora embora ao ver a face preocupada de Taemin.

-Taemin o que foi? – perguntou preocupado e o mesmo entrou no quarto.

-Jongin o seu pai e o meu tio estão na sala da direção, o ChanYeol já foi para lá, mas o diretos me disse pra chamar você e o BaekHyun – respondeu apreensivo.

-O que será que ele quer agora? – questionou BaekHyun preocupado.

-Eu não sei Baek, mas pela animação dele e do meu tio, eu duvido que seja algo bom – respondeu Taemin e suspirou.

-Tudo bem, avise que já estamos indo, por favor – disse Jongin já indo até seu guarda roupas.

Taemin apenas assentiu e saiu do quarto, BaekHyun olhou preocupado para o irmão e este retribuiu o olhar.

-Ele... Ele ainda pode fazer alguma coisa? – perguntou o menor receoso.

-Eu não sei Baek, podemos esperar qualquer coisa vindo dele – respondeu Jongin indo até o irmão e o abraçando.

-Eu estou com medo hyung – BaekHyun murmurou baixinho apertando Jongin.

-Shhh, calma, vai ficar tudo bem – queria Jongin que suas palavras fossem verdade.

-Melhor nos apressarmos – o menor disse baixo se afastando do irmão.

Jongin apenas assentiu e os dois se arrumaram em silêncio, depois de prontos ambos se dirigiram a sala da diretoria, BaekHyun foi o tempo todo calado enquanto brincava com a pulseira que sua mãe havia lhe dado. Ao chegarem a diretoria Jongin bateu na porta e após poucos segundos um abafado “entre” foi ouvido e os dois entraram.

O diretor não se encontrava na sala, em seu lugar estavam os senhores Byun e Park com sorrisos presunçosos e vitoriosos que fizeram com que BaekHyun quisesse chorar, Jongin sentiu um mal pressentimento e quis tirar o irmão dali o mais rápido possível, mas ao olhar para ChanYeol e o ver com uma expressão que ele não soube dizer se era de preocupação ou indignação, optou por ver o que os mais velhos queriam.

Ah, antes tivesse pegado o irmão pela mão e saído dali as pressas, teria sido menos terrível para BaekHyun.

-Bom dia – disse o senhor Byun com um grande sorriso.

-O que você quer? – perguntou BaekHyun seco, queria ir embora dali o quanto antes.

-Eu e o seu pai temos ótimas noticias BaekHyun – disse o senhor Park fazendo BaekHyun arquear uma sobrancelha.

-Você e ChanYeol vão se casar, olha que maravilha – disse o senhor Byun com um sorriso satisfeito.

-Já disse que não vou me casar – disse BaekHyun perdendo a paciência e o senhor Byun riu.

-Bem, BaekHyun, há algo que talvez você tenha esquecido – disse o senhor Byun com um sorriso presunçoso – Você ainda é meu filho e eu ainda tenho a sua guarda legalmente, ou seja, eu posso fazer o que eu quiser com você – concluiu ele com frieza.

-Você não pode me obrigar a casar com o ChanYeol – BaekHyun disse serrando os punhos.

-Bem, poder eu posso, mas, pra você não dizer que eu sou um pai ruim, eu vou deixar você escolher – disse o homem olhando para BaekHyun como se já soubesse a resposta.

E ele sabia.

-Como assim? – pergunta Jongin desconfiado.

-Simples, meu caro filho renegado – disse o senhor Byun fazendo Jongin revirar os olhos – BaekHyun você escolhe, ou você se casa com Park ChanYeol ou se casa com Kim JongHyun – o homem disse olhando diretamente para BaekHyun.

-O-o que? – murmurou o Byun dando um passo para trás, seu pai não podia estar brincando com sua vida daquela forma, podia?

-Isso mesmo que você ouviu – disse o senhor Park.

-Você é um monstro, uma canalha filho de uma puta – gritou Jongin olhando para seu pai com ódio.

-Monstro, canalha, filho da puta, me chame do que quiser, isso não vai mudar a realidade Jongin, ou seu irmão casa com ChanYeol ou ele casa com JongHyun – disse o mais velho olhando friamente para Jongin.

E então Jongin entendeu, entendeu porque ChanYeol estava com aquela expressão quando entraram, entendeu porque o maior em nenhum momento os olhara ou falara algo, ele á havia sido notificado da escolha que BaekHyun teria que fazer e isso o preocupou.

JongHyun iria acabar com a vida de BaekHyun se o menor ficasse com ele, mas ChanYeol não, o maior cuidaria de seu irmão e poderia até mesmo faze-lo feliz, mas, diferente de BaekHyun, ChanYeol poderia continuar se negando a se casar com o menor, poderia continuar indo contra aquela loucura, mas isso significaria que BaekHyun teria que ficar com JongHyun, e isso seria o pior inferno para o menor.

De repente Jongin viu-se desesperado e com medo da resposta de ChanYeol.

-E-eu... – BaekHyun queria tanto se casar com ChanYeol, mas não por aquele motivo, não porque ele era sua única salvação ou por negócios, e sim que amava o maior e porque ele retribuía seus sentimentos. Não queria passar a ter uma vida ao lado do maior sendo o único a amar.

-Nós vamos nos casar – se pronunciou ChanYeol que até o momento não pronunciara nenhuma palavra.

-Oh... Tem certeza – disse o senhor Park.

-Cale a boca seu resto de lixo – disse ChanYeol olhando para seu pai com nojo e direcionou seu olhar para o senhor Byun – Eu vou me casar com o seu filho, mas eu quero que consiga uma forma de manter o JongHyun bem longe do BaekHyun, entendeu? – disse firme.

-Como quiser – disse o senhor Byun com um sorriso vitorioso.

BaekHyun olhou para ChanYeol em um misto de sentimentos que nem mesmo ele sabia definir, mas o que predominava era o medo, medo que ChanYeol se tornasse distante, medo que as coisas mudassem entre si e o maior, medo que aquilo tudo fosse apenas um ato de misericórdia. O Byun mais novo sentiu seus olhos marejarem e saiu correndo da sala sem sequer olhar para trás, estava apavorado, decepcionado, quebrado, completamente destruído.

-Espero que estejam satisfeitos agora – disse ChanYeol olhando para os mais velhos com nojo e se retirou da sala.

Jongin permaneceu ainda alguns segundos calado, analisando seu pai, um suspiro escapou pelos lábios do moreno e seu olhar antes de raiva se tornou um olhar de pena.

-Sabe, pai, desde que a mamãe morreu, eu só consegui sentir raiva de você, raiva do que você se tornou, mas olhando para você agora, você não passa de um homem patético que perdeu a única coisa realmente importante na vida e agora apenas vive para fazer da vida dos outros um inferno, você se tornou um homem totalmente vazio e desprezível, você é definitivamente digno de pena – disse Jongin frio e rio nasalado – E sabe qual a melhor parte disso tudo? É saber que se a mamãe te visse hoje, ela teria nojo de você, ela jamais amaria alguém como você, você é uma vergonha para ela e para a memória dela – Jongin cuspiu as palavras sem remorso algum e saiu da sala deixando seu pai vermelho de ódio para trás.


Notas Finais


Não me odeiem, por favor, eu juro que daqui pra frente as coisas melhoram... Ou não...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...