História Opposti e Pari - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Suho, Taemin Lee
Tags Chanbaek
Exibições 76
Palavras 4.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Antes de me matarem, eu só queria lembrar que eu amo muito o Baek e que ChanBaek é OTP

Capítulo 11 - Capitolo Dieci


Fanfic / Fanfiction Opposti e Pari - Capítulo 11 - Capitolo Dieci

Assim que saiu da sala da diretoria ChanYeol foi a procura de Taemin, precisa conversar com alguém, se sentia sufocado e completamente perdido, e, por mais maluco que o primo fosse, ele sempre o ouvira e o confortara.

Após procurar por quase todo internato achou o primo no corredor que levava a biblioteca, Taemin trazia consigo um livro de psicologia, ChanYeol franziu o cenho mas não questionou, estava ansioso demais para desabafar com o mais velho e tentar se livrar pelo menos um pouco do peso que sentia estar carregando.

-Vem, vamos para o quarto – disse Taemin antes que o maior pudesse falar qualquer coisa.

Como MinHo o estava ajudando com as coisas do conselho, pediu para o mais velho tomar conta do lugar pelo restante do dia, sabia que o primo precisaria de si.

O caminho até o quarto fora silencioso, nenhum dos dois fazia um barulho sequer, ChanYeol olhava para o chão tentando entender como as coisas foram chegar aquele ponto, Taemin olhava preocupado para o primo vez ou outra, mas este sequer percebia.

-Pode falar... – disse Taemin assim que entraram no quarto e fechou a porta.

ChanYeol se jogou em sua cama e suspirou uma, duas, três vezes, fechou os olhos suspirou novamente  e tornou a abri-los focando seu olhar no mais velho.

-Vou me casar com o BaekHyun – as palavras simplesmente deslizaram para fora de sua boca com uma naturalidade que até mesmo ele estranhara.

-Como assim? Achei que esse problema já estivesse resolvido – disse Taemin confuso.

-Eu também – murmurou ChanYeol vendo o primo ir sentar em sua cama – Acontece que o pai do BaekHyun usou o fato de ele ainda ser menor de idade para encurralar ele, ou ele casava com o JongHyun ou ele casa comigo – completou desviando seu olhar para um canto qualquer – Eu posso não ser apaixonado pelo Byun, mas jamais teria coragem de deixar ele se casar com o JongHyun apenas para me safar.

-Então você aceitou se casar com o BaekHyun – disse Taemin tentando entender tudo.

-Sim – ChanYeol suspirou – Confesso que quando meu pai me disse as escolhas que seriam dadas a ele, eu fiquei preocupado, mas quando eu vi o olhar de desespero dele ao saber as alternativas, céus, eu não consegui evitar e assumi o compromisso. Taemin você não tem noção do pânico que ficou estampado no olhar dele.

-Bem, se você parar para pensar, não é tão ruim assim, quero dizer, é horrível que vocês tenham que se casar assim, mas, bom, vocês se dão bem e se entendem, então pelo menos a vida de vocês não vai ser um completo inferno, muito menos infeliz – disse Taemin olhando para o primo com olhar calmo – E outra, pode ser que você se apaixone por ele, afinal, o Baek é muito interessante, é gentil, carinhoso, compreensivo... – ChanYeol olhou para o primo com o cenho franzido.

-Céus Taemin, do que adiantaria eu me apaixonar por ele e ele não retribuir? Não quero ficar sofrendo em um amor platônico, obrigado – disse ChanYeol com o cenho franzido.

-Ué, ele pode muito bem se apaixonar por você também – disse Taemin, ele já sabia que o Byun era apaixonado por seu primo, mas também sabia que ChanYeol nem sonhava com isso.

-Ah claro, com certeza Taemin, com o tanto de cara afim dele, louco pra namorar com ele, ele vai se apaixonar logo pelo nerd que passa mais tempo na biblioteca que fazendo qualquer outra coisa mais produtiva, como eu não pensei nisso, é tão óbvio – disse ChanYeol irônico.

-Oush, por que ficou tão nervoso, ChanYeol? – perguntou Taemin com um sorriso travesso brincando em seus lábios – Não me diga que você tem uma quedinha pelo Byun – brincou vendo o primo arregalar os olhos.

-Claro eu não, idiota – resmungou jogando sua almofada do Luffy no mais velho e se jogando em sua cama.

A verdade era que Taemin estava certo, mas ChanYeol não queria admitir para si mesmo e muito menos para o primo. Depois de todo o tempo que passara ao lado do menor, vendo que ele era completamente oposto ao que imaginava, o maior desenvolveu um certo interesse a mais por BaekHyun, interesse esse que ChanYeol se recusava a aceitar.

-Eu sabia que cedo ou tarde você cairia nos encantos do Byun – disse Taemin sorrindo, estava feliz com aquela possibilidade, aquilo significava que o primo ainda poderia ser feliz.

-Não enche Taemin, eu não to afim do BaekHyun – bufou o maior.

-Vamos ChanYeol, o Baek é uma pessoa encantadora, e outra, se você se apaixonasse por ele e o conquistasse, vocês dois iriam ser muito felizes

-Da pra parar Taemin? Que coisa, eu já disse que isso é coisa da sua cabeça, e outra, ele jamais se apaixonaria por mim

-Eu não teria tanta certeza quanto a ele não se apaixonar por você – disse Taemin se levantando e indo até a porta – Lembre-se ChanYeol, o BaekHyun sempre vai te surpreender e te mostrar que você esta errado – concluiu vendo o primo franzir o cenho e saiu do quarto.

 

BaekHyun já não aguentava mais correr, se viu longe da sala do diretor e se permitiu parar de caminhar, sorriu triste ao ver que estava parado em frente a sala de musica, fora ali que ChanYeol o elogiara pela primeira vez no primeiro dia em que conversaram. O Byun quis chorar, tudo que fazia ou pensava o levava ao maior e isso já estava começando a sufoca-lo.

Amava o Park, disso não tinha duvidas, de inicio até tentara esconder o sentimento de si próprio alegando ser apenas interesse pela beleza do rapaz, mas quanto mais o observava, mais claro ficava para si que ChanYeol era uma pessoa apaixonante e isso trazia a si um medo enorme, afinal, mesmo que o maior não fosse muito comunicativo, bastava apenas você observa-lo e pronto, cairia em seus encantos, BaekHyun sabia disso melhor do que ninguém, se sentia mal por em seu interior desejar que mais ninguém olhasse para o Park como ele.

Um suspiro passou pelos lábios finos do moreno e em passos lentos entrou na sala, se dirigiu ao piano e sentou em frente ao mesmo.

-Por que ele não pode simplesmente notar como eu me sinto? – murmurou para si mesmo dedilhando algumas notas no piano.

BaekHyun queria muito poder declarar seus sentimentos ao Park, mas o medo da rejeição era grande demais, queria sua mãe consigo naquele momento, ela sempre o encorajava e estava a sua espera de braços abertos caso algo desse errado, não que Kibum fosse diferente, mas sua mãe fazia tanta falta para si.

-Ficar tocando I Whish a Miracle não vai adiantar meu bem – disse Kibum em tom doce.

-Hyung – BaekHyun murmurou choroso, nem mesmo havia percebido que estava tocando aquela musica.

Kibum sorriu gentilmente e abriu os braços para o mais novo que não hesitou em correr até ele e o abraçar com força deixando as lágrimas caírem.

-Venha, vamos para o meu quarto – disse o mais velho envolvendo BaekHyun com seus braços e o levando para fora da sala de musica.

Durante o caminho se ouvia apenas o choro baixo de BaekHyun, Kibum estava preocupado, o mais novo nunca fora de chorar na frente de outras pessoas, mas ali estava ele, chorando na frente de Kibum e de quem quer que passasse por si nos corredores.

Ao entrar no quarto Kibum se deparou com o namorado sentado na cama enquanto fazia um trabalho, trabalho este que não tardou deixar de lado e ir abraçar o mais novo.

-O que aconteceu? – perguntou preocupado e Kibum negou com a cabeça em sinal que não sabia – O que aconteceu bebê, conta pro appa – disse a BaekHyun fazendo carinho em seu cabelo.

-Eu e ChanYeol vamos nos casar – respondeu apertando a blusa de MinHo.

-Mas isso já não tinha sido resolvido? – perguntou Kibum tratando de abraçar o primo também.

-Meu pai achou uma saída para me obrigar a isso – respondeu tentando parar de chorar.

-Como? – perguntou Kibum preocupado.

BaekHyun se soltou do abraço que recebia dos mais velhos e foi se sentar na cama, suspirou e secou suas lágrimas.

-Ele me escolher, ou me caso com ChanYeol ou com JongHyun – respondeu sem olhar para os mais velhos – Antes que eu pudesse responder o ChanYeol aceitou o compromisso por mim.

-E você não queria ficar com o ChanYeol assim, certo? – disse MinHo sentado ao lado de BaekHyun e o vendo negar.

-Você sabe que cedo ou tarde terá que se confessar para ele, não sabe? – perguntou Kibum se abaixando em frente ao mais novo.

-Ele nunca aceitaria meus sentimentos e ele nem mesmo os retribui, hyung – murmurou BaekHyun se segurando para não chorar novamente.

-Meu bem, você nunca vai saber se não tentar e se o problema é ele não retribuir seus sentimentos, o conquiste, faça com que ele passe a te olhar e ver você como você realmente é – disse Kibum com um sorriso doce secando as lagrimas do mais novo que escapavam.

-E se ele não gostar do que ver? – perguntou BaekHyun com medo.

-Então ele não tem bom gosto, porque é impossível não gostar de você – dessa vez quem respondera fora MinHo.

-MinHo esta certo – disse Kibum sorrindo.

BaekHyun sorriu fraco e abraça Kibum e logo após abraça MinHo.

-Obrigado, vou pensar nisso – disse com um sorriso fraco.

-Isso, pense nisso, se precisar de ajuda, estaremos aqui – disse Kibum acariciando a bochecha de BaekHyun.

O Byun sorriu e deu um último abraço nos mais velhos e se retirou do quarto, precisava pensar, Kibum e MinHo estavam certos, ele deveria tentar e sabia muito bem disso, mas esperaria pelo momento certo para se confessar, não teria coragem de faze-lo agora.

 

Jongin estava em uma das salas de ensaio do clube de musica, pediu a Yixing que não deixasse ninguém ir ali, precisava ficar sozinho, o presidente do clube concordou prontamente, conhecia Jongin desde que este entrara para o clube e o maior só fizera este tipo de pedido duas ou três vezes, então sabia que era algo sério.

O moreno suspirou olhando seu reflexo no espelho enquanto a melodia de Baby Don’t Cry começava, fechou os olhos e permitiu que seu corpo se movesse conforme o ritmo da música, há tempos a dança era sua única parceira nesses momentos, era ela quem o permitia relaxar e esvaziar a mente, era ela quem o dava uma saída para fugir dos problemas, mesmo que temporariamente.

Sem que percebesse horas se passaram e já era quase 20:00hrs, seu corpo pedia por um descanso e seu estômago reclamava pela falta de alimento, desligou a musica que tocava e se dirigiu até a saída e desligou as luzes antes de saiu.

Entrou em seu quarto e viu BaekHyun deitado em sua cama dormindo, suspirou se sentindo culpado por não ter ficado ao lado do irmão naquele momento, mas também precisava de um momento para si, pegou uma toalha e se dirigiu ao banheiro a fim de tomar um banho.

Após um demorado banho, Jongin desligou o chuveiro e saiu do banheiro enrolado na toalha, BaekHyun continuava dormindo, o mais velho sorriu fraco e foi até o irmão o cobrindo, já que ele nem se prestara a puxar uma coberta para si e logo esfriaria, deu um beijo na testa do irmão e se afastou indo se vestir, depois de pronto se encaminhou ao refeitório. Jongin estranhou ter todos os olhares direcionados a si quando chegou ao local mas não se importou, estava com fome e queria comer para voltar para voltar para seu quarto logo.

-Oppa – chamou uma menina atraindo a atenção de Jongin.

-Sim? – pergunta ele a olhando.

-É verdade que o BaekHyun oppa vai se casar com o nerd do ChanYeol? – perguntou a menina com desprezo na voz ao falar o nome de ChanYeol.

-Como você sabe disso? – perguntou Jongin arqueando uma sobrancelha.

-Esta em vários sites que os pais de vocês anunciaram o casamento e consequentemente a união das empresas – respondeu ela – Por favor oppa, diz que é mentira e que o BaekHyun oppa não vai casar com aquele nerd insignificante.

-Sim ele vai casar com o ChanYeol – respondeu Jongin a olhando sério – E é bom tomar cuidado em como fala do ChanYeol, ele além de ser seu oppa também é meu cunhado e nem eu e nem o BaekHyun vamos permitir que fale assim dele, entendeu?

-Sim oppa – respondeu a menina abaixando a cabeça e se retirando.

-Aqueles imbecis, como me fazem uma coisa dessas justo quando o JongHyun esta de olho no Baek? – murmurou Jongin irritado pegando sua comida.

O moreno se dirigiu a mesa mais afastada e vazia que encontrou e se sentou para comer, seu dia piorava cada vez mais.

-Pelo jeito você já esta sabendo... – disse Taemin parado em frente a Jongin que o olhou surpreso mas logo se recompôs.

-Sim, qual a necessidade de já anunciar essa porcaria hoje? – murmurou irritado voltando a comer.

-Eles querem que nem o Chan e nem o Baek desistam dessa palhaçada – disse o menor se sentando em frente ao moreno.

-Claro, como se o Baek fosse desistir do ChanYeol pra ficar com o JongHyun – resmungou Jongin irônico.

-Sabe, quando você me disse aquela vez na sala do conselho, que o seu irmão já era apaixonado por alguém, eu realmente não sabia por quem o seu irmão é apaixonado, mas agora eu vejo claramente que ele ama o ChanYeol e só o burro do meu primo não percebe – disse Taemin despreocupadamente fazendo Jongin se engasgar com seu suco.

-C-como? – perguntou Jongin com os olhos arregalados.

-Vamos Jongin, o BaekHyun pode até parecer discreto, mas é só você prestar atenção que fica evidente que ele é apaixonado pelo besta do ChanYeol – respondeu o menor com um sorriso discreto.

-Eu não sei o que é pior, todo mundo saber que disso ou ele pirando por não ter coragem de se confessar – um suspiro escapou pelos lábios fartos do moreno assim que o mesmo terminou de comer.

-Você acha que esse casamento, por pior que seja a situação, pode ser bom para eles? – perguntou Taemin receoso.

-Eu não sei – um novo suspiro e um leve balançar de cabeça acompanhados de um olhar distante – O Baek é muito sentimental, nunca iria querer se casar em uma situação dessas com qualquer pessoa, com o ChanYeol então...

-Espero que eles consigam ser feliz, mesmo com tudo que esta acontecendo – disse Taemin abaixando a cabeça.

-Estou rezando para isso – murmurou Jongin mantendo seu olhar distante.

-Como foi que as coisas chegaram a esse ponto?

-Eu não sei o que aconteceu com seu tio, mas meu pai mudou depois da morte da minha mãe... – respondeu Jongin voltando seu olhar a Taemin.

-Meu tio sempre foi assim – disse Taemin dando de ombros.

Jongin soltou um suspiro que nem mesmo sabia estar prendendo e terminou seu suco, estava exausto, tanto psicológica quanto fisicamente, por mais que quisesse continuar ali com Taemin, seu corpo clamava por descanso.

-Bem, eu vou me deitar, passei o dia todo na sala de ensaio, estou moído – diz Jongin se levantando e Taemin se levanta também.

-Sei disso, Yixing me falou quando fui te procurar pra perguntar do Baek, mas ele disse que você pediu pra ele não deixar ninguém ir até a sala porque você queria ficar sozinho, então optei por procurar pelo Baek – disse Taemin um tanto sem graça acompanhando Jongin.

Naquele momento Jongin se sentiu culpado novamente, havia sido egoísta em sumir o dia todo e ainda pedir para Yixing não deixar ninguém ir falar consigo, mas também sabia que seu ato egoísta não havia sido cem por cento errado, seria bem pior se descontasse sua frustração e raiva em alguém que em nada tinha a ver com o assunto.

-Me desculpe por isso, estava com a cabeça cheia, precisava pensar... – disse em tom baixo sem coragem de olhar para Taemin.

-Esta tudo bem Jongin, essa situação tem sido estressante para todos nós, cedo ou tarde você precisaria de um tempo para si, assim como o ChanYeol vai precisar de um tempo para ele e como o BaekHyun também vai precisar de um tempo para ele, todos precisamos de um tirar um momento para esvaziar nossas mentes para começar a pensar com calma e tentar achar um lado bom em tudo isso – disse Taemin calmamente fazendo Jongin o olhar admirado.

Como Taemin conseguia o fazer se apaixonar cada vez mas por si sem nem mesmo perceber? Jongin realmente queria poder entender o efeito que o Lee tinha sobre si, mas era simplesmente impossível, quando pensava que estava entendendo, lá vinha Taemin e deixava tudo de pernas pro ar em sua mente.

-Espero que eles possam achar o lado bom logo – disse Jongin vendo que já estava próximo de seu quarto – Bem, boa noite Taemin – disse com um pequeno sorriso que foi retribuído e entrou em seu quarto.

 

Taemin foi para seu quarto e abriu um pequeno sorriso ao ver ChanYeol deitado olhando para o teto.

-Ficou no quarto o dia todo? – perguntou fechando a porta.

-Não, fui a enfermaria pedir um atestado pra faltar hoje – respondeu sem desviar o olhar do teto.

-Entendi... – murmurou Taemin pegando seu pijama.

-Eu vi o BaekHyun chorando – disse baixo direcionando seu olhar a Taemin – Não acho que ele tenha me visto, ele estava abraçado no Kibum hyung...

-E você ficou preocupado... – diz Taemin incerto vendo o primo assentir.

-Ele parecia estar realmente mal – diz ChanYeol após soltar um suspiro.

-Eu conversei com o Jongin agora pouco, ele me falou que o Baek é realmente sensível e que nunca iria querer se casar com alguém em uma situação dessas – disse Taemin olhando calmamente para o primo – A verdade ChanYeol, é que ele é totalmente diferente de tudo o que você pensou que ele fosse e sim, ele é quem esta saindo mais machucado nessa historia, o pai dele não era assim Chan, ele mudou depois de perder a esposa, ou seja, o BaekHyun sofre em dobro por isso.

-Eu sei e me sinto muito mal por isso, porque por mais que eu não queria pensar no quão ruim vai ser me casar sem amor e com uma pessoa que eu mal conheço, mesmo essa pessoa sendo ele, eu não consigo evitar e me sinto um grande egoísta por isso – disse ChanYeol voltando a olhar para o teto.

-ChanYeol – Taemin suspirou – É normal que você se sinta assim, e você tem esse direito, mas não se esqueça, assim como você, o Baek não tem culpa, então não mude com ele, ele vai ficar ainda pior se isso acontecer, apenas... Apenas de uma chance a ele e a você de se tornarem mais próximos, ok? Vai ser melhor para os dois se vocês ficarem mais próximos – disse Taemin calmamente.

-Tudo bem hyung – ChanYeol disse desviando do olhar de Taemin, sabia que o mais velho estava certo.

Sem responder, Taemin se levantou e seguiu para o banheiro a fim de tomar um banho antes de dormir, ChanYeol se virou para o lado da parede e ficou pensando no que o primo o dissera.

“Amanhã eu converso com o Byun, o Tae ta certo, a gente precisa se aproximar mais”.

ChanYeol nem mesmo percebeu quando o sono chegou, apenas adormeceu decidido a conversar com BaekHyun e tentar deixar as coisas um pouco melhores.

Taemin saiu do banho e assim que voltou para o quarto viu o primo dormindo, sorriu fraco e vestiu seu pijama logo seguindo o exemplo do mais alto e indo dormir.

 

O dia amanheceu claro, BaekHyun acordou com a luz incomodando seus olhos de forma irritante, normalmente o Byun não acordaria com tanta facilidade, uma vez que seu sono era realmente pesado, mas como havia ido dormir bem mais cedo que o de costume, seu corpo encontrava-se totalmente descansado e pronto para começar a gastar energia, o que era totalmente o contrario de sua mente que o dizia que ficar na cara seria o mais sensato e seguro.

Desistindo de ficar rolando de um lado para o outro na fala tentativa de voltar a dormir, o moreno sentou em sua cama e olhou para o irmão que dormia tranquilamente na cama ao lado, suspirou e se levantou seguindo para o banheiro, seria melhor tomar um bom banho e se arrumar logo, algo lhe dizia que seu dia não seria fácil e que o melhor era voltar para a cama e fingir de morto, mas infelizmente não podia fazer isso.

Após um demorado banho repleto de pensamentos autodestrutivos  e totalmente depressivos, BaekHyun fez sua higiene e voltou ao quarto para poder se arrumar.

-Eu sinto tanto a sua falta... – murmurou olhando para sua pulseira enquanto tocava a pequena e discreta estrela que era seu pingente.

Em passos lentos BaekHyun foi até a janela observando o céu azul e limpo de nuvens, perguntou-se quando que sua vida passou a parecer o roteiro de um dos filmes de Quentin Tarantino. Um suspiro baixo passou pelos lábios finos e roseos, antes que começasse a pensar em mais coisas inúteis, resolveu que era hora de se arrumar e assim o fez.

Secou os cabelos com cuidado, vestiu o uniforme e colocou um tênis qualquer, Jongin ainda dormia tranquilamente, abriu um pequeno sorriso olhando para o irmão e decidiu que o deixaria descansar, o conhecia bem e sabia que o mais velho precisava de descanso.

Saiu do quarto em passos calmos seguindo para o refeitório, seu corpo fazia o caminho automaticamente uma vez que sua mente estava em outro lugar, ou melhor, em outro alguém, BaekHyun tentava imaginar como seriam as coisas com ChanYeol dali para a frente, mas nada lhe vinha a mente. O baixinho temia que as coisas entre si e o mais alto mudassem de forma que não fossem capazes nem mesmo de ser amigos e isso seria o fim para si.

Ao chegar no refeitório, o moreno notou que o local estava praticamente vazio, haviam apenas algumas poucas pessoas por ali, pessoas estas que não demoraram a virar a atenção para si, um pouco desconfortável pelos olhares que recebia seguiu para o interior do refeitório afim de tomar seu café da manhã, pegou algo leve para comer e sentou-se em uma mesa mais afastada, não queria ninguém em torno de si, queria apenas ficar sozinho.

Começou a comer seu café da manhã tranquilamente até que um burburinho foi iniciado chamando sua atenção, ergueu o olhar de sua comida e viu ChanYeol indo em sua direção, por um momento BaekHyun viu-se desesperado, não era comum esse tipo de atitude do maior, e se ele estivesse com raiva de si pelo o que seus pais fizeram? Não, ChanYeol sabia que ele não tinha culpa, não sabia?

-Bom dia BaekHyun – disse o maior se sentando em frente ao moreno que apenas sorriu levemente por estar de boca cheia.

-Bom dia – respondeu após engolir o pedaço do sanduiche que mastigava anteriormente.

-Eu gostaria de conversar com você, mas em particular – disse o maior fazendo BaekHyun prender a respiração por um instante – Não é nada grave, eu só... Eu só acho que deveríamos ter essa conversa – adiantou com medo de que BaekHyun pensasse que estava querendo desistir de tudo.

-T-tudo bem... Acho que a biblioteca seria um bom lugar, ninguém vai lá a essa hora – disse baixo evitando olhar para o maior.

ChanYeol suspirou vendo que havia deixado BaekHyun assustado, o que não era sua intenção, queria apenas conversar com o menor, se aproximar mais dele, iriam se casar e o maior quase não o conhecia.

-Vem, vamos aproveitar que ainda não deu o horário de aula – disse ChanYeol com o tom mais gentil que conseguiu.

BaekHyun assentiu e se levantou seguindo o maior, no entanto, o que nem ChanYeol e nem BaekHyun perceberam foi que havia mais alguém ouvindo a conversa dos dois.

O caminho até a biblioteca fora quieto, ChanYeol pensava em como começaria o assunto sem fazer com que BaekHyun quisesse sair correndo, o que achava já estar acontecendo e o menor pensava nas piores possibilidades de assuntos que o maior pudesse querer tratar consigo.

“Quando foi que me tornei tão pessimista?”

Esta pergunta rondou a mente de BaekHyun durante o restante do percurso, assim que chegaram a biblioteca foram sentar-se em uma das mesas que haviam dispostas ali para os alunos estudarem.

-Então... – BaekHyun começou tentando não deixar tão amostra seu martírio interno.

-Olha BaekHyun – ChanYeol suspirou fundo – Antes de mais nada, eu não vou desistir do casamento, pode ficar tranquilo – disse fazendo com que BaekHyun se sentisse relativamente mais calmo – Mas bem, eu a...

Antes que o maior pudesse terminar sua frase, duas mãos bateram com força na mesa fazendo um estrondo alto que assustou os dois.

-Byun BaekHyun, quem você pensa que é? – perguntou uma garota visivelmente mais nova.

-O-oi? – perguntou BaekHyun confuso se encolhendo diante do olhar mortal que recebia.

-Quem você pensa que é para ignorar a existência do ChanYeol oppa por dois anos e de repente decidir se casar com ele? – perguntou ela aumentando o tom de voz.

-D-desculpe, e-eu não e-estou entendendo – disse BaekHyun assustado.

-Não se faça de desentendido, eu sei muito bem que você esta forçando o oppa a se casar com você, francamente, você é só um riquinho mimado nojento como todos os outros dessa escola, eu tenho nojo de você – a garota cuspiu as palavras fazendo ChanYeol arregalar os olhos, de onde ela havia tirado tudo aquilo?

-Acho que você entendeu errado – disse BaekHyun baixo desviando o olhar para suas mãos – Eu não forcei ele a...

-Não venha se fazer de vitima Byun, eu sei muito bem a cobra que você é – disse a garota com repudio – E quer saber, olhe bem o que vai acontecer agora BaekHyun, porque isso vai ser o seu castigo por ser essa pessoa nojenta

Antes que ChanYeol ou BaekHyun pudessem processar a frase, a garota puxou o maior e o beijou fazendo o moreno arregalar os olhos.

BaekHyun sentiu os olhos arderem em um claro sinal de que iria chorar, sem dizer nada se levantou se saiu correndo dali. ChanYeol por sua vez empurrou a garota para longe de si e limpou sua boca a olhando sério.

-Escute bem o que eu vou falar, porque eu só vou dizer uma vez – disse ChanYeol respirando fundo – Eu e o BaekHyun vamos sim nos casar, mas não, ele em momento nenhum me obrigou a isso, muito pelo contrário, eu assumi esse compromisso com ele, por vontade própria, eu quis isso, o BaekHyun em momento algum tentou me obrigar a qualquer coisa que fosse, e outra, nunca mais fale com ele daquele jeito, ele não é nada daquilo que você disse, muito pelo contrário, ele é uma das pessoas mais incríveis que eu conheço, se não a mas incrível, você não sabe nada sobre ele, então não ouse falar com ele como se o conhecesse e saiba que o diretor vai ficar sabendo disso.

-Mas oppa...

Antes que a garota pudesse terminar, o maior saiu dali a procura do Byun, já estava prestes a sair da biblioteca quando ouviu um choro baixo, era o menor, sabia disso, não sabia como, apenas sabia.

Sem perceber já ia em direção ao lugar de onde vinha o choro, sem perceber entrou no corredor onde falou com o menor pela primeira vez, assim que o achou sentiu seu coração apertar.

BaekHyun estava encolhido no chão chorando abraçado ao livro favorito de sua mãe.

-BaekHyun

Foi a única coisa que disse antes de se ajoelhar e abraçar o menor que retribuiu prontamente, ver o pequeno naquele estado lhe doeu mais do que imaginava, suspirou levando uma mão aos fios negros e os afagando enquanto o Byun, mais uma vez, chorava em seus braços. Mas dessa vez, por mais que ChanYeol não soubesse, ele era a causa das lágrimas do menor.

-Me desculpe – disse ChanYeol baixo apertando levemente o abraço.

-Porque esta se desculpando? – “seu grande idiota” foi o que o menor pensara em dizer, mas não queria que  maior se afastasse.

-Não sei, apenas senti que precisava me desculpar – respondeu calmamente fazendo o Byun abrir um pequeno sorriso.


Notas Finais


Postei e sai correndo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...