História Opposti e Pari - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lu Han, Suho, Taemin Lee
Tags Chanbaek
Exibições 108
Palavras 5.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOLÁÁÁÁÁÁÁ
Olha quem voltou :3
Gente, desculpa a demora, eu sumi por motivos de:
Tava estudando pro vestibular e enem
MAS SIM MEUS AMORES, EU VOLTEEEEI, E OLHA QUE MARAVILHA, COM QUATRO CAPÍTULOS DE UMA VEZ, E NO FINAL DISSO TUDO, VOCÊS PROVAVELMENTE VÃO QUERER ME MATAR
Mas bem, chega de conversa
Boa leitura, espero que gostem <3

Capítulo 8 - Capitolo Sette


Fanfic / Fanfiction Opposti e Pari - Capítulo 8 - Capitolo Sette

O caminho até a casa dos Byun’s fora relativamente rápido, como estavam em seis, os meninos optaram por ir em dois carros, claro que Kibum como o bom mandão que é, mandou Jongin e ChanYeol irem com MinHo pois ele queria ficar com seu bebê e também queria conversar um pouco mais com Taemin.

-É sério hyung, como você aguenta o Kibum hyung – resmungou Jongin olhando para o carro que seguia em frente ao seu.

-Me faço essa pergunta às vezes também, mas acho que quando você ama alguém, aguentar as loucuras da pessoa é o mínimo a ser feito – respondeu MinHo enquanto jogava Minion Rush em seu celular.

-Orra, então você deve amar muito o hyung heim... –brincou Jongin.

-Você não imagina o quanto – MinHo retrucou com um sorriso – A propósito ChanYeol, o que o Taemin é seu? Namorado eu sei que não é, pois você estava dormindo com o nosso Baekkie – questionou sem tirar os olhos do jogo.

-O Tae é meu primo, mas nós crescemos como irmãos, na verdade o Tae tem um irmão, mas ele estava fazendo intercâmbio da faculdade no Japão. – responde ChanYeol calmamente.

-Hum... Você não fez nada com o Baekkie não é? O Kibum te castra – disse MinHo despreocupadamente continuando a jogar.

-O-o que? Não, eu não fiz nada – respondeu ChanYeol desesperado e Jongin gargalhou com sua expressão.

-Creio que não hyung, segundo minhas fontes, talvez ele até ficasse feliz com isso – disse Jongin com um sorriso de canto.

-Como assim? – perguntou MinHo curioso finalmente desviando sua atenção do jogo.

-Bem, já tem um tempo que o hyung fica falando para o Baekkie parar de doce e se envolver com alguém, já que bem, você sabe, ele não namora e nem se envolve com ninguém já tem um boom tempo – respondeu Jongin sem dar muita importância aquilo.

-Vocês pretendem ficar fofocando nesse carro até quando? – pergunta Kibum batendo na janela do carro e mostrando que já haviam chegado.

-Que namorado apressado eu fui arrumar... – brinca MinHo descendo do carro junto a ChanYeol e Jongin.

-Esta ruim? Só trocar meu bem. – retrucou Kibum emburrado e MinHo riu o abraçando – Sai daqui seu sapo insatisfeito – resmungou empurrando o mais velho.

-Yah, eu jamais trocaria o meu amor por qualquer outra pessoa no mundo – disse MinHo dando um demorado beijo em Kibum.

-Ah Minnie, eu também jamais te trocaria – murmurou o menor com um sorrisinho.

-Nossa quanta melação, credo – disse BaekHyun fazendo careta.

-Vai dar BaekHyun, vai dar – retrucou Kibum revirando os olhos.

-Yah, isso é coisa que uma omma diga para o seu filho? – questiona BaekHyun rindo apenas para irritar o mais velho.

-Byun BaekHyun, é bom você ficar quieto antes que eu te jogue na piscina – disse Kibum bufando e MinHo apenas riu.

-Melhor entrarmos logo antes que isso se estenda – disse Jongin passando o braço pelos ombros do irmão.

Assim que entraram na mansão, os seis foram recebidos pela madrasta de BaekHyun e Jongin, ambos a ignoraram seguindo diretamente para a cozinha, Kibum fez o mesmo indo atrás dos mais novos.

-O que aconteceu? – perguntou SooJin fingindo preocupação.

-Não se faça de desentendida pelo amor, você sabe muito bem que eles te detestam – respondeu MinHo revirando os olhos e logo foi atrás do namorado que esperava por si no meio do corredor com um sorriso satisfeito.

ChanYeol  e Taemin assistiam a cena calados, apenas se curvaram e a cumprimentaram educadamente logo indo atrás dos outros a fim de não ficarem perto da mulher.

-Vai ser um longo almoço – murmurou Taemin e ChanYeol assentiu.

Assim que chegaram a cozinha viram uma cena que poderia ser considerada até mesmo engraçada. BaekHyun e Jongin brigavam por um pote de nutella, Kibum ria mandando MinHo resolver enquanto ele mesmo ajudava a empregada a por a mesa, MinHo pegou o pote recebendo um olhar indignado dor irmãos.

-Chega de briga vocês dois, se não forem dividir, nenhum dos dois vai comer – disse MinHo firme.

-Isso ai amor, mostra quem manda – disse Kibum rindo.

-Ta... – murmurou BaekHyun revirando os olhos enquanto Jongin dava de ombros.

-Aqui, panquecas como meu bebê gosta – disse Kibum colocando um prato de panquecas em frente à BaekHyun – Ah, vocês estão ai, venham, comam com a gente – disse sorrindo para ChanYeol e Taemin.

-Não sei se é uma boa ideia, o almoço vai ser daqui a pouco – disse Taemin um pouco hesitante.

-É uma boa ideia sim, conhecendo meu pai como eu conheço, ele vai servir aqueles pratos cheios de frescuras que as porções são uma miséria e que mesmo depois de ter acabado o almoço, você continua com fome... – disse BaekHyun enquanto atacava suas panquecas – Ai... – resmungou após ser acertado por um tapa na cabeça por Kibum.

-Não fale de boca cheia, é falta de educação – disse Kibum o repreendendo.

-Desculpa... – murmurou ainda de boca cheia o que fez Kibum apenas revirar os olhos e MinHo rir.

-Apesar da falta de educação do Baekkie, ele esta certo, os pratos serão estes mesmo – disse MinHo calmamente após tomar um gole de suco.

-Bem... Sendo assim... – disse Taemin ainda hesitante se aproximando da mesa com ChanYeol.

-Ah, esse menino é uma graça, veja Minnie, se fosse o Baekkie, no primeiro convite já tinha aceitado – disse Kibum olhando admirado para Taemin com um enorme sorriso.

-Adota ele então – diz BaekHyun revirando os olhos.

-Não fique com ciúmes irmãozinho, e hyung fala isso, mas ele te ama – diz Jongin rindo vendo BaekHyun revirar os olhos novamente enquanto continuava a comer.

-E quem sofre as consequências desse amor sou eu... Aish, ainda estou quebrado da viagem – reclama MinHo.

-Aigoo, prometo te compensar mais tarde – diz Kibum com um sorriso doce a MinHo.

-Não se preocupe amor, não é como se eu não gostasse dessas suas loucuras – diz MinHo rindo – Mas aceito ser compensado sim – completa sorrindo.

-Agora eu lembrei do Jinki hyung – diz ChanYeol rindo baixinho.

-Verdade, se ele estivesse aqui, ele e o BaekHyun provavelmente acabariam entrando em uma competição de quem come mais – concorda Taemin rindo.

-Quem é Jinki? – pergunta Jongin curioso.

-Meu irmão – responde Taemin sorrindo - Ele esta fazendo intercâmbio no Japão, já que os nossos pais praticamente o obrigaram... – completa um tanto desanimado.

-Ah, logo ele volta, é só um intercâmbio, não é como se ele não fosse mais voltar – diz BaekHyun com um sorriso doce para Taemin.

-Deu até um orgulhinho aqui – diz Kibum olhando para BaekHyun que apenas riu e voltou a comer – Vem cá, tu não cansa de comer não? Já é a quarta ou quinta panqueca .

-Hyung, é comida, eu nunca vou me cansar de comer – retruca de boca cheia logo recebendo um olhar reprovador de Kibum.

-Deixa ele amor, sabe que ele ama panqueca – disse MinHo intercedendo por BaekHyun.

-Isso ai, MinHo para melhor appa do mundo, eu voto sim – disse BaekHyun fazendo graça e todos riram.

-Não se esqueça que o seu appa sou eu BaekHyun – disse o Sr. Byun ao entrar na cozinha com SooJin e BaekHyun revirou os olhos.

-Não, meu appa morreu junto a minha omma, agora se me der licença, eu perdi a fome – disse se levantando e logo se retirando da cozinha.

O Sr. Byun suspirou pesado enquanto Jongin também se levantava, o clima havia ficado pesado e de repente ninguém mais se sentia confortável ali.

-Com licença, vou me retirar, ChanYeol, Taemin, se quiserem podem ir no quarto do meu irmão, é no segundo andar quinta porta a direita e vocês dois... – Jongin olhou para Kibum e MinHo e suspirou – Apenas não sejam indiscretos como da ultima vez... – disse se referindo a ultima vez em que o casal fizera amor em sua casa.

“Foi muito ruim ter que ouvir aqueles gemidos altos, pelos deuses, que o Baek não tenha cordas vocais potentes como as do hyung, ou eu nunca mais vou dormir...”

Pensou se retirando sem sequer olhar para o pai ou para sua noiva.

-Err... Então, meus amores, recém... Descobertos amores... – disse Kibum franzindo o cenho – Eu vou subir, querem subir também? – sorriu gentilmente a Taemin e ChanYeol que assentiram.

Sem demora os quatro já subiam para o andar superior, já da escada era possível se ouvir Promise You tocando alto, MinHo revirou os olhos imaginando o que haveria acontecido agora enquanto Kibum corria para o quinto quarto a direita.

-Que bad... – resmungou Taemin seguindo calmamente o mesmo caminho que Kibum fizera.

-Não to nem um pouco a fim de ouvir o drama do Baekkie e ainda aguentar o Key dando uma de omma louca, eu vou é pro quarto do menos doido dessa casa – disse MinHo colocando as mãos nos bolsos.

ChanYeol soltou um riso nasalado optando por seguir MinHo, conhecia Taemin e sabia que o chororo da noite anterior iria se repetir e não estava nem um pouco afim de aguentar o primo eu suas emoções malucas.

Kibum entrou no quarto quase quebrando a porta devido a força com a qual a empurrou contra a parede e Taemin seguia atrás de si normalmente, havia gostado bastante de BaekHyun e de Kibum também, então não se importaria de ver Kibum sendo a omma louca que era pra cima de BaekHyun. Até gostava na verdade.

-O que foi bebê? Porque essa mus... Que mala é essa Byun BaekHyun? – questionou olhando BaekHyun preparar uma mala enorme com suas roupas que ainda estavam em sua casa.

-Meu pai é um babaca imbecil, eu odeio ele – respondeu com voz embargada enquanto socava as roupas com raiva na mala.

-Isso eu já sei, mas o que ele fez dessa vez? – Kibum estava confuso e principalmente preocupado.

Já vira o primo xingar o pai muitas vezes desde a morte de sua tia, mas nunca dizer que o odiava, e isso o preocupou profundamente.

-Sabe o porquê de ele ter marcado esse almoço Kibum? Não? Então deixa que eu te conto – disse secando o rosto sem delicadeza alguma enquanto deixava seu olhar fixo nos olhos de Kibum – Esse almoço é para selar a parceria que vai ser criada entre a empresa do meu pai com a do pai do ChanYeol através do matrimônio – disse com o sorriso mais triste que Kibum já o vira dar – Meu “appa” – fez aspas com os dedos – Quebrou a única promessa que ele jurou não quebrar jamais, quebrou a única promessa que eu acreditava ainda significar algo para ele, mas não, é claro que não, esse negócio vai beneficiar a ele e a empresa dele, vai encher o bolso dele com mais dinheiro. Para que manter uma promessa estupida quando se pode vender o próprio filho e ficar mais rico? – BaekHyun deu uma risada seca enquanto recebia os olhares horrorizados tanto de Taemin quanto de Kibum.

-B-Baekkie... Seu pai não teria coragem... Quem foi que te disse isso? – Kibum estava horrorizado, seu tio não seria capaz de descer tão baixo apenas por dinheiro, seria?

-Sim, ele teve Bummie, ele vendeu o Jongin hyung – respirou fundo sentindo seu corpo inteiro tremer de raiva – Quem me contou foi a senhora Im, sabe aquela empregada que sempre foi como uma mãe para mim e o hyung? Aquela mesma que sempre cuidou de nós como se fossemos seus próprios filhos e sempre quis o nosso bem? Pois é...

-E-eu... Céus Baek... – Kibum suspirou se recuperando do choque e respirou fundo – Já tem onde ficar? – Kibum sabia exatamente como BaekHyun ficava após tomar uma decisão, ele não voltava atrás, era pior que mula empacada, tão teimoso quanto. Nada o faria voltar atrás.

-Sim, o appa não sabe, mas pouco antes de morrer, a mamãe passou para o meu nome um apartamento para nós no centro que ela herdou da vovó, temos uma boa quantia de dinheiro em nossa conta do banco devido a nossas economias e ainda temos a nossa parte da herança da vovó Kim e a parte da mamãe que ela deixou para nós, então não vamos ter problema algum – respondeu BaekHyun calmamente, fato esse que preocupou Kibum.

BaekHyun no momento se assemelhava a uma bomba-relógio, e ele sabia muito bem que no momento em que o Byun explodisse, ah, todos que se cuidassem, pois verdades seriam ditas sem dó ou medo de magoar, na verdade elas seriam ditas exatamente com esse propósito. Magoar.

-D-deuses... – murmurou Taemin após assimilar tudo o que havia ouvido – O-o Jongin já sabe? – questionou preocupado.

-Não, eu ainda não contei... – BaekHyun mordeu o lábio inferior – Fiquei tão nervoso e com tanta raiva que esqueci de o avisar...

-Tudo bem, Baek, termina de arrumar ai, Taemin você ajuda o Baek, eu vou falar com o Jongin, no estado que o Baek esta, ele vai acabar gritando um monte de coisa que não vão fazer o menor sentido – disse Kibum e logo o mesmo se retirou do quarto.

-Desculpe por isso Tae, eu... – um suspiro escapou pelos lábios finos do menor enquanto apertava uma blusa qualquer.

-Não tem que se desculpar Baek – Taemin sorriu doce e se aproximou abraçando BaekHyun, ato que o surpreendeu, mas que não deixou de ser correspondido – Você e o Jongin não tem culpa, os culpados são os pais de vocês, eles são os únicos culpados, nem eu e nem o Chan vamos culpar vocês – disse gentilmente afagando os cabelos do menor.

BaekHyun soltou um riso nasalado e apertou o abraço com um pequeno sorriso.

-Prefiro você quando não esta no internato – disse com tom brincalhão e Taemin riu baixinho.

-O Chan diz a mesma coisa – diz Taemin sorrindo e solta BaekHyun – Agora vamos terminar a sua mala.

-Bora, porque daqui a pouco o tempo vai fechar aqui em casa e não vai ser nada bom se não estiver tudo pronto – BaekHyun suspira sem sequer disfarçar a decepção em seu olhar.

-COMO É QUE É?

-Ixi... – BaekHyun murmurou ao ouvir o irmão gritar – Ele vai vim aqui, quer ver? – disse a Taemin enquanto tornava a arrumar suas coisas com a ajuda do mesmo.

-Não duvi...

-Baek, isso que o Kibum nos contou é verdade? – questionou Jongin invadindo o quarto do menor com ChanYeol logo atrás de si.

“Mas hoje o povo tirou o dia pra me interromper, credo”.

Pensou Taemin respirando fundo e se preparando para o que viria a seguir.

-É sim, sabe que a senhora Nam jamais mentiria para mim quanto a um assunto sério desses – respondeu sem parar de fazer sua mala.

-Eu... Aquele babaca me paga... – disse Jongin furioso.

-Calma ai garotão – disse Kibum adentrando o quarto com MinHo.

-Calma o caramba, não sei se vocês perceberam, mas os nossos pais querem nos CASAR – disse ChanYeol indignado.

-Calma ai você também grandão – disse Kibum se controlando para não socar os dois mais altos – Essa é uma situação em que não se pode agir de cabeça quente e muito menos impulsivamente.

-Ata, porque a atitude do BaekHyun de arrumar as malas pra dar no pé é uma atitude muito bem pensada... – reclama Jongin.

-É sim – diz Kibum simplesmente e Jongin e ChanYeol bufam prontos para retrucar.

-Pensem bem rapazes, se vocês fizerem alarde agora e deixarem eles perceberem que vocês descobriram tudo, eles vão dar um jeito de impedir vocês de saírem até que esteja tudo certo e vocês não tenham mais como escapar do compromisso – disse MinHo antes que os mais novos retrucassem Kibum e a confusão ficasse ainda maior, sabia o quanto o namorado odiava ser contrariado – Agora, se vocês agirem em silêncio, sem fazer alarde ou chamar a atenção, vocês vão pegar eles de surpresa e antes que eles tenham como reagir, vocês já vão estar dando no pé...

-Oh, faz sentido – concordou Taemin – Mas como vamos fazer para que eles não vejam as malas? Porque se os meninos deixarem nos quartos, o plano não ira dar certo, e bem, as malas não são nem um pouco pequenas e fáceis de esconder, as do Baek não pelo menos...

BaekHyun e Kibum trocaram sorrisos cumplices e todos os olharam confusos.

-Ainda tem os seus contatos ou vamos com os meus? – perguntou BaekHyun com um sorrisinho de canto.

-Ah meu caro Baekkie, eu nunca perco meus contatos, mas seria bom se acionasse os seus para prepararem o apartamento de vocês – respondeu Kibum com o mesmo sorrisinho de canto.

BaekHyun murmurou um “ok” e logo pegou seu celular digitando rapidamente uma mensagem para um de seus antigos contatos.

-Ta, no que vocês andaram se envolvendo que eu e o MinHo não sabemos? – questionou Jongin desconfiado.

-Nada demais... Ou melhor, nada ilegal, satisfeitos? – respondeu Kibum sem desgrudar os olhos do celular enquanto saia de perto de MinHo e ia para o lado de BaekHyun – Esse é o endereço? – questionou olhando o celular do mais novo e recebendo um “uhum” como resposta.

-É sério isso? – perguntou MinHo olhando desacreditado para o namorado e BaekHyun.

-Vocês ainda estão aqui? Vão arrumar as coisas do hyung logo... – disse BaekHyun com voz entediada e logo guardou o celular no bolso pegando uma nova mala embaixo da cama.

-Eu estou sendo expulso pelo meu próprio filho? – MinHo olhava indignado para BaekHyun.

-Choi MinHo, para de drama e vai logo ajudar o Jongin, nós estamos sem tempo, logo os pais do ChanYeol chegam e nós não vamos poder fazer mais nada, e essas malas ainda tem que ser despachadas para o apartamento dos meninos – disse Kibum autoritário.

-Dica do tio crianças, nunca desobedeçam seus namorados, vocês podem até ser os ativos, mas quem manda é sempre eles – disse MinHo olhando para ChanYeol e Jongin enquanto apontava para BaekHyun Kibum e Taemin.

-Vocês ainda estão aqui? – questionou Kibum com uma sobrancelha arqueada.

-Já estamos indo amor, já estamos indo – disse MinHo puxando Jongin e ChanYeol para fora do quarto.

-E sejam rápidos – ordenou Taemin.

-Se não estiver tudo pronto quando os pais do ChanYeol chegarem vocês estarão com sérios problemas – disse BaekHyun com um sorrisinho que fez os garotos se arrepiarem e correm para o quarto de Jongin.

Os três riram baixinho e se puseram a terminar tudo o mais rápido possível, sabiam bem que o tempo era curto e que o menor tinha coisas demais. BaekHyun separou uma mala apenas para seus livros e mangás, colocou alguns de seus álbuns do Super Junior e do Infinite junto e fechou a mala com o maior cuidado do mundo, em uma mala pequena ele colocou seu notebook, dvd’s, iPad, psp e tudo de eletrônico que via pela frente.

A aquela altura a playlist que tocava já havia mudado e naquele momento tocava Touch My Body, musica que os três fizeram questão de cantar e dançar, risadas eram ouvidas vindas do quarto, o clima tenso já havia sumido e a tristeza já não existia mais nos olhos do pequeno Byun, Kibum estava feliz em ver o primo sorrindo, sabia o quanto ele estava decepcionado com o pai, mas  não queria que ele perdesse seu sorriso, amava o sorriso que o mesmo tinha e como ele ficava fofo com aquele sorriso adoravelmente quadrado.

-Com licença, senhor BaekHyun – disse uma das novas empregadas batendo na porta – O seu pai pediu para avisar que os Park já chegaram e que estão os esperando lá em baixo – disse formalmente e logo se retirou.

BaekHyun suspirou e respirou fundo, sabia que deveria fingir que não sabia de nada e agir naturalmente, mas bem, algumas respostas ácidas não fariam mal, não é mesmo?

-Hora do show... – disse Taemin desligando a musica.

-Sim, e que show – concordou Kibum fingindo uma expressão cansada.

“Será que vai rolar sangue? Vou adorar essa treta, quero dizer, a menos que toquem no meu filho, ai quem vai partir pra porrada vai ser eu e...”

-Hyung, você não vem? – perguntou BaekHyun tirando Kibum de seus pensamentos.

-Ah, sim meu anjo, vamos descer – sorriu docemente e enganchou um braço com um BaekHyun e um com Taemin.

-Que comece o show – disse BaekHyun sorrindo enquanto se dirigiam as escadas.

Os três desceram rindo como se estivessem conversando sobre algo realmente engraçado, mas na verdade estavam apostando em quem teria a reação mais rápida.

-Ah, ai estão eles – disse SooJin animada.

A mulher olhou para BaekHyun como se dissesse “não estrague tudo” e BaekHyun apenas a ignorou por completo, Taemin nem mesmo se dignou a olhar para a mulher e Kibum a olhou com um sorriso de superioridade que a fez querer voar em seu pescoço.

-Olá senhor e senhora Park, como vão? – cumprimentou BaekHyun educadamente surpreendendo SooJin e seu pai.

-Olá BaekHyun, eu vou bem e você? – sorriu a senhora Park de forma que fez BaekHyun lembrar de ChanYeol.

“Pelo jeito, ele só herdou as orelhas do pai dele mesmo...”

Pensou o Byun se contendo para não rir.

-Olá BaekHyun – cumprimentou o senhor Park formalmente.

-Vou bem senhora Park, obrigado – respondeu sorrindo e acenou positivamente para o senhor Park.

Logo ChanYeol, Jongin e MinHo chegaram e, assim como BaekHyun cumprimentaram os Park educadamente, ChanYeol olhou para o pai com indiferença e abraçou a mãe com um sorriso doce.

“A tia parece uma formiguinha do lado do Chan”

Pensou Taemin rindo baixinho.

-Senhor, o almoço já está pronto – avisou uma das empregadas da casa.

-Ótimo, já vamos – disse o senhor Byun e fez sinal para que seus convidados o seguissem.

Um a um foram se acomodando em torno da mesa, SooJin fez questão de se sentar ao lado do futuro marido e fazer não só Jongin como BaekHyun também, sentar ao seu lado, Kibum sentou ao lado de BaekHyun tendo MinHo sentado ao seu lado, ChanYeol e Taemin sentaram ao lado dos pais do mesmo, Taemin ficou de frente para BaekHyun e ChanYeol de frente para Kibum.

O senhor Byun mandou que o almoço fosse servido e logo as empregadas começaram a entregar cada um dos pratos, BaekHyun murmurou um “eu disse” e Taemin riu baixinho. Logo o almoço foi iniciado repleto de conversas dos mais diversos assuntos, os mais novos comiam calados sem se envolver em qualquer um dos assuntos.

-Bem – disse o senhor Byun após o fim do almoço, chamando a atenção para si – Creio que estejam querendo saber o por que do almoço – disse se dirigindo aos mais novos que o olharam.

-Realmente appa – disse BaekHyun controlando a vontade de fazer cara de nojo – Não entendi porque você mandou aquela mensagem ontem, já que nunca participamos de almoços de negócios...

-Bem, BaekHyun, esse não é um almoço de negócios qualquer – interrompeu o senhor Park e levantando junto ao senhor Byun.

-E porque não appa? – questionou ChanYeol com falsa confusão enquanto sentia seu sangue ferver.

-Porque hoje será firmada a aliança de nossas empresas, e para esse acordo ser realmente firme, nós resolvemos que você Jongin, e você, ChanYeol, devem se casar – disse o senhor Byun.

BaekHyun que bebia seu suco o cuspiu todo acertando acidentalmente sua madrasta, sabia o que os mais velhos falariam, mas não esperava que fosse sentir tanto desprezo na hora, ouviu Kibum segurando o riso atrás de si e sorriu sem graça para seu pai e sua madrasta enquanto encolhia os ombros, aquela fora uma reação involuntária, mas no fim, adorou o resultado.

-BaekHyun... – começou o senhor Byun, mas logo foi interrompido por ChanYeol.

-Vocês estão brincando né? Mas nem pensar que eu vou me casar com o Jongin – disse ChanYeol alterado, finalmente liberando sua raiva.

-Qual o problema com isso, meu filho? – questionou o senhor Park com olhar frio.

-Jura que você não sabe? Pai, é o JONGIN, eu não vou me casar com ele, nem pensar – disse sério cruzando os braços e Jongin fingiu uma cara ofendida que fez Taemin rir discretamente.

-Se esse é o problema, case-se com o BaekHyun, simples. – disse o senhor Byun como se aquilo fosse um detalhe trivial e BaekHyun se engasgou com a própria saliva deixando Kibum preocupado.

-O senhor não vai envolver o BaekHyun nisso, essa situação nem mesmo deveria estar existindo – disse MinHo em tom sério.

-Não se meta nisso Choi, você não é o pai deles – disse o senhor Byun.

-Tem razão, ele não é o pai deles – começou Kibum sério – Mas os quer melhor que você.

-JÁ CHEGA – gritou Jongin atraindo a atenção para si – Não vai haver casamento nenhum, o ChanYeol e o Baek não vão se casar, e muito menos eu e ele, isso não vai acontecer, tirem esse ideia ridícula da cabeça de vocês – falou firme.

-Não se esqueça, Jongin, que você e BaekHyun são meus filhos, são sustentados por mim, vivem sob o meu teto... – disse o senhor Byun com expressão dura.

-Você não é nosso dono, tão pouco nosso pai, como o Baek disse mais cedo, o nosso pai morreu junto a nossa mãe – retrucou Jongin se levantando.

-Já chega, você e o ChanYeol vão se casar e pronto, enquanto você e o seu irmão viverem sob o meu teto e forem sustentados por mim, vocês irão fazer o que eu quiser e mandar

-Não seja por isso – disse BaekHyun finalmente se pronunciando após receber uma confirmação de que suas coisas e as de Jongin já haviam sido tiradas da casa – Se o que nos obriga a casar com o ChanYeol, é sermos sustentados por você e morar sob o seu teto, nós vamos embora e você não precisar tirar mais um centavo do seu bolso por nossa causa – disse sério e o senhor Byun riu em escárnio.

-E para onde vão? Vão sobreviver com que dinheiro? Vocês não tem dinheiro algum e tão pouco onde ficar BaekHyun – disse o senhor Byun com um sorriso vencedor

-É ai que você se engana titio – disse Kibum com um sorriso presunçoso – Meus pais estão loucos, mas loucos mesmo, para se mudar para a China e olha que maravilha, aquela casa enorme com aquela quantia absurda de quartos vai ficar para mim já que irei permanecer na Coreia – o sorriso nos lábios de Kibum aumentou a medida que o do senhor Byun diminuía – BaekHyun e Jongin podem ficar lá em casa pelo tempo que precisarem que serão muito bem vindos, e quanto ao sustento deles, não me importo nem um pouco de dividir o meu dinheiro com eles e tenho certeza que minha mãe jamais deixaria os filhos da irmã dela passarem qualquer necessidade.

Kibum sabia bem que seu primo não ficaria em sua casa, mas bem, seu tio não sabia sobre o apartamento de BaekHyun e Jongin e ele acreditava que seria melhor se continuasse sem saber, principalmente levando em conta que fazer o tio não lembrar que ambos tinham uma fortuna em herança, isso poderia prejudica-los ainda mais.

-Bem – se pronunciou o senhor Park – Vocês estão esquecendo de uma coisa, ChanYeol é meu filho, e se esse casamento não acontecer, ele estará totalmente deserdado e sem ter para onde ir ou com o que se sustentar – concluiu arrancando um olhar raivoso de Kibum e sua esposa

-O que você esta dizendo CheungSoo? Você não pode fazer isso com o nosso filho – disse a mulher indignada.

-Sim eu posso, tanto posso como farei e você, se não quiser que eu piore a situação dele ainda mais, é melhor ficar quieta – rebateu frio.

-Ta tudo muito lindo, muito adorável – disse Taemin com ironia – Mas, senhor Park, você não esta esquecendo de nada não? – Taemin sorriu gentilmente para sua tia, vendo-a suspirar aliviada.

-E do que eu estaria esquecendo, Taemin?

-O apartamento que eu e o Chan dividimos esta no meu nome, então meu caro tio, só quem pode tira-lo de lá sou eu e quanto ao dinheiro para ele se sustentar, creio que o senhor se esqueceu de quem é o seu filho e de quantos idiomas ele fala, acha mesmo que alguém como o Chan não consegue se virar sem o seu dinheiro sujo? Por favor, se você realmente acha isso, então você não faz ideia de quem é o seu filho – concluiu se levantando.

-Ora seu...

-Ele esta certo pai, ou melhor, CheungSoo, eu consigo muito bem me virar sem o seu dinheiro, na verdade, eu já faço isso – disse ChanYeol com um sorriso presunçoso.

-Ok, isso foi muito divertido, sério, muito obrigado senhor Byun e senhor Park pelo ótimo entretenimento, mas eu e o meu irmão temos que ir embora e creio que ChanYeol e Taemin já não queiram mais permanecer aqui... – disse BaekHyun com um pequeno sorriso.

-Vocês não vão a lugar algum – disse o senhor Byun irritado.

-Ah vamos, vamos sim, meus bebês não ficam aqui mais nem um minuto – disse Kibum abraçando BaekHyun.

-Creio que a minha criança vá querer deixar seu quarto pronto ainda hoje, certo – disse MinHo bagunçando os cabelos de BaekHyun com um pequeno sorriso recebendo um aceno positivo logo em seguida.

-Ele não é seu filho MinHo – disse o senhor Byun controlando-se para não gritar.

-Tem razão, mas o amo muito mais que você, cuido dele muito melhor que você, quero o bem e a felicidade dele muito mais que você, sou muito mais presente na vida dele do que você – disse calmamente.

-Você nã...

-Não adianta MinHyun, o MinHo hyung é muito mais meu pai do que você jamais foi – disse BaekHyun seco sentindo seus olhos arderem devido a força que fazia para não chorar.

Antes que qualquer outra palavra fosse dita, os mais novos se dirigiram para fora da casa o mais rápido possível, BaekHyun estava um trapo, Jongin só queria que aquele dia acabasse, ChanYeol não sabia mais o que pensar tão pouco o que fazer, Kibum e MinHo puxaram cada um para um carro e mandaram que os motoristas os levassem embora dali.

Kibum mandou uma mensagem para MinHo com o endereço de BaekHyun e Jongin e o mandou seguir para lá. O caminho em ambos os carros fora silencioso, BaekHyun enfim se permitiu chorar, Taemin apenas olhava pela janela sem expressão alguma e Kibum abraçava BaekHyun fazendo carinho em suas costas.

Já no carro de MinHo o clima ne encontrava mórbido, ChanYeol estava de olhos fechados pensando em como faria dali para a frente enquanto Jongin olhava para um ponto qualquer se perguntando quando foi que seu pai se transformou em um homem ganancioso que colocava o dinheiro a frente de qualquer coisa, MinHo preferiu não falar nada e deixar que os dois mais novos esfriassem a cabeça, havia sido uma situação estressante.

Depois de quase duas horas os carros entraram na garagem de um grande prédio fazendo todos se prepararem para descer. Assim que desceram viram um grupo de garotos parados em frente a dois carros, alguns estavam escorados em um dos carros enquanto outros apenas esperavam com as mãos nos bolsos.

-MinHyuk, como que tu ta, viado? – disse Kibum com um grande sorriso ao descer e foi correndo abraçar um garoto loiro.

-Estou ótimo Key, e você? – respondeu o loiro com um enorme sorriso retribuindo o abraço.

-Cansado – respondeu com um pequeno sorriso.

-Eu deveria ficar com ciúmes? – disse MinHo olhando a cena com uma sobrancelha arqueada.

-Claro que não besta, esse é só o MinHyuk e sabe como é cu com cu da choque – disse BaekHyun com um pequeno sorriso após secar o rosto.

-E ai pequeno? Qual foi a encrenca que vocês dois se meteram dessa vez? Perguntou um garoto de olhos pequenos e expressões fofas.

-E ai JooHeon – BaekHyun sorriu – Não foi exatamente nós dois...

-Gente, o papo tá muito bom, tá ótimo, mas assim, eu não aguento mais ficar nesse estacionamento e aqueles três ali já tão começando a me assustar, principalmente o cosplay de dumbo super crescido ali – disse um dos garotos descendo do capo do carro onde os outros estavam escorados.

-KiHyun – chamou BaekHyun rindo – você e o hyung realmente precisam perder essa mania de apelidar as pessoas.

-Culpa do Key, eu não tinha essa mania antes – se defendeu o garoto.

-Agora a culpa é minha? – questionou Kibum o olhando indignado.

-Sempre foi – respondeu e riu ao que Kibum mostrou a língua.

-Ta gente, vamos subir logo, o JinYoung já deve estar irritado com a nossa demora – disse BaekHyun.

-Realmente, vocês demoraram, o que aconteceu? – questionou outro loiro retirando as malas do carro com a ajuda de mais dois garotos.

-Ah Won, foi horrível, meu tio é o rei dos imbecis – disse Kibum indo para o lado de MinHo e logo sendo abraçado pelo maior.

-Gente, vocês não estão esquecendo de nada não? – pergunta Jongin de braços cruzados com uma sobrancelha arqueada.

-Esquecendo? – BaekHyun o olha confuso e apalpa os bolsos – Não hyung, as minhas chaves e meu celular estão aqui comigo e a minha carteira ficou na mala menor

-A minha carteira ta com o Min, o meu celular ta comigo e as minhas chaves também, então acho q não disse Kibum com o cenho franzido.

-Meu Deus, como é que vocês dois tem notas altas sendo tão lerdos assim? – perguntou Jongin indignado.

-Eu também não entendi – disse um garoto de cabelos castanhos claros com a mão erguida.

-Viu, o Chang também não entendeu – retrucou Kibum emburrado e MinHo o olhou com um sobrancelha arqueada.

-Hyung, o que o Jongin quis dizer é que além de você e o Baek, mais nenhum de nós conhece eles – explicou Taemin gentilmente.

-Ah, entendi – disse Kibum – Viu Jongin, porque não é como o Taemin, era muito mais fácil ter dito desde o início.

-Concordo – disse BaekHyun se escorando em ChangKyun com os braços cruzados.

-Não tenho certeza se você realmente quer que eu seja como o Taemin, hyung... – disse Jongin se lembrando da personalidade do menor no internato.

- O que esta insinuando Jongin? – perguntou Taemin o olhando com o cenho franzido.

-Nada não – respondeu Jongin rápido.

-Enfim, gente, esses são Jongin, meu irmão – disse BaekHyun apontando para Jongin – o grandão é  ChanYeol e o fofo é o Taemin – concluiu com um pequeno sorriso.

-Exatamente, e meninos, esses são ChangKyun, ou como nós chamamos, I.M – disse Kibum apontando para o garoto em quem BaekHyun estava apoiado – Aquele ali é o Hoseok, mas podem chama-lo WonHo, o loiro ali é o HyungWon, o com cara de lesado é o HyunWoo, mas nós o chamamos de Shownu – Kibum ouviu um “hey” em protesto de Shownu e riu baixinho – o outro ali é o KiHyun, ele é linguarudo mesmo, não se preocupem, e o loirinho aqui é o MinHyuk, ele tem mania de cheirar e morder as pessoas, então não se assustem.

-Agora bora subir porque se não eu vou apanhar do JinYoung – disse BaekHyun seguindo até os elevadores.


Notas Finais


E ai? Gostaram?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...