História Ops..chat errado - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Colegial, Jikook, Jimin, Jungkook, Park Jimin, Vhope
Exibições 156
Palavras 3.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aish...Mais um capítulo ae ❤❤ espero que gostem desse e kissus pra vcs 😘😘😘


OBS.: Eu troquei o gênero feminino das músicas para o masculino.

Capítulo 10 - Tá tudo bem?!


Fanfic / Fanfiction Ops..chat errado - Capítulo 10 - Tá tudo bem?!


Venha através do universo entre você e eu. 

Você gostaria de vir até mim? 

Venha através do universo entre você e eu 

Voe até mim, não me deixe esperando mais

 Eu estou esperando por você agora 

Across the universe - Yerin Baek



 Afastei Yoongi, e saí do seu colo. Procurei desligar a televisão, e ele me olhava estranho, talvez soubesse o que iria fazer. 


Estava decidido, deixaria nulas as esperanças de Yoongi, qualquer possibilidade ou chance que ele achava ter, iria sumir naquele momento. Eu como ele, tinha culpa. 


Ele por se aproveitar e eu por deixar a brecha da esperança para o mesmo. Desde quando retribuía os beijos e carinhos. Mesmo todos sendo cheios de sentimentos, para mim os que valiam e criava de imediato um frio na minha barriga com borboletas voando dentro dela, viam de Jungkook. 


 Já não negava mais aquilo, era mais ridículo e infantil rejeitar os meus sentimentos por Jungkook. Agora eu não via o momento de pular nos braços de Jungkook, de implorar pelos seus beijos, pelos seus abraços, nunca pensei que uma simples mensagem me fosse trazer tanta confusão e uma paixão. 


 - Yoongi...eu - Tentei encontrar um jeito de falar tudo que tinha medo.


 - Jimin, não precisa, já sei o que irá falar. - Ele já se levantava do sofá, mas o impedi de prosseguir a ação. 


 - Eu preciso, me escuta. - O mesmo fechou os olhos e respirou fundo, voltando a sua posição anterior. Já eu repeti a mesma ação do mais velho, apenas respirei fundo mais de duas vezes. - Eu não queria que nada disso tivesse acontecido, não achei que chegaria a esse ponto. Acabei por retribuir seus beijos e carinho por estar fraco, por estar numa situação difícil.


 - Jimin... - Não, deixa eu terminar. Olha, eu amo você. - Segurei nas suas mãos. - Mas não do mesmo modo que você, eu amo a nossa amizade e todos os seus conselhos, gostaria de conservá-los. Não quero que nossa amizade termine. 


 - Eu também não Jimin. - Agora ele que segurava as minhas mãos. - Fui impulsivo, eu sei. Me aproveitei do momento para ter uma sensação de retribuição, mas eu sabia que no fundo você ainda gostava do Jungkook e ainda gosta. - Deu um leve sorriso, porque eu sabia que por mais seguro que Yoongi se mostrasse, ele estava triste. - Peço desculpas pelos beijos roubados e por ter insistido nisso. Eu gosto de você Chim Chim e independente de tudo quero que seja feliz, e se é com Jungkook que estará feliz, então não espere mais um minuto para correr atrás dele. - Ajeitou a minha franja e logo em seguida me deu um leve selinho na testa. - Te vejo amanhã no colégio, até mais Chim. - Abriu a porta da casa e saiu por ela, enquanto meus olhos seguiam seus passos silenciosamente. 


Por um lado me senti mal pelo Yoongi, não queria tê-lo magoado, mas por outro eu sentia meu coração bater mais rápido apenas em pensar no Jungkook, e como tudo pode voltar a ser normal e tranquilo. 


 Sinto falta daquele sorriso de coelho, ou daquela risada extremamente fofa. Ou talvez daquelas piadinhas que me deixavam morto de vergonha. 


 Aish, eu estava sentindo uma falta enorme de Jungkook, e contava os minutos para o dia seguinte chegar. 



 (...) 



 Todos me olhavam estranho, afinal lá estava eu, no caminho que sempre percorro toda manhã. Ia para o colégio na maior velocidade e dava pulinhos de felicidade na calçada, apenas faltava os fogos de artifício. 


Me sentia um idiota de primeira, algumas vezes cantalorava trechos de música e todos adultos e idosos que me viam resmungavam algo como ''esse mundo está perdido''. 


Agora me pergunte, eu estava me importando? Nem um pouco.


 Felicidade é para ser exposta, e eu estava expondo a minha. Algumas vezes me repreendia por ter sido tão lerdo e orgulhoso, poderia estar nos braços de Jungkook há tempos. Poderia estar me derretendo nos seus beijos ou nas suas carícias. Ou me escondendo de vergonha pelas falas nada apropriadas do moreno. Porém, agora eu podia viver isso. 


E foi com esse pensamento que entrei no colégio correndo, logo procurando Jungkook no colégio, ele sempre chegava cedo. Os meus amigos que ignorei na entrada do colégio foram aos quais perguntei onde estava Jungkook, nenhum deles fazia a mínima ideia. 


 Também era impossível conversar com Taehyung quando o mesmo beijava loucamente Hoseok, que falava poucas vezes comigo depois de estar com o amigo de Jungkook. 


 - TAEHYUNG! - Gritei para ele, que parou imediatamente de beijar Hoseok, e esse pôs um bico frustrado nos lábios.


 - Que é? - Perguntou irritado, ainda segurando Hobie pela cintura.


 - Você viu o Jungkook por ai? - Ele negou.


 - A última vez que falei com ele foi antes de ontem. - Eu rejeitava aquele mal pressentimento. - Por que? 


 - Eu queria conversar com ele. - Coçei a nunca tímido, todos os meus amigos insistiam em escutar as desculpas de Jungkook e dar a ele uma segunda chance.


 - Ele deve chegar no segundo horário, relaxa. - Não consegui, por mais que tentasse relaxar, aquele sentimento ruim insistia em aumentar. 


 Liguei uma, duas, três vezes para Jungkook e todas caíram na caixa postal. Mandei inúmeras mensagens e nenhuma delas foram ao menos visualizadas. Estava começando a ficar preocupado. 


 Yoongi percebendo minha agitação, tentou de todas as maneiras me acalmar, e como previsto todas falharam. 


Mas fui obrigado a para com a minha birra, pois a aula havia começado e precisava recompor todos os dias que havia faltado. 


 (...)


 Quando o toque para o segundo horário soou, meu olhar parou imediatamente naquela porta. 


E por ela entrou Jungkook, meu sorriso surgiu quase que na velocidade da luz, mas ele sumiu quando Jungkook gemeu de dor ao se curvar para o professor, e minha preocupação aumentou ainda mais quando o mesmo caminhou mancando até sua carteira.  


O que Jungkook tinha? 


Ele optou pela última cadeira da primeira fila, logo atrás de mim. Ele deixou um rastro do seu perfume no ar e logo se sentou na cadeira. Mas Jungkook usava um casaco preto com o capuz, junto a um boné também da mesma cor, e aquilo era proibido no colégio.


 - Jungkook, retire ese casaco, sabe que é proibido pelas normas do colégio. - O professor o repreendeu e com certa dificuldade, Jungkook pôs o capuz para trás. 


Mas o professor Lee o repreendeu mais uma vez pelo boné. E naquele momento o moreno ao qual eu observava relutou. O professor pediu mais uma vez, e agora boa parte da sala olhava para ele. E os meus olhos, se arregalaram quando Jungkook retirou o boné.


 O rosto dele estava extremamente machucado, um dos olhos estava inchado e muito roxo, o outro faltava pouco para estar igual. Senti meu coração apertar com a cena. Todos da sala resmugaram em surpresa, 


Jungkook sempre foi um ótimo aluno e nunca que havia se metido em uma briga. O senhor Lee aconselhou Jungkook à ir para a enfermaria, mas o mesmo negou. Esse deu uma pequena olhada para mim, e nunca tentativa falha de me confortar deu um sorriso de lado. 


E logo fez uma expressão de dor, já que o lábio do mesmo estava um tanto que machucado. 


 Taehyung passou boa parte da aula tentando falar com Jungkook, mas o moreno apenas sussurou para o amigo que falaria com ele depois e Taehyung assentiu, logo depois olhando para mim, tentando também me deixar melhor. 


 Mas eu não estaria bem com Jungkook naquele estado.



 (...)



 Até mesmo no intervalo, Jungkook insistiu em se isolar. Já eu estava extremamente preocupado, porém Taehyung falou que o amigo queria um tempo sozinho, e eu mesmo estando triste por não poder ir logo falar com o moreno, respeito o espaço do mesmo. 

 Por ver Jungkook tão mal e machucado, levamos ele para a enfermaria, preferimos não perguntar nada. A enfermeira o mandou para casa e ele teria ir com um acompanhante.


 - Não, por favor, para casa não. - Jungkook insistia, eu estranhei o fato do mesmo não querer os cuidados da mãe. 


 - Mas Jungkook, você tem que ir para casa. - A enfermeira tentava convencer o moreno, enquanto eu apenas observava tudo. 


- Ela está certa Jungkook, eu vou ligar para a tia. - Taehyung falou, logo pegando o celular para poder falar com a mãe de Jungkook, e essa foi apelidada carinhosamente por Tae de 'tia'. 


 - Não! - Jungkook gritou repentinamente, nos assustando. - Aish...para ela não. 


 - Jungkook, não quer mesmo falar o que aconteceu? - Ele negou e então Taehyung continuou a falar - Eu não posso perder essa prova de hoje, não tenho condições de te levar para casa.


 - Eu posso. -Me pronuncio pela primeira vez naquela sala, e Taehyung me olhou duvidoso. - Eu chamo um táxi e posso levá-lo para minha casa. Não tem problemas.


 - Certeza Jimin? - Taehyung perguntou. E eu assenti. 


 - Bom, já que está tudo certo, pode voltar para a sua sala Taehyung, enquanto eu escrevo um bilhete para a diretoria. Irei informar para eles o motivo da saída dos dois alunos. - A mulher de cabelos castanhos se pronunciou. Taehyung já havia saído da sala, e logo um silêncio suportável tomou conta daquela sala.


 Eu e Jungkook trocávamos olhares nada discretos, e algumas vezes ele desviava como se estivesse com medo de segurar o olhar.


 - Prontinho, já até chamei o táxi. - A mulher dá um sorriso de conforto e nos leva a entrada do colégio, eu levava duas mochilas, a minha e a de Jungkook. - Aqui está alguns medicamentos para você por nele, é simples. Apenas passa a pomada e cobre os cortes, e os comprimidos são de oito em oito horas. - Prestei atenção em todas as instruções da mulher e logo vimos um carro parar em nossa frente. 


Agradeci a mesma e entrei no táxi junto a Jungkook. Eu fui no banco da frente e Jungkook no traseiro, ele estava com a cabeça encostada no vidro da janela, e de olhos fechados.


 O caminho foi silencioso, e a única coisa escutada foi a fala do motorista, perguntando o rumo que iria ter que tomar. Logo quando estava em frente a minha casa, paguei ao taxista e acordei Jungkook levemente. 


 Ajudei o mesmo a sair do veículo e a subir as escadas até o meu quarto, lá dei uma toalha e roupas para Jungkook tomar banho. Mas desisti da ideia dele tomar banho sozinho, nem ao menos conseguia tirar a camisa. 


 - Ai... - Jungkook gemeu em dor. Corri para ajudar o mesmo, acabei por ficar tão perto dele. O moreno me olhou fixamente, como se tentasse descobrir o que se passava na minha cabeça. 


 - Deixa que eu te ajudo. - Coloquei minhas mãos na cintura fina de Jungkook, pegando na barra da camisa escolar do mesmo. Puxei ela para cima, e senti meu rosto queimar ao ver o peitoral de Jungkook, tão bem trabalhado. Aish! Para Jimin, ele está machucado.


 Aquele corpo tão bonito e branco estava cheio de hematomas roxos, e alguns esverdeados. Puxei com delicadeza a camisa ao chegar na cabeça, agora eu também tinha uma visão dos seus braços.


 - Pode se sentar na cama? - Meu rosto ainda estava vermelho e Jungkook percebeu isso, logo dando um pequeno sorriso em seguida. Ele fez o que eu pedi e desabotoou a calça social do colégio. Abriu o zíper e eu o ajudei a puxar o pano. 


 Se eu corei? Poderia até substituir o tomate. 


 Nunca tinha imaginado que as coxas de Jungkook eram tão grossas e firmes, logo no final retirei seus tênis e meias. Agora ele estava apenas de boxer preta. Mesmo com todos aqueles machucados, Jungkook continuava lindo. 


 - A banheira já está pronta, quando terminar me chama, para eu poder te ajudar a vestir as roupas. - Falei um tanto apressado, e realmente estava, não aguentaria ficar com Jungkook apenas de boxer na minha frente e não fazer nada.


 Sai praticamente correndo do quarto, nem ao menos esperei a resposta do moreno. Eu também precisava de um banho, mas tipo...um banho bem demorado.


 Relaxei meus músculos ao sentir aquela água morna nas costas, ainda queria saber quem havia feito aquilo em Jungkook ou saber o que aconteceu. E também o motivo de não querer ir para casa, talvez porque a mãe dele reclamaria com o mesmo. 


Aish! Eu estava perdido.



 (...)



 Como no momento de tirar a roupa de Jungkook, eu corei quando ajudei o mesmo para se vestir.


 Ele estava apenas com uma bermuda folgada, já que os machucados eram todos focados no estômago e rosto. Passei um pouco de pomada nos hematomas da barriga e mesmo eu sendo cauteloso, ele gemia de dor. 


 - Ai...está doendo hyung. - Se contorcia de leve, segurando o lençol da cama.


 - Eu sei Jungkook, mas tenho que passar essa pomada para você melhorar. - Ele assentiu, apertando os olhos fortemente.


 - Jungkook... 


 - Hum..? - Ele abriu os olhos para me observar.


 - Quem fez isso com você? - Como previsto, Jungkook não disse nada. - Se não quiser falar tudo bem, eu só... 


 - Eu vou te explicar tudo, mas depois que você terminar o curativo.


 - Tudo bem. - Continuei o que estava fazendo e os hematomas do estômago já estavam com curativo. Passei a trabalhar no rosto do moreno, e os olhos já estavam normais, apenas um tanto roxos. Na enfermaria ele havia passado gelo, o que desfez o inchaço. 


 Foi difícil resistir a Jungkook, já que eu estava extremamente perto dele. Tinha alguns cortes no rosto, e escolhi por botar band-aids. 


- Qual você escolhe, esse ou esse? - Mesmo sabendo a resposta, lhe mostrei um band-aid do Capitão América e um do Homem de Ferro. 


 - É sério isso Jimin? É claro que eu escolho o do Iron Man. - Ele cruzou os braços emburrado, mas logo se arrependeu por sentir um pouco de dor, já que os braços era junto as pernas os menos machucados.


 - Aish, não se mova muito, pode se machucar mais. - Abri o band-aid vermelho com a figura da máscaro do personagem. 


 - Você fica fofo preocupado Jiminie. - Sorri tímido, porque fazia um bom tempo que não escutava o meu apelido ser pronunciado na voz de Jungkook. - Desculpe. - Coloquei o curativo em cima do corte que ficava na testa.  


- Pelo o quê? - Não tinha mais nada para Jungkook se desculpar. 


 - Por tudo, por ter mentido para você, por não ter me importado com seus sentimentos, eu realmente sinto muito. Mas acredite, todos os sorrisos, todas as brincadeiras e beijos foram verdadeiros. - Se ajeitou com dificuldade na cama. - Eu realmente me apaixonei por você Jimin, mesmo começando com uma mentira, dali a adiante, tudo foi verdade. Eu gosto de você, do fundo do meu coração, acredita nas minhas palavras, por mais difícil que seja. Eu gosto de você. - Fechei os meus olhos quando senti a testa de Jungkook se juntar com a minha.


 - Eu também gosto de você Jungkook. - Sussurei, como se contasse um segredo. - Fui um idiota por demorar tanto para acreditar em você, para deixar meu orgulho de lado. Eu perdoei você na primeira vez que pediu desculpas.


 - Mas e o Yoongi? 


 - Eu acabei por dar esperanças para ele, mas tudo que eu sinto, toda a vontade de beijar e abraçar era e é apenas com você. Aish, eu gosto de você seu idiota. - Bati de leve no mesmo, mas ainda se doeu.


 - Hyung...já não basta estar todo machucado. Ainda me bate? Depois de se declarar para mim? - Riu incrédulo. 


 - Desculpa. - Ri idiota para o mesmo, e ele retribuiu. - Senti saudades. - O abracei com cuidado.


 - Que saudade do seu abraço Minie. Eu queria tanto ele ontem. - Acariciou minhas costas, e mesmo que me preocupasse com os seus hematomas, o moreno não pareceu se importar, me apertava como se fosse fugir. Mas dessa vez eu não iria.


 - Agora me conta, o que aconteceu. - Jungkook respirou fundo e me contou que havia tomado a decisão de contar para a mãe a sua opção sexual. Me falou que foi expulso de casa e sobre a agressão por um grupo de garotos homofóbicos. Ele chorava e eu o confortava. - Calma Jungkook, você fez o certo. No fundo ela te ama, apenas está cega. E não se preocupe, pode ficar aqui quanto tempo precisar.


 - Sério mesmo Jimin? - Perguntou com a voz embargada, mas ainda sim, surpreso. 


 - Claro que sim. Eu vou adorar ter a sua companhia todas as manhãs. - Me afasto do abraço e dou um largo sorriso.


 - Obrigado Jimin, de verdade. Você é incrível, sou o cara mais sortudo por gostar de você e te ter. - Colocou uma mecha do meu cabelo atrás da orelha, os meus fios estavam crecendo. Ele ficou me olhando com um sorriso bobo nos lábios, e eu fazia o mesmo. 


Sem eu observar o movimento de Jungkook, aqueles lábios e aquela boca que estava desejando há dias se juntou a minha. Continuava macia e doce, aquele toque era cheio de sentimentos e inocente. Sem malícia alguma.


 Umideci os meus lábios e logo pedi com cuidado passagem para Jungkook, que segurava na minha cintura, meu ponto fraco. Com ele eu me derretia e ficar a sua mercê. Eu queria mais contato, e puxei carinhosamente aqueles fios negros que ainda estavam úmidos pelo banho. 


 Senti as nossas línguas se tocarem, e novamente estava eu, explorando algo a mais na boca de Jungkook. Mais uma vez estava entregue, tão entregue nos braços dele. Era como se a cada beijo, fosse o meu primeiro. 


Minha respiração, meus batimentos cardíacos estavam em uma velocidade enorme, era sempre assim e sempre seria, caso fosse com ele. 


 A maciez do colchão foi a seguinte sensação que tive, eu ainda continuava a acariciar os fios de Jungkook e ele me segurava pelo pescoço e cintura. Ele agora estava por cima de Jimin, com cada perna do lado da minha cintura. 


 Ele se afastou ofegante, e eu abri meus olhos para observar Jungkook, esse estava com os cabelos bagunçados, tinha a respiração descompassada e boca inchada. 


Mas os olhos queimavam em desejo, e uma parte daquele desejo foi posto no segundo beijo, porém era totalmente diferente do anterior. Esse era apressado e cheio de malícia.


 Ali eu tinha certeza, estava totalmente entregue. Qualquer que fosse a situação, eu continuaria, agora eu já tinha convicção. Tudo tão intenso, eu não me satisfaria apenas com aquele beijo.


 Nós queríamos, não existia mais motivo para fugir.




 Venha até mim um pouco mais rápido agora 

É tão triste aqui sem você 

Segurando as mãos fortemente 

Eu estou completamente pronto 

Para não perder você    


Notas Finais


ESTAVA TUDO AJEITADINHO NO APP....Mas ficou torto desse jeito msm ;-; sorry

Enfim...😍😍😍😍 Eu AGRADEÇO A QUEM ESPEROU O SOFRIMENTO PASSAR E AGUENTO TODOS OS CAPÍTULOS BAD! AGORA SÓ VEM ALEGRIA POVO!

Presenteie vcs com 2 capítulos no mesmo dia e estou morrendo de saudades dos comentários mano 😊😊 EU TE AMO VCS 😙😙❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...