História Orange Neighbourhood - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, TWICE
Personagens Jennie, Jimin, Jin, Momo, Nayeon, Rap Monster, Suga
Tags Amizade, Amor, Apoio, Bts, dificuldades, Drogas, Família, Fofo, Japao, Jennie Kim, Jimin, Jimo, Momo, Romance, Suga X Jennie, Twice, Violencia
Visualizações 110
Palavras 1.683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu sei que ele não ficou muito comprido, mas eu sentia que ele precisava ser assim exatamente do modo como foi feito. Espero que apreciem e não desistam de mim. Beijos morecos♥

Capítulo 4 - Coração


Olho para Seokjin e solto um sorriso, porém, minha mente grita desesperada para que eu sai dali o mais depressa possível. Ele não era um cara cruel, disso eu tinha certeza, mas como eu iria explicar toda a situação de Jimin? Isso era um caso familiar e eu não deveria me envolver.

 

—Ele é seu irmão?—faço-me de desentendida—vocês não são nem um pouco semelhantes.

 

—Acha mesmo que não me lembro de uma garota linda como você,Momo? A propósito, o que faz aqui? Você não tinha parado de falar com meu irmão?

 

—Bem, o tempo passa e as coisas mudam.

 

—Sim, mudam. Nossos pensamentos, atitudes, contatos—ele faz uma pausa e então completa—nossos amores.

 

—Momo!

 

Viro na direção do som e vejo Jimin correr com um sorriso no rosto. Seus cabelos grudados na testa por conta do suor e as bochechas vermelhinhas fruto da circulação sanguínea agitada. Ele não tem ideia de quem está ao meu lado.

 

Seokjin abaixa a cabeça e tenta segurar a risada, porém não conseguiu e chamou a atenção de seu irmão mais novo, que conhecia muito bem aquele som.

 

—S-seokjin?

 

Jin levantou-se e  caminhou até Jimin, o dando um abraço apertado. O menor permaneceu parado, tentando assimilar o que estava acontecendo ali em sua frente.

 

—Vou lá conferir se alguém precisa da minha ajuda.Caso queria falar comigo, Jimin, irei aguardar lá


 

POV’s Jimin

 

Meu irmão torcendo para que as coisas dessem certo em minha vida definitivamente era algo de errado. Não lembro nem qual foi a última vez que conversamos sem partir para a agressão física ou verbal.

 

—O que faz aqui? Não está cedo para você ter retornado de Seul? Como descobriu que eu estava aqui?

 

—Bem, assim que chegui em casa não tinha ninguém. Coloquei minhas malas em meu quarto e sai com a caminhonete para dar uma volta.Eu estava parado em uma loja quando vi você passando de bicicleta com a Momo na garupa. Aliás, meus parabéns por ambas as conquistas.Finalmente conseguiu conquistar o coração dela e fazer sua tão sonhada apresentação solo de dança.

 

—Momo é minha amiga—comentei seco, querendo cortar aquele assunto—e mesmo se fosse algo a mais, você não tem nada a ver com a minha vida.

 

—Com quem está aprendendo ser tão rude, garoto? É  com Yoongi, não é? Vamos para casa. É melhor você chegar antes do pai. Quero conversar com você sobre algo.

 

—Sabia que estava querendo algo. Você é muito interesseiro,Hyung.

 

—Não é exatamente sobre mim que quero falar.

 

—Não posso ir junto com você;preciso levar a Momo em casa.

 

—Joga a sua bicicleta na carroceria do carro e vamos todos levo vocês.




 

Sinceramente, não sei o que o mundo tem contra mim. Provavelmente cometi o crime mais abominável possível em uma vida passada e agora estou sendo castigado por isso. Minha bicicleta estava presa na parte apropriada para transporte do meu irmão junto com um milhão de caixas de papelão lotadas com algo que eu não faço ideia do que seja, mas esse não é o problema, aqui dentro do carro está igualmente lotado tanto no banco do carona, quanto no banco traseiro, onde eu estava espremido com momo sentada ao meu lado. Suas pernas estavam jogadas por cima de minha coxa para não ficar desconfortável em meio as caixas.


 

—De onde saiu tudo isso?—sussurra em meu ouvido—parece que seu irmão tá de mudança.

 

Olho para Seokjin e vejo que o mesmo está prestando atenção na estrada, então respondo a ela que não tenho noção do que seja,mas parece realmente algo importante já que ele odeia bagunça e seu carro definitivamente estava assim.

 

—yah!Momo, diga-me como consegue namorar meu irmão? Ele é tão irritante! Você certamente o ama muito.

 

Salto quando escuto as palavras dele, me tirando completamente do momento de fofoca.

 

—Jimin e eu somos amigos, mas eu não me importaria de aguentar a chatice dele como namorada, imagino que seja algo divertido.

 

—Está me pedindo em namoro, Hirai Momo?—pergunto fazendo para ela.

 

—Mas é claro que não. Não sou tão fácil de se conquistar.

—Acho melhor você ficar calado, Jimin.



 

                                                           *********************

—Pra que tanta caixa,Hyung? vai se mudar? —pergunto enquanto jogo mais uma remessa de caixas em sua cama—de onde veio tudo isso.

 

—A loja na qual eu estava parado quando vi você passar era uma gráfica, tudo isso veio de lá.

 

—E o que tem dentro?

 

Seokjin olha para o corredor e como não viu ninguém,tranca a porta do quarto logo em seguida ligando a luz. Ele parecia aflito. São parava de puxar seus cabelos castanhos e suspirar, tentando juntar algum tipo de coragem.

 

—Você ainda fala com aquele seu amigo rapper,o tal Namjoon?

 

—Sim. E não vou parar de falar com ele, ele é uma boa pessoa,Hyung.

 

—Eu sei que o Nam é uma boa pessoa. Esqueça tudo o que eu disse sobre ele e continue a sua amizade.

 

—Hyung, o que deu em você você nunca chamou o Namjoon de Nam.

 

Ele caminha e senta ao meu lado no chão gelado do quarto, segura meus ombros e sussurra:

 

—Jimin,existem tantas coisas que você Não sabe. Mas isso fica para um outra hora. Todas as caixas de papelão que tem um quadrado desenhado são suas, pegue-as e coloque ao seu lado. As que estiverem vazias, abra e depois lhe direi o que fazer.

 

—Que tipo de jogo é esse?

 

—Apenas faça.

 

Então, sem dizer mais nada e com a cabeça confusa, eu obedeço.

 

—Você tem quatro caixas vazias e cinco cheias, correto?

 

—Sim.

 

—bem—estala as mãos nas próprias coxas com um sorriso no rosto e completa—escolhe o que quiser do meu quarto e guarde nessas caixas.

 

—Qualquer coisa?—pergunto desconfiado

 

—Sim, Chimchim, qualquer coisa.

 

—Sua coleção do Mario? Seus livros de poesia.

 

—Claro—estende a mão em direção a estante que protege os itens—vá em frente.

 

—Quem é você e o que fez com meu Hyung? Vai responde! Por que está fazendo o bom cordeiro comigo, Seokjin?!Hum? A final o que tem dentro dessa caixa?

 

Abro uma das caixas e encontro fotos minhas e de Seokjin em tamanho ampliado e todas emolduradas. Comoço a tirar uma por uma de dentro da caixa, sem entender nada. Eram fotos que eu nem sabia da existência.

 

—O que é tudo isso?

 

—Abre a segunda caixa.

 

—Não vou fazer merda nenhuma, Seok…

 

—Jimin,abre a caixa.

 

Abro a outra caixa  e encontro vários envelopes. Olho a inscrição de um por um e sinto o meu pânico crescer a medida que leio mais um. Neles estavam escritos coisas do tipo”quando sentir falta de brigar comigo” “quando precisar de um conselho” “no dia de seu casamento” “quando nascer meu primeiro sobrinho” “Quando eu finalmente não estiver mais aqui”

 

—Hyung? O-oque é tudo isso?

 

—Eu vou fazer uma cirurgia no coração, Jimin, e não sei se depois disso eu vou acordar.

 

—Desde quando você sabe que tem problemas de coração, o que você tem? o que ?

 

Minha cabeça estava um turbilhão de pensamentos. Eu simplesmente não consegui pensar e falar nada que fizesse sentido.

 

—Eu tô aqui, calma,calma.

 

—Me diz que é mais uma das suas piadinhas. Jin, diz pra mim.

 

—Eu gostaria que fosse—ele soluça em meu ouvido—mas infelizmente não é.

 

—O que tem nas outras caixas?—pergunto.

 

—Mais cartas para você, presentes, esse tipo de coisa. Apenas tralhas que possuem um valor sentimental para mim.

 

—Nossos pais já sabem?

 

—Não. E não contarei hoje. Pelo que me parece eles saíram juntos para jantar, não quero estragar essa felicidade. Quero lhe contar o por que eu sempre quiz chamar tanto a atenção de papai. Foi pra ele não descobrir, e caso descobrisse, me amar mesmo assim.

 

—Descobrir o que ?

 

—Que eu gosto de garotos e que namorei por dois anos com seu melhor amigo.

 

—Você o que?

 

—Eu namorei por dois anos com Kim Namjoon.






 

Dois anos atrás-


 

O posto de gasolina estava em silêncio e ninguém além dos frentistas trabalhando em uma das noites mais frias do ano estavam ali de pé. Kim Namjoon esfregava as mãos em seus próprios braços na tentativa de gerar calor  e salvar seu corpo de ter uma possível hipotermia. Graças a Deus o posto já estava fechando.

 

Namjoon observou um carro preto se aproximar e revirou os olhos. As pessoas já estavam cansadas de saber  a hora de funcionamento daquele lugar.

 

O vidro do carro desceu um pouco e uma mão entregou a Namjon algumas notas.

 

—Complete o tanque por favor.

 

—Jin Hyung?


 

A partir daquele dia os dois rapazes passaram a sair cada vezs mais frequentemente para beber Soju e jogar conversa fora, as coisas foram simplesmente acontecendo e os dois se apaixonando.

 

Ninguém poderia saber, principalmente a família do mais velho.



 

************************

 

Deitado com a cabeça no travesseiro de meu irmão e com ele ao meu lado eu não conseguia sentir nada além de medo. O que eu faria caso ele não resistisse a operação? Ele era meu irmão, e depois de tudo o que ele me contou, vejo que tudo o que ele fazia para tentar ser mais próximo do meu pai que eu, foi com medo de que ele descobrisse sobre a sexualidade de meu irmão. Me sinto um tolo por não ter notado.

 

—Eu brigava com você pois eu era um jovem tolo—sussurra ainda com os olhos fechados—você é muito mais maduro do que eu.

 

—Isso acontece, hyung. Algumas pessoas simplesmente demoram mais a amadurecer.

 

—Promete que vai cuidar da nossa família?

 

—Não posso te prometer isso Jin. Você mesmo vai cuidar.

 

—Sabe que isso pode não acontecer. Cuide do pai da mãe e do Nam para mim.

 

Não respondo nada apenas solto um baixo soluço. É horrível saber que seu irmão pode nunca mais acordar. A vida passa muito rápido, e eu não pude aproveitar o tempo que tive com ele da maneira correta.

 

—Aproveite bem a Momo. Viva tudo o que puder ao lado dela, assim quando vocês algum dia se separarem, não haverá arrependimento assim como estou tendo por não amar o Namjoon da forma como ele merecia.


 


Notas Finais


Gente, foi pequeno demais esse capítulo, mas por favor não me matem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...