História Orfeon Feu - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui, Personagens Originais
Tags Camren, Game Of Thrones, Got
Exibições 19
Palavras 1.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É uma ideia maluca, estava assistindo GOT e acordei com isso na cabeça.

Bonum lectionem.

Eu amo latim e eu amo francês, então não fiquem confusos, okay? Okay. Estou me sentindo a Hazel Grace.

Capítulo 1 - Prologus


Fanfic / Fanfiction Orfeon Feu - Capítulo 1 - Prologus

Certa vez, quando tinha seis anos, vi num livro sobre a Floresta Virgem, « Histórias Vividas », uma imponente gravura. Representava ela uma jibóia que engolia uma fera. Eis a cópia do desenho.

Dizia o livro: « As jibóias engolem, sem mastigar, a presa inteira. Em seguida, não podem mover-se e dormem os seis meses da digestão »,..

Refleti muito então sobre as aventuras da selva, e fiz, com lápis de cor, o meu primeiro desenho[...]

Mostrei minha obra-prima às pessoas grandes e perguntei se o meu desenho lhes fazia medo. Responderam-me: « Por que é que um chapéu faria medo » ? Meu desenho não representava um chapéu. Representava uma jibóia digerindo um elefante...

[Antoine de Saint-Exupéry]

Situada entre a França do norte e a do sul, entre o leste e o oeste europeu, fica Lyon, o centro da nossa história, o bairro La Confluence, localizado no sul de Presqu'île,  uma região contemporânea assim como a residência de nossas protagonistas.

Condomínio fechado, três andares, arquitetura contemporânea em cores preto e marfim. Os seguranças em seus postos como sempre, as luzes da casa já se encontravam quase todas apagadas, exceto por uma, o quatro do pequeno herdeiro.

Nicholas estava sendo coberto por Camila, Lauren estava sentada em uma poltona próximo a cama com dois livro em mãos, Le Petit Prince; o preferido do filho, e Orfeon Feu; sua próxima obra literária a ser lançanda nas livrarias.

— Hora da história! — O pequeno Cabello-Jauregui, dizia eufórico, remexendo-se na cama.

A escritora observando a animação do filho soltou um riso nazal. Camila sentou-se no colo da esposa que apoiou os dois livros em suas coxas torneadas.

— Então pequeno guerreiro, vamos ler O Pequeno Príncipe? — O garotinho franziu o cenho, com a mãozinha esquerda no queixo enquanto pensava na melhor opção de leitura para aquela noite. Típico jesto Jauregui.

— Eu quero o livro novo! — Ele deu um pulinho animado com as mãos para cima em punho. 

Lauren arqueou a sobrancelha direita com um sorriso de lado no mesmo segundo que a juíza fazia o mesmo jesto. Anos de convivência.

A morena de olhos claros sentiu-se feliz, animada. O filho nunca havia se interessado por suas obras literárias pelo fato de não conter conteúdo infantil e possuir história de guerra. 

Nicholas não era um garoto agressivo, odiava brigas, ele mau elevava o tom de voz. Motivo pelo qual a escritora decidiu afasta-lo de seu irmão.

Christopher era o oposto da criação do pequeno Cabello-Jauregui. A juíza sentiu-se incomodada, preocupada em deixar Nicholas te-lo como referência de algo que com toda a certeza não seria bom.

Lauren pegou o livro abaixo da obra infantil de Antoine de Saint- Exupéry. A capa era de cor mogno, o título escrito em básicas letras vermelha, um dragão preto enfeitava a capa.

A escritora abriu o livro na quinta página onde começava o prólogo.

— Tudo bem, campeão, se você não gostar de alguma parte me conta, okay? — o garotinho assentiu freneticamente com a cabeça, ansioso.

A dona dos olhos esverdeados movimentou a cabeça de um lado para o outro estalando o pescoço, aumentando a ansiedade do garoto que repousava em sua confortável cama.

Camila assistindo o pequeno em seu mini ataque de ansiedade, acertou um leve tapa no ombro da esposa. Então a leitura começou deixando a cada palavra um Nicholas mais atento e curioso.

A muito tempo atrás em Orfeon, nasceu uma linda garotinha de olhos esmeraldas...

— É a senhora? — Os olhos esverdeados de Nicholas brilharam. A juíza riu abraçando a esposa.

— Não. Por que pensa assim? — Ela arqueou uma sobrancelha esperando a resposta do filho. O menino retirou os poucos fios negros que caiam em seus olhos antes de responder.

— Os seu olhos são verdes. Parece a pedrinha daquele colar da mamãe. — Ambas as mulheres sorriram ao lembrar. Tratava-se de um colar de ouro com um pingente de esmeralda. Simples porém sofisticado. Foi o presente de casamento de Lauren para Camila no aniversário de um ano de casamento das duas belas mulheres.

— Os seus olhos também são verdes, mon chéri. No entanto posso continuar com a leitura?

O garoto assentiu puxando o cobertor azul turquesa até seu queixo.

Essa garota viria a ser conhecida como Lauren, a princesa exilada, filha do Rei Michael II com sua esposa Rainha Clara.

— Eu sabia que era a senhora! — Murmurou enrolado no mar azul de seu cobertor. Sua mães riram e logo Lauren continuou a ler.

Lauren também viria a ser a ultima sobrevivente da Casa Jauregui. Anos antes da grande guerra sangrenta, durante uma das mais terríveis tempestade de Orfeon, nasceu a pequena princesa. Sua mãe Rainha Clara morreu no parto e  pouco tempo depois Pedra do Dragão, lar da família Jauregui, caiu para as forças rebeldes de Robert Baratheon. 

Lauren junto de seu irmão Christopher, são levados de Orfeon para a cidade de Bravos, do outro lado do mar, onde passaram os anos seguintes vagando pelas doze cidades livres a procura de ajuda para retomar o Trono de Ferro.

Os anos se passaram e a garota dos olhos verdes, cresceu uma tímida jovem  e humilde que desenvolveu pavor do temperamento do irmão. Ambos estavam na cidade livre de Pentos como convidados de Vincent Morphelis que, com apoio de Christopher, arranjaram um casamento entre Lauren e Karla Estrabão, uma poderosa guerreira e herdeira da Casa Estrabão... 

A escritora fechou o livro observando o seu filho catatônico pelo sono e sua esposa quase dormindo em seu ombro.

— Por hoje é só.

— Não. — O menino murmurou coçando os olhinhos e despertando sua mãe de seu leve cochilo.

— Sim. — Lauren levantou Camila e levantou-se junto, guardando os livros na prateleira da parede próximo a cama do filho. — O senhor tem uma excursão no Museu de Belas Artes amanhã cedo. A sua mãe — Olhou para uma Camila  ao seu lado grogue pelo sono. — Tem uma viajem a Genebra e eu vou a Nice, então vamos todos dormir.

Ambas as mulheres aproximaram da cama dando um beijo na testa do filho.

— Je t' aime, mon ange. — Camila e Lauren falaram.


—  Fais de beaux rêves, mamans.


Notas Finais


Nunca se esqueça de quem é, porque é certo que o mundo não se esquecerá. Faça disso sua força. Assim, não poderá ser nunca a sua fraqueza. Arme-se com esta lembrança, e ela nunca poderá ser usada para magoá-lo.
– Tyrion Lannister.

O que dizer sobre esse cara? Eu o amo.

Eu gosto muito de sobrenome Estrabão. Acho ele forte. Então...

Fais de beaux rêves.😪


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...