História Orgasm - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Boyslove, Bts, Gay, Jikook, Jimin, Jimin!bottom, Jungkook, Jungkook!tops, Kookmin, Kpop, Lemon, Taeseok, Taeyoonseok, Texting, Vhope, Vhopega, Yaoi
Exibições 1.979
Palavras 678
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Festa, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ, GENTE

Eu queria agradecer a todo mundo que gosta e acompanha a fic, fico bem feliz quando tem comentários como no capítulo de ontem. Amo vcs sz

Ah, e esse capítulo não é texting, mas espero que gostem ♡

Capítulo 10 - Você é um monstro.


Fanfic / Fanfiction Orgasm - Capítulo 10 - Você é um monstro.

Jimin estava atrasado, e iria precisar correr para chegar a tempo na faculdade. Maldito dia pra seu irmão, Taehyung, que geralmente lhe dava carona, resolver dormir na casa de Hoseok.

Suspirou, dando-se por vencido, ao ver o horário em seu relógio de pulso. Não conseguiria chegar naquele tempo de aula. Então, voltou para dentro de casa. Ajeitou as vestimentas mal postas, por conta da pressa, e arranjou uma maçã na cozinha.

O ruivo ouviu vozes escandalosas, o que o fez caminhar até a janela da sala, enquanto mordiscava a fruta. Relaxou os ombros ao ver que era apenas o senhor Lee conversando com os filhos - uma garotinha, beirando seus sete anos, e um garoto, que aparentava seus dezesseis ou dezessete.

Com passos preguiçosos, caminhou ao gancho que havia ao lado da porta, à fim de pegar as chaves de sua moto. Fazia algum tempo que não a usava, talvez dois ou, até, três meses.

Viu que os vizinhos ficaram em silêncio, ao que passou próximo ao jardim deles, para entrar em sua garagem. Sorriu brevemente aos filhos do homem. A garotinha devolveu o sorriso e acenou, daquele jeito animado que apenas as crianças têm, o garoto, por sua vez, apenas abaixou a cabeça, num ato tímido e fofo, que fez Jimin sorrir mais abertamente. O ruivo voltou a atenção para o que fazia, adentrou a garagem e agradeceu internamente por ele e Tae nunca deixarem a moto sem combustível, pro caso de alguma urgência.

Suspirou, um tanto cansado, ao estacionar a moto em frente a sua casa. Pôde ver o garoto, filho do vizinho, começar seu caminho para fora do jardim bem cuidado da família. Visto o desânimo do rapaz, resolveu oferecer um carona.

— Hey! – Tentou lembrar-se do nome do garoto, sua mãe havia falado a ele, algum dia. — Jungkook?

O garoto pareceu assustar-se ao ser chamado, e rodou os calcanhares com lentidão.

— Bom dia. – Cumprimentou, em tom baixo, ao que tornava a desviar o olhar, coçando a nuca. — Me desculpe, hyung, eu estou atrasado.

Falando daquela maneira acanhada, não parecia o mesmo garoto que fora pego o observando daquela maneira. Talvez soubesse que o maior havia o percebido, e estivesse envergonhado por isso.

Aish, garotinho estranho.

Monte aí, eu te levo. Pelo uniforme, sua escola é a que fica no caminho da minha faculdade.

— Ah, não precisa. – Murmurou, os dedos fechando-se contra o tecido das laterais de sua calça, uma de suas manias, quando estava nervoso.

— Aish, por que tão tímido? – O Park sussurrou, mais para si mesmo, o que fez o dongsaeng corar, ao ouvir. — Está tudo bem, não vai atrapalhar, venha logo.

O moreno, por um momento, deixou que seu olhar se esbarrasse ao de seu hyung. E, bem, não era como se fosse possivel desviar novamente. As orbes escuras do ruivo eram como imãs.

— Jungkook! – Os dois se assustaram, e viraram bruscamente, ao ver o pai do mais novo andar em direção à eles. — É pra' ir à escola, não ficar conversando com estranhos.

— Oh, bom dia pra você também, vizinho. – O mais velho fez questão de dar ênfase na ultima palavra.

Porra, Jimin não era um estranho! Moravam um ao lado do outro há caralhadas de anos.

O homem ranzinza, que devia estar beirando seus quarenta anos, sustentou um olhar de desprezo à Jimin, que quase sentiu-se abalado por isso. Quase, pois já estava acostumado.

Qual era a porra do problema daquela família em aceitar a escolha sexual dele e de seu irmão?

Seus pais haviam aceitado, sua familia não os julgava, mas os malditos vizinhos sim. O ruivo gostaria de jogar na cara deles como o filho dos mesmos houvera gostado de vê-lo dançando, a forma que o pegou observando-o.

— Jungkook! – O homem rosnou bravo, agora ignorando a presença de Jimin. O mais novo assentiu com a cabeça, sorriu minimamente à Jimin e tratou de caminhar na direção contrária à eles.

— Com todo o respeito, senhor Lee, você é um monstro.


Notas Finais


espero que tenham gostado, até amanhã ♡

uma oneshotzinha da minha friend se vocês quiserem; https://spiritfanfics.com/historia/sweet-inocence-6603563


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...