História Original love. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias The Originals, The Vampire Diaries
Tags Haylijah, Klaroline
Visualizações 65
Palavras 975
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Super Power, Survival, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá. O pessoal que esta lendo, me deem um sinal de vida.... rsrsrs
Comentem e favoritem. Beijo.

Capítulo 9 - Capitulo 9


Fanfic / Fanfiction Original love. - Capítulo 9 - Capitulo 9

Caroline, domingo 11:45 

Caroline e Damon embarcaram para o Brasil. 
Caroline levou de bagagem o pedido de Klaus... "Minhas prioridades mudaram assim que te conheci. Eu só quero estar com você, só consigo pensar em você.  Aceita namorar comigo Caroline?" ... Ela queria dizer sim, ela sentia que estar com ele era a coisa que ela mais pensava desde que conhecera. Mas também sabia que se desse o braço a torcer sobre a viagem logo no início assim, a probabilidade de um relacionamento saudável ficaria comprometida. 
Foi com o coração apertado, mas foi. Antes de decolar mandou para Klaus uma mensagem. 
- Sei que agora está irritado comigo, mas quando nos reencontrarmos vai saber que foi melhor assim. Até a volta. 
Klaus não respondeu, mas ele leu a mensagem, com a irritação inicial amenizada ele até chegou a concordar com ela. 

POV Caroline 
Chegamos no Brasil a noite, desembarcamos na metrópole gastronômica do país, uma das mais diversas do mundo, São Paulo. Ainda no aeroporto a nossa  hostess que foi nos receber falou como a noite paulistana era agitadíssima e nos convenceu a largar as malas no hotel e ir curtir. Damon estava ainda mais animado do que eu. Fomos a uma balada lgbt, indicação da galera do hotel que encontramos no elevador. 
- Nossa esse lugar é muito legal. Eu estava desacostumado com baladas assim, Nova Orleans acaba inebriando a gente naquela aura mística e de jazz.  Damon disse ao pé do meu ouvido. 
- Sim. Eu acho que posso dançar a noite toda. Gritei de volta pra ele. 
Passamos um tempão na pista, eu nem estava pensando em beijar ninguém, estava dançando distraída quando do meu lado começou a dançar uma garota linda, ela tinha a pele escura com um brilho dourado, que naquela mistura de luzes parecia ainda mais incrível, seus cabelos crespos e volumosos davam ao seu lindo rosto uma moldura perfeita. Eu fiquei hipnotizada vendo-a dançar. Aparentemente eu também chamei atenção dela, seu nome era Nicole. 
- Olá, você é linda. Disse me aproximado do seu ouvido. E para a minha sorte ela falava inglês. 
- Você também é. Amei seu cabelo. Ela respondeu pegando na minha mão e fazendo com que dançássemos juntas. A gente se conectou na hora, dançamos muito e em um momento da dança nós colamos o rosto uma na outra, eu deslizei minha mão pela sua cintura, tive vontade de beija-la, colei meus lábios na orelha da Nick. 
- Eu estou doida pra te beijar. Falei alto pra ela me ouvir. Nick me olhou, sorriu, passou a mão pelos meus  cabelos e colou os lábios nos meus, eu abri caminho entre os lábios dela, me excitei ao sentir sua língua massagear a minha, seu beijo era doce, lento, enlouquecedor. Fiquei só com a Nick a noite toda, foi incrível, conseguimos conversar um pouco durante a noite, ela era divertidíssima, se Damon não tivesse dado "perda total" eu teria ido embora com ela. Mas ele bebeu tanto que não sabia nem onde estava. 
- Eu estraguei seu lance? Ele perguntou entrando no taxi. 
- Não. Tudo bem. Você nem comeu nada por isso está assim. Vamos pro hotel, vc come algo e dorme. Amanhã temos que sair de manhã. 
- Pegou o telefone dela pelo menos? Ele perguntou balbuciando. 
- É claro que sim, quer me ensinar a flertar? Falei dando um empurrãozinho de brincadeira nele. 
- Não é isso. É que faz tempo que não te vejo com nenhuma garota, achei que tinha perdido o jeito. Ele resmungou com um sorriso. 
Ainda bem que o mantive conversando, assim ele não dormiu antes de descer do carro. Quando chegamos ajeitei Damon na cama dele e fui tomar um banho. A semana foi bem cheia de palestras e aulas, uma experiência enriquecedora. Klaus não havia falado mais comigo. Durante um almoço com Damon conversamos sobre eu estar frustrada com o jeito do Klaus. 
- Care, você é muito independente, não gosta de se sentir manipulada. Mas encare a verdade, você e Klaus quebraram a banca um do outro. Vocês são muito diferentes e ainda assim se sentem atraídos um pelo outro. Foi como você e eu. Damon falou me observando. 
- Então estamos fadados a não dar certo também. Respondi tirando sarro dele. 
- Engraçadinha. Ele respondeu sorrindo. - Se nós não tivéssemos dado certo, não estaríamos aqui hoje. A questão entre nós é que não funcionamos como casal, mas somos imbatíveis como amigos e parceiros. Você só precisa fazer dar certo de alguma forma com ele também. 
- Mas é isso que me preocupa. Ter que "fazer dar certo". Respondi gesticulando a mão. 
- Mas Care, nenhum relacionamento vai cair pronto e desconstruído no seu colo. Você vai precisar lapidar essa relação se quiser que Klaus respeite você como você é. Damon falou me olhando nos olhos. 
- Meu Deus. Cadê aquele ex-namorado babaca que me traiu com metade do quarteirão francês? Falei brincando com ele e fazendo nós dois rirmos. 
Damon estava certo. Se eu queria estar com Klaus e ele comigo, teríamos que dar um jeito de tudo funcionar. 
Os últimos dias do nosso curso foram intensos. Eu decidi que iria embora assim que terminasse a convenção de gastronomia. Mudei meus planos por causa do Klaus. Íamos ficar mais uma semana pra conhecer um pouco São Paulo, mas eu não aguentava mais de saudade e a greve de silêncio do Klaus estava me derrubando. 
Assim que eu marquei  meu voo de volta avisei minha mãe e mandei uma mensagem para Klaus. 
"Mudei um pouco os planos, estou voltando pra Nova Orleans. Desembarco amanhã às 17:40. Espero que possamos nos ver em breve." 

Confesso que pensei que iria encontrar Klaus me esperando no aeroporto. Mas ele é tão teimoso que não daria o braço a torcer facilmente. Mas eu estava decidida, queria fazer dar certo. 
 


Notas Finais


Dicas e pedidos são sempre bem vindos. :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...